Fórum Romano de Tarragona – Parte 2

Neste segundo post sobre o Fórum Romano de Tarragona veremos outros vestígios arqueológicos pertencentes ao incrível conjunto de restos romanos da antiga Tarraco que se conservam na cidade, declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Como dito na matéria  anterior, o Fórum constituía o centro da vida pública de qualquer cidade romana, estando composto por seus principais edifícios administrativos, religiosos e jurídicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta segunda zona pertencente ao Fórum Romano de Tarraco é visitável, mediante o pago de uma modesta entrada. Seus vestígios arqueológicos foram documentados por primeira vez na segunda metade do século XIX, com a derrubada das antigas muralhas renascentistas. Abaixo, vemos um busto em homenagem a Joan Serra i Vilaró, o primeiro em escavar as ruínas desta parte do Fórum Romano de Tarraco, em 1930.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto está formado por duas zonas separadas por uma rua e unidos por uma pequena ponte…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta é considerada a praça inferior do Fórum, ao estar situada numa zona mais baixa da cidade. Tinha umas dimensões impressionantes, de 318 m de comprimento por 175 m de largura, estando cercada em três de seus lados por uma complexa estrutura de pórticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Fórum situava-se o denominado Templo Capitolino, o principal de Tarraco, em homenagem à tríade romana formada pelas divindades Júpiter, Juno e Minerva. Sua parte conservada se restringe à sua fundação estrutural feita com o chamado cimento romano (Opus Caementicium).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma reconstrução gráfica idealizada do monumento…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local imprescindível no Fórum Romano era a Basílica, um edifício de 3 naves separados por colunas, com finalidades administrativas, políticas e, principalmente, jurídicas, além de constituir um ponto de encontro social.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma sala central presidia o interior da Basílica, onde se reunia o senado local, ou Curia. Seu exterior estava formado por colunas de ordem coríntia, 14 delas dispostas em seu comprimento e 4 colunas em seu sentido lateral (14×4). Posteriormente, os cristãos utilizaram a estrutura das basílicas romanas para a construção de suas igrejas, motivo pelo qual muitas delas, principalmente catedrais, possuem uma planta basilical.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs quarteirões das casas estavam delimitados por ruas de pedra com uma largura de 6 metros. O planejamento urbano das cidades romanas estava composto por duas ruas que se cruzavam perpendicularmente, o Decumano (sentido leste-oeste) e o Cardo (orientação norte-sul). O Decumano principal denominava-se Decumanus Maximus, que cruzava com o Cardo Maximus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro desta zona do Fórum Romano de Tarraco se conservam também vestígios de casas e pequenos comércios. Abaixo, vemos uma cisterna que pertenceu a uma residência construída no século II aC, anterior portanto à própria construçao do Fórum.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade de Mérida (situada na Comunidade de Extremadura) foi, junto com Tarraco, uma das principais cidades romanas de Hispania. Antiga Emerita Augusta, foi a capital da Província da Lusitânia. Uma placa oferecida à cidade de Tarragona pela “hermana histórica” foi colocada dentro da área protegida do Fórum.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de todos estes monumentos pertencentes ao seu passado romano que estamos vendo no blog, se conservam outros lugares icônicos da antiga Tarraco, situados a poucos quilômetros da cidade, como o Aqueduto. Construído no século I dC, originalmente tinha 15 km de extensão, dos quais foram preservados “apenas” 217 m de comprimento e 27 m de altura em sua parte central. Uma pena que não tive a oportunidade de visitá-lo…

Tarragona Romana – Patrimônio da Humanidade

O Conjunto Arqueológico de Tarragona, referente ao seu passado romano, é considerado um dos mais importantes de toda a Hispania, razão pelo qual foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2000. Representa o assentamento romano mais antigo de toda a Península Ibérica, com muitos monumentos conservados.

DSC02067Dois foram os critérios estabelecidos pela Unesco para que a Tarragona Romana recebesse esse almejado título. O primeiro deles: “Os restos romanos de Tarraco são de uma importância excepcional no desenvolvimento do planejamento urbano romano, servindo de modelo para as capitais provinciais do Império Romano“. Em segundo lugar: “Proporcionam um testemunho eloquente e incomparável de uma etapa significativa na história das terras mediterrâneas da antiguidade”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua muralha é a construção mais antiga de toda a Tarraco Romana. Foi construída no final do século III aC, e ampliada no século II aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, a muralha romana tinha 3500m de perímetro, dos quais se conservam 1100m, que rodeia o Centro Histórico de Tarragona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das torres originais foram preservadas, como a chamada Torre de Minerva e a do Arcebispo. A muralha pode ser conhecida em sua totalidade num Paseo Arqueológico, cuja entrada vemos abaixo:

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma das portas da muralha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma foto da parte interior da muralha, junto ao centro histórico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha romana sofreu diversas modificações ao longo da história…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1368, se construiu uma nova muralha medieval denominada “La Muralleta“, cuja construção mais emblemática é a Torre de les Monges.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta torre de formato octogonal estava situada num dos extremos da Muralleta. Em 1530, diante do medo de um ataque marítimo, a torre transformou-se num ponto de vigilância costeira. Esta torre encontrava-se junto ao Circo Romano, que em breve veremos no blog, e sua fachada converteu-se no muro interno desta fortificaçao do século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralleta estava composta por 4 torres, e esta é a única conservada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra modificação se realizou no século XVIII, em 1737, durante o reinado de Fernando VI. Uma antiga porta medieval, o chamado Portal de Sant Antoni, foi reformado no estilo barroco, adquirindo um aspecto de Arco de Triunfo. Em sua parte superior, foi colocado o escudo do monarca, que atualmente encontra-se bastante desgastado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tarragona Romana

Qualquer pessoa que visite Tarragona ficará surpreendida com sua impressionante e longa história. O território onde se situa atualmente a cidade foi habitada por tribos ibéricas no século VaC, que travaram contato com gregos e fenícios que haviam se estabelecido na costa mediterrânea. No entanto, Tarragona entra na história com os romanos, dentro do contexto da Segunda Guerra Púnica, disputada entre as duas potências da época, Roma e Cartago, no início do século III aC. No ano 218 aC, Cneu Cornélio Escipión estabelece uma guarnição militar, que com o tempo se transformaria na principal base militar de Hispania. Desde a cidade, os romanos conquistariam nos seguintes 200 anos toda a Península Ibérica, levando a cultura latina a todo o território.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATarraco, como foi denominada pelos romanos, tornou-se a principal cidade de Hispania, convertendo-se na capital da Província da Hispania Citerior, a maior de todas as províncias do território controlado pelos romanos na península. Seu nome completo era Colonia Iulia Urbs Triumphalis Tarraco. Seu incrível patrimônio histórico ligado a esta época foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 2000, convertendo-se na única cidade da Catalunha em receber esta distinção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século II aC, Tarraco foi estruturada com a construção de uma muralha e o estabelecimento de uma rede viária. Sua importância foi aumentando com a chegada de novos povoadores entre os séculos II e I aC. Recebeu o título de Colônia provavelmente em 45 aC, outorgado pelo Imperador Júlio César. Entre os anos 26/25 aC, o Imperador Augusto residiu na cidade, governando o império, por primeira vez, fora de Roma. Nos séculos I e II dC, Tarraco alcançou o período de máximo esplendor, com a construção de uma grande quantidade de monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma maquete elaborada pelo Museu de História de Tarragona, na qual se representa a cidade de Tarraco no seu momento de maior importância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATarraco teve moeda própria durante as épocas de Augusto e Tibério, e Vespasiano concedeu a cidadania latina a seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a reforma administrativa realizada por Diocleciano, a Península Ibérica ficou dividida em 6 províncias. Tarraco permaneceu sendo capital, mas de uma província menor. No ano 259, foram martirizados no Anfiteatro Romano de Tarraco o Bispo Fructuoso e os diáconos Augurio e Eulogio, demonstrando que já nesta época existia uma comunidade cristiana organizada. Abaixo, vemos uma foto do Anfiteatro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA crise do Império Romano no século III afetou gravemente a cidade, que se recuperaria lentamente nos séculos seguintes, mas algumas zonas foram abandonadas. A partir deste momento, o poder do Bispado de Tarragona cresceu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima vemos um monumento esculpido em homenagem ao Imperador César Augusto. Abaixo, uma réplica da Loba Capitolina, cuja estátua original se encontra no Museu Capitolino  de Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de visitar os monumentos de época romana, para conhecer mais a fundo a história de Tarraco recomendo visitar o Museu Arqueológico, fundado no século XIX com uma valiosa coleção de peças romanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas próximas matérias, veremos com mais profundidade os monumentos conservados de Tarragona pertencentes ao período romano, não percam !!!