Apóstolo Santiago – Parte 2

O Apóstolo Santiago, um dos 12 apóstolos de Jesus e Padroeiro da Espanha, foi chamado de Santiago Maior para diferenciá-lo de outro discípulo de mesmo nome, que passou a ser conhecido como Santiago Menor, por ser mais jovem. A origem do nome Tiago deriva indiretamente do latim Iacobus, por sua vez uma latinização do nome hebraico Yaakov, em português Jacó. Com o decorrer do tempo, o nome evoluiu em diversas denominações segundo os distintos idiomas:  Jakob em alemão, James em inglês, Giacomo em italiano e Jacques em francês. Na Catalunha é conhecido como Jaume ou Jaime.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do século XI, os peregrinos que realizavam o Caminho de Santiago, com destino final em Santiago de Compostela, se converteram num fenômeno de massa a nível europeu. Esta famosa rota de peregrinaçao foi impulsionada por monarcas, como o Rei Alfonso VI, e também pela importante Ordem Beneditina de Cluny (França), que introduziu na Península Ibérica a liturgia romana e fixou o traçado do Caminho de Santiago, que atravessa o norte da Espanha. Este fato foi fundamental para transformar a imagem do apóstolo em Santiago Peregrino, uma de suas principais manifestações no campo iconográfico e artístico. A influência do Caminho de Santiago na configuração das lendas associadas ao apóstolo é enorme. Um de seus principais atributos, que permitem identificá-lo, é a espada com a qual foi martirizado (decapitado) e o livro, símbolo da doutrina evangélica. Como Santiago Peregrino, normalmente aparece com um chapéu de aba larga, bastão de caminhante, e a Concha de Vieira, outro de seus símbolos principais. Acima e abaixo, vemos representaçoes de Santiago como Peregrino, em esculturas pertencentes ao Museu do Caminho de Astorga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté princípios do século XVI, o Apóstolo Santiago é representado com seus atributos de Peregrino, mas conservando suas características de apóstolo, como o livro, a vestimenta e os pés descalços. Outra faceta fundamental do apóstolo é como defensor da fé católica dentro do processo de Reconquista da Espanha, um santo guerreiro. Segundo a tradição, durante as batalhas entre os muçulmanos e os cristãos ao longo dos séculos em território espanhol, milagrosamente aparecia o Apóstolo Santiago num cavalo branco, com a espada na mão, auxiliando o exército cristão a derrotar o inimigo. Os mouros aparecem aplastados sob as patas do cavalo do apóstolo. Um exemplo é a Batalha de Clavijo, ocorrida na atual região da Rioja, no ano de 844. Abaixo, vemos um quadro que retrata a Batalha de Clavijo, situado na Igreja de Santiago de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta forma, nasce a representação de Santiago Matamoros, uma das mais habituais relativas ao santo, sendo que é assim representado por primeira vez no ano 1230. Sempre segundo a tradição das lendas a ele associadas, o Apóstolo Santiago também interviu em outra batalha fundamental, a das Navas de Tolosa, ocorrida no século XIII. Abaixo, vemos uma escultura de Santiago Matamoros do século XVIII, presente na Catedral de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mesma cena aparece na fachada da Igreja de Santiago em Logroño, capital da Rioja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cena constante é o transporte de seu sepulcro, puxado por bois. Na Capela de Santiago da Catedral de Segóvia, vemos um retábulo com esta representação. Na parte central vemos Santiago Peregrino e, na parte superior, Santiago Matamoros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde o século IX, os reis cristãos reconheceram o Apóstolo Santiago como Padroeiro da Espanha, e estabeleceram o Voto de Santiago, que consistia numa oferenda obrigatória que as terras reconquistadas deveriam realizar anualmente como bens à Catedral de Santiago de Compostela, graças ao auxílio recebido pelo apóstolo na reconquista. Sua figura teve também um papel inspirador na Conquista da América, onde foi declarado padroeiro de várias cidades latino americanas, como Santiago do Chile, Santiago de Cuba e Caracas, entre muitas outras. Abaixo, vemos a Igreja de Santiago de Medina de Rioseco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1630, durante o reinado de Felipe IV, o Papa Urbano VII declarou o Apóstolo Santiago como o único Padroeiro da Espanha. Abaixo, vemos a estátua equestre do monarca, situada na Plaza del Oriente de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos símbolos mais famosos associados ao Caminho de Santiago e ao apóstolo é a Concha de Vieira, um molusco abundante na Galícia. Sua origem é duvidosa, mas uma lenda conta que o apóstolo salvou um cavalheiro que caiu no mar, sendo coberto por conchas. O que se sabe com certeza é que os peregrinos que chegavam à Santiago de Compostela recebiam, como prova da realização do caminho, um diploma feito de pergaminho que comprovava a façanha, e colocavam no seu sombreiro uma Concha de Vieira. Portar a concha passou a ser considerado um tributo ao apóstolo. Na capital galega e por todo o Caminho de Santiago, é habitual ver a concha,  que vemos representada na arquitetura, junto a Catedral de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concha de Vieira marca também a rota do caminho, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XII, com o intuito de proteger os peregrinos e também para colaborar no processo de Reconquista, foi criada a Ordem Militar de Santiago. Seu símbolo é uma cruz vermelha simulando uma espada, uma referência ao seu caráter guerreiro e ao seu martírio. Às vezes, o Apóstolo é representado como um cavalheiro, com a espada e um estandarte branco, com a Cruz da Ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cruz de Santiago aparece, de forma curiosa, numa das sobremesas tradicionais da Galícia, que podemos provar por todo o país, a Torta de Santiago. Sua origem é remota, provavelmente do século XVI. Feita de amêndoas e ovos, em 1924 uma confeitaria de Santiago de Compostela decidiu enfeitar o dôce com a Cruz de Santiago

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria sobre o Apóstolo Santiago com outra igreja dedicada ao santo, em Ávila..

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Lugo

Durante os séculos XVII, XVIII e XIX, coincidindo com o desenvolvimento das correntes artísticas barroca e neoclássica, Lugo experimentou um grande crescimento. Muitas das construções desta época podem ser vistas num passeio pelo centro histórico da cidade, representativas tanto da arquitetura religiosa, quanto da civil. Os bispos de Lugo foram importantes patrocinadores imobiliários, deixando um legado construtivo fundamental na paisagem urbana de Lugo. Um exemplo é o Palácio Arcebispal, construído no início do século XVIII e situado em frente à catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro exemplo da arquitetura civil barroca de Lugo é a Casa Consistorial, localizada na Praça Maior da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada como uma das principais obras do barroco civil em toda a Galícia, a Casa Consistorial de Lugo foi construída em 1738, segundo o projeto de Lucas Ferro Caaveiro. A fachada está simetricamente dividida por uma pilastra central que serve de apoio ao escudo que a preside. Duas pequenas torres foram colocadas nos extremos da fachada. A denominada Torre do Relógio foi incorporada ao edifício em 1871.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1757, o Bispo Izquierdo financiou o processo construtivo da antiga prisão de Lugo, finalizada 40 anos depois. Apesar das inúmeras reformas realizadas, ainda podemos ver o edifício com alguns elementos originais, como a torre…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro da arquitetura religiosa, o estilo barroco foi responsável por vários dos templos que integram o patrimônio histórico-artístico de Lugo, como a Igreja de San Froilán, dedicada ao Santo Padroeiro da cidade. Originalmente era uma capela vinculada ao Hospital de San Bartolomé, fundado em 1621. O templo atual foi construído em 1768. Devido a um incêndio sucedido em 1878, o hospital desapareceu e a igreja se converteu na Paróquia de San Froilán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada da igreja vemos em sua parte superior o escudo do bispo construtor e uma escultura de San Rafael no centro, considerado o arcanjo médico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe final do século XVIII é a bela Capela do Carmem, edificada no bairro onde nasceu San Froilán, já dentro do estilo neoclássica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de Lugo, San Froilán (833/905) é também padroeiro da cidade de León, da qual foi bispo. Apesar de que recebeu uma refinada educação, com 18 anos sentiu-se atraído pela vida religiosa. No entanto, a dúvida sobre qual forma de vida levar fez com que  decidisse submeter-se à vontade de Deus. Pegou uma brasa acesa e a colocou na boca. Ao não queimar-se interpretou o fato como um desígnio para seguir o caminho religioso. Passou a predicar e a ter vida uma vida de eremita. Fundou vários monastérios e no ano 900 foi nomeado Bispo de León, ocupando o cargo até sua morte. Já o padroeiro de Espanha, o Apóstolo Santiago, também possui um templo em Lugo a ele dedicado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago “A Nova” recebeu esta denominação em 1859, pois antigamente pertencia ao desaparecido Convento Dominicano, que se instalou no local em 1363. Chamava-se Igreja de Santa Maria “A Nova”, para diferenciar-se da titularidade da Catedral, também dedicada à Virgem . A igreja atual é do século XVIII e sua fachada foi remodelada na estética neoclássica em 1914. Apresenta uma grande austeridade, sem qualquer tipo de elemento decorativo. Abaixo, vemos uma foto do interior da igreja e outra com o retábulo de Santiago, representado em uma de suas variantes mais conhecidas, Santiago Matamouros

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Românico na Província de Segóvia

O primeiro post de 2017 está dedicado às Igrejas Românicas que conheci o ano passado, junto com um grupo de amigos, num instrutivo passeio pela Província de Segóvia, uma das nove províncias que compõem a Comunidade de Castilla y León. Antes de iniciar o post, desejo a todos (as) leitores (as) um magnífico ano, repleto de realizações e muita saúde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes atraçoes desta bela regiao da Espanha é seu patrimônio românico, formado por inúmeras e singelas igrejas, todas elas situadas em pequenos povoados ao longo do território da província. Por este motivo, integram o chamado Românico Rural. Uma das localidades visitadas chama-se La Cuesta, um pueblo de apenas cerca de 40 habitantes, com amplas vistas da Serra de Guadarrama, que vemos na foto acima. Seu grande destaque é a Igreja de San Cristóbal, construída no final do século XII ou princípios do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja situa-se no alto de uma colina, motivo pelo qual pode ser vista de uma grande distância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo foi declarado Bem de Interesse Cultural em 1995. Apesar das reformas realizadas, a igreja conserva boa parte de sua fábrica românica, como o ábside, que vemos acima, e a torre campanário de planta quadrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a porta de entrada ao templo, formada por arquivoltas e desenhos compostos por motivos geométricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja foi reformado no século XVI, e passou a contar com 3 naves, a central mais larga que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior foi realizado no século XVI, estando formado por 12 pinturas relacionadas ao Novo Testamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá presidido por uma imagem de San Cristóbal (Sao Cristóvao, em português) segurando o Menino Jesus. Em sua parte superior, vemos a representaçao de Santiago Matamouros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro retábuo, desta vez barroco, alberga uma bela escultura de Cristo Crucificado

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe muito interesse é a Pia Batismal de estilo românico, provavelmente do século XII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta igreja vemos um fato comum na Idade Média, o cemitério situado ao lado do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, continuaremos vendo outras interessantes igrejas românicas da Província de Segóvia… até lá !!!!!

Igreja de Santiago – Madrid

No post de hoje conheceremos a história da Igreja de Santiago de Madrid. Na realidade, trata-se da continuação do post anterior, não só pela localização da igreja, situada na Plaza de Santiago, que se encontra ao lado da Plaza de Ramales, mas também devido a mesma circunstância histórica, pois como sucedeu com a Igreja de San Juan Bautista, o antigo templo dedicado ao Apóstolo Santiago também foi derrubado durante o reinado de José Bonaparte em 1810.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago era uma das mais antigas da cidade, pois se encontra documentada no Foro de Madrid, outorgado pelo rei Alfonso VIII em 1202. José Bonaparte mandou derrubar boa parte das edificações situadas na fachada oriental do Palácio Real para a construção da Plaza del Oriente, condenando ambos templos, situados próximos um do outro. No entanto, a diferença da Igreja de San Juan Bautista, o rei francês ordenou a construção de uma nova igreja dedicada ao Padroeiro da Espanha. Para tanto, encarregou ao arquiteto Juan Antonio Cuervo um projeto arquitetônico, cujo resultado podemos apreciar hoje em dia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Igreja de Santiago foi inspirada no classicismo do arquiteto Juan de Villanueva, autor do projeto do Museu do Prado, entre outros edifícios emblemáticos da capital. Apresenta uma fachada sóbria, composta por pilares feitos de granito e o resto de sua estrutura em tijolo. No centro da fachada vemos um relevo em que aparece o Apóstolo Santiago auxiliando o exército cristão do rei asturiano Ramiro I na Batalha de Clavijo, travada contra os muçulmanos no ano de 844 ( ocorrida no atual território da Comunidade da Rioja). Dentro da iconografia do apóstolo, esta intervenção milagrosa nas batalhas da reconquista, quando Santiago aparecia montado num cavalo branco para derrotar o exército inimigo, é conhecida como Santiago Matamouros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo possui uma planta de cruz grega. O altar maior está presidido por um quadro que também representa a Santiago Matamouros. Realizado por Francisco Ricci, esta obra fazia parte da antiga igreja desaparecida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre as colunas do retábulo foram colocadas esculturas dos denominados 4 Padres da Igreja Católica: Santo Agostinho (356/430), São Jerônimo (347/420), São Gregório Magno (540/604) e São Ambrósio (340/397).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Santiago é o início do chamado Caminho de Santiago Madrilenho, que parte em sentido norte até a cidade de Sahagún (Castilla y León), quando então se une com o tradicional Caminho Francês. Na placa indicativa da praça, aparece o emblema desta histórica rota de peregrinação, bem como a indicação ao Convento de Uclés, situado na Província de Cuenca. Historicamente, este convento foi fundamental para a Ordem de Santiago, pois nele instalou sua sede central, e onde atualmente se guarda o importante arquivo desta ordem militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada do templo observamos elementos associados ao apóstolo, como a Cruz de Santiago e a Concha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo curiosidade, o arquiteto Juan Antonio Cuervo e seu sobrinho Tiburcio Pérrez Cuervo foram retratados pelo genial pintor Francisco de Goya, cujos quadros podem ser vistos no Museu de Arte de Cleveland e no Metropolitan de Nova York.

Hospital de Santiago – Úbeda

O primeiro monumento que conheci quando cheguei em Úbeda foi o Hospital de Santiago, situado próximo à Estaçao Rodoviária da cidade. Esta construçao representa uma das melhores obras do arquiteto Andrés de Vandelvira e uma obra prima do Renascimento Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAChamado de El Escorial do sul da Espanha, su construçao iniciou-se em 1562, sendo concluído em 1575. O fundador do Hospital de Santiago foi D.Diego de los Cobos, bispo de Jaén. Além de sua concepçao hospitalar, respondeu também às necessidades de residência e panteao funerário do fundador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAndrés de Vandelvira realizou um projeto que integrasse o hospital, a residência e o panteao, cuja grande influència foi o Hospital Tavera de Toledo (post publicado em 22/1/2015). Na fachada do hospital foi esculpido um relevo com a representaçao de Santiago Matamouros e medalhoes com o escudo do fundador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal caracteriza-se pela sobriedade decorativa, com um aspecto de fortaleza. Dividida em dois níveis, em seus extremos foram colocadas belíssimas torres, como vimos acima. Ao entrar no hospital, nos encontramos com um grande pátio quadrado, que serve como eixo organizador do conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do pátio, podemos contemplar o maravilhoso espaço compreendido pela escada ao piso superior, repleto de pinturas murais, atribuídas a Pedro de Raxis e Gabriel Rosales.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parede principal  vemos uma série de pinturas, que incluem a representaçao de santos e bispos, personagens da monarquia espanhola, figuras grotescas e o escudo do fundador do hospital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA bôveda, simplesmente espetacular, foi decorada com uma complexa iconografia relacionada com santos e reis espanhóis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPelo pátio podemos visitar a igreja do hospital, cujo retábulo maior desapareceu, dando lugar a uma estrutura de madeira (nogal).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência vemos a bôveda da igreja, toda decorada com pinturas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Hospital de Santiago manteve sua funçao assistencial até 1975 e atualmente é um centro cultural e sede de exposiçoes, feiras comerciais e congressos.

Catedral de Baeza – Parte 2

O interior da Catedral de Baeza é de uma beleza surpreendente. Nele, podemos observar as diferentes etapas construtivas do templo, além  de admirar seus magníficos retábulos, inúmeras obras de arte e suas suntuosas e belas capelas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por duas partes bem diferenciadas. A cabeceira, por exemplo, foi construída a partir de 1529, quando o primitivo templo foi derrubado, e apresenta uma arquitetura gótica de sua fase final, estando presidida pelo Retábulo Maior de Manuel de Álamo, realizado no estilo barroco em 1674 e dourado em 1741. Nele, observamos as colunas salomônicas, típicas do barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte renascentista foi realizada, como vimos no post anterior, pelo arquiteto Andrés de Vandelvira a partir de 1567.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre todas as existentes, a bôveda do cruceiro se destaca das demais, por estar decorada com pinturas murais. Está composta por medalhoes, onde aparecem Deus Pai acompanhado por Sao Pedro, Santo André, Sao Joao Batista e os chamados Pais da Igreja (Sao Gregório, Sao Jerônimo, Sao Ambrósio e Santo Agotinho).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs capelas que rodeiam o templo sao uma atraçao à parte. Abaixo, vemos do lado direito, a Capela de Sao Miguel, construída por Andrés de Vandelvira e decorada com um quadro de princípio do séc. XVIII, no qual aparece Sao Miguel vencendo o demônio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém de Andrés de Vandelvira, na Capela de Santiago (finais do séc. XVI) vemos uma representaçao escultórica de Santiago Matamouros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto a Capela Maior situa-se a Capela do Sagrário, de 1748. Originalmente, aqui se encontrava a sacristia, que foi transformada em capela em 1620. Como destaque, vemos um Cristo Crucificado do séc. XIV, inserido num retábulo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das mais importantes da catedral, a denominada Capela Dourada foi construída no séc. XVI, estando presidida também por um retábulo do estilo barroco (1621).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma foto do maravilhoso púlpito, realizado em 1580…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma porta no interior da igreja nos conduz ao claustro gótico, de finais do séc. XV, formado por várias capelas, algumas do estilo mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro lugar de interesse é a valiosa Biblioteca da Catedral, composta por cerca de 6 mil livros de Teologia, Filosofia e Línguas Clássicas, muitos dos quais pertencentes aos séculos XVI e XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita finaliza no alto da torre, onde contemplamos os sinos da catedral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu dos Caminhos – Astorga

Além de seu interesse arquitetônico, o Palácio Episcopal de Astorga é a sede do Museu dos Caminhos, onde poderemos admirar uma importante coleçao de obras de várias épocas e estilos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi reorganizado como museu a partir de 1962 pelo bispo Mérida Pérez para acolher peças religiosas provenientes de igrejas abandonadas da Diocese de Astorga, com o objetivo de melhor conservá-las.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA exposiçao ocupa a totalidade dos 4 andares do palácio, estando formada por esculturas e quadros, tendo o Caminho de Santiago como referência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto escultórico exposto é de grande qualidade e importância histórica-artística. O Apóstolo Santiago é representado em sua rica iconografia, em peças feitas de madeira policromada. Como Peregrino, vemos a peça abaixo, de finais do séc. XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA escultura abaixo pertence ao séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASantiago é representado também montando um cavalo, como nesta escultura do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma de suas representaçoes mais comuns, o apóstolo aparece derrotando aos muçulmanos, pois existem várias lendas que narram sua milagrosa apariçao no meio de batalhas entre cristaos e árabes, favorecendo a vitória dos primeiros. Neste aspecto, é conhecido como Santiago Matamouros, como vemos na escultura a seguir, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos admirar peças representativas de outros apóstolos, como Sao Pedro (esquerda) e Sao Paulo (direita), de finais do séc. XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu conta com uma bela coleçao de Virgens Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACristo Crucificado é o tema de outras peças de relevância, como as que vemos abaixo. A primeira foi realizada no séc. XIII e a segunda, no XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA coleçao exibe uma belo conjunto de quadros contemporâneos sobre o Caminho de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a pintura intitulada “Peregrino a su paso por Astorga”, do artista Mariano de Souza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom este post, concluímos a série sobre o Palácio Episcopal de Astorga. No entanto, a cidade guarda ainda algumas surpresas, como o curioso Museu do Chocolate, que veremos na proxima publicaçao…