A Catedral de Ávila: Parte 2

Nesta segunda parte sobre a Catedral de Ávila veremos o interior do espaço sagrado, e algumas de suas obras mais importantes. A Capela Maior, por exemplo, acolhe um maravilhoso retábulo realizado no último período construtivo da catedral, no final do século XV e começo do XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior do retábulo foi executada por Pedro Berruguete, que combina a tradiçao hispano-flamenca com o novo estilo renascentista proveniente da Itália. O artista buscou a individualização dos personagens representados e um grande realismo, conseguidos através de um intenso naturalismo. Com sua morte, a execução do retábulo foi realizada, entre outros, por Juan de Borgoña, que retratou as cenas da Anunciação, Nascimento de Cristo, Transfiguração e Apresentação ao Templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Capela Maior, foram colocadas duas esculturas dedicadas a Santa Catalina e San Segundo, ambas realizadas em alabastro por Vasco de la Zarza na primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a Santa Catalina…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que San Segundo foi um dos sete enviados por São Pedro e São Paulo com a missão de evangelizar Espanha. Foi o primeiro Bispo de Ávila, sendo considerado o padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave principal foi colocado o Coro, algo característico das Catedrais Espanholas. Inicialmente ele se encontrava junto a Capela Maior, ao modo das catedrais francesas. Durante o período renascentista, acabou sendo deslocado para o centro da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído na primeira metade do século XVI por Cornelis de Holanda, que contou com a participação de Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, entre outros. Elaborado com madeira de nogal, destaca-se por sua rica iconografía, onde foram representados uma grande quantidade de santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do coro, dois belíssimos órgãos, um barroco e outro de data posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro da catedral foi inicialmente construído no século XIV no estilo gótico e apenas finalizado no XVI, já dentro da estética renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por 3 capelas, e constituiu sempre um local de enterramento, acolhendo os restos de personagens ilustres da História da Espanha, como Adolfo Suárez (1932/2014), o primeiro presidente do período democrático do país, iniciado depois da morte do General Franco. Abaixo, vemos uma lista que comprova a milenar tradiçao episcopal de Ávila, onde podemos ver todos os bispos da cidade, começando por San Segundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA San Segundo foi dedicado também uma das principais capelas das muitas existentes na catedral. O acesso a ela se dá tanto pelo interior, quanto pelo exterior do templo, cuja fachada austera vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída para acolher os restos de San Segundo para sua conservação, que foram trazidos da igreja românica a ele dedicado, prova da grande devoção de seus habitantes ao primeiro bispo de Ávila. Para que pudesse ser construída, tiveram que derrubar um cubo da muralha, prévia permissão concedida pelo rei Felipe II, pois a fachada da capela está adossada à mesma, como vemos acima. Abaixo, vemos o interior da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Capela de San Segundo foi iniciada por Francisco de Mora em 1602, e finalizada por seu sobrinho Juan Gómez de Mora em 1615. O retábulo em forma de baldaquino acolhe uma urna com as relíquias do santo, e foi realizado em 1715 por José Benito de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Românico na Província de Segóvia

O primeiro post de 2017 está dedicado às Igrejas Românicas que conheci o ano passado, junto com um grupo de amigos, num instrutivo passeio pela Província de Segóvia, uma das nove províncias que compõem a Comunidade de Castilla y León. Antes de iniciar o post, desejo a todos (as) leitores (as) um magnífico ano, repleto de realizações e muita saúde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes atraçoes desta bela regiao da Espanha é seu patrimônio românico, formado por inúmeras e singelas igrejas, todas elas situadas em pequenos povoados ao longo do território da província. Por este motivo, integram o chamado Românico Rural. Uma das localidades visitadas chama-se La Cuesta, um pueblo de apenas cerca de 40 habitantes, com amplas vistas da Serra de Guadarrama, que vemos na foto acima. Seu grande destaque é a Igreja de San Cristóbal, construída no final do século XII ou princípios do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja situa-se no alto de uma colina, motivo pelo qual pode ser vista de uma grande distância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo foi declarado Bem de Interesse Cultural em 1995. Apesar das reformas realizadas, a igreja conserva boa parte de sua fábrica românica, como o ábside, que vemos acima, e a torre campanário de planta quadrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a porta de entrada ao templo, formada por arquivoltas e desenhos compostos por motivos geométricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja foi reformado no século XVI, e passou a contar com 3 naves, a central mais larga que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior foi realizado no século XVI, estando formado por 12 pinturas relacionadas ao Novo Testamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá presidido por uma imagem de San Cristóbal (Sao Cristóvao, em português) segurando o Menino Jesus. Em sua parte superior, vemos a representaçao de Santiago Matamouros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro retábuo, desta vez barroco, alberga uma bela escultura de Cristo Crucificado

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe muito interesse é a Pia Batismal de estilo românico, provavelmente do século XII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta igreja vemos um fato comum na Idade Média, o cemitério situado ao lado do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, continuaremos vendo outras interessantes igrejas românicas da Província de Segóvia… até lá !!!!!

Catedral de Ciudad Real

Das três igrejas góticas de Ciudad Real, a Catedral de N.Sra del Prado foi a última em ser construída, sendo edificada a partir do século XV e finalizada apenas no século seguinte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Virgem do Prado é a padroeira da cidade, e goza de especial veneração. Segundo a tradição, em 1088 uma imagem românica da virgem foi trazida pelo rei Alfonso VI, e os habitantes do povoado de Pozuelo Seco de Don Gil solicitaram ao monarca que a imagem fosse deixada ali, para que pudesse ser venerada. Este povoado foi o núcleo urbano inicial de Ciudad Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois que o rei Alfonso X “El Sábio” concedeu o título de vila a este pequeno povoado, ordenou a construção da Paróquia de Santa Maria para albergar a escultura e também para repovoar a localidade. Como vimos no post anterior, em 1420 o rei Juan II, em agradecimento ao apoio dado pela população à monarquia contra a expansão da Ordem de Calatrava, outorgou à vila o título de cidade. Este templo primitivo foi derrubado para a construção da igreja gótica, mas conserva alguns elementos de sua anterior igreja românica, como a Porta do Perdão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de tudo, a catedral possuiu um grande vínculo com as ordens militares, pois se transformou no priorato das mesmas. Em frente ao templo podemos observar o Escudo da Ordem de Calatrava

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA última parte da igreja em ser levantada foi a torre, no princípio do século XIX…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Ciudad Real é considerada a segunda mais larga da Espanha, superada apenas pela Catedral de Girona, na Catalunha (matéria publicada em 12/9 e 13/9/2013).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior que preside o interior do templo pertence ao século XVII, e apresenta um programa iconográfico dedicado à Virgem do Prado. Foi realizado por Giraldo de Merlo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil Espanhola, boa parte de seu patrimônio foi roubado ou destruído, incluindo a escultura românica da virgem. A atual é moderna, e foi talhada pelo escultor valenciano Raussel y Llorels.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns dos belos vitrais que inundam de luz o templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Catedral de Ciudad Real recebeu o título de Monumento Histórico-Artístico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Igreja do Corpus Christi – Madrid

Madrid é uma cidade eminentemente barroca, em quanto a maioria de suas igrejas históricas. No princípio do século XVII, era  a capital de um grande império, e as ordens religiosas desejavam ter uma “casa mãe” na cidade. A Contrarreforma, que foi criada para deter o avance protestante na Europa, teve na Espanha e em sua monarquia o aliado principal  e sua grande defensora. Como consequência, Madrid torna-se uma cidade conventual. Tamanha concentração de templos atraiu a um grande contingente de artistas portugueses, italianos, flamencos, além dos próprios espanhóis, evidentemente, para decorar as inúmeras igrejas que se edificavam. A fase inicial do desenvolvimento do estilo barroco em Madrid possui algumas características que podemos identificar, como a simplicidade e austeridade exterior, mas uma rica coleção de imagens sacras no interior, destinadas à veneração dos santos como exemplo de conduta e a propagação da fé católica. Quadros e estátuas recriam a vida dos santos cristãos e os mistérios da fé católica para uma população em grande parte analfabeta, possibilitando a compreensão da doutrina. Um exemplo perfeito deste momento inicial na evolução do barroco na cidade é a Igreja de Corpus Christi, situada perto da Praça Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Apesar de sua localização em pleno Centro Histórico de Madrid, muitos habitantes da cidade nem sequer sabem de sua existência, ao estar numa praça algo escondida dos principais pontos turísticos e das ruas mais importantes. A Igreja do Corpus Christi é uma das mais acolhedoras da fase inicial do barroco madrilenho e, milagrosamente, chegou intacta aos dias atuais, sem qualquer tipo de reforma ou ampliação desde que foi construída em 1607. Na singela porta vemos as esculturas de Santa Paula e São Jerônimo adorando o Corpus Christi.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento que caracteriza esta fase primeira do barroco é o predomínio da linha reta sobre a curva, um aspecto sobrevivente do estilo anterior, o renascimento, principalmente relacionado com o monumento mais representativo deste estilo na Espanha, o Monastério de El Escorial, e seu principal artífice, o arquiteto Juan de Herrera. Na realidade, a igreja integra um conjunto maior, o Monastério de Jerónimas del Corpus Christi, um convento de clausura que continua funcionando como tal, sendo que suas freiras seguem fabricando seus deliciosos doces, cuja produção não atende a demanda, pois são poucas e de idade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento foi fundado por Beatriz Ramírez de Mendoza,  descendente de outra Beatriz que tornou-se famosa por ser a educadora dos filhos de Isabel La Católica, Beatriz Galindo, que realizou diversas obras assistenciais na cidade. Entre outras qualidades, possuía um domínio perfeito do latim. Um dos principais bairros de Madrid para comer tapas homenageia esta mulher avançada para a época em que viveu, com o apelido que ficou conhecida, “La Latina“. O projeto construtivo da igreja e do convento se deve ao arquiteto Miguel de Soria, que realizou um templo de uma nave, como vemos acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm fato curioso repercutiu de forma permanente para a igreja e o nome como ela popularmente passou a ser conhecida foi o achado de um quadro da Imaculada Conceição numa carbonería, local onde se produz o carbón, carvão em português. Este quadro foi adquirido por uma frade franciscano, que o levou ao convento mais próximo onde se encontrava, o Convento do Corpus Christi. Uma vez colocado no interior da igreja, adquiriu a fama de milagroso por seus devotos. A partir deste momento, a igreja ficou conhecida como “Las Carboneras“, as freiras que custodiaram a obra. Abaixo, vemos dito quadro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja guarda inúmeras obras de importância artística, como o Retábulo Maior do século XVII, uma magnífica obra de Antón de Morales, síntese magistral de arquitetura, pintura e escultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO destaque do retábulo é um excelente quadro da Última Ceia realizado por Vicente Carducho, raro por seu posicionamento vertical. A ambos lados, ente colunas de Ordem Corintio, vemos as esculturas de São Jerônimo (esquerda) e São João Batista (direita).

OLYMPUS DIGITAL CAMERACulmina o retábulo um calvário atribuído a Pompeo Leoni, escultor que realizou diversos e impressionantes bustos dos monarcas espanhóis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do século XVII é o retábulo dedicado à Virgem das Tribulações e da Paz Interior, atribuído a Pedro de la Torre. A escultura da virgem foi realizada em 1812 por José de Tomás.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa próxima matéria, veremos a Igreja das Calatravas, pertencente à segunda fase do Barroco Madrilenho….

Catedral de Badajoz

Na matéria publicada sobre a Alcazaba de Badajoz, vimos como logo após a reconquista da cidade por Alfonso IX em 1230, a mesquita árabe foi convertida na primeira catedral da cidade, com a denominação de Santa María del Castillo. Badajoz tornou-se sede episcopal e o primeiro bispo, Fray Pedro Pérez, decidiu logo depois construir uma nova catedral, que acabou sendo edificada fora dos limites do recinto militar, na atual Plaza de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO corpo principal da Catedral de Badajoz foi construído entre a segunda metade do séc. XIII e finais do XIV. Como podemos observar na foto acima, caracteriza-se pela sobriedade e austeridade decorativas. Seu aspecto de fortaleza se deve ao caráter bélico da cidade. Dedicada a São João Batista, sua construção foi iniciada pela cabeçeira, estando orientada de leste a oeste, como de costume nos templos catedralícios. Na segunda metade do séc. XV iniciou-se a construção da torre de planta quadrada, dividida em 3 partes, mais o corpo para acolher os sinos. Foi finalizada apenas no século seguinte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior da torre mostra a transição da arquitetura gótica ao período inicial do renascimento. O segundo corpo é plateresco, como podemos ver nos detalhes decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terceiro corpo acolhe o relógio e o último, a parte onde foram colocados os sinos, é de um renascimento mais puro, com arcos de meio ponto e rematada com pináculos e almenas. Abaixo, vemos a porta principal da igreja, construída em 1619 com uma escultura de São João Batista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a fachada lateral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo lado direito da foto acima, podemos observar a Porta de San Blás, também renascentista e construída em 1546. O interior da Catedral de Badajoz é de cruz latina, formada por 3 naves, sendo a central de maior altura e largura que as naves laterais. Abaixo, vemos o Retábulo Maior, projetado por Ginés López e dourado por Manuel de los Reyes entre 1715 e 1717, inserindo-se, portanto, dentro da estética barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha visita ao interior do templo, conheci a Jesus, o guia da catedral. Seus amplos conhecimentos de história e arte tornaram minha visita muito mais interessante e proveitosa. Entre outras coisas, comentou que é a única catedral da Espanha que possui 3 órgãos barrocos, um central e dois laterais situados sobre o coro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJesus me explicou que graças a participação de artistas do país vizinho, a Catedral de Badajoz é a mais “portuguesa” das catedrais espanholas. Este importante detalhe pode ser visto na reja que separa o coro da nave central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA participação de artistas lusos pode ser admirada também no claustro, construído nas primeiras décadas do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o claustro está sendo reformado, não estando aberto à visitação pública. Amavelmente, Jesus me levou para conhecê-lo, permitindo que tirasse fotos de uma de suas partes, assim como da curiosa composição dos seus arcos góticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Badajoz foi decorada com tapetes flamencos do séc. XVI. Na sequência vemos um deles, junto com Jesus. Aproveito para agradecer sua atenção, simpatia, e a verdadeira aula de história e arte que me proporcionou.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com a foto de uma enorme lamparina colocada na nave central. Possui 102 braços e pesa 3750 kg !!!!.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Catedral de Murcia – Parte 2

O interior da Catedral de Murcia possui a mesma riqueza estilística que em seu aspecto exterior. Belas obras de arte enriquecem e adornam o templo, das quais veremos as principais. Está composto por 3 naves, a central e duas laterais, e a girola, como se conhece a prolongação das naves laterais que rodeiam o Altar Maior. O Retábulo Maior é do séc. XIX, que substituiu o original renascentista do séc. XVI, destruído num incêndio em 1854. O Altar maior é considerado uma Capela Real por acolher o sepulcro com o coração do rei Alfonso X “El Sábio”, que passou longas temporadas na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um detalhe da Virgem que preside o Retábulo Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Altar Maior situa-se o Coro, exemplo da Arte Plateresca, que foi trazido à catedral pela rainha Isabel II procedente do Monastério de San Martín de Valdeiglesias (Comunidade de Madrid), depois que o anterior coro e os órgãos nele situados ardessem no mesmo incêndio relatado acima. O órgão atual é de 1855.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte traseira do coro, por este motivo denominado Trascoro, vemos a Capela da Imaculada Conceição, realmente muito bonita. Construída no séc. XVII, é considerada uma das primeiras capelas de toda  Europa dedicada a ela. De estilo barroco, está ornamentada com abundantes mármores coloridos e uma imagem da Virgem do séc. XVIII, pertencente à escola madrilenha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Capela do Nazareno, construída em 1479 e fundada pelo canônico D.Diego Rodríguez de Almeida, que nela está enterrado. Uma escultura de Jesus Nazareno do séc. XVIII preside a capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Capela de San Fernando foi fundada em 1477 e está adornada com um retábulo rococó do séc. XVIII, presidido por uma imagem do santo de autor desconhecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra bela capela é a do Socorro, construída no estilo renascentista em 1541 por Giovanni de Lugano. Tanto a capela quanto a imagem de N.Sra do Socorro foram realizados em mármore de Carrara.Famosa também é sua Pia Batismal, executada por Jacobo Florentino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA gótica Capela de San Bartolomé acolhe um quadro do santo de começo do séc. XIX, atribuído a Manuel Lázaro Meroño, uma cópia do grande pintor espanhol José de Ribera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, apesar da beleza e importância de cada uma destas capelas, a mais famosa é a Capela dos Vélez, situada na parte de trás do Altar Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta maravilhosa capela foi construída durante o reinado dos Reis Católicos. Sua construção foi encomendada por Juan de Chacón, Adelantado de Murcia, em 1490 e finalizada em 1507 por seu filho D. Pedro Fajardo, Marquês de Vélez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO autor do projeto é desconhecido, e sua exuberante decoração lhe valeu o título de Monumento Nacional em 1928. Fiquei um bom tempo contemplando esta joia da catedral, uma das obras mais destacadas do Gótico Espanhol. A seguir, vemos sua bôveda de crucería em forma de estrela de oito pontas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma das pinturas murais que se conservam no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcluímos a matéria com a imagem de um dos vitrais da catedral, com a representação de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo e último post sobre a Catedral de Murcia, veremos o interessantíssimo Museu Catedralício, que complementa a visita ao templo.

Sevilha: Metropol e I.San Pedro

Depois de deixar Cádiz, pude passar uma tarde em Sevilha, esta maravilhosa cidade da Andaluzia. Sevilha é um desses lugares em que é necessário visitar várias vezes, para conhecer seu enorme patrimônio histórico. Ainda me falta muito por conhecer. De qualquer forma, em algumas horas pude visitar locais imprescindíveis que não conhecia. Um deles situa-se na central Plaza de la Encarnación, o famoso Metropol Parasol, um tesouro da Arquitetura Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Metropol é uma imensa estrutura feita de madeira, com núcleo de concreto, que cobre todo o espaço da praça. Inaugurado em 2011, foi concebido pelo arquiteto alemão Jurgen Mayer como forma de reabilitação do lugar. Suas instalações incluem um mercado, estabelecimentos comerciais, locais para espetáculos e o Museu Aquarium, que exibe os restos arqueológicos encontrados durante as obras, de época romana. Também chamado de Setas de Sevilha (cogumelos), é considerada a maior estrutura de madeira de todo o mundo. Suas dimensões são de 150x70m, e 26m de altura. Sua forma proporciona uma grande sensação de movimento ondulatório.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2013, o Metropol foi escolhido, entre outros 335 projetos apresentados, como um dos 5 finalistas do prestigiado prêmio de arquitetura contemporânea Mies Van Der Rohe, criado em homenagem a um dos mais influentes arquitetos do séc. XX. Na parte superior da estrutura existe um grande mirante, com belas vistas do centro antigo de Sevilha. Lamentavelmente, se encontrava fechado e não pude caminhar por suas passarelas, algo que me possibilitaria uma outra perspectiva desta surpreendente construção. Sevilha possui uma grande quantidade de lindas igrejas, a maioria de importância histórica e artística. A Igreja de San Pedro, situada na praça homônima, é uma delas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi levantada sobre uma antiga mesquita em 1379, no estilo gótico-mudéjar. Durante os séculos XVI e XVII foi reformada. Entre 1613 e 1624, Diego de Quesada realizou a portada, decorada com uma escultura de São Pedro, obra de Martín Cardino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo corpo da torre podemos observar restos mudéjares, datados da época de sua fundação. A parte que acolhe o campanário foi construído no séc. XVI. Na Igreja de San Pedro foi batizado, em 6 de junho de 1599, o grande pintor sevilhano Diego Velázquez, como comprova uma placa comemorativa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O interior do templo possui diversas obras de interesse. O Retábulo Maior, por exemplo, está dedicado ao santo titular, executado pelos irmãos Felipe e Francisco Dionísio de Rivas, entre 1640 e 1662. Uma escultura de São Pedro preside o retábulo, realizado por Andrés de Ocampo. Cenas da vida do santo formam sua composição, que culmina no Calvário de Cristo. Em sua parte inferior, vemos uma imagem da Virgem da Assunção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma de suas capelas mais importantes é a do Sagrário, um dos poucos restos da primitiva igreja erguida no séc. XIV. Seu retábulo, feito de azulejos, está presidido pelo Jesús de la Salud, obra do séc. XVII realizada por Felipe de Rivas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras fotos do interior da Igreja de San Pedro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar a igreja, eu e minha esposa fomos à Casa de Pilatos, um dos principais objetivos de nossa viagem a Sevilha. Nossa grande expectativa foi amplamente superada, pois seguramente este palácio é um dos mais belos que conheci em toda a Espanha. Vocês terão a oportunidade de conhecê-lo detalhadamente, nas próximas matérias…