Monastério de San Salvador de Oña

A história do povoado de Oña está intimamente relacionada com o poderoso Monastério de San Salvador, uma das instituições religiosas mais influentes do antigo Reino de Castilla. Tal era sua importância que os abades do monastério se converteram em Senhores de Oña.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de San Salvador foi fundado no ano de 1011 pelo conde castelhano Sancho García como um monastério duplo, isto é, feminino e masculino. O conde concedeu à sua filha Tigridia o destino da instituição até 1033, quando uma reforma introduziu a Ordem Beneditina em sua direção. É a partir deste momento quando maior crescimento e influência adquire. Abaixo, vemos uma estátua do conde fundador realizada pelo artista Bruno Cuevas e colocada na frente do monastério em 2011, com motivo da celebração de seu milenário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério chegou a ter sob sua jurisdição mais de 70 outros monastérios e igrejas espalhados pelo norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma nova fase de prosperidade ocorreu a partir de 1506, quando se integra à Comunidade Beneditina de Valladolid. No século XVI, nele se fundou a primeira escola de surdos-mudos de todo o mundo, graças ao trabalho desenvolvido pelo frade beneditino Fray Pedro Ponce de León, descobridor da linguagem utilizada até os dias de hoje pelos surdos. Também recebeu sua justa homenagem pela Confederação Nacional de Surdos da Espanha, em virtude da comemoração do quarto centenário de seu falecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem Beneditina permaneceu no monastério até que a invasão francesa do início do século XIX e a posterior Desamortização de Mendizábal provocaram destruições na construção e seu posterior abandono. Abaixo, vemos o Pórtico dos Reis, situado na entrada do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1835 a igreja do monastério se converte na Paróquia de Oña. As dependências do monastério somente voltarão a ser ocupadas em 1880, quando foram adquiridas pela Ordem dos Jesuítas, que instalaram um colégio com cursos de Teologia e Filosofia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, em 1968 o monastério é adquirido pelo estado, que o transforma num hospital psiquiátrico e numa granja agrícola. O monastério é visitável, mas infelizmente as fotos não estão permitidas em seu interior, com exceção do claustro. A igreja foi construída no século XII e reformada no XV no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da igreja encontra-se o Panteão Real dos Reis de Castilla, formado por arcas sepulcrais feitas com madeira de nogal e ricamente esculpidas, considerado um conjunto único na Espanha. Também se conserva o Panteão dos Condes Castelhanos, com os restos do conde fundador, Sancho García (falecido em 1017), de sua esposa Urraca e do filho de ambos, o infante García Sánchez, assassinado em 1029 na cidade de León, no dia de seu casamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Claustro, realizado no início do século XVI por Simón de Colonia no estilo gótico-flamígero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro possui dois níveis, sendo o inferior do século XVI e o superior do XVII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério conserva seus jardins, que permanecem abertos para o público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveito para agradecer a hospitalidade e a simpatia da Veronica, proprietária do Hotel e Restaurante Rincón del Convento, estratégicamente localizado em frente ao monastério. Nele nos hospedamos durante os três dias em que permanecemos em Oña, disfrutando de seu conforto e de sua saborosa comida.

Cartuja de Miraflores – Burgos

A Ordem dos Cartuxos é considerada uma das mais austeras de todas as ordens religiosas criadas na Idade Média. Durante toda sua existência, professou o voto de pobreza como nenhuma outra, não caindo na ostentação e no luxo de suas instituições. Foi fundada em 1084 por São Bruno (1030/1101), um monge alemão que mudou-se para a França, onde se fundou o primeiro monastério da ordem, situado na Provença, em 1147. Os monges cartuxos são, na realidade, eremitas que vivem em comunidade e suas vidas estão regidas pelos princípios da contemplação e oração. Abaixo, vemos uma estátua de São Bruno, realizada pelo escultor Manuel Pereira em 1652. Apesar de ter nascido no Porto (1588), em Portugal, viveu a maior parte de sua vida em Madrid, onde faleceu em 1667.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Espanha, um dos principais conventos da ordem situa-se a 7 km da cidade de Burgos, a conhecida Cartuja de Miraflores. Para conhecer sua história, é necessário voltar ao ano 1401, quando o rei Enrique III decidiu construir um palácio de recreio. Depois, o monarca manifestou o desejo de transformá-lo num convento franciscano. Recebeu o nome de Miraflores, o nome tradicional de pagamento na época. Com sua morte, seu filho Juan II realizou o sonho do pai em parte, pois embora transformasse o palácio numa instituição religiosa em 1441, decidiu que seria governada pelos cartuxos.

20150726_141000Quando as obras começaram, um incêndio destruiu todo o conjunto em 1452. Dois anos depois foi reconstruído pelo arquiteto Juan de Colonia. Com a morte deste monarca, as obras foram retomadas somente durante o reinado de sua filha, a rainha Isabel La Católica. Esse fato sucedeu quando Isabel foi visitar o sepulcro de seu pai, que se encontra no interior do convento, e encontrou o local num estado deplorável. Para reformá-lo, contratou a Simon de Colonia, filho do arquiteto acima mencionado. Em 1488, as obras foram finalizadas.

20150726_141055A invasão napoleônica no início do séc. XIX resultou na perda de importantes peças artísticas, como o retábulo pintado por Juan de Flandes no final do séc. XV. No entanto, se conserva uma cópia do famoso retrato que o pintor realizou de Isabel la Católica, personagem que tanto se empenhou em terminar as obras da igreja, bem como o excepcional sepulcro de seus pais. O artista retrata a rainha em sua idade madura, sem qualquer tipo de idealização. O original se encontra no Palácio de El Pardo, em Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém no séc. XIX, a Desamortização de Mendizábal de 1836 fez com que a comunidade de religiosos abandonasse a Cartuja de Miraflores, retornando ao lugar somente em 1880. O interior nos mostra as características principais dos conventos da ordem, um claustro em torno dos quais são colocadas as celas dos monges, e a igreja, formada por apenas uma nave. Abaixo, vemos a fachada principal do templo, com o escudo de Juan II sustentado por dois leões. No tímpano, vemos uma expressiva imagem da Piedade, rematado com uma estrutura que acolhe as armas da Rainha Isabel La Católica, na parte superior da fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja se divide nos clássicos espaços das cartujas, dedicadas aos irmãos conversos e aos padres. Para entra ao coro dos padres, é necessário passar por uma estrutura de separação, constituída por dois retábulos barrocos do séc. XVII, que representam a Adoração dos Magos e a Sagrada Família.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, uma porta rematada pela escultura da Imaculada com dois anjos, realizada pelo artista barroco Bernardo de Elcarreta. Na parte inferior, vemos a inscrição Felix Coeli Porta, cuja tradução significa Feliz Porta do Céu, uma frase utilizada no hino a Virgem Maria “Ave Maris Stella“.

20150726_133635A seguir, vemos o coro dos padres, uma excepcional obra de carpintaria realizada em madeira de nogal em 1498.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns detalhes da igreja, como a bôveda e um dos vitrais que a decoram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post veremos a segunda parte da matéria sobre a Cartuja de Miraflores, não percam…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Burgos Medieval

O riquíssimo patrimônio histórico e artístico de Burgos muitas vezes é “eclipsado” pela beleza de sua catedral. Dessa forma, muitos monumentos de um extraordinário valor tornam-se desconhecidos para a maioria dos visitantes que chegam a cidade. Um exemplo é a Igreja de San Nicolás de Bari, situada em frente a Praça de Santa Maria, aberta aos pés da catedral desde o séc. XV, quando várias casas foram derrubadas para sua construção. No entanto, o aspecto atual da praça é do séc. XVII, quando foi colocada a Fonte da Virgem com o Menino Jesus rodeado por querubins, realizada pelo artista Clemente de Quintana. Ao fundo da foto abaixo, ergue-se a referida Igreja de San Nicolás.

20150727_105829Apesar de ser uma das igrejas mais antigas de Burgos, muitos desconhecem as impressionantes obras que possui. Sua existência está documentada desde 1163, mas o templo atual foi erguido a partir de 1408, quando foi patrocinada pela família López Palanco como local para seu sepultamento. Os membros desta nobre família sentiam especial devoção por San Nicolás, padroeiro dos navegantes, já que eram proprietário de um navio mercante. De sua sóbria arquitetura exterior destaca a portada composta por um arco gótico, arquivoltas decoradas e o tímpano, com uma representação de San Nicolás na cátedra, acompanhado por São Sebastião e o burgalês San Vitores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMas o que realmente impressiona a qualquer pessoa que visite seu interior é o Retábulo Maior da igreja, projetado por Simon de Colonia e executado por seu filho Francisco de Colonia. Esta família de artistas deixou um maravilhoso legado de seu trabalho na Catedral de Burgos, como vimos nos posts anteriores, assim como em outros lugares emblemáticos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste retábulo feito de pedra em 1505 é considerado um dos mais espetaculares de todo o patrimônio espanhol. Nele vemos em sua parte central uma estátua de San Nicolás rodeado por 8 cenas que nos contam episódios de sua vida e alguns dos milagres a ele atribuído.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm cima da estátua do santo vemos a Coroação da Virgem, cercada por um coro angelical, os evangelistas e a figura de São Miguel em sua parte inferior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da igreja, existe outro retábulo maravilhoso, dedicado a São Miguel. Consta de 10 tábuas hispanos flamencas realizadas pelo chamado Mestre de San Nicolás na segunda metade do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a representação de São Miguel na parte central do retábulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa pintura, o grande destaque do interior da Igreja de San Nicolás é o excepcional Juízo Final, obra realizada por Alonso de Sedano em 1515.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO tantas vezes mencionado Simon de Colonia foi também o responsável pela construção de um dos monumentos de caráter civil mais conhecidos de Burgos, a Casa del Cordón (Casa do Cordão, em português).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste impressionante edifício foi construído por Simon de Colonia nos anos 80 do séc. XV, por encargo do Condestable de Castilla D.Pedro Fernández de Velasco e sua esposa Doña Mencia de Mendoza, cuja famosa capela e sepulcro vimos na matéria anterior sobre a Catedral de Burgos. A Casa del Cordón foi ampliada nos séculos XVI e XVII e seu nome se originou pelo cordão franciscano que decora sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1853 se construíram as torres e os imponentes balcões foram feitos por Vicente Lampérez no começo do séc. XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio se articula por um grande pátio construído nos finais do séc. XV. Atualmente, o edifício é a sede de uma instituição financeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa del Cordón foi residência real e cenário de acontecimentos transcendentes tanto para a Espanha, quanto para o mundo, pois nela os Reis Católicos receberam a Cristovão Colombo quando regressou depois de sua segunda viagem a América. Anos depois, os monarcas receberam a Gonzalo Fernández de Córdoba, conhecido como “El Gran Capitán”, graças as vitórias militares que obteve em solo italiano, que proporcionaram uma ampliação dos territórios da Coroa Espanhola. Na casa faleceu também o rei Felipe Hermoso em 1506, esposo da conhecida Juana, filha dos Reis Católicos e herdeira do Reino de Castilla, mas que foi impossibilitada de assumir o trono depois da morte de sua mãe a rainha Isabel la Católica, pela instabilidade de sua personalidade, cujo apelido tornou-se conhecido para a posteridade como Juana “La Loca”

Catedral de Burgos – Parte 3

Na segunda metade do séc. XV, chegaram a Burgos uma grande quantidade de artistas procedentes do norte da Europa, especialmente de Flandes, Alemanha e França. Muitos deles colaboraram com sua genialidade para a beleza da Catedral de Burgos, ao construírem muitas de suas partes mais famosas. Um desses artistas foi Simon de Colonia (falecido em 1511), filho de Juan de Colonia (falecido em 1481), que também deixou um legado importante na construção da catedral. Simon de Colonia foi o responsável pela maravilhosa Capela do Condestable, denominada também da Purificação. Abaixo, vemos seu aspecto exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela funerária foi finalizada por Simon de Colonia em 1494, a ele encarregada  por D.Pedro Fernández de Velasco (1425/1492), que possuía os títulos nobiliários de Conde de Haro, Senhor de Burgos e Condestable de Castilla, e por sua esposa, Doña Mencia de Mendoza (1422/1500), membro da poderosa linhagem dos Mendoza e irmã do Duque de Infantado. A Capela do Condestable é considerada uma das melhores obras construídas em Castilla neste período.

IMG_2851Simon de Colonia combina o estilo germânico com formas espanholas, criando nesta capela um grandioso espaço inspirado na arquitetura gótica alemã. A capela foi levantada sobre a antiga capela de São Pedro, situada na cabeceira do templo. Além dela, foram destruídas várias casas que se encontravam nas imediações da catedral. A capacidade deste artista pode ser comprovada na esbelta cúpula octogonal que realizou para esta capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos muros da Capela do Condestable podemos ver os escudos dos patrocinadores, a ambos lados do retábulo central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA capella possui 3 retábulos, sendo que o central representa a Purificação, concebido no estilo renascentista, provavelmente projetado pelo francês Felipe Vigarny e pelo burgalês Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da capela vemos o Sepulcro do Condestable de Castilla e de sua esposa, realizado por Felipe de Vigarny em 1525, com mármore genovês. Representa a ambos de forma idealizada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO título de Condestable foi criado pelo rei Juan I de Castilla para substituir o de Alferez Maior do reino. Aos nobres com tal denominação recaiam o comando supremo do exército, sendo considerados o maior representante do rei durante sua ausência. O monarca Enrique IV nomeou a Pedro Fernández de Velasco como Condestable de Castilla, a partir do qual o título se torna hereditário. Outra capela funerária de renome na Catedral de Burgos é a Capela da Concepção ou de Santa Ana, realizada por Juan de Colonia e seu filho, e terminada em 1483. Nela situa-se o magistral Retábulo Maior de Gil de Siloé, executado entre 1486 e 1492, que narra o mistério da Concepção Imaculada de Maria.

IMG_2848No centro do retábulo vemos o abraço de São Joaquim e Santa Ana diante da porta dourada de Jerusalém. Abaixo, o patriarca José aparece deitado e de seu peito nasce uma árvore que representa a descendência humana de Cristo. Gil de Siloé (nascido em Antuérpia, na Bélgica) é considerado o escultor mais importante da escola burgalesa do séc. XV e responsável por algumas das mais belas obras da arte hispano-flamenca, com um domínio técnico excepcional. Na Capela da Consolação ou de Sao José, vemos outra obra maravilhosa, uma bôveda octogonal e estrelada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos filhos de Gil de Siloé, conhecido como Diego de Siloé, nasceu em Burgos em 1495. Ficou tão famoso quanto o pai, e dele é uma das construções mais famosas de toda a catedral, a Escalera Dourada. Inicialmente trabalhou como escultor, e a Escalera Dourada foi sua primeira obra arquitetônica. Possui um caráter mais próprio das construções civis que religiosas, e para sua realização inspirou-se em modelos italianos, que conheceu pessoalmente durante uma viagem a Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sacristia da Catedral de Burgos apresenta uma bela cúpula oval repleta de uma decoração rococó, composta por cenas com motivos marianos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos outra imagem da Sacristia, com os retábulos nela existentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nossa visita a Catedral de Burgos com uma foto do Retábulo Maior (infelizmente um pouco desfocada…), executado pelos irmãos Rodrigo e Bartolomeu da Haya. As cenas que o compõem foram dedicadas à Virgem Maria, e sua representação foi feita para exaltar sua figura, através de episódios e personagens relacionados a sua vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero ter contribuído satisfatoriamente para mostrar um pouco desta belíssima catedral, e só por conhecê-la, uma visita a Burgos se torna amplamente recomendável.

Catedral de Astorga

 A Catedral de Astorga, dedicada a Santa Maria, é a sede episcopal da Diocese de Astorga, uma das mais antigas do país, documentada desde o séc. III com o título de Apostólica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO atual templo substituiu um anterior românico consagrado em 1069, e provavelmente finalizado no séc. XIII. Poucos sao os datos referentes a esta construçao, e dela nao se conserva nada. A Catedral foi construída a partir do ábside em 1471 no estilo gótico e prosseguiu nos séculos posteriores.  Desta primeira fase, os arquitetos principais foram Juan de Colonia e seu filho, Simon de Colonia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XVI, o famoso arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón realizou a portada sul, no estilo renascentista (1551).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta portada vemos no tímpano a figura de Deus Pai que, com a mao direira realiza a bendiçao e com a esquerda, segura a esfera do mundo. Abaixo, a Virgem da Assunçao coroada por anjos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Astorga foi afetada pelo terremoto de Lisboa de 1755, bem como durante a Guerra de Independência contra os franceses no séc. XIX, principalmente no claustro. No alto da igreja, vemos a figura de um maragato, que tornou-se um dos símbolos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal é impressionante, sendo considerada um triunfo do Barroco Leonês. Foi levantada no séc. XVIII, e foi concebida como um grande retábulo feito de pedra pelos arquitetos Francisco e Manuel Alvear, pai e filho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADestacam as tres portadas ricamente esculpidas, limitadas em suas laterais pelas torres, que se unem ao corpo central por meio de elegantes arbotantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada central é mais larga que as laterais, com um rico conjunto iconográfico, inspirado em episódios do Evangelho: Purificaçao do templo, Parábola da mulher adúltera e o Descendimento de Cristo, no centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo meio da fachada, aparece uma imagem da Virgem Maria, a quem está dedicado o templo. O tímpano triangular representa a Santiago, que recebe os peregrinos que chegam à cidade. No vértice do triângulo, a representaçao mística do cordeiro, custodiado por 4 anjos. Ao lado, duas esculturas dos apóstolos Pedro e Paulo. Abaixo, vemos um detalhe da fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs duas torres quadradas que se elevam na fachada possuem tonalidades diferentes, e foram rematadas com uma estrutura de ardósia (pizarra). A torre velha foi construída a partir de 1678, e somente foi concluída no séc. XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre nova, construída com pedras de tonalidade rosácea, foi erguida em 1692 e finalizada em 1704.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, conheceremos o interior da Catedral de Astorga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de Santa Maria – Aranda del Duero

O monumento mais importante de Aranda del Duero, histórica e artisticamente falando, é a impressionante Igreja de Santa Maria “La Real”. Construída a partir de finais do séc. XV, foi finalizada aproximadamente em 1515, substituindo uma anterior edificação românica, da qual permanece somente a torre, que formava parte do sistema defensivo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA bela estrutura da torre destaca-se no traçado urbano de Aranda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA incrível fachada principal da igreja atrai os olhares de todos aqueles que a visitam. Construída pelo arquiteto Simon de Colônia, converteu-se num dos símbolos da cidade, sendo o melhor exemplo do esplendor vivido pela urbe na época de sua construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada está inserida dentro do estilo denominado Gótico-Isabelino, também chamado de Estilo Reis Católicos, já que a maioria das construções foram encarregadas por Fernando de Aragón e Isabel de Castilla, ou então foram patrocinados pelos monarcas. Esta corrente artística é própria do território de Castilla, representando a fase final do Gótico e o início do Renascimento. O estilo introduz vários elementos decorativos, que cumprem as funções estética e teológica, além de servir como um “veículo publicitário” do casal real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Gótico-Isabelino adquiriu influências decorativas da Arte Islâmica, do Mudéjar, dos Países Baixos e, em menor medida, da Itália. Paralelamente, desenvolveu-se em Portugal um estilo de características similares, denominado Manuelino. Como elementos evidentes, destaca o predomínio dos motivos heráldicos e a representação dos símbolos reais, no caso dos Reis Católicos, o yugo e as flechas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGeralmente, os templos são amplos, predominando a horizontalidade, em detrimento da verticalidade característica do Gótico clássico. Na fachada da igreja, observamos uma rica iconografia. A parte central está representada por cenas relativas ao Calvário de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior, o escudo real está suspenso por águias e leões.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo tímpano, vemos quatro cenas esculpidas em alto-relevo, com grande maestria. Começando pela parte superior esquerda, vemos as representações do Anúncio do anjo aos pastores, a Cavalgada dos Reis Magos, a Adoração dos reis a Jesus e o Nascimento de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs portas que fecham os vãos formados pelo Parteluz são Renascentistas, feitas de madeira de nogal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Parteluz, vemos uma imagem da Virgem, a quem está dedicado o templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma das laterais, estão representados os quatro Pais da Igreja Ocidental: Santo Ambrósio, Santo Jerônimo, Santo Agostinho e Santo Gregório Magno.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor todo o visto acima, a fachada é considerada como um verdadeiro Retábulo, feito de pedra. A Igreja de Santa Maria é, com razão, um dos templos góticos mais proeminentes da Província de Burgos. Abaixo, vemos os pináculos, elementos constituintes da parte superior do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma foto do ábside.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALamentavelmente, nos dias em que estive visitando a cidade, a igreja permaneceu fechada, e não pude conhecer seu interior. De qualquer modo, os interessados em conhecê-lo podem visualizar este interessante blog, com belas fotos e informações adicionais da igreja (em espanhol).

viajar con el arte: Santa María la Real de Aranda de Duero (Burgos)

viajarconelarte.blogspot.com/…/burgos-ii-santa-mari

Outros monumentos representativos do Gótico-Isabelino foram tratados no meu blog. São eles:

– O Colégio de San Gregório, de Valladolid (post publicado em duas etapas, em 17 e 18/9/2012).

– O Monastério de San Juan de los Reyes, de Toledo (publicado em 29/6/2012)