Centenário do Metrô de Madrid

O Sistema Metroviário de Madrid foi tema de duas matérias publicadas em 4/12 e 5/12/2012, momento em que abordei vários aspectos curiosos do transporte público da cidade. Este ano de 2019 constitui um ano especial, pois o Metrô de Madrid está completando seu centenário, e muitas iniciativas interessantes estão sendo realizadas pela companhia para celebrá-lo, como exposições de fotos antigas pertencentes ao arquivo histórico do Metrô, que podemos ver nas estações da primeira linha inaugurada em 17/10/1919.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO sistema metroviário de Madrid foi pioneiro na Espanha, revolucionando a mobilidade urbana e tornando-se com o tempo no transporte por excelência de seus habitantes. O primeiro metrô construído no mundo foi o de Londres, inaugurado em 1863. Depois vieram o de Chicago (1892), Budapest e Glasgow (1896), Boston (1897), Paris (1900), Berlín (1902), Atenas e Nova York (1904), Filadélfia (1907), Hamburgo (1912), Buenos Aires (1913) e Madrid (1919). A chegada do Metrô à capital da Espanha representou uma grande transformação para Madrid, convertendo-se numa cidade moderna como muitas outras metrópoles européias.

DSC03506Para a construção da primeira linha do metrô, o custo foi de 8 milhões de pesetas, dos quais a metade foi patrocinado pelo Banco Vizcaya, 3 milhões provenientes dos engenheiros fundadores da companhia e de particulares e 1 milhão de pesetas pagos pelo próprio Rei Alfonso XIII, na época monarca reinante da Espanha. Por este motivo, inicialmente o Metrô de Madrid recebeu a denominação de Companhia Metropolitana Alfonso XIII, sendo o rei um de seus principais acionistas e a primeira pessoa em realizar o trajeto inaugural da linha norte-sul, que ligava a Puerta del Sol (centro da cidade) com o Bairro industrial de Cuatro Caminos, uma zona industrial com uma grande quantidade de população obreira residente. Abaixo, vemos o Rei Alfonso XIII  no centro da foto no dia inaugural da linha.

20190416_113721OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro trecho compreendia 8 estações, com um trajeto de quase 4km, sendo que o trem realizava o percurso numa velocidade de 25 km/h. O trajeto era realizado em cerca de 10 minutos e o bilhete custava 15 centavos de peseta. Na época, Madrid tinha uma população de 750 mil habitantes, e no primeiro dia da inauguração do metrô utilizaram o novo sistema de transporte público 56 mil pessoas. Atualmente, Madrid é a maior cidade espanhola com aproximadamente 3.2 milhões de habitantes e diariamente utilizam o metrô 2.3 milhões de viajantes. Abaixo, vemos duas fotos em que vemos as primeiras obras de construção da linha 1 na Puerta del Sol, em 1917, e na então estação final de Cuatro Caminos, em 1918.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a linha inaugural norte-sul está integrada na Linha 1 do Metrô de Madrid e conta com 33 estações num total de 24 km, unindo 8 distritos de Madrid e considerada a segunda em número de passageiros, superada apenas pela linha circular que rodeia a cidade. A seguir vemos uma foto atual da Puerta del Sol, um local emblemático da capital, e uma de suas portas de acesso ao metrô…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto Antonio Palacios, personagem imprescindível da arquitetura madrilenha da primeira metade do século XX, foi durante os primeiros 25 anos da Cia Metropolitana Alfonso XIII o responsável pelo projeto das estações e também do logotipo da empresa. Inspirado na Arte Decô, Palácios proporcionou o estilo decorativo dos vestíbulos e das portas de acesso ao interior do Metrô de Madrid. Abaixo, vemos a entrada da Estação Sol, numa imagem dos anos 20 do século passado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo elemento decorativo principal, Antonio Palacios utilizou azulejos brancos com a finalidade de criar um ambiente interno acolhedor, como podemos observar na Estaçao Tirso de Molina, que conserva seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma aquarela pintada pelo próprio arquiteto representando o interior da Estação Sol

20190416_111106Finalizo esta primeira matéria sobre o Centenário do Metrô de Madrid com duas fotos em que vemos a Estação Sol nos anos 60…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

El Corte Inglés

Dentro dos Centros Comerciais existentes em Madrid, o El Corte Inglés é um caso à parte, mesmo porque suas lojas se encontram espalhadas por toda a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente não se concebe uma grande cidade da Espanha sem as lojas do El Corte Inglés, e o característico desenho de seu logotipo, um triângulo verde, faz parte da paisagem urbana das grandes metrópoles do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta grande empresa familiar constitui o principal grupo de distribuição comercial do país, e um dos pilares de sua economia. Considerada uma das empresas de maior prestígio da Espanha, conta com a maior quantidade de empregados, cerca de 100 mil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2017, possuía 97 estabelecimentos, 10 deles somente na capital. Foi fundada por D.Ramón Areces, que adquiriu uma pequena loja de roupas no centro de Madrid, próximo à Puerta del Sol, que havia sido fundada em 1890, e pouco a pouco se converteu numa grande empresa comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu incremento comercial iniciou-se na década de 60 do século passado, com a abertura de uma filial em Barcelona. Em 1983, inaugurou a primeira loja em Portugal (com centros em Lisboa e na cidade do Porto), ampliando ainda mais sua cadeia de lojas, tornando-se um referente na Península Ibérica. O El Corte Inglés vende praticamente de tudo, contando com uma variedade de produtos realmente excepcional (moda, alimentação, eletrônica, cultura, viagens, etc). Possui também sua própria rede de supermercados, o Hipercor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Termo “Rebajas“, que significa desconto ou ofertas no idioma espanhol, foi inventado por este grande armazém comercial. Seu lema “Se não está satisfeito, devolvemos seu dinheiro” é um exemplo de sua filosofia, e a garantia da qualidade dos produtos que comercializa. Em algumas lojas de Madrid existem, no último andar dos edifícios da empresa, espaços interessantes, como no El Corte Inglés da Puerta del Sol, que abriu recentemente um bar com belíssimas vistas da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo à Puerta del Sol, um outro edifício do El Corte Inglés, situado na Plaza del Callao, atrai os clientes em seu último andar ao Gourmet Experience, uma grande praça de alimentação que também vende produtos de qualidade da gastronomia espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, o espaço está circundado por um terraço que proporciona grandes panorâmicas do Centro Histórico de Madrid e da Gran Vía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro edifício que acolhe o Gourmet Experience situa-se na Calle Serrano, a principal avenida do charmoso Bairro de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom esta matéria sobre o El Corte Inglés, finalizo a série dedicada aos Melhores Centros Comerciais de Madrid. Até o próximo post !!!!!

Réveillon em Madrid

Desde que me mudei para Madrid em 2010, esta foi a primeira vez que tive a oportunidade de passar o Réveillon na cidade. Como nos anos anteriores, as luzes natalinas decoraram as principais ruas da capital, como a Gran Vía, por exemplo.

20171224_19100620171224_191035Na Espanha, durante a passagem de ano, se celebra o costume de comer as 12 uvas (uma para cada mês do ano), também chamadas de uvas da sorte. O local mais famoso para poder apreciar as uvas e o acontecimento é na famosa Puerta del Sol de Madrid, que também foi decorada com esmero, e a árvore de natal mais alta da cidade.

20171224_180656Esta tradicional festa espanhola consiste em comer 12 uvas na passagem do ano, uma para cada badalada do sino, que preside a torre do relógio, situado no alto do edifício da presidência da Comunidade de Madrid (na foto acima, à esquerda e também abaixo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO costume de comer as 12 uvas está documentado no país desde finais do século XIX, e posteriormente se estendeu aos países latinoamericanos. No entanto, o costume se massificou a partir de 1909, quando ocorreu um excedente na produção de uvas de Alicante, que é a que normalmente se consome durante o Réveillon (uva verde). A festa na Puerta del Sol é transmitida pela TV a toda Espanha, e reune anualmente uma verdadeira multidão na praça.

20171231_203128Este ano se estabeleceu um limite máximo de 20 mil pessoas na Puerta del Sol, por motivos de segurança. Por volta das 21hs a praça foi esvaziada e se formaram várias filas nas ruas de acesso à praça, com revista obrigatória organizada pela polícia de Madrid. Tive a sorte de poder entrar e curtir o final do ano neste lugar emblemático, com gente disfarçada e muita alegria entre todos. Passei o Réveillon na companhia de um simpático casal do Rio de Janeiro e de uma estudante de medicina de Recife, e aproveitei para tirar um selfie do grupo…

20180101_000520Quando chegou o momento de comer as 12 uvas a cada badalada do sino, fiquei um pouco perdido, não sabia se saboreava as uvas ou se gravava o acontecimento, além de tirar as devidas fotografias. Quando o sino tocou por última vez, um espetáculo de fogos de artifícios inundou toda a praça, convertendo o local numa apoteose de alegria coletiva.

20171231_22384620171231_224709Aproveito para desejar a todos (as) aqueles (as) que me acompanham no blog um 2018 inesquecível, com muita saúde, paz, prosperidade e amor !!!!!

Casa de Allende – Madrid

Um dos edifícios mais interessantes do Centro Histórico de Madrid, a Casa de Allende é uma construção única situada na Plaza de Canalejas, esquina com a Carrera de San Jerónimo, a poucos metros da Puerta del Sol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi projetado pelo arquiteto Leonardo Rucabado e construído entre 1916 e 1920 para um promotor imobiliário da cidade de Bilbao, chamado Tomás de Allende.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALeonardo Rucabado foi um arquiteto fundamental da denominada Arquitetura Regionalista, e a Casa de Allende representou sua principal obra na capital. O edifício destaca-se por sua riqueza decorativa, presente em elementos associados à história espanhola, como a concha relacionada ao Caminho de Santiago, que vemos acima, e os belíssimos balcões de ferro. Outra figura, no caso relacionada à Arte Ibérica, que podemos admirar na fachada do edifício, é a famosa Dama de Elche, considerada um ícono da Arqueologia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta escultura de finais do século V e princípio do século IV aC, foi encontrada casualmente na zona arqueológica de La Alcudia, situada a poucos quilometros da cidade de Elche, e pode ser vista no excepcional Museu Nacional Arqueológico, em Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento arquitetônico de destaque é a Torre do edifício, decorada com cerâmicas realizadas por Daniel Zuloaga (1858/1921), um dos renovadores mais importantes da arte realizada com este tipo de material na história do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de Allende foi construída como um edifício residencial. No entanto, durante um bom tempo ficou conhecida como Edifício Credit Lyonnais, pois no andar térreo albergava a sede desta instituição financeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa construção do edifício foi empregada formas típicas da Arquitetura Tradicional Espanhola, principalmente da Cantábria, terra natal do arquiteto, seguindo os princípios da corrente regionalista de finais do século XIX. Neste aspecto, sobressai na fachada que dá para a Carrera de San Jerónimo um magnífico mirador (mirante, em português) totalmente realizado em madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Canalejas recebeu este nome em homenagem a José de Canalejas (1854/1912), um famoso político liberal espanhol, que foi assassinado por um anarquista em plena Puerta del Sol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com outras imagens da Casa de Allende

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

La Fontana de Oro – Madrid

A zona próxima à Puerta del Sol em Madrid está repleta de Comércios Históricos, como tivemos ocasião de mostrar em inúmeras matérias realizadas no blog. Alguns deles se tornaram famosos por terem sido imortalizados por obras clássicas da Literatura Espanhola, caso da cafetería La Fontana de Oro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste comércio foi um dos referentes da capital desde o final do século XVIII, como cafeteria e também como um tipo de estabelecimento hoteleiro, denominado Fonda, algo parecido a um albergue dos dias atuais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Fontana de Oro ficou famosa depois que seu nome se convertesse no título de uma novela publicada em 1870 por Benito Pérez Galdós (1843/1930), escritor, dramaturgo, cronista e político espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABenito Pérez Galdós é considerado um dos melhores representantes do século XIX da novela realista no idioma espanhol, e muitos críticos e estudiosos de sua obra lhe outorgam o título de maior novelista espanhol depois de Cervantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1897 foi membro da Real Academia Espanhola e chegou a ser cogitado para receber o Prêmio Nobel de Literatura. La Fontana de Oro foi também um local de reunião de políticos liberais. No final do século XIX, um pub de estilo irlandês foi inaugurado no mesmo local, mantendo o nome do antigo comércio, com referências a ele em forma de painéis de azulejos decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras fotos do atual pub e de sua bela decoração…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Comércios Históricos de Madrid – Pousadas

Hoje em dia, o termo Pousada é familiar para  todo mundo, mas principalmente para aqueles (as) que gostam de viajar pelo mundo. Este tipo de alojamento já era bem comum na Madrid do século XVII, evidentemente sem o conforto que atualmente dispomos em muitas delas. Algumas destas pousadas (em espanhol, posadas) se mantiveram, apesar  dos séculos, e integram o catálogo de Comércios Históricos de Madrid. Veremos, pois, algumas das mais antigas que se conservam na cidade. Iniciamos com a mais antiga delas, a Posada del Peine, situada bem próxima à Puerta del Sol e da Praça Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta pousada foi fundada em 1610 para servir de alojamento aos forasteiros que chegavam à corte, e que saltavam das carruagens numa das paradas próximas à Puerta del Sol. Sua antiguidade a converte num dos estabelecimentos hoteleiros mais antigos de todo o país. Em 1796, foi ampliada e dita reforma esteve supervisionada pelo arquiteto Juan de Villanueva, autor do Museu do Prado e da reconstrução da Praça Maior de Madrid, depois que sofreu um terrível incêndio em 1790.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome se explica porque nos lavabos da pousada sempre havia um peine (pente, em português) atado a uma cordinha. Em 1970 o estabelecimento fechou suas portas ao falecer seu último proprietário, e logo vendido a um comércio que fabricavam relógios. Desta época se conserva um deles instalado na antiga pousada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente em 2004 o local foi adquirido por uma cadeia de hotéis, que reformou e restaurou a antiga pousada. Outra zona onde podemos encontrar verdadeiras relíquias do passado é a Calle de la Cava Baja,  uma das portas de entrada ao Bairro de la Latina, uma zona muito frequentada pelos madrilenhos para comer Tapas. Nesta rua se situa a Posada de la Villa, fundada em 1642.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de existir a pousada, havia no local um moinho de farinha, o único existente na cidade. Além do mais, era uma zona de passagem daqueles que vinham de Toledo, Segóvia e Ávila em busca de oportunidades ou realizar negócios na capital do reino. Depois que o moinho foi fechado se construiu a pousada, a primeira que dava comida e aposento aos viajantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas destas hospedarias se situavam próxima à Praça Maior, então denominada Plaza del Arrabal, onde se realizava o mercado da vila. A maior parte delas desapareceram , e a Posada de la Villa foi uma exceção. Chegou, no entanto, aos anos 80 do século passado num estado precário. Uma pessoa do ramo hoteleiro adquiriu o edifício e o transformou numa taberna tipicamente madrilenha, onde se pode saborear as delícias da gastronomia regional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem em frente se encontram outras duas pousadas históricas. A Posada del León de Oro  foi construída em 1825 pelo arquiteto Pedro Ávila, e parece que foi patrocinada pelo Convento de N.Sra de la Merced, situado nas proximidades, mas que foi demolido durante a Desamortização de Mendizábal ocorrida em 1836. Isso explica o escudo da instituição religiosa em sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA grande maioria das pessoas que passam pela rua em busca de bons lugares para tomar uma cerveja ou comer umas tapas não imaginam que dentro da pousada se preserva um verdadeiro tesouro da Madrid Medieval, os restos de sua muralha do século XII/XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha foi descoberta depois de uma reforma realizada na pousada, e atualmente uma estrutura de cristal a protege bem na zona do restaurante. A Calle de la Cava Baja se originou quando os fossos que existiam em cada um dos lados da muralha foram cobertos, depois que a muralha foi derrubada. Surgiram assim duas novas ruas, a Calle de la Cava Baja e a da Cava Alta. Ao lado da Posada del León de Oro se encontra a Posada del Dragón, também histórica, pois foi edificada em 1868.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFuncionou como pousada até o final do século XX, quando foi transformada num hotel. Também conserva partes da muralha

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAmbas pousadas, a do León de Oro e a do Dragón, constituem exemplos dos edifícios conhecidos como Corralas, pois possuem um pátio interior formado por um corredor, onde antigamente viviam as pessoas de baixa renda em Madrid. Para saber mais sobre as Corralas de Madrid, vejam o post publicado em 1/6/2015.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Alicante – Parte 2

Prosseguindo com nosso Passeio por Alicante, no post de hoje veremos algumas praças emblemáticas e monumentos dedicados a personagens ilustres da cidade. A Praça de Gabriel Miró é uma delas. Conhecida também pelo nome de Praça das Barcas, pois antigamente as embarcações chegavam até ela, atualmente nela se encontram Ficus centenários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA praça é conhecida popularmente como Praça dos Correios, uma lembrança às Oficinas da Sociedade Estatal de Correios e Telégrafos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada bem no centro de Alicante, seu nome é uma homenagem ao escritor Gabriel Miró, como podemos ver na placa colocada na lateral da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPresidindo a praça, uma bela fonte de 1918…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPersonagem destacado da vida alicantina, o político José Canalejas (1854/1912) foi presidente do Conselho de Ministros do Governo Espanhol entre 1910 e 1912, entre muitos outros cargos públicos, e lutou muito para a modernização da cidade. Assassinado na Puerta del Sol de Madrid em 1912, um monumento foi erguido em sua memória no ano de 1916, situado na continuação da Explanada de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro personagem que recebeu sua devida homenagem foi o prefeito José Gabriel Amerigo Morales (1807/1884), promotor da construção da linha ferroviária que une Alicante e Madrid e de outras obras de infraestrutura básicas. A denominada Pasage de Amerigo faz atualmente parte de um hotel com uma bela arquitetura interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO governador D.Trino González de Quijano foi vítima da cólera numa terrível epidemia em 1854. Um monumento em sua memória foi colocado no centro de um jardim romântico poucos anos depois de seu falecimento, chamado de Panteón de Quijano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro popular local de Alicante é a Praça de Luceros, onde ocorrem muitas das principais festas da cidade. No centro da praça vemos uma ornamentada fonte realizada em 1930 pelo escultor alicantino Daniel Bañuls Martínez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com o belíssimo Mercado Central de Alicante, construído sobre a muralha do século XVIII que circundava a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe inspiração modernista, foi projetado por J.Vidal Ramos entre 1911 e 1912…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA