Belas Praças de Espanha – Segunda Parte

As origens das Praças Maiores não são claras até o final da Idade Média. Com o passar dos séculos, apareceu uma grande variedade de estilos, desde praças renascentistas até barrocas ou neoclássicas. Apesar disso, a Praça Maior típica, de formato regular e planejado, conta com determinadas características comuns, que a diferencia de outros tipos de praças: planta retangular, arcos semicirculares de sustentação, fachadas uniformes, adornos de escudos, galerias, etc. Debaixo de seus pórticos, se instalaram lojas de comércios tradicionais, de souvenirs e até mesmo tabernas. Abaixo, vemos a Praça Maior de Bilbao, uma das últimas em ser construída em toda a Espanha (1849), no estilo neoclássico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm numerosas ocasiões, a Praça do Mercado coincidia com a proximidade da igreja principal de uma localidade, fosse ela catedral ou paroquial. Ao regularizar-se o formato da praça, o templo sagrado acabava integrando-se ao conjunto. Como exemplo, citamos a cidade de Cuenca (Comunidade de Castilla La Mancha).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro exemplo é a cidade de Siguenza, também situada na Comunidade de Castilla La Mancha. Sua Praça Maior foi uma das primeiras do antigo Reino de Castilla, cuja realização foi possível graças ao esforço do então Cardeal Pedro González de Mendoza, que encarregou a diferentes arquitetos a ampliação dos espaços públicos ao redor da catedral (séc. XVI).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá na cidade de Carrión de los Condes (Castilla y León), um dos lados da Praça Maior está presidida pelo edifício da prefeitura, enquanto no lado contrário, observamos a Igreja de Santiago, um local emblemático da rota de peregrinação em direção à Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa cidade de Arévalo (Província de Ávila, Castilla y León), a Praça Maior está delimitada por duas igrejas, ambas mostras da arquitetura mudéjar, a de Santa María La Mayor e a de San Martín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta maravilhosa praça é um excelente exemplo de Praça Maior Castelhana, realizada entre os séc. XVI/XVIII. As casas que a conformam são de pouca altura, feitas de madeira e tijolo. Abaixo, vemos a fonte gótica dos 4 canos, do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém tipicamente castelhana é a Praça Maior de Tordesilhas (Castilla y León), com suas galerias porticadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída em várias etapas a partir do séc. XVII, foi reformada no XIX. De planta quadrada, as casas são de dois andares, sendo que o inferior acolhe lojas. É o centro social e político da vila, pois nela encontramos a Casa Consistorial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arévalo – Cidade Mudéjar

A Arquitetura Mudéjar é, indiscutivelmente, uma das características mais marcantes da cidade de Arévalo. Designamos Arte Mudéjar, especialmente no campo arquitetônico, a um estilo próprio da Península Ibérica desenvolvida nos Reinos Cristãos entre os séculos XII e XVI. O estilo distingue-se pela combinação das correntes artísticas européias da época (Românico e Gótico, principalmente) com os elementos da denominada tradição Hispano-Muçulmana. Seu surgimento foi possibilitado graças à convivência cultural entre povos de origens diversas na Espanha Medieval. O termo Mudéjar se refere à população muçulmana que permaneceu na península durante o Processo de Reconquista. Hábeis construtores, utilizavam para a construção de edifícios, normalmente de função religiosa, um material abundante e barato, o tijolo. Dois deles podem ser vistos na Praça Da Vila de Arévalo, por si só, uma verdadeira preciosidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça, historicamente falando, sempre representou o centro da localidade. Trata-se de uma típica praça castelhana porticada, cuja excelente conservação lhe valeu o título de Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela, podemos apreciar exemplos da arquitetura popular medieval. As galerias que cumprem a função de suporte das construções estão formadas por 31 colunas de pedra e 25 de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm cada um de seus extremos, o espaço está delimitado pelas torres mudéjares das Igrejas de Santa Maria e San Martín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria La Mayor é uma clara amostra do estilo mudéjar. Construída entre os séc. XII/XIII, nela destacam-se o ábside semicircular e a torre, a mais alta da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior da torre está composta pelo Arco de Santa Maria, um dos principais acessos a esta belíssima praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o processo de restauração do templo, foram encontrados em seu interior restos policromados de Pintura Mural da época em que a igreja foi erguida. A cena retrata uma imagem muito representada durante o período Românico, o denominado Pantocrátor ou Cristo em majestade. Com a mão direita e os dois dedos levantados (significando sua dupla natureza, divina e humana), Cristo bendiz a humanidade, enquanto a esquerda segura uma esfera, símbolo do universo. Ao seu lado, nos quatro ângulos da composição, vemos a representação simbólica dos quatro Apóstolos Evangelistas, denominados Tetramorfos. São eles: São João/Águia, São Marcos/Leão, São Mateus/Homem com Asas e São Lucas/Boi

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Martín foi construída em 1250, e se caracteriza por uma mistura estilística que engloba o românico, o mudéjar e o renascimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi reformada nas etapas renascentista e barroca, quando perdeu seu ábside original. Ela é conhecida também pelo nome  “Torres Gêmeas”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa imagem acima, vemos o átrio românico que ainda se conserva, com os característicos Arcos de Meio Ponto. No séc. XX, foi usada como depósito de grãos e logo abandonada. Em 1931, a Igreja de San Martín foi declarada Monumento Nacional e realizou-se um intenso processo de restauração. Atualmente, não realiza cultos, como a Igreja de Santa Maria, e seu espaço interno está dedicado a eventos culturais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de finalizar o post, convém salientar que Arévalo sediou recentemente a décima oitava edição da Exposição “As Idades do Homem”. Estas exposições possuem um caráter itinerante e são organizada por uma fundação de caráter religioso, cujo objetivo é a divulgação da riquíssima Arte Sacra da Comunidade de Castilla y León. Na presente edição, a temática abordada foi o Credo.  Iniciada em 1988, a Exposição “Idades do Homem” repercute positivamente em todas as cidades sedes escolhidas, e com Arévalo não foi diferente, tal a quantidade de visitantes que a cidade recebeu durante o evento.