Esportes de Aventura – Aragón

A Comunidade Autônoma de Aragón localiza-se no nordeste da Espanha, e sua natureza privilegiada a converte num destino perfeito para a prática do Ecoturismo e dos Esportes de Aventura.

DSC_3365Geograficamente, seu território compreende a parte central do Vale do Rio Ebro, os Pirineus Centrais e as Serras Ibéricas, e esta variedade propicia ambientes diversos, aptos para o senderismo, montanhismo, esqui, escalada, descida de barrancos, espeleologia, etc.

DSC00846Conta com duas cadeias montanhosas principais. Ao norte, na Província de Huesca, situam-se os Pirineus, que já foi matéria de várias publicaçoes, e sua beleza inigualável durante todo o ano permite a prática de vários esportes e atividades ecoturísticas. No inverno, transforma-se no reino do esqui, das travessias, e da escalada no gelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Zaragoza, em sua parte central, erguem-se as montanhas do denominado Sistema Ibérico, cuja maior altitude encontramos no mítico Moncayo, com 2313m.

IMG_3036A rede hidrográfica, em sua maior parte, forma os afluentes do Rio Ebro, o mais caudaloso do país. Um dos principais é o Rio Gállego, que em seu percurso pelo Vale de Tena, oferece a oportunidade de um maravilhoso rafting por suas águas.

DSC_3375DSC_3423Os principais vales pirenaicos foram formados pelos rios que nascem na cordilheira. Outra excelente opçao de passeio sao as trilhas que conduzem aos inúmeros lagos de montanha, originários do último período glacial, e que sao chamados de Ibones. Normalmente, sao encontrados em altitudes superiores aos 2 mil metros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA descida de barrancos atrai cada vez mais adeptos, e em Aragón podemos realizar vários deles.

DSC00783DSC00785Aragón, apesar de se a quarta maior comunidade em extensao do país, em termos populacionais é a décima primeira, e seus amplos espaços permitem o desfrute da natureza, em lugares onde a paz e a beleza sao nossas únicas companheiras.

DSC00444DSC00460Este post nao teria sido possível sem a inestimável colaboraçao de meu grande amigo Jorge Pérez, de Zaragoza. Muchas gracias, hombre !!!!!

Românico no Vale de Arán

A riqueza artística depositada no Vale de Arán é um dos tesouros ocultos dos Pirineus. Seu legado cultural é completo, com exemplos de várias correntes estilísticas (românico, gótico, renascentista, etc) e também variado quanto à arquitetura, pintura e escultura, em pedra e madeira.

A paisagem está salpicada de belas igrejas, e o estilo românico é predominante, representando uma atração turística que transforma a região num museu de arte e história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Nos posts anteriores, vimos algumas destas igrejas, como a de Santa Maria em Arties, e a de San Miguel, em Vielha. Vejamos, agora, outros templos que se destacam no vale que, em conjunto, compõem a rota do Românico Aranês. Bem próximo à capital, Vielha, situa-se um povoado, que mais parece um bairro, tal a sua proximidade, que se chama Betren. Nele, podemos visitar duas igrejas do estilo.

Infelizmente, a de San Saturnino está em ruínas. Foi erguida entre os séc. XII/XIII, e sobrevive apenas a torre, do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm muito melhor estado está a Igreja de Sant Esteve que, levantada entre os séc. XII e XIV, combina de forma harmoniosa os estilos românico e gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa cabeceira, vemos os ábsides poligonais e uma janela gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma de suas partes mais importantes é a portada, com um rico conjunto escultórico em suas arquivoltas, bem como no tímpano, com uma representação da Virgem Maria e o menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo pueblo de Escunhau, também próximo à capital, a Igreja de San Pere se ergue solene no alto da vila.

DSC07471DSC07468Foi levantada nos séc. XI/XII, embora tenha sido reformada em séculos posteriores. De longe, se avista a torre campanário, do séc. XVII.

DSC07472O grande destaque do templo é sua maravilhosa portada, uma das mais belas e intrigantes do vale.

DSC07460Românica dos séc. XII/XIII, está composta de uma iconografia incomum, como se pode observar no friso superior. Em seus dois extremos, vemos duas cruzes gregas.

DSC07465Sua parte central está formada por um Crismón (anagrama que representa o nome de Cristo, em grego), acompanhado por duas imagens laterais que representam uma estrela de 8 pontas. Estes símbolos podem significar imagens solares ou inclusive o ciclo sol-lua, como indicativo do princípio e fim de tudo. Estão associados a monumentos funerários paleocristianos, visigodos e pré-românicos, e se relacionam também com a imortalidade da alma.

DSC07463Embaixo do friso, vemos uma imagem de Cristo crucificado, cuja figura aparece desproporcionada.

DSC07462Aparecem nos capitéis rostos humanos. Infelizmente, não se pode visitar o interior da igreja.

DSC07461Finalizamos a matéria no povoado de Gausac, em que podemos conhecer a Igreja de San Martin.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se de um dos melhores exemplos de arquitetura gótica do Vale de Arán. Não obstante, em seu interior apreciamos uma bela Pia Batismal românica (XII/XIII), que provavelmente fazia parte de uma anterior construção.

DSC07513DSC07506

No exterior, a torre fortificada gótica do séc XV/XVI chama a atenção, embelezando ainda mais a paisagem nevada do vale.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arties – Vale de Arán

Um passeio pelo Vale de Arán nos permite, além da possibilidade de praticar esportes de inverno e caminhadas por suas belas paisagens, conhecer pueblos de encanto, que conservam sua arquitetura tradicional. Arties, situado entre Vielha e a estação de Baqueira Beret é um deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado é uma típica vila de montanha, banhada pelas águas de dois rios, o Garona e o Valerties, e sua populaçao nao chega aos 600 habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07455Caminhando tranquilamente por suas ruas, descobrimos detalhes de rara beleza, tanto na decoraçao das casas, quanto em sua arquitetura.

DSC07448OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07450

Apesar de seu reduzido tamanho, Arties conserva um belo patrimônio cultural, principalmente por suas duas igrejas.

A Igreja de San Joan situa-se bem na estrada que comunica a estacao de esqui com a capital do vale de Arán, Vielha. Construída entre os séc. XIII/XIV, sua origem é românica, apesar de ter sido ampliada no período gótico. O templo pertenceu aos Cavalheiros Templários e à Ordem de San Juan de Jerusalém, mas atualmente permanece fechada para o culto. No entanto, acolhe em seu interior exposições temporárias relativas à cultura do vale.

DSC07454A Igreja de Santa Maria representa um dos expoentes do românico aranês. Construída entre os séc. XII/XIII, possui planta basilical de 3 naves, encabeçadas originalmente por seus 3 ábsides, dos quais se conservam apenas os laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vemos  na foto acima, os ábsides laterais conservam seu aspecto original, enquanto o central foi reformado posteriormente.

A arquitetura da igreja foi fortemente influenciada pelo românico Lombardo, como em toda a zona pirenaica da Catalunha. O templo possui também dois campanários, um deles situado na torre de 5 andares, de estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior surpreende por sua riqueza, principalmente no que se refere às suas magistrais pinturas murais, de estilo renascentista e datadas do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

No teto, está representado o juízo final.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O retábulo é uma obra prima da pintura gótica, com cenas da vida da Virgem Maria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Igreja de Santa Maria foi declarada Monumento Nacional, e na idade média hospedou aos cavalheiros templários, que construíram um castelo junto ao templo, do qual se conserva apenas uma torre defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Estaçao de Baqueira-Beret – Vale de Arán

A estaçao de esqui de Baqueira-Beret está localizada a tão somente 14km da cidade de  Vielha, no Vale de Arán. Inaugurada em 1964, é a única existente na vertente norte dos Pirineus, o que lhe propicia abundantes nevadas e qualidade da neve, condições ótimas para a prática de esportes invernais.

DSC07422

Desde a estação, se observam montanhas de mais de 3000m, e possui uma moderna rede de instalações, recebendo a cada temporada uma lista de personalidades e de famosos, entre os quais a Família Real espanhola.

Com uma cota mínima de 1500m e uma máxima de 2510m, a estação está preparada, além do esqui, para a prática de outras atividades, tais como trenós conduzidos por cavalos ou cães, excurçoes com raquetes, motos de neve, snowboard, esqui de fundo, etc.

DSC07441A qualidade das pistas e sua grande área disponível para o esqui abarcam todos os níveis, transformando a estação numa referência que ultrapassa os limites da geografia espanhola.

DSC07423Possui 120km de pistas balizadas e pisadas, o que a qualifica como o segundo centro invernal neste quesito, somente superada pela estação de esqui de Formigal, situada nos Pirineus Aragoneses. Esta grande extensão engloba um total de 72 pistas, das quais 6 são verdes (para principiantes), 36 são azuis e 29 vermelhas (ambas para esquiadores de nível intermediário), além de 7 pretas (nível avanzado).

DSC07429DSC07426

Na estação foram também realizadas etapas finais das corridas ciclísticas mais conhecidas do continente, como a Volta da Espanha e o Tour de França.

Para o transporte de turistas e praticantes do esqui, a estação conta com 33 teleféricos, com capacidade para transportar quase 60 mil pessoas por hora.

DSC07424DSC07436Uma boa dose de adrenalina que oferece o centro, somente para esquiadores de alto nível, é a prática do heliesqui, em que o esportista é levado de helicóptero a uma cota da montanha inacessível para os demais e, uma vez aí, deslizar por pendentes de altíssimo risco, sobre a neve virgem.

A prática do esqui faz parte da cultura deportiva dos países europeus, cuja iniciaçao começa bem cedo.

DSC07432DSC07434Para os principiantes, existem cerca de 400 professores especializados para aulas particulares, uma boa opção para aqueles que queiram iniciar-se nesta prática esportiva.

DSC07431Mesmo com a atençao e cuidado dos monitores, para algumas pessoas, como o autor que lhes escreve, a dificuldade em dar os primeiros passos com o esqui é sumamente complicada…

DSC07438

Vielha – Vale de Arán

O Vale de Arán é uma comarca da Província de Lérida, na Catalunha, encravada no meio dos Pirineus Centrais. De fato, 30% d seu território situa-se a uma altitude superior aos 2.000m. Cerca de 10mil habitantes vivem na região, na qual convivem 3 idiomas co-oficiais: o castelhano, o catalão e o aranês, uma variedade da língua occitana.

DSC07447

Tradicionalmente, sua economia baseia-se na pecuária e na exploração florestal. Porém, atualmente o turismo tornou-se o motor de desenvolvimento do vale. Dois fatores contribuíram para tal mudança. Por um lado, a abertura do Túnel de Vielha possibilitou a comunicação da zona, anteriormente isolada, com as demais cidades da comunidade.

Por outro, a Estação de Esqui de Baqueira-Beret promoveu o chamado turismo de montanha, principalmente na alta temporada do inverno. Com o aumento da oferta turística, incrementou-se o desenvolvimento do vale, fazendo com que sua renda per capita seja uma das mais altas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

As primeiras referências concretas sobre o Vale de Arán apareceram no séc. X, quando encontrava-se vinculado ao Condado de Ribagorza. No séc. XII, passa a integrar o Reino de Aragón e posteriormente ao Principado de Catalunha. Sua capital e município mais importante é Vielha e Mijaran, e é a base para conhecer-se a região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade lota na temporada de verão, quando os turistas buscam suas belas paisagens para atividades ecoturísticas, bem como no inverno, quando o esqui atrai milhares de praticantes. O município está formado por 13 pequenos povoados, e possui uma população de 4.500hab.

DSC07493DSC07492

Seu monumento mais destacável é a Igreja de San Miguel, construída em várias épocas. Apesar de ser um edifício predominantemente gótico, conserva elementos românicos de sua primeira construção, no séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada principal pertence ao séc. XIII, e nela observamos  as 59 figuras esculpidas em suas arquivoltas, representando anjos, santos, músicos e apóstolos.

DSC07488OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, aparece São Miguel Arcanjo, titular da igreja, e nos dois lados, Jesus Cristo flagelado e curando a um enfermo.

DSC07485A torre foi levantada em época posterior, no séc. XVI, por ordem expressa do rei Fernando Católico. No interior, vemos uma das mais belas imagens românicas de todo o vale, uma talha conhecida pelo nome de Cristo de Mijaran, do séc. XII.

DSC07479Do mesmo século e estilo é a Pia batismal.

DSC07480O retábulo é do séc. XV, e nele vemos cenas da vida de Maria e de San Miguel.

DSC07481

Outro dos atrativos do templo são suas pinturas murais conservadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O órgão foi construído em 1778.

DSC07483Passeando pela cidade, descobrimos casarões antigos e casas rústicas, que conferem uma atmosfera acolhedora à localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07504Neste palácio com torres fortificadas funciona o Museu Etnológico da cidade.

DSC07495

Em 1976, o centro antigo de Vielha foi declarado Conjunto Histórico-Artístico.

DSC07499DSC07494

Selva de Irati – Navarra

Existem lugares que nos causam uma impressao tao intensa que dificilmente serao apagados de nossa memória. Lugares em que o simples ato de caminhar se transforma num exercício de contemplação contínuo, diante de uma natureza soberba, pictórica e cuja beleza é inalcançável pelas variadas formas de expressão. Tal é o caso da Selva de Irati, localizada ao norte da Comunidade de Navarra.

Situada nos Pirineus Orientais, próximo à fronteira com a França, com a qual comparte seu território protegido, a região pode ser facilmente atingida desde a capital Pamplona, num trajeto espetacular de uma hora de carro.

A Selva ou também denominado Bosque de Irati constitui a maior área florestal contínua não só da comunidade, como também de toda a península e representa um dos bosques mais extensos, de maior riqueza ambiental e melhor conservado de toda a Europa.

Com 17mil hectares, está catalogado como Parque Natural e Zona Especial de proteçao de aves (ZEPA), possibilitando que seu estado de conservação seja excepcional.

Superado apenas pela Selva Negra (Alemanha), a Selva de Irati é o segundo hayedo-abetal em extensão do continente.

Em sua vertente espanhola, o parque situa-se na cabeceira do rio Irati, entre os vales de Aezkoa e Salazar.

Das várias trilhas que podem ser percorridas, a que contorna o embalse (represa) de Irabia é uma das mais procuradas, pela infinita beleza que proporciona. Com aproximadamente 10km, é praticamente plana, não oferecendo nenhuma dificuldade para o caminhante.

A paisagem que se aprecia no outono é simplesmente maravilhosa, pela variedade cromática de suas árvores e pela combinação harmoniosa de suas águas com a esplendorosa vegetação que a rodeia.

Este é um daqueles posts que realmente uma imagem vale muito mais do que mil palavras. Finalizo, pois, o texto, e que as fotos a seguir se encarreguem de mostrar ou, ao menos tentar, esta indescritível maravilha que é a Selva de Irati.

Paisagens de Aragón – Parte 2

A Comunidade de Aragón localiza-se no nordeste da Espanha, e faz fronteira ao norte com a França, com a qual divide o maciço dos Pirineus, seu marco divisório natural.

É a quarta comunidade em extensão territorial, com um pouco menos de 50mil quilômetros quadrados (9,43% da superfície total). Por outro lado, é uma das regiões com a menor densidade populacional do país, sendo que metade de sua população total encontra-se na capital, Zaragoza.

Além dos Pirineus, possui outra cadeia montanhosa, o denominado Sistema Ibérico, e conta com o ponto culminante de ambas cordilheiras. O Pico do Aneto (3404m), localizado no Parque Natural Posets-Maladeta (município de Benasque, Província de Huesca) é o mais alto de toda a cordilheira pirenaica, e o Moncayo, mítica montanha que, com 2313m, é a maior elevação do Sistema Ibérico (matéria publicada em 21/6/2012).

Aragón conta com várias reservas naturais e um Parque Nacional, o de Ordesa-Monte Perdido, situado em pleno Pirineus, e declarado Patrimônio da Humanidade (matéria publicada em 19/6/2012). Abaixo, vemos várias fotos que não haviam sido publicadas deste incrível espaço natural.

O clima, no geral, é classificado como mediterâneo continental, embora a irregular geografia do território propicie a existência de microclimas ao longo de toda a comunidade. Suas principais carcterísticas são o inverno rigoroso, principalmente nas zonas mais elevadas, e altas temperaturas no verão. As precipitações são irregulares, e a aridez uma constante da paisagem de sua zona central (Província de Zaragoza).

Um exemplo é a Comarca dos Monegros, que possui um clima semidesérico e que sofre com constantes secas.

No entanto, possui um ecossistema único na Europa, próprio das estepes orientais. Sua riqueza biológica se comprova pelas mais de 5400 espécies que acolhe, com um alto grau de endemismo. Situado na Depressão do Vale do Ebro, a escassos quilômetros de Zaragoza, sua paisagem é inóspita e pouco povoada. Formações rochosas fortemente erosionadas caracterizam a região.

A maior parte dos rios aragoneses são afluentes do Ebro, o curso fluvial de maior volume de água de todo o país. Os afluentes de sua margem esquerda são de origem pirenaica, e entre eles,destacam os rios Aragón, o Gállego e o Cinca, cuja imagem vemos a seguir.

Os espaços naturais protegidos são administrados pela Rede Natural de Aragón, entidade criada em 2004 para proteger as zonas de alto valor ecológico, paisagístico e cultural.

O Parque Natural da Serra e dos Canyons de Guara (Prov. Huesca) é a maior reserva aragonesa protegida, com cerca de 33mil hectares. Sua natureza de caráter carstico faz com que sejam abundantes as dolinas, grutas e canyons, sendo um local apropriado para a prática de esporte radicais. O parque possui uma grande extensão de trilhas sinalizadas, de diferentes graus de dificuldade.

A Reserva Natural dos Galachos de Julisbol situa-se nos limites da cidade de Zaragoza. A palavra galacho é de origem aragonesa e significa um meandro de rio abandonado, no caso mencionado, pelo rio Ebro. Foi formado depois da grande inundação verificada em 1961, sendo o mais recente e provavelmente o último, pois o rio atualmente está controlado por represas. Árvores e outras plantas colonizaram suas margens, segundo sua resistência a enchentes e necessidades de água, tais como Álamos, Olmos, Fresnos,etc.

A Energia Eólica é uma constante na paisagem de Aragón. O país foi pineiro na utilização desta fonte renovável, convertendo-se no país líder em investigação e desenvolvimento da tecnologia. Recentemente, tornou-se a fonte de eletricidade mais utilizada, respondendo por aprox. 21% da potência elétrica instalada, e ultrapassando as demias fontes tradicionais, como a nuclear (19%), hidroelétricas (17%) e termoelétricas (13%).

Conhecer a comunidade é uma excelente proposta turística, rica em paisagens e patrimônio cultural.