Igreja de Santa María del Azogue – Parte 2

A Igreja de Santa María del Azogue constitui o principal monumento de Benavente. Está dedicada à Virgem Maria, e o termo “Azogue” é originário do árabe, relacionando-se com o mercado que se realizava nas proximidades durante a Idade Média. Como comentamos no post anterior, sua construção foi iniciada no estilo românico no século XII, mas as obras foram interrompidas durante um bom tempo e seu interior mostra características pertencentes ao gótico, como a bôveda de crucería que se eleva ao longo de sua nave central, construída no século XVI. Sua construção foi patrocinada pelos Condes de Benavente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo podemos observar na foto acima, a igreja possui dois belos órgãos, situados um em frente do outro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto de sua nave central

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Uma imagem do Retábulo Maior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja conserva outros retábulos do período barroco, como este que vemos na continuação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas esculturas decoram o templo, como esta que vemos na foto abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo período românico, vemos a porta de entrada à sacristia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço dedicado à sacristia estava reservado a uma antiga capela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, não obtive muitas informações a respeito de muitas das obras que vemos no interior do templo. Abaixo, a Pia Batismal

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns restos de pinturas murais sobreviveram à passagem dos séculos, como a dedicada a São Cristóvão, realizada no período gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Catedral de Burgos – Parte 3

Na segunda metade do séc. XV, chegaram a Burgos uma grande quantidade de artistas procedentes do norte da Europa, especialmente de Flandes, Alemanha e França. Muitos deles colaboraram com sua genialidade para a beleza da Catedral de Burgos, ao construírem muitas de suas partes mais famosas. Um desses artistas foi Simon de Colonia (falecido em 1511), filho de Juan de Colonia (falecido em 1481), que também deixou um legado importante na construção da catedral. Simon de Colonia foi o responsável pela maravilhosa Capela do Condestable, denominada também da Purificação. Abaixo, vemos seu aspecto exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela funerária foi finalizada por Simon de Colonia em 1494, a ele encarregada  por D.Pedro Fernández de Velasco (1425/1492), que possuía os títulos nobiliários de Conde de Haro, Senhor de Burgos e Condestable de Castilla, e por sua esposa, Doña Mencia de Mendoza (1422/1500), membro da poderosa linhagem dos Mendoza e irmã do Duque de Infantado. A Capela do Condestable é considerada uma das melhores obras construídas em Castilla neste período.

IMG_2851Simon de Colonia combina o estilo germânico com formas espanholas, criando nesta capela um grandioso espaço inspirado na arquitetura gótica alemã. A capela foi levantada sobre a antiga capela de São Pedro, situada na cabeceira do templo. Além dela, foram destruídas várias casas que se encontravam nas imediações da catedral. A capacidade deste artista pode ser comprovada na esbelta cúpula octogonal que realizou para esta capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos muros da Capela do Condestable podemos ver os escudos dos patrocinadores, a ambos lados do retábulo central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA capella possui 3 retábulos, sendo que o central representa a Purificação, concebido no estilo renascentista, provavelmente projetado pelo francês Felipe Vigarny e pelo burgalês Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da capela vemos o Sepulcro do Condestable de Castilla e de sua esposa, realizado por Felipe de Vigarny em 1525, com mármore genovês. Representa a ambos de forma idealizada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO título de Condestable foi criado pelo rei Juan I de Castilla para substituir o de Alferez Maior do reino. Aos nobres com tal denominação recaiam o comando supremo do exército, sendo considerados o maior representante do rei durante sua ausência. O monarca Enrique IV nomeou a Pedro Fernández de Velasco como Condestable de Castilla, a partir do qual o título se torna hereditário. Outra capela funerária de renome na Catedral de Burgos é a Capela da Concepção ou de Santa Ana, realizada por Juan de Colonia e seu filho, e terminada em 1483. Nela situa-se o magistral Retábulo Maior de Gil de Siloé, executado entre 1486 e 1492, que narra o mistério da Concepção Imaculada de Maria.

IMG_2848No centro do retábulo vemos o abraço de São Joaquim e Santa Ana diante da porta dourada de Jerusalém. Abaixo, o patriarca José aparece deitado e de seu peito nasce uma árvore que representa a descendência humana de Cristo. Gil de Siloé (nascido em Antuérpia, na Bélgica) é considerado o escultor mais importante da escola burgalesa do séc. XV e responsável por algumas das mais belas obras da arte hispano-flamenca, com um domínio técnico excepcional. Na Capela da Consolação ou de Sao José, vemos outra obra maravilhosa, uma bôveda octogonal e estrelada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos filhos de Gil de Siloé, conhecido como Diego de Siloé, nasceu em Burgos em 1495. Ficou tão famoso quanto o pai, e dele é uma das construções mais famosas de toda a catedral, a Escalera Dourada. Inicialmente trabalhou como escultor, e a Escalera Dourada foi sua primeira obra arquitetônica. Possui um caráter mais próprio das construções civis que religiosas, e para sua realização inspirou-se em modelos italianos, que conheceu pessoalmente durante uma viagem a Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sacristia da Catedral de Burgos apresenta uma bela cúpula oval repleta de uma decoração rococó, composta por cenas com motivos marianos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos outra imagem da Sacristia, com os retábulos nela existentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nossa visita a Catedral de Burgos com uma foto do Retábulo Maior (infelizmente um pouco desfocada…), executado pelos irmãos Rodrigo e Bartolomeu da Haya. As cenas que o compõem foram dedicadas à Virgem Maria, e sua representação foi feita para exaltar sua figura, através de episódios e personagens relacionados a sua vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero ter contribuído satisfatoriamente para mostrar um pouco desta belíssima catedral, e só por conhecê-la, uma visita a Burgos se torna amplamente recomendável.

Monastério de San Antonio El Real – Parte 2

Neste segundo post sobre o Monastério de San Antonio El Real de Segóvia, veremos as principais dependências que o compõem, todas elas belíssimas e caracterizadas por uma esbelta decoração. Desde a igreja, que vimos na matéria anterior, passamos à Sacristia, um espaço coberto por um teto feito de madeira policromada e decorado com motivos vegetais e o escudo de Enrique IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADa Sacristia chegamos ao Claustro Principal, também chamado dos Franciscanos. Como se fosse um verdadeiro museu, nele encontramos diversas obras de arte. Além do mais, também está coberto por um incrível teto decorado com artesanato mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre todos os objetos expostos no claustro, destacam os denominados Trípticos Flamencos de Utrech, nos quais observamos uma feliz combinação de pintura e escultura, realizados por artistas flamencos. Em um deles, vemos uma cena central realizada em alto-relevo e feita de barro policromado com o tema do Calvário. Em outro, se representa o Santo Enterro. Nas laterais vemos pinturas de santos da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas obras são uma referência ao período em que Segóvia manteve um estreito contato com Flandres, quando exportava tecidos aos Países Baixos (séc. XV). Desde o claustro se abrem alguns dos recintos mais belos do conjunto conventual. O refeitório, por exemplo, está formado por uma grande sala retangular, com um banco que a rodeia e utilizado pelas freiras na hora das refeições.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASuas paredes estão repletas de pinturas murais, com a representação de santos e motivos florais. Entre todas as pinturas, destacam a de Cristo com Santa Clara e a Imaculada Conceição, situada no centro do refeitório.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO púlpito, do séc. XV e profusamente decorado, está situado no centro da sala, e era utilizado durante as refeições para a leitura da bíblia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos a chamada Sala dos Frailes, com uma grande quantidade de objetos religiosos de interesse. Está coberta por um teto decorado, similar ao da Sacristia. Nela foram encontrados recentemente dois registros de água que conectavam diretamente com um canal procedente do famoso Aqueduto de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs detalhes decorativos tornam a visita ao Monastério de San Antonio El Real uma experiência inesquecível…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE finalmente chegamos à Sala Capitular, um maravilhoso espaço formado por um teto de formato octogonal, também mudéjar. Sua vista impressiona ainda mais pela baixa altura em que se encontra. Estrelas de 12 pontas decoram o teto, com os símbolos da Ordem Franciscana e as armas do rei Enrique IV e sua esposa Joana. No centro da sala, vemos um retábulo do séc. XVIII, com as imagens de São Francisco e Santa Clara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de San José – Madrid

Situada na Calle Alcalá, próxiao à intersecçao desta com a Gran Vía, a Igreja de San José constitui um dos maiores tesouros barrocos de Madrid. O templo foi levantado sobre o antigo Convento de San Hermenegildo, pertencente à Ordem das Carmelitas Descalças. Dito convento foi concluído em 1605 e no séc. XVIII foi derrubado. A construçao atual iniciou-se em 1730 e finalizou-se doze anos depois, obra prima do arquiteto Pedro de Ribera, durante o reinado de Felipe V de Bourbon. Abaixo, vemos a fachada e sua ornamentada decoraçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem das Carmelitas foi fundada no séc. XII por Sao Simao Stock na Palestina, apesar que suas origens míticas remontam ao profeta Elias. Santa Tereza de Jesus e San Juan de la Cruz, ambos espanhóis, reformaram a ordem, reconduzindo a vida conventual ao acetismo e à meditaçao. Por sua vez, a Paróquia de San José foi fundada em 1754 pelo XI Duque de Frías. Inicialmente, a igreja situava-se no palácio do mencionado duque. Com a Desamortizaçao de Mendizábal em 1836, se extingue todas as ordens de frades, e o antigo convento foi derrubado, permanecendo  somente a igreja, convertida  na Paróquia de San José. No local  do convento demolido, construiu-se o Teatro Apolo, lugar de estréia de famosas zarzuelas. Lamentavelmente, também foi derrubado em 1873. Na sequência, vemos outra foto da fachada da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da fachada, vemos uma imagem de N.Sra do Carmen, realizada pelo escultor Roberto Michel no séc. XVIII (artista que também colaborou na decoraçao da Fonte de Cibeles).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1912, época em que a Gran Vía estava no início de sua construçao, o arquiteto Juan Moya reformou completamente a fachada, ampliando as partes laterais para igualar sua altura com os edifícios colidantes. Abaixo, vemos uma antiga foto da igreja de 1900, e se percebe as partes laterais originais, com uma altura mais baixa.

DSC07984Do lado direito da igreja, vemos a antiga casa do cura, onde o rei Alfonso XIII “cravou a piqueta”, um gesto simbolico que deu início à construçao da Gran Vía em 1910. Outras imagens decoravam a fachada, como as de San José e San Hermenegildo. Atualmente, ambas encontram-se no átrio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto do teto do átrio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecentemente, numa visita ao interior da igreja, um simpático e solícito senhor se aproximou de mim, e vendo meu interesse sobre o templo, me explicou com detalhes as muitas obras de arte existentes na igreja. Levou-me também a um local normalmente de acesso restrito, a Sacristia, cuja beleza divido com vocês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto que segue, vemos o teto decorado da Sacristia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo recinto, admiramos belas imagens, como esta, representando a N.Sra do Rosário, executada por Ricardo Bellver. Este escultor tornou-se famoso pela escultura do Anjo Caído, que encontramos no Parque do Retiro. Meu companheiro recordou que o artista, depois de realizar a controvertida obra, passou a representar virgens…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo redor da nave central, encontramos duas naves laterais, que acolhem numerosas capelas, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, conheceremos com mais detalhes o interior da Igreja de San José…

Catedral de Taragona

Localizada na parte mais elevada da cidade, a Catedral Basílica Metropolitana e Primada de Santa Maria, é a sede bispal da cidade de Taragona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi erguida no mesmo local dos templos religiosos relativos a épocas anteriores, como o dedicado a Augusto (período Romano), a catedral visigótica e a mesquita árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construçao iniciou-se em 1171, e foi consagrada em 1331, sendo considerada estilisticamente um edifício representante do período de transiçao do Românico ao Gótico. Como era habitual na construçao de catedrais, as obras prosseguiram entre os séc. XIV e XVII, com novos elementos renascentistas e barrocos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal consta de 3 portas, referentes a cada uma das naves de sua planta gótica. A porta central foi inspirada nos modelos góticos franceses, principalmente as catedrais de Amiens e Reims, e foi levantada no séc. XIII. Na coluna central, vemos uma imagem da Virgem, e no seu pedestal estao narrados episódios do Gênesis, como a criaçao de Adao e Eva, e o pecado original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo tímpano, encontramos cenas relacionadas com o Juízo Final.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais de ambos os lados, foram esculpidos os 12 apóstolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs portas laterais, contrastando com a central, sao Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo muro da porta do lado direito, encontramos o sarcófago de Bethesda, cuja origem nos remete ao período paleocristiano, no séc. IV dC. Nele estao esculpidos cenas da vida de Jesus, como a cura do paralítico.

DSC02073No alto da fachada principal, um excepcional rosetón Gótico, que mede 11m de diâmetro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro catedralício foi construído no final do séc. XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro exibe uma variada decoraçao escultórica, presente principalmente em seus capitéis, com motivos historiados, animais fantásticos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento que destaca no conjunto do claustro é a antiga porta de acesso à igreja, românica do séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém como parte integrante do claustro, a Sacristia recebe as obras do Museu Diocesano. De um total de quase 6 mil peças, estao expostas 350 delas, como a série de esculturas referentes aos 4 evangelistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos o interior da catedral.

Monastério de Poblet – Última Parte

A igreja do Monastério de Poblet foi construída no último terço do séc. XII, possui planta basilical formada por uma nave central e duas laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO ábside está composto por uma girola, que reúne 7 capelas de grande sobriedade, como corresponde ao estilo cistercense.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma antiga porta românica permitia o acesso à igreja desde o exterior, e ainda podemos ver parte de sua policromia, principalmente no tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO órgao data de 1961, mas está documentada a utilizaçao do instrumento desde 1436, muito embora os antigos foram destruídos com o tempo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO excepcional retábulo que vemos no altar maior foi realizado pelo escultor valenciano Damián Forment, entre 1527 e 1529. É considerado a primeira obra renascentista realizada na Catalunha, e nele vemos representadas cenas das vidas de Jesus e da Virgem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Panteao Real é, sem dúvida, um dos elementos fundamentais de todo o conjunto. Desde Alfonso El Casto até os Reis Católicos, 8 dos 13 reis aragoneses, assim como 6 rainhas e numerosos príncipes e infantes estao enterrados aqui, cujas tumbas principais situam-se no cruceiro da igreja (Jaime I, Juan I e II, etc).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a tumba de Martin I destaca pela  elaboraçao de suas formas, e está situada numa das naves laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra imagem geral da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Sacristía Nova foi erguida no séc. XVIII, no estilo barroco, mas perdeu toda sua rica decoraçao num incêndio, no séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita ao monastério finaliza-se no antigo Palácio de Martin I, considerado como uma das jóias do Gótico Civil Catalao. Foi iniciado em 1397, um desejo do monarca de ter seus aposentos reais no monastério. Porém, o rei faleceu antes de terminada a obra, e consequentemente,  o palácio permaneceu inacabado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o palácio é a sede do museu do monastério, onde se exibe o tesouro, composto por uma coleçao de esculturas, quadros, objetos litúrgicos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Basílica de San Francisco – Segunda Parte

Como comentamos no post anterior, a Basílica de San Francisco possui, além da Capela Maior, 6 outras secundárias, que contornam a planta circular da igreja. Vimos três delas, e agora conheceremos as outras que faltam.

A Capela da Paixão está composta por um quadro em que se representa o Calvário, obra de Germán Hernández Amores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de N.Sra De La Merced está decorada com um quadro da Virgem, feito pelo artista Carlos Luis de Ribera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, vemos a Capela de Santo Antônio de Pádua, com um quadro da Imaculada Conceição, de Mariano Salvador Maella e uma formosa escultura do santo, realizada no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACabe ressaltar que em cada uma das capelas, existem 3 grandes quadros, e apenas comentamos os centrais, de maior importância. A decoraçao de todas as capelas e suas respectivas obras foram realizadas  no final do séc. XIX, com exceçao dos quadros de Goya, situado na Capela de San Bernardino, e o quadro da Imaculada Conceiçao, de Mariano Salvador Maella, que vimos acima, ambos pintados em 1784.

O contorno da igreja está adornado por 12 grandes estátuas dos Apóstolos, esculpidas em mármore branco de Carrara, e medem mais de 2.5m cada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO elemento mais impressionante de todo o conjunto é a cúpula que, com 33m de diâmetro e a uma altura máxima de 42m do solo, é considerada a quarta maior cúpula de todo o mundo cristão, sendo superada apenas pelo Panteão de Roma (43m), a Basílica de São Pedro (41.5m) e a Catedral de Santa Maria de Fiori, em Florença (42m).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAToda a cúpula está decorada com um conjunto de pinturas, cuja temática central se refere a glorificaçao de Maria como rainha dos Anjos, e está dividida em 8 partes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sua decoração se completa com uma série de vitrais policromados, situados nos vãos que rodeiam a parte inferior. Os vitrais foram construídos na cidade de Munique, em 1882.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O templo acolhe também uma excelente coleção de quadros pertencentes, principalmente, ao Barroco Espanhol. Na Sala Capitular, foram reunidos os mais importantes, como os quadros de Francisco de Zurbarán (San Buenaventura recebendo a visita de São Tomás de Aquino) e o de Alonso Cano (San Antônio de Pádua).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a decoraçao do teto da sala capitular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sacristia também é depositária de belos quadros e pinturas murais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Recomendo muito a visita guiada realizada na Basílica que, além das excelentes informações que nos possibilita conhecer melhor o templo, nos permite o acesso a outras dependências do recinto que, de outra forma, seria impossível visitar.

A Basílica de San Francisco foi declarada Monumento Nacional em 1980, e mais que recomendada, sua visita é obrigatória.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA