Concatedral de Cáceres

O principal templo religioso de Cáceres, a Concatedral de Santa María La Mayor, situa-se logo depois de cruzarmos o Arco da Estrela, porta de entrada ao Centro Histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá situada na Plaza de Santa María, uma das mais belas da cidade, junto com vários palácios antigos conservados, que veremos no próximo post. Um dos símbolos de Cáceres, a Concatedral de Santa  María foi erguida provavelmente sobre uma anterior mesquita, algo habitual em muitas cidades da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre os séculos XV e XVI sobre uma anterior edificação do século XIII, combinando o estilo de transição do românico ao gótico com elementos renascentistas, como sua torre. Acima, vemos uma das duas portas góticas do templo. A seguir, vemos outra das características da arquitetura gótica, a presença das gárgulas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica da igreja tirada do alto da Igreja de San Francisco, que em breve será o tema de outra matéria sobre Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte externa foi colocada uma escultura de um dos santos mais venerados de Extremadura, San Pedro de Alcántara, realizada pelo escultor contemporâneo Enrique Pérez Comendador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por três naves cobertas com bôvedas de crucería, algo habitual das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central vemos um magnífico retábulo maior plateresco, talhado por Guillén Ferrant e Roque Balduque. Possui a cor própria da madeira sem que fosse policromada, pino de Flandes e cedro. Suas cenas retratam episódios da vida da Virgem Maria e de Jesus Cristo. No centro do retábulo vemos a Assunção da Virgem

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma grande quantidade de obras de arte, como a imagem gótica de um Cristo Negro, uma das mais veneradas da cidade, que sai em procissao durante a Semana Santa. A capela que o acolhe pertence aos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um curioso púlpito gótico feito em ferro forjado no século XV, procedente de um convento desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo solo da igreja vemos os sepulcros de importantes famílias nobres da cidade….

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas capelas adornam o interior da igreja, como a Capela da Virgem de las Dolores, do século XVI. O retábulo é barroco, de 1743. No centro aparece a Virgen de las Dolores. Nas laterais, São Vicente de Paula e São Pedro Alcântara. Fora do retábulo, as imagens de Santo Antônio de Pádua e Santa Rita de Cássia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Pia Batismal construída em 1552, ao lado de dois sepulcros góticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro objeto impressionante é a Custódia, realizada em 1643 pelo artista nascido na cidade Diego Rodríguez de Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o belo órgão da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1957, a antiga Igreja Paroquial de Santa María La Mayor recebeu o título de Concatedral, passando a dividir a sede episcopal com outro templo, a Catedral de Coria. Abaixo, vemos a bula papal concedida pelo Papa Pio XII ao templo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe interessante é que está permitido subir à torre….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Concatedral de Cáceres recebeu a designação de Monumento Histórico-Artístico por sua importância religiosa e histórica, e conhecê-la é um passeio obrigatório numa visita à cidade.

 

Anúncios

Santuário de San Pedro Alcántara

Há cerca de 3 km de Arenas de San Pedro situa-se um dos monumentos de maior relevância da cidade, o Santuário de San Pedro Alcántara, o último convento fundado por seu santo padroeiro, em 1561.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara se chegar ao local, o ideal é percorrer o caminho à pé através de uma estrada muito frequentada pelos habitantes da cidade, que impressiona por sua beleza natural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção do convento tinha como finalidade inicial a contemplação e a vida de penitência da comunidade de religiosos, dentro da linha de ascetismo proposta por San Pedro de Alcántara para os membros da Ordem Franciscana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO falecimento do santo em Arenas de San Pedro transformou o santuário num local de grande devoção e peregrinação para as milhares de pessoas que o visitam durante o ano. No dia 19 de outubro, recebe uma grande quantidade de pessoas que vêm de todas as partes da Espanha, para assistir a procissão com a imagem do santo pelos campos da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO santuário que vemos atualmente foi projetado pelo arquiteto Ventura Rodríguez, com a colaboraçao do Rei Carlos III no século XVIII. Se realizam visitas guiadas pelo interior do conjunto conventual, e várias são as dependências que se podem conhecer. De grande interesse é a Capela Real, parecida à Capela do Palácio Real de Madrid, também construída por Ventura Rodríguez. De planta octogonal, guarda os restos do santo numa urna situada no altar maior, e protegida por duas esculturas de alabastro, que representam a fé e a esperança.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtrás da urna, vemos a representação da apoteose do santo em sua ascensão ao céu, realizado pelo escultor Francisco Gutiérrez em 1773.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula da capela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja conventual é a parte mais antiga do santuário (XVI), e conserva um retábulo dedicado ao santo. Abaixo, vemos a entrada da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE seu interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sacristia podemos admirar um móvel utilizado para guardar roupas litúrgicas que foi construído pelos Astecas, povo que dominou a zona central do México, e que acabou sendo submetido à conquista espanhola no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o claustro, adornado com pinturas relacionadas à vida do santo, além de uma coleção de cerâmicas de Talavera de la Reina do século XVIII, um dos maiores centros produtores de cerâmicas país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO denominado Museu Alcantarino guarda uma série de documentos, objetos e obras artísticas relacionados com a vida do santo e também da época em que viveu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm outro espaço do santuário acolhe o Museu de Arte Sacra, que possui mais de 200 obras entre pinturas, esculturas, objetos e roupas litúrgicas, compreendendo o período  que vai desde o século XVI até o XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua importante biblioteca possui um acervo de cerca de 18 mil livros, dos quais 165 pertencem ao século XVI e 325 ao século XVII. Em 1972, o Santuário de San Pedro de Alcántara foi declarado Monumento Histórico-Artístico Nacional, e constitui um motivo a mais para se conhecer a cidade de Arenas de San Pedro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

San Pedro de Alcántara

Um dos personagens mais importantes da história de Arenas de San Pedro é justamente seu santo padroeiro, San Pedro de Alcántara (1499/1562), que aparece no nome da cidade. Este santo franciscano faleceu em Arenas, e próximo à cidade fundou um convento que acabou se tornando um centro de peregrinação, cuja história veremos no próximo post. Nasceu na cidade de Alcántara, pertencente à Comunidade de Extremadura, no ano de 1499, com o nome de Juan de Garavito y Vilela de Sanabria. Iniciou sua vida religiosa aos 16 anos de idade, quando decidiu ingressar num Convento Franciscano, momento em que muda seu nome para Pedro. Ordenado  sacerdote em 1524, ocupou vários cargos na instituição e realizou inúmeras viagens pela Península Ibérica com o objetivo de fundar novos conventos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas destas viagens foram realizadas à pé, nas quais o santo deixava mostras de sua santidade. Caminhava dempre descalço, vestido com o hábito da ordem. Comia pouco e sempre olhava para o chão, de forma que os monges o conheciam somente por sua voz. Em 1537 realizou uma viagem à Portugal, que se tornou o início de uma relação com a família real portuguesa que se manteve até sua morte. Entre 1541 e 1543 fundou diversas instituições religiosas no país. Em 1559, publica em Lisboa o livro “Tratado de Oração e Meditação“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPedro de Alcántara acreditava que a Ordem Franciscana deveria retornar ao primitivo espírito de pobreza, elemento primordial desde que a ordem foi fundada por São Francisco de Assis no início do século XIII. Para tanto, realiza uma reforma que acabaria sendo aprovada pelo Papa Julio II em 1554. A partir deste momento, se esforça em fundar conventos reformados também em Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1560, o santo se encontrava em Ávila e teve a oportunidade de conhecer Santa Teresa. Entre ambos nasceu uma profunda e sincera amizade, e San Pedro passou a ser o conselheiro da santa , orientando-a para que iniciasse a Reforma Carmelita. Sua vida de penitência e mortificação impressionou a Santa Teresa, dedicando em sua Autobiografia três capítulos a Pedro de Alcántara. Abaixo, vemos um quadro em que ambos estão representados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAProvavelmente nesta viagem que realizou a Ávila, San Pedro de Alcántara conheceu em Arenas a Ermita de San Andrés del Monte, levantada no início do século XVI, e que se converteu no local escolhido para a fundação de um novo convento franciscano, atualmente conhecido com a denominação de Santuário de San Pedro Alcántara. Em 1562, fixa sua residência em Arenas, falecendo na cidade neste mesmo ano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa arte, o santo normalmente aparece representado calvo, imberbe e com a pele cheia de rugas, devido às muitas penitências a que se submeteu ao longo de sua vida. Vestido com o hábito franciscano, leva também um elemento distintivo da reforma, um rosário e o típico cordao com os três nós, simbolizando a obediência,  pobreza e a castidade. Também é frequente encontrá-lo em oração ou em êxtase, além de sua condição como escritor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1622, San Pedro de Alcántara foi beatificado, passando a ser o santo padroeiro de Arenas, e em 1669 foi canonizado pelo Papa Clemente IX. No próximo post, faremos uma “visita” ao Santuário de San Pedro, local onde foram tiradas as fotos publicadas nesta matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA