Museu de Artes e Tradições Populares – Parte 2

Está em vigor uma interessante exposição no Museu de Artes e Tradições Populares de Madrid, que nos permite conhecer um pouco das inúmeras manifestações culturais do povo espanhol. Fotos, peças e objetos diversos que retratam as costumes e tradições de sua gente, além das festividades habituais que se celebram durante o calendário anual. Uma das mais curiosas acontece em Aragón, na Província de Teruel, onde vários povoados da denominada Comarca de Bajo Aragón celebram a semana santa com milhares de tambores, um espetáculo magnífico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição de tocar o tambor e o bombo parece que se originou na Idade Média, com a chegada das Ordens Militares, que trouxeram os instrumentos de percussão. Cada pueblo possui sua forma característica de tocar os instrumentos, bem como sua vestimenta própria. Existe inclusive um itinerário turístico chamado Rota do Tambor, onde podemos conhecer vários pueblos da comarca. Em um deles, Calanda, nasceu o cineasta Luis Buñuel, que sempre recordava esta genuína tradição de sua cidade. A Festa do Tambor foi qualificada de Interesse Turístico Internacional por sua importância e singularidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra festa de grande devoção popular envolve o santo padroeiro de Madrid e também dos agricultores, San Isidro Labrador. Realizada no dia 15 de maio, milhares de pessoas se reúnem na Ermita de San Isidro em Madrid para beber da milagrosa água associada ao santo e comer doces típicos. Durante uma semana, são promovidas na cidade uma grande quantidade de atividades de todos os tipos, exposições, concertos, touradas, etc. San Isidro viveu no séc. XII, mas foi canonizado somente em 1622 pelo Papa Gregório XV, durante a inauguração da Praça Maior de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Córdoba, se realiza a Festa dos Muchileros, em honra ao nascimento do Menino Jesus, no dia 24 de dezembro. Os meninos dos povoados da região se vestem de muchileros e saem cantando pelas ruas, enquanto as meninas elaboram doces, que depois são saboreados pelos demais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo povoado de Useras ocorre, também na semana santa, uma peregrinação que remonta ao período em que viveu San Vicente Ferrer, quando a Peste Negra vitimou a milhões de pessoas. Muitos começaram a seguir as predicações do santo, fazendo promessas e peregrinações penitenciais. Além do mais, eram obrigados ao voto de silêncio e a deixar a barba crescer durante um mês…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa presente exposição, foram exposto diversos objetos relacionados ao modo de vida tradicional e aos costumes populares de diversas regiões da Espanha, como uma singela parteira de cerâmica, proveniente do povoado de Triana, situado na Província de Sevilha. Este objeto remonta à época em que muitas mulheres davam a luz em casa, algo que ainda sucede em muitas partes do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos simples exemplares de berços de madeira, utilizados antigamente no País Vasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas peças estão relacionadas ao casamento, como esta Jarra, característica do povoado de Guadíx, na Província de Granada. Profusamente decorada, esta jarra feita de argila cozida possui um grande valor simbólico, como um presente oferecido a noiva, e onde os convidados depositam dinheiro ao casal. Por isso, este objeto chamado de Jarra Accitana é também conhecido como Jarra da Noiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas cerimônias fúnebres do País Vasco, existe uma tradição de manter aceso um objeto chamado Argizaiola, em memória ao defunto. A cera é enrolada num objeto de madeira e permanece acesa durante as celebrações.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas peças estão vinculadas ao trabalho no campo, que são elaboradas com esmero, como as que vemos a seguir. Estes objetos são representativos da Arte Pastoril, e são fabricados pelos pastores durante o tempo em que o gado pasta pelos campos. Depois são oferecidos como presentes a noiva ou esposa, que esperam seu regresso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Carlancas são curiosos utensílios utilizados como proteção dos cachorros que vigilam os rebanhos de ovelhas. Feitos de ferro ou coro, são colocados no pescoço do animal para protegê-los de possíveis ataques de lobos. Este hábito remonta a Idade Média…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInstrumentos típicos também podem ser admirados na exposição, como o Chicotén, presente na zona dos Pirineus. Da família dos Cordófonos, é fabricado em madeira de nogal e suas cordas são feitas com tripas de boi. Consta de uma caixa de ressonância e 6 cordas, e normalmente é acompanhado da flauta, sendo que ambos instrumentos são tocados simultaneamente pela mesma pessoa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFica aqui o convite para que todas as pessoas que venham a Madrid conhecer este desconhecido centro cultural, um complemento excelente durante uma visita ao Rastro.

Pueblos de Aragón – Parte 4

Hoje prosseguiremos com a série de posts dedicados aos pueblos da Comunidade Aragonesa. O primeiro deles é Alcaniz, capital da comarca de Bajo Aragón, situada na Província de Teruel. Seu grande destaque é o castelo, que foi cedido no ano de 1179 à Ordem de Calatrava, a primeira ordem militar do país, pelo rei Alfonso II.

Alcaniz1Parte de sua estrutura foi transformada na rede hoteleira dos Paradores Nacionais, e um de seus encantos é a decoração pictórica de época gótica que ainda se conserva.

Alcaniz3Alcaniz4Alcaniz2

Próximo à Alcaniz, a cidade de Calanda é o berço de um dos grandes cineastas do séc. XX: Luis Buñuel. Além disso, faz parte da chamada Rota do Tambor e do Bombo, atração popular realizada na semana santa, que congrega a centenas de tocadores destes instrumentos, produzindo algo similar ao carnaval brasileiro.

Existem outros pueblos que também se tornaram conhecidos por terem sido a cidade natal de personagens ilustres da história. Tal é o caso de Fuendetodos, localizado na Província de Zaragoza. Nele, nasceu em 1746, um dos aragoneses mais conhecidos internacionalmente, e um gênio da arte universal: Francisco de Goya y Lucientes.

Fuedentodos3Fuedentodos4

Sua casa foi convertida em museu e declarada Monumento Histórico-Artístico em 1982. Construída a princípios do séc. XVIII, a casa recria os ambientes de uma típica residência da época. Por todos os lados, existe uma referência ao genial pintor. A escassos metros da casa, localiza-se o Museu dos Gravados. Inaugurado em 1989, exibe a obra gráfica do artista e sua técnica de execução.

Fuedentodos1Fuedentodos2Fuendetodos está situada na comarca de Belchite, cuja capital, situada a 19 km de distância, tornou-se conhecida por motivos menos nobres. A denominada Belchite velha foi destruída em 1937 durante a Guerra Civil Espanhola, e suas ruínas ainda recordam os horrores da contenda. Arrasada, a população abandonou a cidade, e a nova Belchite foi reconstruída a 500m das ruínas.

Belchite1Belchite2Utebo, também um pueblo da Província de Zaragoza, é conhecida por possuir uma das torres de estilo mudéjar mais belas de toda a comunidade. Ela é parte integrante da Igreja de N.Sra da Asunçao, construída em duas fases: a primeira, do séc. XVI, em que foi levantada a torre gótica-mudéjar e a segunda, do séc. XVIII, que incorporou elementos barrocos.

Utebo2Utebo1A torre foi apelidada de Torre dos Espelhos, devido à decoração de cerâmica e os mais de 8000 azulejos que a compõem. Sua beleza fez com que fosse o monumento escolhido para representar a comunidade no interessante Pueblo Espanhol de Barcelona, em que foram realizadas réplicas de monumentos que simbolizam cada comunidade do país.

DSC01005