Edifício do Ministério da Agricultura – Madrid

Todas as pessoas que chegam a Madrid pela Estaçao Ferroviária de Atocha se deparam, ao sair da mesma, com uma magnífica e monumental construçao, o Edifício do Ministério da Agricultura, considerado um dos símbolos da Arquitetura Eclética da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Ecleticismo englobou construçoes de caráter diversos, tanto na arquitetura residencial,  nos templos religiosos, naqueles relacionados aos  estabelecimentos industriais e comerciais, e também nos edifícios governamentais, como no presente caso. Inicialmente, este edifício foi concebido para sediar o Ministério do Fomento, uma parte do Ministério do Comércio, Instruçao e Obras Públicas. Com a reforma ministerial realizada no princípio do séc. XX, o Ministério do Fomento foi suprimido e o edifício foi ocupado pelo Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentaçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto o projeto como a conduçao das obras foram realizados por Ricardo Velázquez Bosco, entre 1893 e 1897. Este fundamental arquiteto foi um dos responsáveis pela incorporaçao dos diferentes elementos decorativos n Arquitetura Eclética. Neste edifício, observamos várias características do estilo, como a combinaçao de variados componentes artísticos. Um de seus destaques é o corpo central da fachada, formado por 4 pares de colunas de ordem coríntio, que podemos ver nas fotos acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da fachada, vemos um excepcional conjunto escultórico feito em mármore denominado “Glória e os Pégasos“, executado em 1905 pelo escultor Agustin Querol (Tortosa-1860/Madrid-1909). O artista idealizou um conjunto composto por 3 partes: a Glória (vitória alada junto com as alegorias das ciências e artes) e os cavalos Pégasos acompanhados por figuras humanas representando a agricultura e a indústria (esquerda) e a filosofia e as letras (direita).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs danos sofridos durante a Guerra Civil e as inclemências metereológicas ao longo do séc. XX fez com que o conjunto se deteriorasse, sendo substituído em 1976 por uma réplica em bronze, feita por Juan de Ávila. Esta obra foi inspirada na Mitologia Clássica para simbolizar uma visao global do progresso, tanto em seu aspecto material quanto intelectual. O trabalho de ferro ornamental é outro dos destaques do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa imensa estrutura que rodeia toda a construçao podemos admirar este maravilhoso trabalho, prrincipalmente nos portoes, formado também por colunas de ordem coríntio e bustos da deusa Minerva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANao poderiam faltar, evidentemente, os elementos decorativos a base de cerâmica e azulejos, realizados por Daniel Zuloaga, que incluiu motivos alegóricos e mitológicos em sua concepçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs muros do edifício foram ornamentados por esculturas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a parte traseira do edifício, composta por duas guaritas que delimitam um dos portoes de acesso oficial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com outra imagem em que se observa a notável combinaçao artística deste belo monumento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Daniel Zuloaga

Um dos nomes mais importantes associados à Cerâmica Espanhola foi o pintor e ceramista Daniel Zuloaga (Madrid-1852/Segóvia-1921). Considerado um dos renovadores da arte em cerâmica no país, sua obra se estende por toda a geografia espanhola, e graças a sua participaçao em várias exposiçoes internacionais é possível encontrar trabalhos do artista em muitos países europeus. Um exemplo é o maravilhoso painel realizado para a Escola de Engenharia de Minas, situada em Madrid (para maiores informaçoes sobre este belíssimo edifício, ver a matéria publicada em 10/5/2013).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASeu trabalho caracterizou-se pela recuperaçao das antigas técnicas de elaboraçao da cerâmica. Foi um dos diretores da Real Fábrica de Moncloa, inaugurada com o objetivo inicial de produçao de objetos de cerâmica para a decoraçao das residências reais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPosteriormente, a fábrica dedicou-se à produçao de cerâmicas, azulejos e porcelanas destinadas à arquitetura de vários edifícios madrilenhos. Alguns dos exemplos mais conhecidos encontramos no Parque do Retiro de Madrid. Daniel Zuloaga realizou a decoraçao de dois dos monumentos referentes desta inigualável área verde da capital espanhola. Um deles é o Palácio Velázquez, construído como pavilhao para uma Exposiçao Internacional de Mineralogia no final do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO outro edifício, um dos mais belos construídos dentro da denominada Arquitetura de Ferro, é o Palácio de Cristal, criado originalmente como estufa para a Exposiçao de Botânica Hispano-Filipina, também organizada no final do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo caso do Palácio de Cristal, Zuloaga enriqueceu o por si só monumental conjunto com um grandioso trabalho artístico, combinando a estrutura de ferro e vidro com a decoraçao de cerâmicas e pinturas nos azulejos. Ambos edifícios foram projetados por Ricardo Velázquez Bosco, arquiteto com que manteve uma estreita colaboraçao. Se a participaçao do artista nas corrente eclética foi fundamental, o mesmo se pode dizer na implantaçao das tendências modernistas. De fato, o estilo modernista verificou-se inicialmente nas Artes Decorativas, e somente depois foi incorporado à arquitetura. Em Madrid, uma das primeiras formas do estilo encontramos no saguao de um edifício eclético, situado na Calle Barquillo, em pleno centro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1900, Zuloaga foi encarregado de realizar um conjunto de painéis inspirado na Arte Noveau que se tornaram pioneiros na Arte Decorativa Modernista de Madrid. O conjunto está formado por uma série de cabeças femininas de cor azul sobre um fundo dourado e foram colocados entre os capitéis das pilastras que conformam o espaço interior do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts conheceremos dois edifícios capitais do Ecleticismo Madrilenho. Nao percam….

O Palácio del Buen Retiro – Madrid

No post de hoje, conheceremos a história do Palácio del Buen Retiro, um complexo arquitetônico de enormes dimensoes, intimamente relacionado com o Parque do Retiro que atualmente contemplamos. O palácio foi construído pelo arquiteto Alonso Carbonel (1590/1660) como uma segunda residência e lugar de recreio do rei Felipe IV, que normalmente residia no antigo Alcázar, situado onde hoje vemos o Palácio Real de Madrid. Antes de sua construçao, Felipe IV tinha o costume de hospedar-se também nos aposentos anexos do denominado Convento de San Jeronimo, chamado de Quarto Real. Além do mais, aproveitava para passear pelos terrenos situados ao lado do convento, propriedade do seu válido (uma espécie de primeiro ministro, que realmente governava o país), o Conde Duque de Olivares. Com a intençao  de agradar ao monarca, Olivares inicia, a partir de 1630, uma série de gabinetes e pavilhoes que originaram o Palácio del Buen Retiro. Finalizado em 1640, contava com mais de 20 edifícios, que eram principalmente utilizados para a celebraçoes de festas, apresentaçoes teatrais, e inclusive recriaçoes de batalhas navais no lago do Retiro. Além do complexo arquitetônico, estava formado por inúmeros jardins e lagos, dado o caráter lúdico do local. Abaixo, vemos os retratos do rei Felipe IV e outro equestre do Conde Duque de Olivares, pintados pelo pintor real do monarca, Diego Velázquez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO nível artístico empregado no palácio rivalizava com a residência habitual do rei, o Alcázar. Grande parte das coleçoes adquiridas por Felipe IV  que hoje decoram as paredes do Museu do Prado, embelezavam em sua origem o Palácio del Buen Retiro. O palácio foi praticamente destruído durante a Guerra da Independência, quando as tropas de Napoleao utilizaram o lugar como quartel de artilharia. Finalizada a guerra, a rainha Isabel II tentou acometer sua restauraçao, mas o grau de ruinas era tal que decidiu-se por sua quase total demoliçao. Na foto a seguir, vemos uma imagem antiga do Palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do próprio Parque do Retiro, sao remanescentes do antigo palácio duas construçoes, atualmente situadas fora dos limites do parque (hoje em dia, o parque possui somente a metade de sua extensao original). O Casón del Buen Retiro é uma delas. Antigo Salao de Bailes do palácio, transformou-se numa dependência pertencente ao Museu do Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém projetado por Alonso Carbonel, seu aspecto neoclássico atual se deve às reformas realizadas pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco no final do séc. XIX. A partir dos anos 70 do séc. XX, albergou a coleçao do Prado relativa ao séc. XIX, funçao que exerceu até 2009.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a ampliaçao do Museu do Prado realizada por Rafael Moneo, o Casón del Buen Retiro foi reformado e adaptado como Centro de Estudos do museu. Abaixo, vemos a parte detrás do Casón.

DSC08622Um detalhe escultórico dos capitéis que decoram as colunas.

DSC08624 Outro edifício sobrevivente do Palácio del Buen Retiro é o denominado Salao de Reinos, a estância principal para as recepçoes e celebraçoes do monarca. O salao possuía  as melhores obras de arte do acervo real e seu nome se deve aos 24 escudos dos reinos que constituiam a Monarquia Espanhola na época de Felipe IV.

DSC08628Inicialmente, foi concebido como palco, onde os reis pudessem assistir os espetáculos e obras teatrais que se realizavam. Depois, foi agregado o caráter cerimonial, como Salao de Trono do rei. Com esta nova funçao, cumpria a missao de impressionar as embaixadas e demais membros das cortes européias. Por isso, sua decoraçao era a mais suntuosa de todo o palácio.

DSC08634DSC08636Depois que deixou de ser parte integrante do palácio, foi a sede do Museu do Exército, até que em 2010 foi trasladado ao Alcázar de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido às constantes reformas realizadas após a Guerra da Independência, o Salao dos Reinos apresenta um aspecto bastante alterado. No entanto, estas duas edificaçoes nos dao uma idéia da magnificência e grandiosidade deste palácio que chegou a ser a “inveja da Europa”, e base do local que hoje conhecemos como o Parque do Retiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Salao de Reinos encontra-se novamente em reformas, e sua nova funçao ainda é um mistério….

Arquitetura Eclética em Guadalajara

A Arquitetura Eclética, também denominda de Ecleticismo, desenvolveu-se no final do séc. XIX e princípios do XX, inspirando-se nos modelos artísticos que o precederam, como o Barroco, o Gótico, o Românico, etc. Adota, pois, um caráter histórico, reinterpretando estas influências sob uma novo paradigma, e apoiando-se na utilizaçao de novos materiais construtivos, possíveis graças à Revoluçao Industrial. Na cidade de Guadalajara, existe um conjunto de edificaçoes de uma importância fundamental na compreensao desta nova linguagem arquitetônica. Este fato tornou-se possível graças à participaçao de dois personagens decisivos na vida social e artística da Espanha deste período. O primeiro foi Maria Diega Desmaissières y Sevillano (Madrid-1852/ Bordeaux-1916), conhecida pelo seus títulos nobiliários, a Condesa de la Vega del Pozo e Duquesa de Sevillano. Herdeira de uma das maiores fortunas do país, a Condesa realizou um extenso programa de construçoes e, para tanto, encarregou a execuçao das obras ao maior arquiteto eclético da história do país, Ricardo Velázquez Bosco (1843/1923). Inicialmente, o arquiteto realizou as reformas de um antigo palácio do séc. XVI para que se tornasse a residência da condesa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Em 1887, Velázquez Bosco combinou seu peculiar estilo historicista e aristocrático na reforma do palácio, anexando uma capela dedicada à Sao Sebastiao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio conserva, ainda hoje, o pátio do antigo edifício renascentista do séc. XVI,  atualmente transformado em colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Condesa de la Vega del Pozo dedicou-se a inúmeras obras assistenciais de ajuda aos mais necessitados. Por este motivo, foi nomeada filha adotiva de Guadalajara. Seu projeto mais ambicioso foi a construçao de um  enorme complexo assistencial,  encarregado a Ricardo Velázquez Bosco, que incluiu um centro educacional, asilo e uma igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha recente visita à cidade, tive  o privilégio de conhecer as dependências do colégio, que me contagiaram, tanto pela beleza da construçao, quanto pela amabilidade dos funcionários do mesmo. Abaixo, vemos algumas fotos do interior do colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo a este belíssimo conjunto arquitetônico e assistencial, encontra-se um dos monumentos mais emblemáticos de Guadalajara, o Panteao de la Condesa de la Vega, também projetado por Velázquez Bosco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua chamativa cúpula de cerâmica vidriada vermelha dota o edifício de uma caráter bizantino, que se pode apreciar à distância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, o exterior caracteriza-se pela influência da arquitetura românica, uma das fontes do ecleticismo do séc. XIX, razao pela qual passou a denominar-se de neorromânico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do panteao possui um formato de cruz grega, e uma maravilhosa decoraçao repleta de influências bizantinas, como o grande mosaico da cúpula. Infelizmente, as fotos nao estao permitidas, uma pena…

Conventos de Guadalajara

Um dos elementos mais característicos da paisagem urbana de Guadalajara sao os conventos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo post de hoje, conheceremos dois deles. O Convento de San José data de 1625, e está habitado por monjas de clausura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído pelo Frade Alberto de la Madre de Dios, e sua fachada caracteriza -se pela sobriedade decorativa, própria da Ordem das Carmelitas Descalças, a qual pertence.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando cheguei para visitar o convento, encontrava-se fechado, mas uma simpática e atenciosa freira me possibilitou o acesso à igreja, repleta de elementos barrocos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Retábulo Maior do Convento de San José.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Convento da Piedade está formado pela igreja e pelo Palácio de Antonio de Mendoza a ele adossado, além de um belo jardim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio foi construído aproximadamente em 1510. Anos depois, Brenda de Mendoza estabeleceu uma comunidade de franciscanos, sob a advocaçao de N.Sra da Piedade. A igreja foi levantada a partir de 1525, segundo o projeto do renomado arquiteto Alonso de Covarrubias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada é um exemplo do chamado Estilo Plateresco, cuja característica principal é a abundante decoraçao. Abaixo, vemos o detalhe do tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, a igreja estava fechada e nao pude conhecer seu interior. No entanto, o palácio estava aberto e pude apreciar uma das melhores mostras da arquitetura renascentista do período inicial realizadas em Espanha. A fachada foi concebida como um Arco Triunfal, com motivos ornamentais de caráter militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio está formado por um maravilhoso pátio renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO pátio está composto por dois níveis de galerias, suportadas por imponentes colunas. Abaixo, vemos a magistral escada de acesso ao nível superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua antiguidade, o palácio foi restaurado pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco entre 1902 e 1906, com um grande critério arquitetônico, algo que infelizmente nao sucede sempre…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Escola de Engenharia de Minas – Madrid

Como complemento a visita ao Museu Geomineiro, podemos conhecer a Escola Superior de Engenharia de Minas, situada bem ao lado do museu, um centro docente pertencente à Universidade Politécnica de Madrid, e que oferece cursos de graduaçao e pos-graduaçao, na área de Engenharia de Minas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta carreira acadêmica foi instaurada na Espanha em 1777, durante o reinado de Carlos III, com a criaçao da Escola de Minas, entao situada em Almadén, Província de Ciudad Real. Em 1835, a escola foi levada à Madrid, e em 1893, adquiriu uma sede própria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi projetado por Ricardo Velázquez Bosco, um arquiteto dotado de um estilo muito pessoal. Entre outras obras, foi o responsável pelos Palácios de Velázquez e de Cristal, ambos localizados no Parque do Retiro. Profissionalmente, sempre contou com o auxílio de grandes artistas, como ceramistas, escultores, pintores, que lhe ajudaram  no caráter singular de suas construçoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais carcterísticas de suas realizaçoes é o emprego das chamadas Artes Decorativas, tanto no exterior, quanto no interior dos edifícios. Os materiais utilizados, como ferro, madeira, pedra e vidro sao combinados harmonicamente, oferecendo uma bela imagem do conjunto. No exterior da Escola de Minas, por ex., destacam os murais das fachadas laterais, com cenas alegóricas dedicadas à mineralogia, metalurgia e paleontollogia, realizadas por Daniel Zuloaga e Alfonso Romero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs quatro torres, situadas em cada esquina da construçao, foram colocadas no início do séc. XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPouco depois, em 1916, foi instalado um belo portao de ferro forjado, que delimita toda a área da instituiçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está organizado ao redor de um pátio central, composto por dois níveis, e coberto por um teto de vidro e estrutura metálica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns detalhes decorativos que adornam o pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício acolhe uma biblioteca histórica, um Museu de Mineralogia e Fósseis, bem como uma exposiçao dedicada aos campos de atuaçao da instituiçao. Entre as peças expostas, destaca uma maquete de uma plataforma petrolífera da Repsol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício, característico da arquitetura de princípio do séc. XX, e um referência na obra do destacado arquiteto, foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1985.