Toureiros famosos da Espanha

No post de hoje, e no próximo, veremos alguns dos toureiros mais famosos da Espanha. Muitos deles fizeram parte de famílias que constituíram verdadeiras dinastias taurinas, caso de Pedro Romero (1754/1839), membro de uma ilustre família de toureiros, iniciada com seu avô Francisco Romero (1700/1763). Nascidos em Ronda, cidade considerada o berço da moderna arte de torear, suas inovações, como o uso do estoque para matar o animal inaugurada por Francisco, foram fundamentais para a história da tauromaquia. Em 1795, Pedro Romero inaugurou a Plaza de Toros de Ronda, uma das praças históricas do país. Para muitos estudiosos trata-se do toureiro mais completo de todos. É provável que em sua vida tenha matado a mais de 5 mil touros, e nunca foi ferido numa tourada. Faleceu em 1839, com a idade de 84 anos. Abaixo, vemos um quadro de Pedro Romero exposto no Museu Taurino da Plaza de Toros de Ronda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos espetáculos taurinos mais vistosos que ainda existem são as chamadas “Corridas Goyescas“, em que os participantes utilizam trajes que foram retratados nos gravados do grande pintor Francisco de Goya. Este tipo de vestimenta surgiu em Madrid no século XVIII e foi utilizado pela burguesia até o século XIX, quando então seu uso se propagou ao resto da Espanha. A primeira “Corrida Goyesca” celebrou-se na Plaza de Toros de Murcia em 1929, para comemorar o centenário da morte do genial artista aragonês. Especialmente famosa é a realizada em Ronda, sendo que a primeira foi organizada em 1954, para comemorar o segundo centenário de nascimento de Pedro Romero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos toureiros mais famosos da Espanha tiveram um trágico destino em plena praça de touros, fato que colaborou para perpetuar a fama conquistada na arena. Este é o caso de José Gómez Ortega (1895/1920), mais conhecido como “Joselito“. Também representante de uma família dedicada ao mundo dos touros, é considerado um dos maiores toureiros da Espanha. Travou junto com o toureiro Juan Belmonte (1892/1962) uma rivalidade histórica no começo do século XX, a época dourada das touradas. Abaixo vemos a “Joselito” toureando na Plaza de Toros de Madrid (imagem tirada pelo fotógrafo Alfonso Sánchez Portela em 1914).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo auge de sua trepidante carreira, e com apenas 25 anos,  “Joselito” foi morto na Plaza de Toros de Talavera de la Reina pelo touro “Bailaor” em 1920. A cada 16 de maio, dia de sua morte, ainda hoje se guarda um minuto de silêncio nas praças de touros de todo o país. Abaixo, vemos a “Joselito” na Praça de Touros de Sevilha (foto de Serrano).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX destaca, entre outros, a figura de Manuel Rodríguez Sánchez (1917/1947), conhecido como “Manolete“. Nasceu em Córdoba em 1917, sendo considerado um dos mais legendários e elegantes toureiros do país. Contribuiu de forma decisiva para o embelezamento das touradas ao incluir movimentos em que era capaz de manter-se praticamente imóvel quando o touro passava perto de seu corpo, realizando uma série de passos consecutivos. Abaixo, vemos uma estátua dedicada ao toureiro no Museu Taurino de Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAManolete faleceu na Plaza de Toros de Linares (município situado na Província de Jaén, Andalucía) em 1947, numa corrida de touros que contou com a participação de outro grande matador, Luis Miguel “Dominguín”, quando sofreu uma grave lesão na artéria femural provocada pelo touro “Islero“. Apesar das várias transfusões de sangue recebida, o toureiro não resistiu. Atualmente, uma das teorias a respeito de sua morte diz que o toureiro faleceu devido à aplicação de uma transfusão incompatível com seu organismo. Em 1956, se inaugurou em Córdoba um monumento em sua homenagem, esculpido pelo artista Manuel Álvarez Laviada. Para  financiar sua execução, se realizou uma tourada, que arrecadou 800 mil pesetas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua morte provocou uma intensa comoção em todo o país. O General Franco decretou luto oficial de três dias, e Manolete  transformou-se num grande símbolo do pós guerra na Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAManolete se apresentou em inúmeras Praças de Touros da Espanha, mas foi na Praça Monumental da Cidade do México onde obteve seus maiores êxitos. Abaixo, vemos o cartaz da fatídica corrida de toros na Plaza de Toros de Linares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plazas de Toros de España – Parte 2

Neste segundo post sobre as Plazas de Toros de España, veremos outros exemplos de praças taurinas existentes no país. Muitas delas foram construídas no século XIX, mas reformadas posteriormente, como a Praça de Touros de Antequera (Andaluzia), inaugurada em 1848. Possui capacidade para receber a um pouco mais de 6 mil espectadores, sendo considerada de terceira categoria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Plazas de Toros também são conhecidas como “Cosos Taurinos“.  A de Calatayud, cidade da Comunidade de Aragón, é conhecida como “Coso de la Margarita“. Foi inaugurada em 1877 e reformada em várias ocasiões. Com capacidade para 8830 espectadores, é a segunda maior de toda a comunidade aragonesa. Considerada de terceira categoria….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO “Coso de 4 Caminos” é o nome que recebe a Plaza de Toros de Santander, capital da Comunidade da Cantábria. Inaugurada em 1890, é uma praça de segunda categoria com capacidade para acolher 10 mil espectadores. Possui um interessante Museu Taurino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade de Castro Urdiales, que também forma parte da Cantábria, possui uma bela praça taurina projetada por Eladio Laredo, personagem que contribuiu de maneira fundamental para o enriquecimento arquitetônico da cidade (mais detalhes sobre sua obra na cidade, ver o post publicado em 22/10/2017). Foi construída com concreto armado entre 1911 e 1912, uma das primeiras praças de touro em cuja construção se utilizou este material em todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom capacidade para receber a quase 8 mil espectadores, a Plaza de Toros de Ciudad Real (Castilla La-Mancha) foi inaugurada em 1843 e reformada quarenta anos depois. Considerada de segunda categoria…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a pequena Plaza de Toros do povoado de Talamanca de Jarama, situado na Comunidade de Madrid. Acolhe a apenas 2 mil espectadores, sendo considerada de quarta categoria (apesar de seu reduzido tamanho, sua capacidade é suficiente, pois o povoado possui pouco mais de 3 mil habitantes).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA bonita cidade de Alicante, situada na Comunidade Valenciana, possui um coso taurino de segunda categoria, inaugurado em 1888. Inicialmente foi edificada em 1848, mas foi ampliada em 1888, quando passou a ter uma capacidade para receber a 16 mil espectadores. Na época, Alicante possuía 19 mil habitantes. Como em outras praças taurinas do país, nela se realizam outras atividades culturais e esportivas, como sucedeu em 2004, quando foi o cenário para a disputa da semifinal da Copa Davis de Tenis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com a Plaza de Toros de Jerez de los Caballeros (Comunidade de Extremadura), inaugurada em 1862. Sofreu uma grande reforma em 2000, quando foi reinaugurada. De terceira categoria, possui capacidade para 4 mil espectadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO próximo post estará dedicado às Plazas de Toros Históricas da Espanha

Plazas de Toros de España

Neste novo post sobre o mundo dos touros, veremos algumas das Plazas de Toros mais importantes do país, além de outras existentes nos povoados espanhóis, que caracterizam-se pelo tamanho reduzido e simplicidade construtiva, além de algumas de suas plazas históricas. Esta matéria será dividida em vários posts, devido a quantidade de locais que gostaria de publicar. As Plazas de Toros (original em espanhol) foram construídas a partir do século XVIII para acolher festividades taurinas como as corridas de touros ou touradas. Apesar disso, atualmente servem também como local para eventos diversos, como concertos musicais, como vemos na foto abaixo, em que aparece a Plaza de Toros de Las Ventas de Madrid como o local escolhido para a realização de uma feira.

20160611_164219Em 1961, a Plaza de Toros de Toledo foi palco para uma apresentação dos Harlem Globetrotters

20190117_122335Segundo informaçao que obtive na internet, existem 1727 plazas de toros espalhadas pelo país. Mesmo nos pequenos povoados vemos praças nas quais os habitantes podem presenciar festejos taurinos, como a Plaza de Toros de Fuentidueña del Tajo (conhecida como “La Ribereña“), um povoado situado na Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs plazas de toros estão classificadas em diversas categorias, dependendo do tamanho, antiguidade, tradição taurina e o número de festividades anuais que acolhe. As mais importantes do país receberam a distinção de plazas de primeira categoria. Abaixo, vemos a Plaza de Toros de Navalcarnero (Comunidade de Madrid), inaugurada em 2006. Possui capacidade para 7500 espectadores e é considerada de terceira categoria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMorella, um belíssimo povoado da Comunidade Valenciana, possui uma praça de mais de 100 anos. Integra o patrimônio histórico do povoado, mas sua arena é pequena e  não preenche o requisito básico de ter, como mínimo, 30 m de diâmetro.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas praças de touros são verdadeiramente curiosas, como a de Brihuega, um povoado de Castilla La-Mancha, conhecida como “La Muralha“, pois foi construída com materiais construtivos similares ao da muralha medieval que a rodeia. Edificada em apenas 200 dias, é considerada a maior da Província de Guadalajara, com capacidade para receber 7 mil espectadores. Inaugurada em 1965, é uma praça de terceira categoria.

DSC08111DSC08271Para a construção de algumas praças foram utilizados materiais originários provenientes de edifícios históricos, caso da Plaza de Toros de Medina de Rioseco  (Castilla y León), na qual se utilizou pedras do antigo castelo da localidade. De formato poligonal com 10 lados, foi inaugurada em 1858 (capacidade para 5500 espectadores, de terceira categoria).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConhecida como “La Chata“, a Plaza de Toros de Albacete, cidade castelhana com grande tradição taurina, se destaca pela grande quantidade de touradas anuais que acolhe, mais que muitas praças de primeira categoria. Foi inaugurada em 1917 e sua construção segue o estilo neomudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade de Toledo (Castilla La-Mancha), famosa por seu impressionante patrimônio histórico-artístico, organizou uma tourada em 1566 para celebrar o nascimento da Infanta Clara Eugênia, filha do monarca Felipe II. Até 1865, as touradas eram realizadas na Plaza del Zocodover, a principal praça da cidade. Em 1866, se construiu a Plaza de Toros de Toledo, com capacidade para 8530 espectadores, sendo considerada de segunda categoria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do século XIX, a Plaza de Toros de Valencia é um exemplo de praça de primeira categoria. Inaugurada em 1859, possui capacidade para 17 mil espectadores, sendo considerada uma das maiores da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe estilo neoclássico e formato poligonal, sua construção foi inspirada na arquitetura civil romana, como os anfiteatros. Possui 384 arcos feitos de tijolo, o principal material construtivo do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça é visitável e possui um excelente Museu Taurino, inaugurado em 1929 e considerado um dos pioneiros no país, contando com um acervo de mais de 3 mil peças.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior da praça vemos um monumento em homenagem ao banderillero valenciano Manolo Montoliu, personagem muito querido pelos valencianos e que faleceu na Praça de Touros de Sevilha em 1992.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA