Universidade de Alcalá de Henares

A matéria de hoje, que será extensiva aos próximos posts, está dedicada a uma das instituições educacionais mais importantes da história espanhola, monumento renascentista e responsável em boa parte pela declaração de Alcalá de Henares como cidade Patrimônio da Humanidade. Situada no centro histórico da cidade, a Universidade de Alcalá de Henares foi um dos primeiros monumentos históricos que conheci desde que cheguei à Espanha, e revê-la e aprofundar-me em sua história constitui uma grande satisfação para mim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua história se inicia no século XIII, quando o rei Sancho IV de Castilla assinou em 1293 um real decreto permitindo que o Arcebispo de Toledo fundasse os chamados Estudios Generales em Alcalá de Henares, como na época eram conhecidos os cursos de nível superior ou universitários. No entanto, o estabelecimento de uma universidade ocorreu somente a partir de 1495, com a consagração do frade franciscano Francisco Jiménez de Cisneros (conhecido na história da Espanha como Cardeal Cisneros), como Arcebispo de Toledo. Confessor da rainha Isabel la Católica, Cisneros solicitou ao Papa Alejandro VI uma licença para a construção de uma universidade. A bula papal autorizando a fundação chegou em 1499, quando provavelmente as obras de cimentação já haviam iniciado. Abaixo, vemos uma cópia do documento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cardeal Cisneros  entrou em contato com o mundo universitário em Salamanca, uma das mais antigas e prestigiosas universidades do país, durante seus anos de juventude, quando cursou Direito Civil Eclesiástico e Teologia. Participou também na fundação de uma universidade em Siguenza, num momento em que havia grande entusiasmo no país por este tipo de iniciativas. A fundação da Universidade de Alcalá, também conhecida como Universidade Cisneriana ou Complutense, coincidiu com um período de estabilidade durante o reinado dos Reis Católicos, uma nova atmosfera cultural procedente do renascimento italiano e a necessidade de se criar um novo corpo de funcionários e religiosos capazes de administrar os cada vez maiores domínios do estado e da igreja. A criação da instituição foi concebida como um poderoso instrumento para a reforma cultural e espiritual do clero e do povo castelhano, e se inspirou nos modelos universitários de Salamanca e Paris. Da primeira, recebeu a organização e administração, e da segunda, seus métodos de ensino. Abaixo, vemos a estátua do Cardeal Cisneros, situado em frente ao Colégio Maior de San Ildefonso, o principal edifício da Universidade de Alcalá de Henares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Universidade foi composta pelo Colégio Maior de San Ildefonso e os denominados Colégios Menores. Para a construção do primeiro, Cisneros utilizou partes do antigo Convento de Santa María de Jesús, localizado na parte lateral da Praça de San Diego, atualmente ocupado pelo edifício abaixo, um antigo quartel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, a praça não existia na época da construção do Colégio Maior, estando originalmente ocupada pela chamada Calle de los Colégios, formada por casas pertencentes à universidade. No final do século XVI, devido à canonização de San Diego, as casas foram derrubadas, originando a praça que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA excepcional fachada renascentista do Colégio Maior de San Ildefonso foi realizada entre 1537 e 1553 pelo arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón, que projetou uma fachada em forma de retábulo, algo frequente no século XVI. O espaço se divide horizontalmente em três partes e verticalmente em cinco, separados entre si por colunas e pilastras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA ornamentação escultórica da fachada obedece a um profundo simbolismo teológico e universitário, combinando elementos mitológicos e cristãos. A bula papal de 1499 especificava que a instituição deveria potencializar a luta da luz contra as trevas utilizando o estudo e a ciência como caminho para a felicidade e a salvação. Um grosso cordão franciscano rodeia boa parte da fachada, manifestando a relação existente entre a Ordem Religiosa e a universidade, bem como entre o fundador e sua principal obra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANas fotos acima, vemos o primeiro corpo, onde se situa a entrada ao Colégio Maior de San Ildefonso. O segundo está presidido pelo Balcão da Biblioteca e sobre ele aparece a representação de San Ildefonso, titular do Colégio Maior, franqueado pelos Escudo de Arma do Cardeal Cisneros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs 3 corpos da fachada se unem verticalmente por colunas sustentadas por Atlantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terceiro corpo está representado pelo escudo do monarca Carlos I, rei da Espanha durante a construção da fachada. Em cima do escudo, um estrutura triangular com a escultura de Deus Pai com a bola do universo. Na parte mais alta da fachada, uma cruz representando a Santíssima Trindade. Nas partes laterais aparece Minerva, deusa da sabedoria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA fundação da universidade foi acompanhada pela redação de sua constituição, promulgada pelo próprio Cardeal Cisneros em 1510, constituindo-se no documento supremo para qualquer assunto concernente à universidade. Abaixo, vemos uma imagem interior do Colégio Maior de San Ildefonso, que veremos com detalhes no próximo post.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante os dias festivos da cidade, grupos musicais se reúnem em frente à fachada do Colégio Maior com suas guitarras e instrumentos musicais, um verdadeiro espetáculo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Talavera de la Reina – Prov. Toledo

A cidade de Talavera de la Reina é a mais populosa da Província de Toledo e a segunda de toda a Comunidade de Castilla- La Mancha. Com aprox. 90 mil habitantes, dos quais 10% de estrangeiros, é superada apenas pela cidade de Albacete. Povoada desde tempos remotos, na região onde se encontra, foram achados vestígios do Paleolítico e do Neolítico. Os povos celtas povoaram a região, principalmente o grupo denominado de Verracos. Durante o período romano, Talavera denominava-se Caesarobriga, formando parte da província de Lusitânia, com uma pujante economia já no séc. I dC. A cidade ocupa uma zona estratégica no vale médio do Rio Tajo, fator essencial para seu desenvolvimento, pois localiza-se num eixo de comunicação que engloba tanto o norte-sul, quanto o leste-oeste. Várias pontes cruzam a cidade, das quais a mais antiga é a chamada de Ponte Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém chamada de Ponte Velha ou de Santa Catalina, somente uma pequena parte de sua estrutura pertence à época romana, não estando à vista, por estar situada em seus alicerces. Reformada em várias ocasiões, foi reconstruída em 1483, cujo aspecto é o que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom 426m de comprimento, a construção da Ponte de Ferro foi iniciada em 1904, e supôs a aplicação dos princípios construtivos derivados da Revolução Industrial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurada em 1908, foi restaurada em 1994 e rebatizada como Ponte Reina Sofia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Tajo é o de maior extensão de toda a Península Ibérica, e divide a cidade de Talavera em duas, sendo que sua maior parte situa-se em sua margem direita. Fico devendo uma foto da Ponte de Castilla-La Mancha, inaugurada em 2011 e uma das maiores de todo o país. O cristianismo se estabelece na cidade com a chegada dos Visigodos, e atualmente podemos admirar uma grande quantidade de templos, conventos e igrejas. O Convento de La Encarnación de las Madres Bernardas é um deles. Foi construído pelo frade Lorenzo de San Nicolás entre 1610 e 1625, num estilo típico da cidade, denominado Barroco-Mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de El Salvador é considerada uma das mais antigas, com documentos que comprovam sua existência desde 1145.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs árabes legaram à cidade o primeiro recinto de muralhas que se construiu. Dito sistema defensivo era glorificado pelos próprios viajantes árabes como as mais altas e melhores construídas de todo o território Hispano-Muçulmano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALevantadas no séc. X, a muralha árabe foi reforçada pelos reis cristãos, depois que  Alfonso VI reconquistou a cidade, dois anos antes que Toledo. Para tanto, foram erguidas as denominadas Torres Albarranas, no séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAForam incorporadas 47 destas torres, um autêntico exemplo da arquitetura militar da Idade Média, que transformaram a cidade numa das mais seguras de todo o território.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma dos acessos da muralha era a Porta de Sevilha, que indicava a direção desta cidade. Trata-se de uma construção simples feita de tijolo e, em sua parte superior, vemos o escudo de armas do Cardeal Quiroga, arçobispo de Toledo que ordenou sua construção em 1579.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Porta de Zamora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra é uma cópia reconstruída de uma original do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1294, o rei Sancho IV concedeu um privilégio para que a cidade celebrasse uma feira de gado que continua existindo atualmente. De fato, no escudo de Talavera de la Reina podemos observar as torres e a representação de dois gados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, continuaremos visitando Talavera de la Reina…até lá!!!