Igrejas Fernandinas de Córdoba – Parte 2

A maior parte das chamadas Igrejas Fernandinas de Córdoba foram construídas entre os séculos XIII e XIV, segundo as correntes românicas e góticas, combinadas com elementos decorativos de estilo mudéjar, com amplas reformas realizadas no período barroco. Neste segundo post sobre este tema, veremos outras paróquias da cidade que se inserem neste contexto. A Igreja de Santa Marina foi uma das primeiras em ser construída, na segunda metade do século XIII, convertendo-se num núcleo de repovoação do bairro onde se localiza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada exterior possui um aspecto de fortaleza, maciça e austera, com grossos contrafortes que sustentam a estrutura e os típicos pináculos góticos. A roseta preside a fachada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a portada norte original, rematada por uma estrutura triangular e decorada com “dentes de serra“, além de uma imagem da santa titular, Santa Marina, uma santa oriunda de Galícia e que foi martirizada no século II dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre foi construída no século XVI, no estilo renascentista….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo sofreu vários incêndios, como o de 1880, quando teve que ser reconstruída. Restaurações recentes lhe devolveram o aspecto medieval que sempre ostentou. O interior foi reformado na época barroca, e carece de retábulo maior, destruído em 1936, durante a Guerra Civil. Abaixo, vemos uma foto do interior, formado por 3 naves, sendo a central mais larga que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto de madeira é algo típico das Igrejas Fernandinas, muitos dos quais apresentam elementos mudéjares. Esta igreja se situa no bairro dos toureiros, e a casa do famoso Manolete se encontra perto da igreja, mas não tive a oportunidade de conhecê-la. Depois da reconquista de Córdoba em 1236, várias ordens religiosas se  assentaram na cidade, como a Ordem de Santo Agostinho. Depois de várias sedes finalmente se estabeleceram na igreja que vemos na sequência, a denominada Igreja de San Agustín (original em espanhol), edificada a partir de 1328.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre pertence ao século XVI….

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém foi reformada no período barroco, que modificaram o exterior do templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando estive na igreja estavam preparando uma cerimônia de casamento e tive pouco tempo para fotografá-la. De qualquer forma, pude tirar algumas fotos das pinturas barrocas que a embelezam…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAParte integrante de um antigo convento, a Paróquia de San Francisco é outra das belas igrejas existentes na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem Franciscana foi instituída por Fernando III em Córdoba, e a imagem de Sao Francisco de Assis realça a fachada (foto acima). Testemunho de seu caráter conventual, a denominada Puerta del Compás serve de acesso à igreja desde a rua.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o antigo claustro, situado anexo à igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo o post com a Basílica de San Pedro, construído no local onde forma martirizados os santos cordobeses Fausto, Genaro e Marcial. No século IV se construiu um templo para acolher os restos dos santos mártires. Sobre este primitiva igreja se construiu a atual, entre os séculos XIII e XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante uma reforma no século XVI (1575), se encontraram os restos dos santos na cripta. O achado contribuiu para que a igreja fosse declarada Basílica Pontifícia e se transformasse num  local de peregrinaçao. Também do século XVI é a porta principal, que vemos acima, obra do arquiteto Hernán Ruiz II, realizador de diversas construções na cidade. Abaixo, vemos a imagem de São Pedro, que preside a fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPedro, junto com João e Santiago Maior, foram os amigos mais íntimos de Jesus, e testemunhos privilegiados de sua missão. Pedro foi martirizado na época do Imperador Nero, sendo crucificado de ponta cabeça, pois não se considerava digno de morrer da mesma forma que Cristo.

Catedral de Murcia

A Catedral de Murcia é considerada o monumento mais emblemático da cidade. Realmente, é uma verdadeira joia situada no coração da Murcia Medieval. Sua impressionante fachada principal preside a Praça do Cardeal Belluga, um dos principais pontos de encontro de seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída no mesmo local onde anteriormente se erguia a Mesquita Maior de Murcia. Dedicada à Virgem Maria, o primeiro que chama a atenção ao contemplá-la é sua impressionante combinação de estilos, fruto de sua prolongada construção e das distintas fases em que foi edificada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras da Catedral de Murcia se iniciaram em 1394 no estilo gótico e se prolongaram até 1751, quando foi terminada no estilo barroco. No entanto, sua consagração se deu muito antes, em 1467. A denominada Porta dos Apóstolos é um magnífico exemplo da Arte Gótica, construída em 1463. Seu nome se deve à representação dos apóstolos em sua parte lateral. Abaixo, vemos uma imagem geral da porta e as esculturas de São Pedro e São Paulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da Porta dos Apóstolos vemos o exterior da maravilhosa Capela dos Vélez, de finais do séc. XV, que veremos no próximo post.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das portas monumentais da catedral, denominada Porta das Cadenas, está localizada na Praça da Cruz, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta das Cadenas pertence ao estilo renascentista, e foi construída no séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Fachada Principal do templo possui merecidamente o título de uma das melhores amostras do Barroco Espanhol. Foi realizada pelo arquiteto Jaime Bert, no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi idealizada como se fosse um retábulo, com numerosas esculturas que a decoram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá dividida em dois corpos horizontais e três verticais, e a magnífica execução de suas esculturas a torna ainda mais bela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre as muitas que podem ser admiradas, sobressai o grupo escultórico da Coroação da Virgem Maria, situado na parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento de destaque no exterior da catedral é sua esbelta e imponente torre. Com 95m de altura, representa um dos símbolos da cidade e domina a paisagem urbana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira parte da torre foi levantada no estilo renascentista entre 1521 e 1555, por Jacobo Florentino, amigo de Miquelângelo, e Jerónimo Quijano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPorém, as obras tiveram que ser interrompidas até o séc. XVIII, momento em que o barroco era a corrente artística predominante. Por este motivo, o segundo corpo da torre, que compreende o relógio e as campanas, foi erguido neste estilo pelo arquiteto José López. Finalmente, Ventura Rodríguez rematou a torre com uma linterna neoclássica. A torre finalizou-se completamente em 1792, e possui 20 campanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa próxima matéria, descobriremos o interior da Catedral de Murcia

Sevilha: Metropol e I.San Pedro

Depois de deixar Cádiz, pude passar uma tarde em Sevilha, esta maravilhosa cidade da Andaluzia. Sevilha é um desses lugares em que é necessário visitar várias vezes, para conhecer seu enorme patrimônio histórico. Ainda me falta muito por conhecer. De qualquer forma, em algumas horas pude visitar locais imprescindíveis que não conhecia. Um deles situa-se na central Plaza de la Encarnación, o famoso Metropol Parasol, um tesouro da Arquitetura Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Metropol é uma imensa estrutura feita de madeira, com núcleo de concreto, que cobre todo o espaço da praça. Inaugurado em 2011, foi concebido pelo arquiteto alemão Jurgen Mayer como forma de reabilitação do lugar. Suas instalações incluem um mercado, estabelecimentos comerciais, locais para espetáculos e o Museu Aquarium, que exibe os restos arqueológicos encontrados durante as obras, de época romana. Também chamado de Setas de Sevilha (cogumelos), é considerada a maior estrutura de madeira de todo o mundo. Suas dimensões são de 150x70m, e 26m de altura. Sua forma proporciona uma grande sensação de movimento ondulatório.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2013, o Metropol foi escolhido, entre outros 335 projetos apresentados, como um dos 5 finalistas do prestigiado prêmio de arquitetura contemporânea Mies Van Der Rohe, criado em homenagem a um dos mais influentes arquitetos do séc. XX. Na parte superior da estrutura existe um grande mirante, com belas vistas do centro antigo de Sevilha. Lamentavelmente, se encontrava fechado e não pude caminhar por suas passarelas, algo que me possibilitaria uma outra perspectiva desta surpreendente construção. Sevilha possui uma grande quantidade de lindas igrejas, a maioria de importância histórica e artística. A Igreja de San Pedro, situada na praça homônima, é uma delas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi levantada sobre uma antiga mesquita em 1379, no estilo gótico-mudéjar. Durante os séculos XVI e XVII foi reformada. Entre 1613 e 1624, Diego de Quesada realizou a portada, decorada com uma escultura de São Pedro, obra de Martín Cardino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo corpo da torre podemos observar restos mudéjares, datados da época de sua fundação. A parte que acolhe o campanário foi construído no séc. XVI. Na Igreja de San Pedro foi batizado, em 6 de junho de 1599, o grande pintor sevilhano Diego Velázquez, como comprova uma placa comemorativa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O interior do templo possui diversas obras de interesse. O Retábulo Maior, por exemplo, está dedicado ao santo titular, executado pelos irmãos Felipe e Francisco Dionísio de Rivas, entre 1640 e 1662. Uma escultura de São Pedro preside o retábulo, realizado por Andrés de Ocampo. Cenas da vida do santo formam sua composição, que culmina no Calvário de Cristo. Em sua parte inferior, vemos uma imagem da Virgem da Assunção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma de suas capelas mais importantes é a do Sagrário, um dos poucos restos da primitiva igreja erguida no séc. XIV. Seu retábulo, feito de azulejos, está presidido pelo Jesús de la Salud, obra do séc. XVII realizada por Felipe de Rivas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras fotos do interior da Igreja de San Pedro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar a igreja, eu e minha esposa fomos à Casa de Pilatos, um dos principais objetivos de nossa viagem a Sevilha. Nossa grande expectativa foi amplamente superada, pois seguramente este palácio é um dos mais belos que conheci em toda a Espanha. Vocês terão a oportunidade de conhecê-lo detalhadamente, nas próximas matérias…

Catedral de Ciudad Rodrigo

Um dos monumentos mais destacáveis da cidade, a Catedral de Ciudad Rodrigo está dedicada a Santa Maria. Já no séc. XIX, precisamente em 1899, foi declarada Monumento Nacional, por sua importância histórica e pelas obras de arte que guarda em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Santa Maria de Ciudad Rodrigo foi construída a partir do séc. XII, durante o reinado de Fernando II de León, inserindo-se dentro do contexto estético do denominado estilo românico, em sua fase final (Românico tardio). No entanto, o aspecto que vemos atualmente é fruto de diversas reformas e ampliaçoes realizadas ao longo dos séculos. A parte externa do templo conserva, em grande medida, sua construçao original, com exceçao de uma de suas fachadas, levantada no séc. XVI, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs outras duas portas de acesso ao templo foram levantadas durante a fase inicial da construçao da igreja. A Porta de Amayuelas, por exemplo, foi construída no séc. XIII. No século seguinte foi colocado o rosetón que vemos acima da porta, sobre um tipo de arco chamado Conopial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta das Cadenas é a mais importante sob o ponto de vista artístico, graças a uma série de esculturas que a adornam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da porta, vemos 5 esculturas construídas em torno ao ano 1200. No centro, o Salvador, franqueado por Sao Joao, Sao Pedro, Sao Paulo e Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos a Sao Pedro no lado esquerdo (com um de seus principais atributos, as chaves) e Sao Paulo na direita ( com a Bíblia que o identifica com um dos principais evangelizadores do cristianismo). No centro, Cristo Salvador. Um pouco mais acima, vemos um conjunto escultórico gótico, esculpido aproximadamente em 1230, representando a 12 personagens do Antigo Testamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa lateral da Porta das Cadenas foi talhada uma escultura da Virgem Maria, segurando o Menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre foi erguida séculos depois do início da construçao (séc. XVIII), pelo arquiteto Juan de Sagarbinaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma foto geral da catedral, a partir do ábside.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, veremos o interior desta belíssima catedral….

Museu dos Caminhos – Astorga

Além de seu interesse arquitetônico, o Palácio Episcopal de Astorga é a sede do Museu dos Caminhos, onde poderemos admirar uma importante coleçao de obras de várias épocas e estilos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi reorganizado como museu a partir de 1962 pelo bispo Mérida Pérez para acolher peças religiosas provenientes de igrejas abandonadas da Diocese de Astorga, com o objetivo de melhor conservá-las.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA exposiçao ocupa a totalidade dos 4 andares do palácio, estando formada por esculturas e quadros, tendo o Caminho de Santiago como referência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto escultórico exposto é de grande qualidade e importância histórica-artística. O Apóstolo Santiago é representado em sua rica iconografia, em peças feitas de madeira policromada. Como Peregrino, vemos a peça abaixo, de finais do séc. XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA escultura abaixo pertence ao séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASantiago é representado também montando um cavalo, como nesta escultura do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma de suas representaçoes mais comuns, o apóstolo aparece derrotando aos muçulmanos, pois existem várias lendas que narram sua milagrosa apariçao no meio de batalhas entre cristaos e árabes, favorecendo a vitória dos primeiros. Neste aspecto, é conhecido como Santiago Matamouros, como vemos na escultura a seguir, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos admirar peças representativas de outros apóstolos, como Sao Pedro (esquerda) e Sao Paulo (direita), de finais do séc. XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu conta com uma bela coleçao de Virgens Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACristo Crucificado é o tema de outras peças de relevância, como as que vemos abaixo. A primeira foi realizada no séc. XIII e a segunda, no XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA coleçao exibe uma belo conjunto de quadros contemporâneos sobre o Caminho de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a pintura intitulada “Peregrino a su paso por Astorga”, do artista Mariano de Souza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom este post, concluímos a série sobre o Palácio Episcopal de Astorga. No entanto, a cidade guarda ainda algumas surpresas, como o curioso Museu do Chocolate, que veremos na proxima publicaçao…

Igreja de Santa Maria – Laguardia

O principal monumento de Laguardia é a Igreja de Santa Maria dos Reis, construída a partir do séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estilo original é o Românico, que podemos apreciar em seu muro ocidental, em frente à torre abacial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo é conhecido no país graças ao espetacular pórtico gótico policromado que ainda conserva e que, por si só, vale uma visita à vila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO pórtico foi realizado no séc. XIV e a policromia, no XVII. Construído em pedra, está composto por um típico arco apuntado gótico, formado por sua vez por 5 arquivoltas ricamente decoradas nas quais alternam-se figuras humanas (virgens, profetas,mártires, reis e anjos), com motivos vegetais. Nas laterais, observamos os apóstolos,que levam um livro ou entao objetos que lhe sao próprios e que servem de distinçao dos demais, como a chave de Sao Pedro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parteluz, uma coluna que divide o pórtico em dois, está decorado com uma escultura da Virgem dos Reis segurando o menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs cenas esculpidas no tímpano representam episódios da vida da Virgem e de Jesus, como a Anunciaçao, a Visitaçao, a Adoraçao dos Reis Magos, etc. Na faixa superior, vemos a Coroaçao da Virgem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAo interior da igreja é igualmente belo. Abaixo, vemos uma visao geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior foi esculpido no séc. XVII pelo artista Juan de Bascardó.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo se pode constatar, em sua parte superior está representada a Crucificaçao de Cristo, enquanto na central vemos a uma representaçao da Virgem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Românico em Aragón

O Românico Aragonês esteve vinculado às idéias e
influências recebidas pelo caminho de Santiago, sobretudo
francesas e da lombardia, já que a comunidade de Aragón
é o primeiro passo em território espanhol, dos peregrinos
vindos do sul da França. Entrando por Samport, se dirigiam
à cidade de Jaca, onde se pode contemplar sua magnífica catedral.
Imagem

Dedicada à São Pedro, o templo está considerado um dos mais
antigos e característicos de todo românico peninsular.
Sua construção iniciou-se quase ao mesmo tempo que
a catedral de Santiago de Compostela, a finais do séc.XI, sendo
finalizada no séc.XII. Como sede episcopal e, durante 20 anos
capital do Reino de Aragón, foi através da iniciativa do rei
Sanho Ramírez que se colocou sua primeira pedra.
A planta da catedral é do tipo basilical e com 3 naves, sendo a central
mais alta e larga que as laterais, disposição típica do românico.
Durante o Renascimento, em 1572, são colocadas novas
capelas e em 1598, a boveda da nave central.
Imagem

O sublime órgão foi construído em 1705.

Imagem

Na portada exterior, destaca o Crismón românico, que representa o
anagrama de Cristo e que consiste na junção das letras gregas X e P,
as duas primeiras letras do nome de Cristo no idioma grego.( Xpiotós ).
Pode também ser complementado com as letras alfa e ômega, represen-
tando neste caso a Cristo sendo o princípio e o fim de todas as coisas.
Na portada da catedral, porém, o leão da direita aplasta a um urso, significando Cristo como vencedor do pecado e da morte, e da esquerda, um homem penitente que se inclina diante dele, mostrando sua misericórdia divina.

Imagem

Outro monumento fundamental do Românico Aragonês é a Igreja de São Pedro de Huesca. O edifício que vemos atualmente data do séc.XII, considerado Monumento Nacional desde 1885, representando um dos conjuntos mais destacados da Comunidade de Aragón. Estudos arqueológicos revelaram sua origem romana.
A fachada exterior, igualmente que a catedral jaques, representa a um crismón sustentado por anjos.
Imagem

Alberga no claustro os sepulcros dos reis aragoneses Alfonso I, o batalhador, e do seu irmão e sucessor Ramiro II, o monje, estando considerado como panteão real.
No interior, destaca o retablo maior, de madeira policromada e realizado no séc.XVII.

Imagem

Se conservam restos de pinturas murais, os únicos que sobreviveram da antiga decoração pictórica que adornava a igreja.
Imagem

A nave central está coberta pelas típicas bôvedas de cânon.
Existe constância do órgão sendo reformado desde o séc.XVI.
Imagem

O portal de acesso ao coro é uma obra barroca, e no alto as estátuas de São Vicente, no centro, e dos santos Justo e Pastor ao seu lado.
Imagem

O famoso claustro está formado por colunas duplas e elaborados capitéis que representam a fatos históricos da vida de Cristo, bem como cenas de caráter alegórico.

Imagem

A metade dos 38 capitéis existentes permanecem em seu estado original, e a outra são reproduções feitas no séc.XIX.
Imagem

Imagem