P.N. Hoces del Río Duratón

Finalizando nossa viagem pela Província de Segóvia na Semana Santa, fomos conhecer um lugar de natureza excepcional, o Parque Natural Hoces del Río Duratón, situado próximo à cidade de Sepúlveda (post publicado em 18/5/2012), no norte da província.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Duratón discorre sobre um canyon formado pela ação erosiva do rio na rocha calcária, que em alguns locais alcança os 100m de desnível, num traçado sinuoso de cerca de 27 km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO acesso ao parque é um pouco complicado, mas vale a pena enfrentar os 5 km de uma estrada de areia para poder contemplar este belíssimo lugar. As águas do rio abriram uma garganta facilmente erosionável no curso médio do Duratón, formando uma sinuosidade em seu curso denominada meandros, que em terras castelhanas recebe a denominação de Hoces.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Duratón nasce na fronteira entre a Província de Segóvia e a Comunidade de Madrid, em plena Serra de Guadarrama. Sua origem serrana lhe proporciona um grande aumento no volume de água nos meses de março a junho, devido ao degelo, e uma acusada estiagem nos meses de calor. Se prolonga cerca de 106 km até desembocar no Rio Duero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parque Natural possui 5 mil hectares de superfície e foi declarado reserva em 1989, além de ostentar o título de Zona Especial de Proteção para as Aves (ZEPA). De fato, apresenta uma grande riqueza faunística, especialmente relacionada às aves de rapina, que constroem seus ninhos no alto dos penhascos. O parque possui uma considerável população de Águias Reais, Falcões Peregrinos e Buitres Leonados. No que se refere aos mamíferos, podemos encontrar morcegos, lebres, coelhos, raposas e lontras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANessa região, os invernos longos e muito frios fazem com que as temperaturas possam baixar dos 10 graus negativos com relativa frequência. As atividades que podem ser realizadas no parque incluem o senderismo e a canoagem, existindo várias agências que realizam excursões pelo curso do rio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de sua beleza, dentro dos limites do parque situa-se o Monastério de San Frutos, que será o tema do próximo post e que vemos na imagem acima, na beira do precipício.

Peñafiel – Província de Valladolid

Uma das melhores formas de conhecer a Espanha é, evidentemente, visitando suas grandes cidades monumentais, como também os inúmeros pueblos, pequenos povoados tão abundantes por toda a geografia espanhola. Alguns deles, apesar de seu reduzido tamanho, possuem um rico patrimônio. Este é o caso da histórica Vila de Peñafiel, situada na Província de Valladolid (Comunidade de Castilla y León). Este formoso pueblo possui atualmente cerca de 5.500 habitantes, e merece a pena viajar cerca de 2h30min para conhecê-lo, desde Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua história se remonta ao período da reconquista crista, quando se formou um núcleo urbano aos pés do cerro situado em frente à cidade, e dominado por seu impressionante castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPeñafiel foi reconquistada para os Reinos Cristãos em 1013, pelo conde castelhano Sancho García. Se conserva ainda hoje a frase pronunciada pelo conde, que se transformou no lema da vila: “Esta será a Peña mais fiel de Castilla” (a palavra peña é sinônimo de rocha). Em 1294, o rei Alfonso X “El sábio”, concedeu o foro à vila e seu senhorio ao seu sobrinho, o Infante Don Juan Manuel (1282/1348), também nomeado de Duque de Villena. Sua importância na época medieval se comprova pela grande quantidade de templos religiosos que possuía: 18 igrejas, 3 conventos e 6 ermitas. Atualmente, o principal templo sobrevivente desta época é a Igreja do Convento de San Pablo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste Convento Dominicano foi fundado pelo Infante D. Juan Manuel como local para seu sepultamento em 1324. O templo foi edificado sobre o antigo Alcázar, construído por seu tio, o rei Alfonso X. Como destaque, o ábside gótico-mudéjar pertence à época de sua construção, e realmente é uma beleza. Possui um formato poligonal, composto por arcos de ferradura lobulados feitos de tijolo e a base construtiva de pedra, além de janelas colocadas entre os contrafortes. A igreja foi declarada Bem de Interesse Cultural e infelizmente não pude ver o sepulcro do infante, que permanece no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, Peñafiel é uma pacata vila, com belos cenários para praticar a fotografia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm de seus maiores encantos é a Plaza del Coso, cuja existência está documentada desde a Idade Média. Atualmente, se atribui a esta praça como “uma das primeiras Praças Maiores da Espanha“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza del Coso não acolhe nenhuma igreja, nem mesmo a Casa Consistorial, como é habitual em grande parte das Praças Maiores do país. Outra característica que a torna singular são as 48 casas de madeira que a rodeiam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes edifícios de madeira foram construídos entre os séc. XVIII e XIX, e foram decorados com motivos arabescos. Sua curiosa decoração denomina-se Guardamalleta. A Plaza del Coso possui um formato retangular, com apenas dois acessos, e foi construída unicamente para se presenciar espetáculos, especialmente os taurinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAinda hoje ela é utilizada como Praça de Touros, principalmente nas festas da cidade, como a dedicada a Nossa Senhora e San Roque, celebrada entre 14 e 18 de agosto. Do centro da praça, apreciamos uma magnífica vista do Castelo de Peñafiel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa região onde se localiza a vila, são inúmeras as Bodegas de Vinho que se podem visitar, pois nos encontramos em plena Ribeira do Rio Duero (em Portugal, Douro), onde são fabricados um dos melhores vinhos do país. Na própria cidade encontra-se a famosa Bodega Protos, cujo edifício foi construído pelo arquiteto Richard Rogers. Seus desenhos de alta tecnologia lhe deram grande reputação. Ganhador do Prêmio Pritzker em 2007, foi o autor, junto com Renzo Piano, do Centro Georges Pompidou de Paris (1971).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém das bodegas clássicas, se podem visitar também bodegas subterrâneas

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa gastronomia, o prato clássico de Peñafiel é o Cordeiro, assado em fornos à lenha. Acompanhado, é claro, por um bom vinho da Denominação de Origem Ribera del Duero.

Ciudad Rodrigo – Província de Salamanca

Há algum tempo atrás vi uma foto aérea de uma cidade toda cercada por uma fortificaçao, que me chamou muito a atençao. Este foi meu primeiro contato com o município de Ciudad Rodrigo. Desde entao, alimentei o desejo de conhecer a cidade, e pude satisfazer este sonho no final do ano passado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade tem o tamanho perfeito para ser explorada a pé, e durante 3 dias conheci suas praças, monumentos e sua formosa catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACiudad Rodrigo está localizada na Comunidade de Castilla y León, precisamente na Província de Salamanca. Apenas 20 km separam a cidade da fronteira portuguesa, fato que marcou de forma decisiva sua história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO município é considerado o mais extenso de toda província, e o Rio Águeda, um afluente do Duero (Douro, em Portugal), corta a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde suas margens, pude observar um pequeno bairro industrial bastante nteressante, principalmente porque as torres de iluminaçao se encontram no telhado das casas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo atravessar a ponte que cruza o rio, conheci a um garoto que jogava bola solitário, e mostrou-se hiper contente ao posar para a foto, depois de um agradável papo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACiudad Rodrigo é uma maravilha de cidade, apesar de que muitos espanhóis ainda nao a conhecem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara descansar do passeio, nada melhor que relaxar as pernas no parque principal da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA“Vendo a vida passar”, percebi como as luzes do entardecer iluminavam a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÀ medida que o sol se punha, as cores adquiriram uma tonalidade violeta, algo realmente indescritível.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo se fosse um arco irís que paulatinamente mostrava seu leque cromático, o violeta deu lugar, num primeiro momento, a um céu entre o alaranjado e o vermelho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstava contemplando, sem exagero, um dos pôr do sol mais belos que havia visto na vida. Um presente da natureza, que me dava as boas vindas à Ciudad Rodrigo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Românico em Brihuega

Em Brihuega se conservam ainda hoje excelentes exemplares de Igrejas Românicas, entre as quais destacamos a de San Miguel, San Felipe e de Santa Maria. Todas elas foram construídas no séc. XIII, durante o período em que a vila se tornou possessao do Arcebispo de Toledo D. Rodrigo Ximénez de Rada. O conjunto arquitetônico românico de Brihuega é um produto do contexto histórico resultante do processo de reconquista e a posterior colonizaçao do território. Quando os cristaos conseguiram dominar a bacia do Rio Duero, as terras da Província de Guadalajara continuaram, entretanto, a sofrer períodos de inestabilidade, consequência de sua posiçao limítrofe com os Reinos Árabes. Com a pacificaçao da regiao, ocorreu um aumento demográfico que se traduz na construçao de inúmeras igrejas dentro do estilo próprio daquela época, o Românico. Todas as igrejas de Brihuega se classificam no período final do estilo, também chamado Românico Tardio, e sua fábrica está inspirada nos modelos da arquitetura cistercense. Este período é conhecido também como Românico de Transiçao, pois já se observam elementos que anunciam o Estilo Gótico. O primeiro templo que vamos conhecer é a Igreja de San Miguel.

DSC08225Nesta construçao aparecem elementos oriundos do Mudéjar Toledano, como podemos apreciar no ábside poligonal, feito de tijolo (ladrillo, em espanhol), e nos  contrafortes.

DSC08224A Igreja de San Miguel sofreu um incêndio entre os séc. XVI e XVII, e perdeu praticamente todas as obras de arte que possuía. Abaixo, vemos a fachada principal e a portada.

DSC08226Depois de finalizada a Guerra Civil Espanhola, a igreja ficou praticamente abandonada e, finalmente, seu teto e as naves derrubaram-se. Em 1979, foi restaurada pela Associaçao Amigos de Brihuega, e atualmente é utilizada para eventos culturais. Abaixo, vemos uma imagem da parte lateral da igreja, com uma porta mais simples que a da fachada.

DSC08228A Igreja de San Felipe é justamente considerada uma das mais belas de Brihuega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua lindíssima fachada apresenta um conjunto de 3 rosetones admiráveis, e uma bela portada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACuriosamente, a torre de planta octogonal nao está unida ao templo, pois foi edificada aproveitando-se uma das torres da muralha da cidade, e posteriormente levantou-se o nível superior para os sinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na fachada, podemos apreciar curiosos e enigmáticos capitéis figurados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da Igreja de San Felipe está composto por 3 naves, algo habitual no Românico, separadas entre si por 5 arcos sustentados por colunas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o ábside semicircular, cuja aparente simplicidade construtiva revela sua própria beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1904, uma vela produziu um incêndio que se propagou pelo teto de madeira. O criterioso processo de restauraçao realizado devolveu, felizmente, o aspecto original que a igreja tinha quando foi construída. A seguir, vemos uma Pia Batismal, que no Românico foi decorada com maravilhosos relevos, com inúmeros exemplos por todo o território espanhol. A que vemos, no entanto, apresenta uma decoraçao mais austera e simples.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria veremos num post à parte, quando conheceremos o encantador local onde se localiza, o Prado de Santa Maria. Até lá…

Peñaranda del Duero – Prov. Burgos

Peñaranda del Duero é um destes pueblos que fazem parte de nosso imaginário popular. Situado a apenas 18km de Aranda del Duero, é considerado, com razão, um dos povoados mais bonitos da Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto Peñaranda, quanto Aranda del Duero, foram repovoadas simultaneamente a começos do séc. X. A chamada fronteira do Rio Duero representava a delimitação dos territórios cristãos e árabes durante a Idade Média. A vila aparece por primeira vez mencionada em torno ao ano 1000 dC, por sua condição de praça defensiva. De fato, conservam-se duas das três portas que integravam a antiga muralha, construída já no séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa época do reinado de Alfonso XI, a vila tornou-se vinculada à família Avellaneda, que ostentava o título de Condes de Miranda, contribuindo notavelmente para o enriquecimento do local, mediante a construção de seus principais monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Maior, epicentro da vida social do pueblo, é uma das mais belas da comunidade castelhana e de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela, se concentram os monumentos mais relevantes de Peñaranda, entre os quais o Palácio de Avellaneda. Foi construído em 1530, no estilo renascentista, por encargo de D.Francisco de Zúñiga Avellaneda y Velasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada do palácio, vemos o escudo da família Avellaneda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo passar pela entrada, vemos um elegante pátio, composto por dois níveis de galerias, belamente decorados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi catalogado, em 1931, como Bem de Interesse Cultural. Em frente a ele, do outro lado da praça, situa-se a ex Colegiata de Santa Ana, o principal templo religioso da localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi financiada pela viúva de Francisco de Zúñiga e seu filho, e seu traçado é atribuído ao arquiteto Rodrigo Gil de Hontáñon. Iniciada em 1540, foi reformada no séc. XVIII com a edificação de uma portada barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe frente para a igreja, observamos uma pequena coluna de pedra. Trata-se do denominado “Rollo de Justiça”, uma estrutura em forma de coluna, coroada, geralmente, por uma cruz ou uma bola. Representa a categoria administrativa do local, levantando-se nas vilas que possuem plena jurisdição, indicando a que tipo de regime estava submetida, seja real, senhorial ou eclesiástico. Servia, também, para delimitar o território, e como lugar de castigos para os crimes comuns, cujos condenados eram açoitados e expostos ao escárnio público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, abundam no povoado, exemplos de casas construídas segundo os ditames da arquitetura tradicional da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo não poderia faltar, no alto do pueblo se eleva, imponente, o Castelo de Peñaranda, matéria do próximo post…

Vinho Ribera del Duero

Os Vinhos da Denominação de Origem (D.O.) Ribera del Duero estão entre os mais prestigiados do país. Seus vinhedos localizam-se na Comunidade de Castilla y León, dentro de uma faixa que recorre a Bacia do Rio Duero, de cerca de 115km de extensão por 35km de largura, englobando municípios das Províncias de Sória, Burgos, Segóvia e Valladolid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFundamentalmente, são Vinhos Tintos, embora existam também os Rosados. A variedade da uva mais característica é a denominada Tempranillo, que constitui quase a totalidade da produção (90%).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa época romana, os vinhos da Ribera eram utilizados para abastecer os exércitos e, ao longo dos séculos, converteu-se num elemento fundamental no desenvolvimento econômico e cultural da zona. A Denominação de Origem foi constituída definitivamente em 1982, graças ao trabalho de vinicultores estabelecidos na região. Em Aranda del Duero, por ex., destaca a figura de D.Pablo Peñalba López, antigo proprietário da Finca Torremilanos que, além de bodega, acolhe também um confortável hotel. Sua idéia, e a de seus familiares que seguem com o projeto, foi construir algo similar a um Chateau Francês, com a bodega situada dentro do hotel, rodeada por mais de 200 hectares de vinhedos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO local, situado a pouca distância de Aranda del Duero, é uma excelente opção de alojamento para os interessados em conhecer a região e praticar o Turismo Enólogo. A propriedade possui uma tradição vinícola que remonta à 1903, e elabora sua própria uva. Os jardins existentes no estabelecimento estão muito bem cuidados, colaborando para embelezar a paisagem circundante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASuas dependências oferecem comodidade ao visitante, e a decoração é de muito bom gosto, realizada dentro de uma perspectiva histórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem cerca de 200 bodegas relacionadas à denominação de origem, e muitas delas podem ser visitadas. Em Aranda del Duero, um passeio imperdível é conhecer as bodegas medievais situadas no subsolo da cidade. Com uma profundidade média entre os 9 e 12m, formam uma das principais atrações turísticas do município.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruídas entre os séculos XII e XVIII para o armazenamento e conservação dos vinhos elaborados desde a Idade Média, o conjunto de bodegas formam 7km de galerias subterrâneas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs condições de temperatura e umidade constantes, possíveis graças a uma rede de ventilação do ar procedente do ambiente exterior, são ideais para a conservação dos vinhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto de bodegas medievais de Aranda representam um dos mais bem conservados de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas delas realizam visitas guiadas, como a histórica Bodega de D.Carlos, fundada no final do séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da visita, a bodega promove interessantes e elucidativos cursos de iniciação ao mundo vinícola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA importância que o vinho teve ao longo da história da cidade se pode comprovar pela própria padroeira local, a Virgem de las Viñas, cujas festas realizadas em setembro atraem a muitos turistas.

Segundo o Conselho Regulador da D.O. Ribera del Duero, as colheitas de 2009, 2010 e 2011 foram consideradas excelentes.

Aranda del Duero – Castilla y León

A cidade de Aranda del Duero é uma das mais importantes da Província de Burgos (Comunidade de Castilla y León). Além de capital da Comarca da Ribera del Duero, é considerado o terceiro município em população de todos aqueles que não são capital de província da comunidade (aprox. 35 mil habitantes).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade foi fundada depois da retomada crista no séc. X e criada como um núcleo de repovoamento. Historicamente, ficou conhecida por ter celebrado, em 1473, o Concilio de Aranda (organizado para combater a ignorância e a vida dissoluta de alguns clérigos), que contou com a presença da futura rainha de Castilla, a Princesa Isabel I. Uma placa confirma o período em que a princesa viveu na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto importante relacionado à Aranda del Duero foi o plano da cidade realizado  em 1503, considerado o mapa urbano mais antigo do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo plano turístico, é especialmente conhecida por ser produtora dos vinhos de Denominaçao de Origem Ribera del Duero, um dos melhores do país. A gastronomia tornou-se famosa graças aos Assadores de Cordeiro tipo “Lechazo”, que atraem  muitos turistas à cidade nos finais de semana. Abaixo, vemos a porta de entrada ao centro antigo, e a Casa Consistorial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da Casa Consistorial, abre-se a Praça Maior da localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Idade Média, Aranda del  Duero era considerada uma vila realengo, isto é, prestava contas diretamente ao rei, conseguindo, desta forma, inúmeros privilégios. O legado arquitetônico e monumental corresponde, principalmente, aos séc. XV/XVI, época de maior esplendor da cidade. Abaixo, vemos o Palácio de los Berdugo, edifício renascentista construído no séc. XV, e que hospedou a Napoleão Bonaparte, em 1808.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA arquitetura civil está representada por casas populares e outras senhoriais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Duero corta a cidade, e várias são as pontes que o atravessam, bem como seus estilos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA mais emblemática, porém, é a ponte medieval que se conserva majestosa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, seus monumentos mais importantes são a Belíssima Igreja de Santa Maria e a rede de bodegas medievais, situadas no subsolo da cidade. Ambos monumentos serão o tema dos próximos posts…