Os Pueblos mais Belos de Espanha: Parte 9

Na matéria de hoje, vocês conhecerão outros pueblos existentes na Comunidade de Castilla y León, que merecem estar em minha lista pessoal dos mais belos da Espanha. Na Província de Ávila situa-se o pueblo de El Barco de Ávila (post publicado em 2/10/2012). Conta com pouco mais de 2 mil habitantes, mas possui um belo castelo e uma conservada ponte, que proporciona magníficas vistas do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Burgos podemos visitar vários pueblos de interesse, como Covarrubias (5 e 6/8/2015), considerado um dos pueblos medievais mais bem preservados da província…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo a Covarrubias está localizado Santo Domingo de Silos (matérias publicadas entre 8 e 12/8/2015), uma vila de grande importância histórica e religiosa, graças ao Monastério de Silos, que exerceu uma enorme influência em toda a Idade Média. Seu claustro é considerado uma das amostras do estilo românico mais espetaculares de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA A Província de Soria surpreende pela quantidade de belos pueblos, como Morón de Almazán (29/4/2013), que possui apenas pouco mais de 200 habitantes, mas que conta com uma excepcional Praça Maior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA Medinaceli (16/11/2012) é um dos pueblos mais conhecidos da Província de Soria. Fundada pelos romanos, conserva uma bela Praça Mayor e um arco romano de grande interesse histórico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Claustro Românico do Monastério de Silos

Estamos diante de uma obra prima do Românico Espanhol. O Claustro do Monastério de Silos é considerado um dos conjuntos mais belos de toda a Arte Românica, tanto por sua esbelta arquitetura, quanto pelo notável conjunto escultórico que possui.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComposto por dois níveis de galerias, o Claustro de Silos é um quadrilátero irregular, pois seus distintos lados possuem comprimentos diferentes. No centro, um belo jardim com um cipreste, louvado por poetas e escritores ao longo de sua história. O jardim do claustro é uma representação do paraíso, e sua forma quadrada está associada à Jerusalém Celestial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção iniciou-se durante a época de Santo Domingo e o Abade Fortunio, no final do séc. XI e princípio do XII. Felizmente, escapou da destruição da igreja românica no séc. XVIII, principalmente por falta de orçamento…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro da estrutura do conjunto monacal, o claustro ocupa um lugar destacado, como espaço de recolhimento, reflexão íntima, leitura e reuniões coletivas,  esta última realizada na Sala Capitular, uma das dependências que o compõem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo total, as galerias do Claustro do Monastério de Silos estão formadas por 60 arcos semicirculares, também denominados de meio ponto, típicos da arquitetura românica, sustentados por colunas duplas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs 64 capitéis existentes, duplos em sua maioria, foram talhados com uma técnica refinada, de uma beleza insuperável, constituindo um dos melhores conjuntos da escultura românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA temática, rica e variada, abarca desde motivos florais e geométricos até cenas historiadas e animais fantásticos. Em relação a este último tema, podemos admirar a representação de um dos animais mais representados no Românico, que integram o chamado Bestiário Medieval, a sereia (sirena, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém denominadas de Harpia, estes seres estão formados por uma cabeça de mulher e um corpo de ave. Como todos os demais fantásticos que aparecem no românico, possuem uma conotação simbólica, representando a música enganadora e corrupta, em contraposição a harmonia purificadora das musas. Portanto, possuem um caráter negativo, estando relacionado à imoralidade. Neste outro capitel abaixo, vemos uma variante da sereia, com uma serpente que sai de sua boca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre as cenas historiadas que vemos representadas nos capitéis, podemos ver uma dedicada à Santa Ceia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs autores desta obra incomparável são anônimos, mas  atualmente se conhecem como o Primeiro e o Segundo Mestres de Silos. No próximo post, veremos o conjunto de cenas que realizaram, e que deram fama ao claustro do monastério. Ao lado do sepulcro de Santo Domingo, que vimos no post anterior, vemos um relevo policromado onde o santo foi representado como o libertador de cristãos nas masmorras muçulmanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1384, um incêndio assolou o monastério, afetando a cobertura original do claustro. Poucos anos depois, um grupo de muçulmanos residentes na Vila de Santo Domingo de Silos (os conhecidos mudéjares) levantaram uma nova cobertura feita de madeira, denominada Alfarje. Realizado com grande riqueza cromática e baseado nos vitrais góticos e nos livros iluminados, combinam a tradição islâmica e a católica. Suas 700 cenas refletem os costumes da sociedade de finais do séc. XIV, sendo considerado uma das melhores amostras de Artesanato Mudéjar de toda a comunidade castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de Silos – Parte 2

O Monastério de Silos desenvolveu na Idade Média, principalmente quando esteve sob a direção de dois de seus principais personagens, Santo Domingo e o Abade Fortunio, uma grande atividade literária em seu scriptorium. Infelizmente, as principais obras realizadas no período encontram-se fora da Espanha. Um exemplo é o famoso “Beato de Silos“, uma cópia iluminada do conhecido “Comentários do Apocalipse”, escrito pelo Beato de Liébana. Este códice foi realizado logo depois da morte de Santo Domingo, e finalizado durante o governo do Abade Fortunio, em 1109. Atualmente, encontra-se no British Museum, de Londres. Abaixo, vemos um facsímil, ou seja, uma cópia exata do Beato de Silos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a atual Biblioteca de Silos, um local de estudos, onde podemos conhecer profundamente a história do monastério.

20150802_125203Ao longo de sua história, a curiosidade científica despertou grande interesse dentro da comunidade religiosa do monastério. Este fato pode ser comprovado no interessante laboratório que ainda se conserva, bem como na Botica ou farmácia, construída no séc. XVIII e que gozou de grande reputação. Em seu arquivo, se contabilizam cerca de 50 livros do séc. XVI sobre medicina, botânica e história natural.

20150802_12484720150802_125034Da antiga igreja românica desaparecida no séc. XVIII, o único elemento conservado, além de seu magistral claustro, é a Porta das Virgens, que comunicava a igreja com o claustro. Realizada entre 1120/1130, destaca-se por seu arco de ferradura e os capitéis talhados em suas colunas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da arquitetura e esculturas românicas presentes no claustro, que veremos no próximo post, podemos admirar o maravilhoso trabalho de metal realizado no período, verdadeiras obras primas do românico espanhol. Um exemplo, entre muitos outros conservados no monastério, é o Cálice de Santo Domingo, feito de prata dourada no próprio local no terceiro quarto do séc. XI, e utilizado pelo santo nas liturgias.

20150802_124546Na Sala Capitular, que também possui acesso através do claustro, os monges de Silos liam os capítulos da Regra de São Bento, escolhiam os novos membros da comunidade e discutiam temas relacionados à vida do monastério. Em 1503, transformou-se numa capela funerária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Algumas imagens chamam nossa atenção durante a visita ao Monastério de Silos. Uma delas, é a escultura gótica de N.Sra de Março, realizada entre os séc. XIII e XIV, que também se encontra no claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra imagem gótica preciosa é a da Imaculada de Silos, talhada em madeira policromada entre 1440 e 1450.

20150802_124422As próximas matérias estarão dedicadas ao imperdível Claustro Românico de Silos. Até lá…

obs: durante a visita ao Monastério de Silos, alguns lugares, como o claustro, por exemplo, as fotos estão permitidas. Em outros, porém, estão proibidas, como a biblioteca, a botica, o laboratório, e a sala onde encontramos os maravilhosos objetos litúrgicos do período românico. Para realizar esta matéria, foram copiadas as fotos do livro “Real Abadia de Silos”, que comprei no próprio monastério, cujo texto realizado por Clemente Serna González e Raúl Fernández González foram de ajuda inestimável para a obtenção de informações relativas à história do monastério. As fotos copiadas do livro são de autoria de Manuel Labrado. As demais fotos deste post são de minha autoria.

Monastério de Silos – Província de Burgos

Como foi dito na matéria anterior, o Monastério de Silos é seguramente um dos mais famosos de todo o continente europeu. Em parte, essa fama se deve à conservação de seu impressionante claustro românico, que conheceremos em breve. Situado na vila homônima, construída junto ao monastério, está encravado no belo Vale de Tabladillo, um lugar propício para a oração e a vida religiosa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs dados conhecidos remontam a origem do Monastério de Santo Domingo de Silos ao séc.X, quando então estava dedicado a São Sebastião. Nesta época distante, a abadia encontrava-se num estado precário, devido principalmente às invasões militares do guerreiro árabe Almanzor em terras de Castilla. A partir do séc.XI, a paz se vai consolidando com a reconquista desta região. A situação do monastério começa a mudar com a chegada de Santo Domingo em 1041, procedente do Monastério de San Millán de Cogolla, situado na Rioja. Antes, porém, Santo Domingo havia sido acolhido pelo rei Fernando, que imediatamente lhe encarregou a direção do Monastério de Silos, graças a sua fama de santidade e pelo bom governo realizado no monastério riojano acima citado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo chegar, Santo Domingo encontrou o monastério no mesmo estado lamentável que antes. Logo restabelece a ordem monástica e planifica uma nova construção conventual, erguida no estilo românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASob sua direção, se constata uma notável atividade literária no monastério, quando numerosos códices são copiados e iluminados. Sua atividade, porém, não se resumiu ao monastério, participando em várias missões religiosas, como a libertação de reféns cristãos sob custódia dos muçulmanos. Santo Domingo faleceu em 1073, e seu culto se estendeu rapidamente por toda a península, convertendo-se no mais famoso dos santos castelhanos e um dos mais venerados do país. Abaixo, vemos o quadro pintado por Juan Ricci no séc. XVII, intitulado “A Morte de Santo Domingo de Silos“.

20150802_123739Santo Domingo foi enterrado num sepulcro na ala norte do claustro, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Abade Fortunio sucedeu a Santo Domingo no governo do monastério, e soube aproveitar o dinamismo iniciado pelo santo, permanecendo no cargo durante três décadas. Prosseguiu a construção iniciada, e a igreja românica foi consagrada em 1088. Nesta época, se observou uma grande quantidade de peregrinos, que começaram a chegar a Silos para venerar o sepulcro do santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém durante o governo do Abade Fortunio se ampliam as doações feitas ao monastério, como a realizada por Rodrigo Díaz de Vivar, o famoso herói castelhano El Cid. Em 1170, nasce não muito longe de Silos, Santo Domingo de Guzmán, cujo nome foi dado por sua mãe em homenagem a Santo Domingo de Silos. O filho seria conhecido na história como o fundador da Ordem dos Predicadores ou Ordem Dominicana. O Monastério de Silos alcançou seu apogeu, influência e riqueza no séc. XIII. A partir de então, inicia-se sua lenta decadência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XVI, o monastério é incorporado à Congregação de Valladolid, que revitaliza as comunidades beneditinas da Espanha, e Silos volta a ter uma época florescente. Deste século é a muralha que envolve o monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arco de entrada ao recinto monástico foi construído somente em 1739.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XVIII decidiu-se derrubar a antiga igreja românica. O arquiteto encarregado de edificar a nova igreja foi Ventura Rodríguez, que projetou um novo templo no estilo neoclássico, caracterizado pela austeridade decorativa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vida conventual recebeu um duro golpe com a Desamortização de Mendizábal em 1836, e 45 anos tiveram que passar antes de que uma nova comunidade de monges retornassem aos muros do Monastério de Silos. Em 1880, regressam à abadia, e nela permanecem até hoje. Um lugar de paz, tranquilidade, beleza, em que a história se mistura com a arte, e cuja visita recomendo sem hesitação…

Santo Domingo de Silos – Província de Burgos

Existem lugares no território espanhol que devem sua existência a antigos monastérios situados numa determinada região. De fato, além de sua missão religiosa, na Idade Média os monastérios desempenharam um outro papel fundamental, o de repovoar zonas que anteriormente estiveram ocupadas pelos muçulmanos tendo, portanto, uma função importantíssima durante a chamada Reconquista. Este foi o caso da vila de Santo Domingo de Silos, situada na Província de Burgos (Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de Santo Domingo de Silos foi um dos mais importantes monastérios beneditinos não só da Espanha, como de todo o continente europeu (sua história veremos a partir do próximo post, incluindo seu maravilhoso claustro românico). A história da vila está intimamente relacionada a ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO atual núcleo urbano do povoado surgiu com o foro concedido à abadia em 1098 pelo rei Alfonso VI de León, permitindo a instituição religiosa povoar suas proximidades. A partir de então, os colonos estabelecidos na vila estavam sob a proteção e vassalagem do abade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vila de Santo Domingo de Silos dependeu do monastério até 1440, quando os monges a venderam à família dos Velasco. Ou seja, de origem eclesiástica, no séc. XV passou a ser uma vila senhorial. O povoado está situado a 1000m de altitude, estando cercado por montes de pedras calcáreas. Abaixo, vemos imagens de sua praça principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa primeira foto acima, podemos ver a torre da Igreja do Monastério de Silos. Na praça encontramos também a Igreja Paroquial de San Pedro, edificada no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo de Silos integra a denominada Rota de El Cid, composta por lugares onde passou o herói castelhano. Em alguns pontos do povoado, podemos ver restos da antiga muralha que cercava a vila, construída no final do séc. XIII e reforçada no XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas ermitas recordam também a importância sagrada do lugar, oferecendo belas vistas da vila. As primeiras fotos do post foram tiradas do local onde situa-se a ermita abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm passeio pela vila é um complemento perfeito à visita de seu incrível monastério. Eu e minha esposa dormimos uma noite na vila, para que pudéssemos apreciar sua beleza e encanto, com calma e devida tranquilidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA