Antequera – Cidade das Igrejas

Antequera é um exemplo perfeito do que se costuma denominar Cidade Conventual, devido ao grande número de monastérios e conventos que foram construídos a partir do séc. XVI. Nesta época, passa a ser conhecida como a Cidade das Igrejas, quando foram edificados vários templos para as distintas ordens religiosas que se estabeleceram. A Igreja de Santa María de Jesús é uma delas. Foi construída a partir de 1527 como igreja conventual da Ordem Terceira de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de sua sobriedade exterior, o interior da igreja é belíssimo, como em todas as igrejas da cidade que pude visitar. O destaque fica por conta da Capela Maior, composta por três belos retábulos. O central está dedicado à Virgem do Socorro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste retábulo foi realizado em 1725 por um mestre antequerano, Antonio Ribera. Abaixo, vemos outra foto dos retábulos e a cúpula pintada existente sobre a Capela Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma imagem muito venerada é a de Jesus Nazareno, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas antigas dependências conventuais funciona o Museu das Confrarias. O séc. XVIII, pertencente ao barroco, foi uma etapa de grande pujança para Antequera, e deste período corresponde a maior parte do patrimônio artístico e histórico existente. A cidade transforma-se num grande centro produtor de retábulos de enorme qualidade artística. Em alguns pontos da cidade, podemos contemplar curiosas capelas, construídas neste momento. A denominada Capela-Tribuna da Virgem do Socorro situa-se ao lado da Igreja de Santa María de Jesús, formando um dos conjuntos mais interessantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela aberta foi originalmente construída em 1715 como um ponto de parada ritual, junto a outras que existem na cidade, para o trajeto da procissão da sexta-feira santa das Confrarias de Santa Cruz de Jerusalém e de Nossa Senhora do Socorro, com sede canônica na Igreja de Santa María de Jesús. O estilo da capela é o Barroco-Mudéjar, com o predomínio do tijolo e da pedra calcária como materiais construtivos. Na parte superior foi colocado uma imagem da Virgem do Socorro para a veneração popular. Inspirada na capela acima, a Capela da Cruz Blanca  é de 1774, e também faz parte da rota da procissão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra instituição religiosa de grande interesse é o Convento de Belén. Desde sua fundação em 1640 até a Desamortização de Mendizábal, ocorrida em 1836, funcionou como Convento da Ordem dos Carmelitas Descalços. A partir de 1859, passou a receber freiras da Ordem Clarissa. Exemplo de construção maneirista e um modelo característico dos conventos castelhanos do séc. XVII. Os três corpos de sua fachada oferecem uma sensação de harmonia e uma perfeita combinação de pedra e tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA planta interior foi realizada por Tomás de Melgarejo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMaravilhosa é a decoração feita de gesso por Francisco Asensio Carrizo em 1704, que podemos observar por toda a estrutura do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Capela Maior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO órgão é de 1791…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre as inúmeras obras de arte que adornam o interior, me chamou a atenção um quadro de procedência mexicana. Do séc. XVII, representa a Virgem das Sete Dores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, a arquitetura religiosa em Antequera é quantitativa e qualitativamente imensa, e as obras artísticas que acolhem, de uma grande riqueza e variedade. Nesta matéria, vimos uma pequena mostra de seu patrimônio religioso.