Santo Domingo de Guzmán

Finalizo os posts sobre Caleruega com uma matéria sobre seu filho mais ilustre, Santo Domingo de Guzmán (Sao Domingos de Gusmão, em português), fundador da Ordem Dominicana, também denominada Ordem dos Predicadores, de grande importância na história do Cristianismo. Em frente ao Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega existe um monumento em sua homenagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo nasceu neste povoado em 1170 e faleceu com 51 anos de idade, na cidade italiana de Bolonha, em 1221. Filho de Félix Nuñez de Guzmán (conhecido como o Venerável Félix) e Juana Garcés (também chamada de Santa Juana de Aza, beatificada em 1828), teve dois irmãos maiores, Antonio e o Beato Manés, considerado um dos primeiros beatos dominicano. Abaixo, vemos sua família num mosaico situado no interior do Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo foi batizado na Igreja Paroquial de Caleruega, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Pia Batismal desta igreja foi levada ao Monastério de Santo Domingo El Real de Madrid, onde todos os membros da Família Real Espanhola são batizados. Abaixo, vemos o monastério na capital e a famosa Pia Batismal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo recebeu uma cuidada educação moral e cultural. Ao descobrir sua vocação missionária, foi predicar a doutrina católica aos cátaros em 1206, que professavam uma corrente cristã considerada herética pelo catolicismo oficial, iniciando desta forma o movimento dos predicadores. Neste ano, estabeleceu no sul da França sua primeira instituição religiosa feminina e, em 1215, a primeira fundação masculina. Também neste ano chega a Roma para assistir o Quarto Concilio de Letrán e solicitar ao Papa a aprovação de sua ordem como nova instituição religiosa. Para sua criação, escolhe a regra de Santo Agostinho, e em 22/12/1216 recebeu do Papa Honorio III a bula “Religiosam Vitam“, conformando a fundaçao da Ordem dos Predicadores. Abaixo, vemos uma escultura gótica do santo (1380/1410), feita de alabastro (Monastério de Santo Domingo de Caleruega).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFaleceu em 1221 no Convento Dominicano da cidade de Bolonha, e seus restos encontram-se enterrados na Basílica de Santo Domingo desta cidade italiana. Foi canonizado em 1234 pelo Papa Gregório IX. São Domingos, capital da República Dominicana, leva este nome em homenagem ao santo de Caleruega. A seguir, vemos outra escultura de Santo Domingo, datada de 1500 (Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma lenda a ele associada diz que o santo teve uma visão da Virgem com um rosário, ensinando-lhe como rezá-lo, ordenando-o para que difundisse a doutrina católica pelo mundo. Apesar de que o rosário fosse conhecido desde o século IX, o santo espanhol teve um papel fundamental na difusão do rosário, outorgando-lhe uma finalidade evangelizadora. Abaixo, vemos uma pintura do santo, do século XVII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das representações artísticas mais comuns do santo é a do cão com uma tocha na boca. Segundo a tradição, sua mãe, Santa Juana de Aza, antes do nascimento do filho, teve um sonho em que um cachorro saía de seu ventre, com uma tocha acesa na boca. Incapaz de compreender seu significado, decidiu buscar a Santo Domingo de Silos, fundador do famoso monastério beneditino situado próximo a Caleruega, realizando uma peregrinação a dita instituição. Ali finalmente compreendeu o sonho, e seu filho seria o responsável por difundir o “fogo” de Jesus Cristo ao redor do mundo através da predicação. Em outro mosaico do Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega podemos ver o episódio….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm agradecimento ao santo de Silos, a Beata Juana colocou o nome de Domingo ao seu filho, um nome apropriado pois se origina do latim “Dominicus“, que significa “Do Senhor“. Deste nome se originou a palavra “Dominicanus“, a denominação da ordem fundada pelo santo, um composto de “Dominus” e “Canis“, que significa “Cão do Senhor“. Na sacristia do Real Monastério de Caleruega se conservam dois sepulcros com os restos de seu irmão Antonio e de Félix de Guzmán, pai do santo, que vemos na foto abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm outras representações, Santo Domingo de Guzmán aparece segurando a Bíblia, fonte de predicação, ou com uma igreja na mão, que representa a Igreja Universal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHistóricamente, a Ordem Dominicana teve um papel preponderante, e nos últimos 900 anos, 4 papas pertenceram a ela, além de quase 3 mil cardeais e bispos. Muitos dos principais santos dominicanos desempenharam um relevante papel na arte, literatura e da filosofia. Entre alguns dos mais importantes, citamos: San Vicente Ferrer (1350/1419), predicador e filósofo, a mística Santa Catalina de Siena (1347/1380), Santo Tomás de Aquino (1225/1274), autor da “Suma Teológica” e principal representante da Escolástica, San Luís Beltrán (1526/1581), um dos primeiros missioneiros do continente americano, e Rosa de Lima (1586/1617), exemplo de vida religiosa na América Latina. Depois da descoberta da América, vários frades dominicanos defenderam o apoio aos direitos indígenas, como o espanhol Bartolomé de las Casas (1486/1566). A seguir, vemos um quadro com personagens relevantes da Ordem Dominicana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Ordem Dominicana está formada por cerca de 160 mil membros, dos quais 6 mil frades espalhados por 88 países continuam exercendo a obra predicadora do santo de Caleruega.

Real Monastério de Santo Domingo – Caleruega

O povoado de Caleruega deve sua existência a que atualmente é sua principal atração turística, o Real Monastério de Santo Domingo. Sua história se remonta um pouco depois da morte de Santo Domingo, fundador da Ordem dos Dominicanos, em 1221, quando seu irmão, o Beato Manés, ordenou a construção de uma capela no local de nascimento do santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o monastério esteve habitado por freiras pertencentes à Ordem de Santo Agostinho. Com a canonização de Santo Domingo no século XIII, o Rei Alfonso X “El Sábio” ordenou o traslado de monjas dominicanas ao monastério, que tornaram-se as proprietárias do Senhorio de Caleruega a partir deste momento. Ou seja, a vila de Caleruega passa a pertencer à comunidade de religiosas dominicanas deste monastério, fato que se prolongou até o século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um facsímil do documento original feito de pergaminho, no qual o Rei Alfonso X outorga o Senhorio de Caleruega ao Real Monastério de Santo Domingo, em 1266.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALodo depois, o monarca ordenou a construção de uma igreja gótica no local da antiga capela. Deste edifício do século XIII se conservam algumas interessantes esculturas religiosas, ambas do século XIII, como a do Arcanjo Gabriel e da Virgem da Anunciação em estado de gestação, uma representação rara em sua iconografia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa igreja gótica também se conserva o coro, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se construiu uma nova igreja no estilo renascentista, que é a que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave vemos um belo Retábulo Maior de estilo renascentista, com cenas relativas à vida de Santo Domingo, cujas pinturas foram realizadas por Blas de Cervera (1584/1643). Em sua parte superior, vemos um calvário de madeira executado por integrantes da escola de Gregorio Fernández, um dos principais escultores barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro do Monastério de Santo Domingo é muito bonito. Composto por dois níveis, o primeiro foi construído em pedra entre os séculos XIII e XIV, e o segundo é posterior, edificado somente no século XVIII, e construído com tijolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a decoração dos capitéis do nível inferior do claustro….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro se encontra o que restou do sepulcro da Infanta Leonor, filha do Rei Alfonso X “El Sabio”, além da roupa com que foi sepultada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX se construiu a cripta do monastério, presidido por um poço de água, em que a tradição o associa como o local exato de nascimento de Santo Domingo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita podemos apreciar várias obras artísticas, como esculturas de Santo Domingo e pinturas relacionadas com personagens relevantes da Ordem Dominicana, como a que vemos a seguir, um quadro do século XVII de Santo Tomás de Aquino, um dos mais importantes teólogos do cristianismo, e principal expoente da corrente denominada Escolástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1868, dentro dos processos desamortizadores do século XIX, o Real Monastério de Santo Domingo deixou de se a proprietária do povoado de Caleruega, que começa a se desenvolver como um núcleo urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo e último post sobre Caleruega, publicarei uma matéria sobre seu filho ilustre, Santo Domingo de Guzmán, e a Ordem dos Dominicanos por ele criada.

Caleruega – Província de Burgos

Depois de conhecer Coruña del Conde e a antiga cidade romana de Clunia, fomos visitar o povoado de Caleruega, também situado na Província de Burgos, precisamente na Comarca da Ribera del Duero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pequeno povoado de cerca de 500 habitantes sempre aparece na lista dos Pueblos mais bonitos da Espanha

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome está vinculado aos vascos, que desempenharam um importante papel de repovoamento depois que a cidade foi reconquistada aos mouros. Significa “terra de Cal“, graças às montanhas de pedra calcárea que rodeiam o município.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA existência de Caleruega se remonta ao século X, durante o processo de reconquista nos primórdios do território do antigo Reino de Castilla. Sua importância histórica se deve a que no povoado nasceu Santo Domingo de Guzmán, fundador da Ordem dos Dominicanos (Orden de los Dominicos, em espanhol), também conhecida como Ordem dos Predicadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs edifícios históricos de Caleruega estão vinculados a Ordem Dominicana, como o Real Monastério de Santo Domingo, que em breve veremos no blog, e o Convento dos Padres Dominicanos, construído em 1952. Ambos edifícios transformaram o povoado num dos principais referentes mundiais relacionados a ordem fundada por Santo Domingo de Guzmán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa época inicial de Caleruega se conservam monumentos importantes, como o Torreón de los Guzmanes, assim denominado porque tradicionalmente se acredita que esteve relacionado com a família de Santo Domingo de Guzmán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta torre de 20m de altura foi edificada no século XII, e formava parte do recinto defensivo criado pelos reis cristãos para impedir que os exércitos muçulmanos pudesem apoderar-se novamente destas terras. Constitui um dos poucos exemplos de torre defensiva de Castilla y León com um formato quadrado. A torre pode ser visitada, e em sua parte superior acolhe um museu relacionado com a Ordem dos Dominicanos, bem como com outros interessantes peças religiosas, como uma coleção de esculturas do Menino Jesus realizadas entre os séculos XVII e XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACuriosamente, o Convento dos Padres Dominicanos foi construído rodeando a torre, e atualmente a fortificação encontra-se integrada ao claustro do convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens do convento, cuja construção na metade do século XX levou em consideração a presença do Real Monastério situado ao lado, de forma que mantivesse uma uniformidade construtiva e arquitetônica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento importante de Caleruega é a Igreja de San Sebastián, construída no século XII no estilo românico. Deste período inicial se conserva a torre a o arco da entrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post publicarei uma matéria sobre o Real Monastério de Santo Domingo, construído no local de nascimento do santo fundador da Ordem Dominicana

Monastério de Silos – Província de Burgos

Como foi dito na matéria anterior, o Monastério de Silos é seguramente um dos mais famosos de todo o continente europeu. Em parte, essa fama se deve à conservação de seu impressionante claustro românico, que conheceremos em breve. Situado na vila homônima, construída junto ao monastério, está encravado no belo Vale de Tabladillo, um lugar propício para a oração e a vida religiosa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs dados conhecidos remontam a origem do Monastério de Santo Domingo de Silos ao séc.X, quando então estava dedicado a São Sebastião. Nesta época distante, a abadia encontrava-se num estado precário, devido principalmente às invasões militares do guerreiro árabe Almanzor em terras de Castilla. A partir do séc.XI, a paz se vai consolidando com a reconquista desta região. A situação do monastério começa a mudar com a chegada de Santo Domingo em 1041, procedente do Monastério de San Millán de Cogolla, situado na Rioja. Antes, porém, Santo Domingo havia sido acolhido pelo rei Fernando, que imediatamente lhe encarregou a direção do Monastério de Silos, graças a sua fama de santidade e pelo bom governo realizado no monastério riojano acima citado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo chegar, Santo Domingo encontrou o monastério no mesmo estado lamentável que antes. Logo restabelece a ordem monástica e planifica uma nova construção conventual, erguida no estilo românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASob sua direção, se constata uma notável atividade literária no monastério, quando numerosos códices são copiados e iluminados. Sua atividade, porém, não se resumiu ao monastério, participando em várias missões religiosas, como a libertação de reféns cristãos sob custódia dos muçulmanos. Santo Domingo faleceu em 1073, e seu culto se estendeu rapidamente por toda a península, convertendo-se no mais famoso dos santos castelhanos e um dos mais venerados do país. Abaixo, vemos o quadro pintado por Juan Ricci no séc. XVII, intitulado “A Morte de Santo Domingo de Silos“.

20150802_123739Santo Domingo foi enterrado num sepulcro na ala norte do claustro, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Abade Fortunio sucedeu a Santo Domingo no governo do monastério, e soube aproveitar o dinamismo iniciado pelo santo, permanecendo no cargo durante três décadas. Prosseguiu a construção iniciada, e a igreja românica foi consagrada em 1088. Nesta época, se observou uma grande quantidade de peregrinos, que começaram a chegar a Silos para venerar o sepulcro do santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém durante o governo do Abade Fortunio se ampliam as doações feitas ao monastério, como a realizada por Rodrigo Díaz de Vivar, o famoso herói castelhano El Cid. Em 1170, nasce não muito longe de Silos, Santo Domingo de Guzmán, cujo nome foi dado por sua mãe em homenagem a Santo Domingo de Silos. O filho seria conhecido na história como o fundador da Ordem dos Predicadores ou Ordem Dominicana. O Monastério de Silos alcançou seu apogeu, influência e riqueza no séc. XIII. A partir de então, inicia-se sua lenta decadência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XVI, o monastério é incorporado à Congregação de Valladolid, que revitaliza as comunidades beneditinas da Espanha, e Silos volta a ter uma época florescente. Deste século é a muralha que envolve o monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arco de entrada ao recinto monástico foi construído somente em 1739.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XVIII decidiu-se derrubar a antiga igreja românica. O arquiteto encarregado de edificar a nova igreja foi Ventura Rodríguez, que projetou um novo templo no estilo neoclássico, caracterizado pela austeridade decorativa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vida conventual recebeu um duro golpe com a Desamortização de Mendizábal em 1836, e 45 anos tiveram que passar antes de que uma nova comunidade de monges retornassem aos muros do Monastério de Silos. Em 1880, regressam à abadia, e nela permanecem até hoje. Um lugar de paz, tranquilidade, beleza, em que a história se mistura com a arte, e cuja visita recomendo sem hesitação…