Casa Amatller – Barcelona

O post de hoje está dedicado a um dos edifícios modernistas mais famosos do Modernismo Catalão, a Casa Amatller. Situado no Paseo de Gracia, é considerada uma das obras mais conhecidas do arquiteto Puig i Cadafalch (1867/1956).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPuig i Cadafalch reformou em 1900 um edifício preexistente construído em 1875 por Antoni Robert, processo em que transformou a fachada, o saguão, o pátio interior e a escada de acesso às dependências superiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício passou a ser propriedade de um rico industrial de Barcelona, Antoni Amatller, que encarregou a reforma ao famoso arquiteto. Sua insólita fachada escalonada foi inspirada nos modelos residenciais encontrados nos Países Baixos (Holanda e Bélgica), dentro do contexto da arquitetura neogótica. Foi decorada com esgrafiados (realizados por Juan Paradís) de uma cor sutil, como vemos nas fotos acima. O trabalho de ferro forjado (Esteve Andorrà e Manuel Ballarín) foi empregado nos balcões e nas portas do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros materiais usados foram a cerâmica e a pedra. O responsável das esculturas pétreas foi o grande artista Eusebi Arnau.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa Amatller situa-se ao lado de uma emblemática e extraordinária obra de Gaudí, a Casa Battló, e bem próxima à Casa Lléo Morera, de Lluís Domènech i Montaner. Devido à rivalidade profissional entre os três arquitetos, este trecho do Paseo de Gracia ficou conhecido como La Manzana de la Discordia (O Quarteirão da Discórdia, em português).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente existem visitas guiadas para se conhecer o interior da Casa Amatller. Não pude participar das visitas por absoluta falta de tempo, mas conheci a portaria principal da residência, cuja construção foi projetada para a entrada de carruagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo andar térreo existe um estabelecimento comercial, com belos vitrais coloridos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos a esplêndida escada de acesso aos pisos principais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1960, o edifício depende do Instituto Amatller de Arte Hispânico. Em 1976, a Casa Amatller foi declarada Monumento Histórico-Artístico por sua beleza e singularidade arquitetônica. Finalizamos com uma das belas luminárias modernistas existente em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Les 4 Cats – Barcelona

No post de hoje, veremos um dos cafés históricos mais conhecidos de Barcelona, o chamado Les 4 Cats, um de meus principais objetivos em minha recente visita à cidade condal, que uma amiga gentilmente me mostrou num passeio pelo centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de falar a respeito do café, convêm comentar um pouco sobre o edifício onde está situado, a Casa Francesc Martí, projetada em 1896 pelo famoso arquiteto modernista Puig i Cadafalch.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste edifício representou o primeiro projeto deste relevante arquiteto, empregando o tijolo e a pedra na construção deste imóvel para o proprietário Francesc Martí, que passou a viver no andar principal. Puig i Cadafalch se inspirou no passado gótico de Barcelona, criando elementos associados ao estilo, como os arcos e os motivos heráldicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos ver, inclusive, uma gárgola

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento importante é a representação da figura de São Jorge (Sant Jordi, em catalão), Padroeiro da Catalunha e relacionado ao Nacionalismo Catalão, do qual Puig i Cadafalch era partidário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA ornamentação da fachada do edifício se deve escultor Eusebi Arnau, fiel colaborador do arquiteto a partir deste momento. O trabalho de ferro dos balcões se deve ao artesão Manuel Ballarín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de sua esbelta arquitetura, este edifício estava destinado a obter notoriedade, principalmente a partir de 1897, quando se inaugurou no andar térreo o famoso café literário Les 4 Cats.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos principais artistas da época participaram no projeto de sua inauguração, como os pintores Santiago Rusiñol, Ramon Casas e Miguel Utrillo. Este último e Pere Romeu foram os fundadores do local, patrocinado pelo banqueiro Manuel Girona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua inspiração direta foi o cabaret “Le Chat Noir” (O Gato Negro) de Paris, cujo cartaz vemos no interior do café.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominação “Os Quatro Gatos” parafraseia uma expressão do espanhol, relacionada a um escasso público. Por exemplo, quando queremos dizer que num determinado lugar havia poucas pessoas, dizemos “Haviam quatro gatos”…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos principais elementos de sua decoração é o quadro do Ciclista, realizado pelos pintores Arranz Bravo e Bartolozzi. Trata-se de uma cópia, pois o original se encontra no Museu de Arte Moderna de Barcelona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde  sua fundação, tornou-se um ponto de encontro de personalidades relacionadas ao Modernismo Catalão, como Antoni Gaudí, por exemplo. Jovens artistas como o músico Isaac Albéniz e o pintor Pablo Picasso também frequentavam o local. O pintor  de Málaga realizou em 1900 sua primeira exposição justamente no Les 4 Cats.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante os 6 anos em que esteve ativo, de 1897 a 1903, o café tornou-se uma referência da vida artística e intelectual de Barcelona. Aproveitei minha visita ao lugar para tomar um copo de vinho e saborear sua comida, sentindo o ambiente nostálgico que emana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1970, o café foi reinaugurado com o mesmo nome. O diretor Woody Allen aproveitou o caráter histórico do café para rodar algumas cenas de seu filme “Vicky Cristina Barcelona“. Um lugar mágico, para uma cidade de cine…

Sant Martí de Empúries

O Museu de Empúries, cujas peças mais valiosas vimos nas matérias anteriores, foi edificado sobre a Igreja de Santa Maria de Gràcia, pertencente a um antigo convento do século XVII. Entre 1914 e 1916, o arquiteto Puig i Cadafalch construiu o edifício, que foi totalmente restaurado em 1992.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o período romano, Empúries tornou-se sede episcopal. No final do século III, os habitantes da cidade passaram a viver na cidade de Sant Martí de Empúries e no século seguinte a cidade romana foi definitivamente abandonada. Existe um caminho que deve ser percorrido à pé, que une o recinto arqueológico de Empúries com o atual povoado de Sant Martí, cercado por belas praias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO núcleo urbano de Empúries ficou reduzido ao primeiro local de assentamento dos gregos que chegaram à zona, denominado Palaiápolis, que originou a atual cidade de Sant Martí de Empúries. Até a chegada dos árabes no ano 715, a cidade foi a sede do Bispado de Empúries, centro religioso e administrativo de um amplo território. No ano de 785, a cidade foi reconquistada pela Monarquia dos Francos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois que os condes da Catalunha se tornaram independentes da monarquia franca, Sant Martí de Empúries passou a ser a capital do condado medieval até o século XI, mas perdeu sua sede episcopal, que passou a ser a cidade de Girona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa cidade se encontrava o castelo condal e se transformou na praça forte do condado, sofrendo inúmeros assédios e destruiçoes , como o sucedido durante a Guerra Civil na Catalunha, no século XV. No século XVI, os habitantes de Sant Martí de Empúries se estabeleceram no Porto de Escada. Abaixo, vemos a Igreja de Sant Pere, construída  a partir de 1507 sobre restos de construçoes anteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, Sant Martí de Empúries é um encantador pueblo medieval. Caminhar tranquilamente por suas ruas de pedra é um complemento perfeito à visita ao recinto arqueológico de Empúries.

Empúries – Província de Girona

Para os interessados no passado remoto da Península Ibérica, um dos passeios obrigatórios que se pode realizar pela Comarca de Alt Empordà (Província de Girona, Comunidade da Catalunha) é a visita ao recinto arqueológico de Empúries.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local é considerado um dos parques arqueológicos de maior importância em toda a península, pois é o único que conserva restos de uma colônia grega (Emporion, fundada no século VI aC) e de uma cidade romana (Emporiae, fundada no século I aC), dentro de um espaço de grande beleza natural. Abaixo, vemos a entrada ao recinto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAnualmente, milhares de pessoas visitam seus restos e o Museu de Arqueologia de Catalunha-Empúries, situado dentro de seus limites, contendo as peças mais significativas encontradas nas escavações realizadas. Seu descobrimento está relacionado ao movimento cultural ocorrido no século XIX, sendo que um de seus principais objetivos era recuperar as origens da cultura catalã . Em 1908, a Junta de Museus de Barcelona iniciou as escavações oficiais de Empúries, sob a direção do famoso arquiteto Josep Puig i Cadafalch.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local já havia sido habitada por comunidades indígenas, os Iberos, desde a fase final da Idade de Bronze (século IX ao VIII aC). A partir do século VII aC, estes povos mantiveram contatos comerciais com outras culturas mediterrâneas, como os gregos, fenícios e etruscos. Várias necrópoles encontradas (locais de enterramento) colaboraram para a compreensão desta etapa primitiva do assentamento. Dentro do museu, se exibem várias peças deste período, como uma ânfora ibérica usada para o transporte de matérias primas (séculos VI a I aC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAObjetos de cerâmica relacionados ao ritual do vinho…

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecipientes para perfumes realizados em pasta de vidro ( séculos V a IV aC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEmpúries foi a porta de entrada das culturas clássicas na Península Ibérica. Por seu porto natural chegaram no século VI aC os gregos, e mais tarde o exército romano comandado por Cneo Cornelio Escipión, durante o desenlace da Segunda Guerra Púnica, fato que marcou o início da romanização do território (218 aC). É considerada a única cidade grega documentada arqueológicamente na península. Seu nome grego, Emporium, significa mercado, e desta denominação derivou o atual nome da comarca, Empordà. O centro da cidade grega chamava-se Ágora, local onde se desenvolviam as atividades políticas, sociais e comerciais, edificada no século II aC. Abaixo, vemos algumas das cisternas existentes em sua parte comercial, que abasteciam as famílias que não possuíam água em suas casas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte alta da cidade grega localiza-se a zona de templos religiosos, como o dedicado a Ísis e Serápis, divindades importadas da cultura oriental. A seguir, vemos o templo de Asclépio, deus da medicina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMagnífica é a estátua grega do século II aC encontrada em 1909, que se exibe no museu, desta divindade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade grega ainda esconde grande parte de seus tesouros, pois apenas uma pequena parte do conjunto foi escavada. Estava protegida por um conjunto de muralhas, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAmbas cidades, a grega e a romana, encontram-se completas, pois a diferença de outras cidades antigas, em Empúries não existiram construções superpostas, possibilitando a compreensão da estrutura urbana das duas culturas. Por este motivo, é também denominada a Pompeia Catalã . No próximo post, veremos a antiga cidade romana´…

 

Abadia de Montserrat – Barcelona

Situada a 720m de altitude, num local de grande beleza natural, a Abadia de Santa Maria de Montserrat representa um dos templos de maior devoção de toda a Comunidade da Catalunha, graças à imagem da Virgem de Montserrat. Considerada um verdadeiro símbolo religioso da comunidade, é amplamente venerada, transformando o monastério num conhecido centro de peregrinação. O local é propício também para atividades ecológicas, como o senderismo, já que possui inúmeras trilhas para percorrer.

DSC00970O santuário que abriga a Virgem começou a formar-se a partir do séc. XI, então sob as ordens do Monastério de Ripoll, tornando-se independente somente em 1410. Um pouco depois, foi solicitada uma autorização para ampliar o número de monges e transformá-lo numa abadia. Em 1493, o rei Fernando “El Católico” enviou a Montserrat um grupo de religiosos provenientes da Congregação de Valladolid, e a abadia passou a depender desta instituição. Neste mesmo ano, um monge do monastério acompanhou a Cristóvao Colombo em sua segunda viagem à América, expandindo o culto da Virgem ao novo continente.

DSC00967Entre 1811/1812, o monastério foi saqueado pelas tropas napoleônicas, fato que provocou a desaparição de quase todos seus tesouros. Com a Desamortização de Mendizábal (1835), a Congregação de Valladolid foi extinta, e a abadia recuperou sua independência e o monacato em 1844. A partir de então, foi reconstruida e atualmente abriga uma comunidade beneditina formada por 60 monges. Recebe, em média, 2.3 milhões de visitantes ao ano, e converteu-se numa das abadias mais ricas do continente europeu. Sua biblioteca (o monastério possuiu um “scriptorium” próprio, muito ativo nos séc. XIV/XV), figura entre as melhores do país. O museu guarda quadros de pintores como Caravaggio, El Greco, Monet, Dalí, Renoir, Picasso, etc.

Montserat4Da primitiva basílica românica, sobrevive muito pouco. A atual construção foi iniciada no séc. XVI, e reconstruida no séc. XIX, como foi dito acima. A denominada Fachada dos Apóstolos foi concluída em 1901.

Montsera2Montserat1A Praça de Santa Maria permite o acesso às dependências do monastério, e foi realizada pelo arquiteto modernista Puig i Cadafalch.

Montserat5A Virgem de Montserrat é conhecida popularmente como  “La Moreneta”, e desde 1844 é considerada a padroeira da diocese e da Comunidade Catalã. Segundo a tradição, no ano 880 uns meninos pastores observaram raios luminosos que saíam de uma gruta e decidiram ver do que se tratava. Penetraram no interior e viram uma imagem resplandecente da Virgem. A notícia do achado chegou ao bispo, que resolveu levá-la consigo, mas suas intenções foram frustradas pelo inexplicável peso da imagem. O bispo interpretou o fato como uma vontade da própria Virgem de permanecer no local, e ordenou a construção de uma ermita para dar-lhe abrigo que, com os séculos, originou a atual abadia.

Montserat3Na realidade, a imagem da Virgem é uma escultura românica do séc. XII. A Virgem sustenta o menino Jesus e uma esfera, que representa o universo. A imagem é dourada, exceção feita ao rosto e as mãos, que são negros. Um estudo realizado em 2001 demonstrou que originalmente a imagem era branca, e que escureceu com o tempo, devido à fumaça das velas e o contínuo uso de incenso, além da própria oxidação do material constituinte e da sujeira acumulada por séculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro das várias atividades realizadas atualmente pela abadia, destaca o coro protagonizado por mais de 50 crianças, entre 9 e 14 anos. Existem documentos que comprovam sua existência desde o séc. XIV, como instituição de caráter religioso e musical. Dessa forma, são considerados um dos mais antigos coros de meninos cantores de toda a Europa. As crianças participam nas celebrações litúrgicas e seu prestígio é reconhecido internacionalmente, realizando concertos pelo mundo e com uma abundante discografia. Localizado próximo à cidade de Barcelona, a Abadia de Montserrat e seu entorno podem ser visitados numa excursão de um dia. Seu valor histórico, religioso e natural constituem uma ótima opção turística.

Modernismo em Barcelona – Parte 3

No post de hoje veremos algumas construçoes modernistas situadas na Rambla de Catalunha, uma das ruas centrais da cidade, próxima ao Paseo de Gracia. O edifício denominado Can Serra, por sua importância histórica e arquitetônica, foi catalogado Bem de Interesse Nacional em 2001. Foi projetado em 1903 pelo famoso arquiteto modernista Puig i Cadafalch.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesenhada com um aspecto de palacete, foi decorado por Eusebi Arnau e Alfons Jujol. No exterior destaca sua torre inspirada em modelos medievais, coberta por cerâmica vidriada. Atualmente, o edifício é a sede da Diputaçao de Barcelona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício Dolors Calm foi reformado a partir de 1878 pelo arquiteto Josep Vilaseca i Casanovas, e finalizado em 1903. Sua fachada apresenta uma tribuna que abarca os 5 pisos principais, cuja decoraçao está baseada em motivos florais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa Juncosa foi projetada pelo arquiteto Salvador Viñals i Sabaté em 1909, para o proprietário Evarist Juncosa. A fachada principal é completamente simétrica, ressaltando a tribuna do piso principal e os balcoes situados por todo o edifício, além da decoraçao com temática vegetal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANem todas as construçoes modernistas tinham finalidades residenciais, como o  Palau da Música Catala, cuja matéria foi publicada em dois posts, em 31/1/2013 e 1/2/2013. Outro exemplo é a Farmácia Bolós, aberta ao público em 1902. Antiga farmácia Novellas, propriedade de Antoni Novellas, foi projetada pelo arquiteto Josep Domènech i Estapà.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA decoraçao foi realizada por Antoni Falguera i Sivilla, e o imóvel foi adquirido pela família Bolós em 1927.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA grande maioria  dos edifícios possuem, no entanto, caráter residencial. Por este motivo, nao está permitido o acesso ao interior das construçoes. Porém, em algumas ocasioes, encontramos a porta aberta, e podemos apreciar detalhes de sua decoraçao interna, que embelezam ainda mais os edifícios e que nos permite contemplar a originalidade do Modernismo Catalao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Modernismo em Barcelona – Segunda Parte

O Modernismo Catalao desenvolveu-se durante um período de cerca de 50 anos, entre 1880 e 1930, deixando na capital Barcelona mais de uma centena de edifícios que integram a Rota Modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar do nome, considera-se que o estilo seja uma variante catala do Art Noveau. Consequência da Revoluçao Industrial surgida na Inglaterra no séc. XIX, o modernismo catalo desprezou, porém, o estilo pouco atraente da arquitetura industrial da primeira metade  deste século. Desta forma, incorporou conceitos inspirados na natureza, como podemos observar nos materiais empregados, nas formas dos edifícios e na decoraçao de suas fachadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ considerado também um estilo urbano e burguês, associado ao grande desenvolvimento da cidade durante o período em que o modernismo tomou forma. Através dele, a burguesia satisfez sua ânsia de modernizaçao, expressou sua identidade catala, além de manifestar sua riqueza e distinçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo post de hoje, veremos alguns edifícios emblemáticos do estilo e que, no entanto, sao desconhecidos para a grande maioria dos turistas que visitam Barcelona. Dois deles situam-se em plena Avenida Diagonal, onde também localizam-se a Casa de les Punxes (post publicado em 15/3/2013) e o Palácio do Barao de Quadras (publicado em 7/3/2013). A Casa Pérez Samanillo recebeu este nome do rico proprietário que nela residiu, e que encarregou ao arquiteto Joan Josep Hervàs y Arizmendi a elaboraçao de seu projeto em 1910.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício caracteriza-se por um modernismo de influências francesas e uma atmosfera neogótica. Possui uma curiosa janela ovalada, através da qual podemos ver, desde o exterior, o local onde a família residente realizavam suas refeiçoes. Por este motivo, a janela ficou conhecida pelo apelido de “A Peixeira da cidade”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a denominada Casa Sayrach é um imponente e elegante edifício, construído em 1918 pelo arquiteto e escritor Manuel Sayrach. É uma das últimas obras modernistas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua beleza radica na utilizaçao das formas curvas, indicando uma clara influência de Antoni Gaudi.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada em pleno Eixample, a Casa Granell é um exemplo de edifício modernista dedicado às classes trabalhadoras. O projeto foi realizado pelo arquiteto Jeroni Granell i Manresa, que realizou uma fachada carcterizada pela simplicidade das formas e decorada com motivos florais, entre 1901/1903.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada no Paseo de Sant Joan, a Casa Macaya foi realizada em 1901 pelo arquiteto Puig i Cadafalch, e atualmente é uma propriedade da “Caixa”, uma instituiçao financeira que utiliza o imóvel como centro de exposiçoes artísticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada branca apresenta uma decoraçao em pedra realizada pelos colaboradores habituais do arquiteto, Eusebi Arnau e Alfons Jujol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por um grande vestíbulo decorado com azulejos, cuja belíssima escada sobressai por sua ornamentaçao em pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi catalogado como Bem de Interesse Nacional em 1976.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a elaborada porta, característica do modernismo catalao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, veremos outros edifícios que compoem a Rota Modernista, cujos folhetos podem ser adquiridos gratuitamente nas oficinas de Turismo espalhadas pela cidade.

obs: o post introdutório sobre o Modernismo em Barcelona foi publicado em 4/4/2012.