Último Passeio por Olmedo

No meu último dia em Olmedo, pude conhecer lugares que ainda não havia visitado, como o Convento de la Concepción, cuja fundação foi autorizado por uma bula do Papa León X em 1516.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste convento franciscano representava um dos quatro conventos da ordem que existiu na cidade, e que perdeu sua função conventual. Depois, foi ocupado por freiras clarissas. Na porta principal da fachada, vemos os escudos dos fundadores (imagem acima). Atualmente é a sede de um museu sobre a Semana Santa, e na antiga igreja do convento se guarda as imagens que saem em procissão na rua durante as festividades.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuito interessante é o teto da nave da igreja, decorado com um artesanato em madeira policromado do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Outra instituição religiosa de importância é o antigo Convento de la Merced, situado em frente à Igreja de Santa María del Castillo, que vimos recentemente no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício, que impressiona por suas dimensões, conserva boa parte de sua estrutura do século XVIII, de tijolo e pedra, constituído por uma parte principal, igreja e claustro. Hoje em dia, abriga um Centro de Artes Cênicas e a Prefeitura Nova de Olmedo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOlmedo chegou a ter tamanha relevância em tempos passados que uma frase comprova o dito: “Quem señor de Castilla quiera ser, a Olmedo de su parte ha de tener.” A cidade contou com uma numerosa população muçulmana que nela permaneceu após a reconquista, quando passaram a ser conhecida como os Mudéjares, contribuindo para o enriquecimento monumental da vila, como vimos nas matérias anteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOlmedo também é conhecida como a Vila dos Siete Sietes, apelido que está relacionado com esta quantidade de igrejas, conventos, portas, praças, casas nobres, fontes, etc, que havia na cidade durante sua etapa de maior esplendor. A região onde se localiza a cidade está repleta de bodegas que elaboram deliciosos vinhos. Tive a oportunidade de conhecer o terreno de uma bodega histórica, a “La Mejorada“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta bodega encontra-se a dez minutos de carro de Olmedo, e sua construção fazia parte de um antigo monastério pertencente a Ordem dos Jerônimos, fundado no século XVI pelo monarca Fernando I de Aragón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local foi reformado pelo famoso arquiteto Rafael Moneo, que adaptou a antiga construção religiosa às necessidades de sua nova função. Pode ser que esteja equivocado, mas parece que o próprio arquiteto tornou-se o proprietário da bodega. Quando lá estive, estavam preparando o terreno para a próxima colheita…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara fechar com chave de ouro, o céu de Castilla y León me brindou com um espetacular pôr do sol. Lamentavelmente, as fotografias são incapazes de refletir a beleza do momento, mas podem nos dar uma idéia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs construções da cidade adquiriram uma tonalidade que as deixaram ainda mais belas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês tenham se surpreendido com esta cidade castelhana, e que eu tenha cumprido minha missão de divulgar as belezas históricas, artísticas e naturais da Espanha. Mas as possibilidades turísticas do país parecem não ter fim, de maneira que pé na estrada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Belos Ayuntamientos de España: Parte 2

A partir do século XIX foram construídos vários Ayuntamientos que merecem constar de minha lista dos mais belos de Espanha. Um exemplo é o Ayuntamiento de Murcia (Comunidade Murciana), edificado no estilo neoclássico e inaugurado em 1859.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom a chegada do Ecleticismo no final do século, muitos Edifícios de Ayuntamientos seguiram os preceitos desta corrente artística, como o Ayuntamiento de Cartagena (Comunidade Murciana), finalizado em 1907. De planta triangular, nele destacam o grande pórtico rematado por uma cúpula, e seu belo vestíbulo e escada principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Ayuntamiento de Bilbao (País Vasco) foi concluído em 1892, e também se insere dentro da Arquitetura Eclética.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituado na Praça de María Pita, uma das mais conhecidas da cidade, o Ayuntamiento de La Coruna (Galícia) destaca-se por sua grandiosidade e beleza de suas formas. O edifício foi concluído em 1917.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Ayuntamiento de Valencia apareceu diversas vezes nestas matérias sobre os Ayuntamientos da Espanha por conter vários dos elementos essenciais relacionados aos edifícios que se tornaram sedes de Prefeituras. Outro belo exemplo da Arquitetura Eclética

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, o Ayuntamiento de Logroño (Comunidade da Rioja) tornou-se famoso por sua arquitetura contemporânea, cujo projeto foi realizado por Rafael Moneo, um dos mais conhecidos arquitetos atuais do país. O edifício foi inaugurado em 1980, e o projeto possibilita a entrada de luz natural em todas as partes do amplo edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Instituto do Patrimônio Cultural da Espanha

Recentemente fiz uma visita guiada num dos edifícios mais interessantes da Cidade Universitária, o Instituto do Patrimônio Cultural da Espanha (IPCE).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO IPCE pertence ao Ministério da Educação, Cultura e Deporte e se dedica à investigação, conservação, restauração e documentação do patrimônio espanhol. Para que possa realizar estas funções, conta com profissionais das mais variadas áreas, como arqueólogos, arquitetos, restauradores, físicos, geólogos, químicos, bibliotecários, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício do instituto se insere dentro da corrente arquitetônica denominada Brutalismo, cujo auge se deu entre as décadas de 50 e 70 do século XX. Seus princípios se inspiraram nos trabalhos do influente arquiteto suíço Le Corbusier (1887/1965) e do finlanês Eero Saarinen (1910/1961). De fato, o edifício impressiona por sua singular composição circular, rematado por pináculos que lhe concederam o apelido de “Coroa de Espinhos“.

20161212_115527No Brutalismo, as estruturas geométricas se repetem, a base de concreto, embora o emprego deste material não seja  exclusivo. Sua idéia principal é expressar os materiais utilizados em sua forma bruta. Se durante décadas o Brutalismo esteve marginalizado, atualmente volta a estar de moda.

20161212_120107O edifício suscitou, desde que foi construído por Fernando Higueras e Antonio Miró Valverde, grande interesse nos arquitetos de muitos países. Em 1975, um pouco antes de ser finalizado, foi catalogado como um dos 24 edifícios de maior relevância de Madrid no Congresso Internacional de Arquitetos. Atualmente, o edifício está protegido por ter recebido a distinção de Bem de Interesse Cultural e seu projeto recebeu o Prêmio Nacional de Arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção constituiu um dos processos mais longos e complicados da segunda metade do século XX em toda a Espanha. O projeto inicial foi realizado por Fernando Higueras em 1961, e contou com a colaboração do jovem Rafael Moneo. Por uma série de fatores, a construção tardou 30 anos, estando abandonado durante 16 anos. Além do mais, suas funções foram modificadas em 13 ocasiões.

20161212_114842O interior do edifício destaca-se por sua amplitude e luminosidade natural, propiciada por uma grande estrutura de vidro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs vigas pré-fabricadas foram criadas por uma grande variedade de elementos geométricos, como hexágonos, quadrados e octógonos, cuja estrutura se refletem na decoração de seus pavimentos.

20161212_115424OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs jardins interiores colaboram para a atmosfera de suavidade e tranquilidade que se experimenta dentro do edifício.

20161212_114908Para os interessados no patrimônio histórico, artístico e cultural da Espanha, o IPCE é o local ideal para seu aprofundamento, pois conta com uma excepcional biblioteca de planta circular composta por mais de 40 mil livros sobre o tema.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do edifício, vemos uma pequena panorâmica da Cidade Universitária de Madrid, cuja matéria finalizo com este post…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Esculturas do Museu do Prado

Apesar de ser reconhecido internacionalmente como uma Pinacoteca, ou Museu de Pinturas, o Museu do Prado possui cerca de 900 esculturas em seu acervo artístico. Como no caso das pinturas, as esculturas formavam parte das coleções dos Reis da Espanha. Algumas das obras mais importantes estão situadas no claustro do desaparecido Monastério de San Jerónimo, que foi restaurado e colocado dentro do novo edifício projetado por Rafael Moneo durante as obras de ampliação do museu, finalizadas em 2007.

DSC09089O núcleo central da coleção de escultura formou-se na primeira metade do século XVI, durante o reinado de Carlos I. A ele se deve um excepcional conjunto  de obras, os retratos familiares de corpo inteiro que o monarca encarregou aos escultores italianos Leone Leoni (1509/1590) em 1549, e que foram finalizados por seu filho Pompeo Leoni (1530/1608). Consideradas obras primas da Escultura Renascentista, foram realizadas em bronze e Mármore de Carrara, materias perfeitos para exprimir os valores de nobreza e eternidade. Representam o próprio imperador e os membros mais próximos de sua família. Abaixo, vemos o monarca Carlos I (1500/1558), uma escultura realizada em mármore em 1553, na qual o rei aparece vestido com uma armadura e um medalhão que representa a Marte, Deus da Guerra. Carlos I foi o único Rei Espanhol proclamado Imperador, por ter sido Rei da Espanha e também do Sacro Império Germânico.

DSC09085Carlos I casou-se com sua prima Isabel de Portugal (1503/1539) em 1526. Foi a primeira e única esposa do rei, que sentiu por ela um profundo amor. Faleceu em Toledo no ano de 1539, com apenas 36 anos. Para recriar sua imagem, Leone Leoni recorreu a um retrato da imperatriz pintado por Ticiano, que se conserva no Museu do Prado.

DSC09075A seguir vemos um relevo do casal real, encarregado a Leone Leoni em 1549, e terminado em Milão 6 anos depois. Feitos de mármore e decorados com motivos da Mitologia Clássica.

DSC09077 Maria de Hungria (1505/1558), irma de Carlos I, casou-se em 1521 com Luis II, Rei da Hungria, que veio a falecer 5 anos depois. Entre 1531 e 1556 foi a regente dos Países Baixos. Na escultura, aparece vestida como viúva. Encarregada a Leone Leoni em 1548, foi realizada em bronze.

DSC09080Um dos filhos que Carlos I teve com Isabel de Portugal, Felipe II (1527/1598) foi o responsável por trazer de forma permanente a capital do Império Espanhol para Madrid, em 1561. Entre 1554 e 1558 foi também Rei da Inglaterra, graças ao seu casamento com Maria Tudor. Abaixo vemos sua escultura, realizada em bronze e fundida em 1551.

DSC09073Felipe II também aparece num busto feito de alabastro e atribuído a Pompeo leoni (1560).

DSC09083Os dois escultores, pai e filho, foram também os responsáveis de outras obras primas do Renascimento Espanhol, os mausoléus do Imperador Carlos I e Felipe II, que podemos ver no Monastério de El Escorial. Finalizo a matéria comentando que o claustro é o único local do Museu do Prado onde as fotos estão permitidas…

 

Ampliação do Museu do Prado: Madrid

O Museu do Prado (post publicado em 17/5/2012) foi alvo de diversas obras de reformas ao longo de sua história. A mais importante delas finalizou em 2007, segundo um elogiado projeto do renomado arquiteto Rafael Moneo (1937). O plano levou em consideração os edifícios colidantes ao museu, como a Igreja de San Jerónimo La Real (matéria publicada em 7/7/2013). Dois edifícios emblemáticos de Madrid, um no plano artístico, e outro no religioso, foram integrados ao novo desenho de ampliação realizado.

DSC09098O edifício sede do Museu do Prado, um dos referentes da arquitetura neoclássica da Espanha, foi projetado pelo arquiteto Juan de Villanueva a partir de 1785, durante o reinado de Carlos III, com a função de acolher o Gabinete de História Natural. A Guerra da Independência contra os franceses no início do século XIX fez com que o edifício fosse duramente castigado em sua estrutura. Com o término da guerra, o edifício foi restaurado no reinado de Fernando VII e reinaugurado em 1819 como um Museu de Pinturas. Para tanto, contou com o esforço e dedicação da segunda esposa do rei, Maria Isabel de Bragança.

DSC03524DSC01970Já a Igreja de San Jerónimo La Real é uma das poucas construções de origem gótica existentes em Madrid. Formava parte do antigo Monastério de San Jerónimo, fundado pelo Rei Enrique IV no século XV. Originalmente, estava situado às margens do Rio Manzanares, mas as péssimas condições higiênicas do local fez com que os Reis Católicos ordenassem a construção de um novo edifício, situado em sua localização atual. Em 1502 se edificou a nova igreja no período final do gótico, que contava também com um quarto real situado junto ao presbitério, utilizado pelos reis durante sua estadia em Madrid. Dessa forma, os Reis Católicos podiam assistir a missa desde seu próprio aposento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja, desde suas origens, sempre esteve ligada à monarquia, pois em seu interior se celebram casamentos reais e os juramentos dos Príncipes de Asturias. As várias reformas realizadas ao longo de sua secular história eliminaram a maior parte de sua fábrica gótica. Também danificada durante a Guerra da Independência, seu aspecto atual se deve às reformas realizadas pelo arquiteto Enrique María Repullés em 1883.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério, que já não existe mais, chegou a ter dois claustros de épocas distintas. O primeiro, de estilo renascentista, foi destruído e substituido por um barroco, construído entre 1672 e 1681. Devido às guerras e sua própria antiguidade, o claustro permaneceu abandonado no século XX, e abaixo podemos observar seu estado numa foto do século passado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos aspectos mais importantes da proposta de ampliação do Museu do Prado realizada por Rafael Moneo consistiu na recuperação do claustro e sua restauração. O claustro foi desmontado e recolocado dentro de um novo edifício, o chamado Cubo de Moneo.

DSC09095Feito de tijolo vermelho, o Cubo de Moneo acolhe hoje em dia o antigo claustro restaurado, e no novo espaço podemos contemplar uma série de esculturas históricas dos monarcas espanhóis, que será o tema do próximo post.

DSC09089O trabalho de Rafael Moneo incluiu também um novo vestíbulo situado na parte traseira do edifício histórico de Juan de Villanueva, que serve de entrada ao museu, denominado Puerta de los Jerónimos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO vestíbulo compreende vários espaços complementares ao museu, como cafeteria, loja, o acesso ao claustro e também salas onde se organizam exposições temporais de grande qualidade artística. Na parte superior do vestíbulo, Moneo projetou um belo jardim de formato geométrico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro destaque do Cubo de Moneo, a belíssima porta de acesso foi realizada pela artista Cristina Iglesias (1956). Realizada em bronze, possui 6m de altura e 22 toneladas de peso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com uma foto do Cubo de Moneo e, ao lado, a Igreja de San Jerónimo

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cartagena Romana

Um novo período histórico se inicia para Cartagena, quando a cidade de Cartago é destruída pelo Império Romano durante o transcurso da Segunda Guerra Púnica. O general romano Publio Cornelio Escipión conquista a antiga cidade púnica de Qart-Sadasht em 209 aC, recebendo a partir de então a denominação de Cartago Nova. Com o tempo, transforma-se na principal cidade da chamada Província Hispania Citerior. Foi durante a época do Imperador César (44 aC) quando passa a ser uma colônia de direito, recebendo o título de Colônia Urbs Julia Nova karthago, com um estatuto jurídico próprio, comparado ao da própria Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACartago Nova viveu em época de Augusto seu momento de máximo esplendor e um imenso projeto de reformas urbanas se realiza, dotando a cidade de construções administrativas, civis e religiosas. Um dos monumentos conservados mais importantes do período de Augusto é o Teatro Romano, construído durante os últimos anos do séc. I aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído num local densamente povoado, se aproveitou a ladeira rochosa para que fosse construída boa parte do recinto onde os habitantes pudessem assistir os espetáculos. A fachada do teatro possuía 16m de altura, e certamente causaria um grande impacto àqueles que chegavam a cidade por mar. Sua capacidade é estimada em 6 mil espectadores, e todos eles ocupavam um local determinado, segundo a hierarquia social. Os mais humildes presenciavam os espetáculos na lotada parte superior, enquanto os destacados magistrados ocupavam os privilegiados locais inferiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO teatro, além de sua função lúdica, constituía o local perfeito para a propaganda política e religiosa do imperador, personificado em Cartegena por dois jovens príncipes, Cayo e Lucio, que provavelmente foram os financiadores da obra e de sua ornamentação, segundo os restos arqueológicos encontrados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do séc. II dC, o Teatro Romano de Cartagena sofreu um incêndio, cuja destruição fez com que jamais se recuperasse. Os elementos arquitetônicos foram empregados mais tarde na remodelação de novos espaços destinados a praças e mercados públicos nos séculos IV e V dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os séculos XI e XIII, perdido qualquer resto do teatro, se construíram residências islâmicas em seu entorno, que depois se tornaram os primeiros assentamentos cristãos após a reconquista da cidade em 1243.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de quase 20 anos de trabalhos arqueológicos, o Teatro Romano foi recuperado, constituindo um um dos monumentos mais importantes da cidade. O edifício conhecido como Palácio de Pascual de Riquelme, situado em frente à Prefeitura de Cartagena, se converteu num grande museu concebido pelo reconhecido arquiteto Rafael Moneo, que conduz o visitante desde a Praça do Ayuntamiento até o interior do Teatro Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu se articula em dois edifícios distintos, unidos por um corredor subterrâneo. As salas que o conformam foram divididas tematicamente, onde podemos apreciar elementos decorativos do teatro e comprovar a importância que os mesmos tinham dentro da estrutura do Império Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, os achados arqueológicos incluem uma casa construída no séc. II aC, que foi demolida para a construção do teatro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma cripta construída no séc. XIX, cuja singularidade radica que sua planta se adaptou às dimensões de duas dependências pertencentes a uma casa romana do séc. I aC, sendo que seus pavimentos foram utilizados para o solo da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão bastassem tantas coisas interessantes, podemos contemplar também os restos da antiga Catedral de Santa Maria, levantada com as pedras romanas do teatro. Reformas posteriores foram feitas e a igreja passou a ocupar parte do espaço do antigo teatro. Sua origem se remonta ao séc. XIII, depois de restituída a Diocese de Cartagena, logo após a reconquista pelos cristãos. Coma transferência da capitalidade eclesiástica para Murcia a igreja, ainda sem finalizar, se transformou apenas numa simples paróquia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria sempre esteve em más condições de conservação, graças ao seu progressivo abandono. Finalmente, entre 1899 e 1904, foi reconstruída pelo arquiteto Victor Beltrí, mas os danos ocasionados pela Guerra Civil Espanhola provocaram sua ruína definitiva. Atualmente, forma um conjunto único junto com o Teatro Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Belas Praças de Murcia

As primeiras transformações urbanas da cidade de Murcia ocorreram no séc. XIX, depois que a maior parte das muralhas que a cercavam foram derrubadas, pois impediam seu crescimento. No séc. XX, amplas e modernas avenidas transformaram a cidade num núcleo cosmopolita e principal cento da comunidade. Apesar disso, seu centro histórico não oculta sua origem árabe. A parte mais antiga situa-se ao redor da catedral, onde estava situada a Mesquita e o Alcázar. No post de hoje e nos próximos veremos algumas das praças mais importantes e belas de Murcia, que acolhem seus edifícios mais significativos. Ponto de encontro de seus habitantes, a Plaza del Cardenal Belluga (Cardeal Belluga, em português) está presidida pela catedral e por outras construções de importância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça homenageia a Luis Antonio de Belluga y Moncada (1662/1743), um personagem importante de sua vida religiosa e pública. Além de cardeal foi nomeado, durante o reinado de Felipe V, virrey de Murcia e Valencia. Realizou obras de grande relevância para a melhoria de vida dos habitantes da cidade, como a construção de hospitais, a criação do Seminário de Teólogos, melhoras no sistema educacional, além de colonizar terras e fundar novos núcleos de população. No centro da praça situa-se o Palácio Episcopal, construído na segunda metade do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio Episcopal ocupa o local do antigo Alcázar, que foi derrubado para dar maior visibilidade para a catedral. De estilo rococó e planta quadrada, o Palácio Episcopal conta com um interessante pátio interior composto por dois níveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma escada monumental permite o acesso à parte superior do pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção do palácio durou 30 anos. Enquanto a fachada norte se encontra na Praça do Cardeal Belluga, a fachada sul está voltada para a Plaza de la Glorieta, que veremos à continuação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais características da Praça do Cardeal Belluga é sua riqueza de estilos, desde o barroco da catedral e do palácio, passando por edifícios de caráter eclético com toques modernistas, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto espanhol Rafael Moneo projetou um edifício anexo da Prefeitura de Murcia, dando um aspecto contemporâneo à praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm tradicional local de passeios dos murcianos, a Plaza de la Glorieta de España foi construída em 1821. O lugar é muito bonito, e seus jardins floridos e fontes colaboram para tanto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá localizada na parte de trás da Praça do Cardeal Belluga, cujo monumento em sua homenagem foi colocado junto à fachada sul do Palácio Episcopal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a fachada sul do Palácio Episcopal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da Plaza de la Glorieta de España está situado o edifício histórico do Ayuntamiento de Murcia. Também denominado Casa Consistorial…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe estilo neoclássico, o edifício foi construído em 1848 no local de uma antiga casa árabe. Tive a sorte de poder entrar no local e tirar uma foto do interior….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA