As Fontes de Netuno e Apolo – Madrid

Estas duas fontes que vamos ver no post de hoje estao consideradas das mais belas e importantes de Madrid. Ambas foram projetadas por Ventura Rodríguez no final do séc. XVIII, como parte do processo de reurbanizaçao do Paseo do Prado. Desenhada em 1782 pelo referido arquiteto, a Fonte de Netuno foi executada por Juan Pascual de Mena em mármore branco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte em seu início localizava-se no Paseo de Recoletos, e em 1897 foi levada ao local atual, em frente ao Hotel Palace, na denominada Praça de Cánovas del Castillo. O Deus Netuno corresponde a transcriçao do grego Poseidon, Deus dos Mares. Seu atributo mais conhecido é o tridente, e seu poder causava as tempestades e também as acalmava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANetuno aparece com uma cobra enroscada na mao direita e o tridente na esquerda, sobre um carro formado por uma grande concha e guiado por cavalos marinhos. Ao redor, vemos focas e golfinhos que jorram água a uma grande altura. A Praça de Cánovas del Castillo se torna um popular ponto de encontro dos torcedores do Atlético de Madrid, quando o clube conquista títulos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Fonte de Apolo foi projetada em 1777 e concluída em 1802 e popularmente é conhecida pelo nome  de Fonte das Quatro Estaçoes, pelas alegorias presentes em seu conjunto. A fonte possui uma conotaçao política, pois Apolo como Deus Solar é uma representaçao do rei francês Luis XIV, o Rei-Sol. Carlos III, também pertencente à dinastia burbônica exprime, através da fonte, o desejo de continuidade no poder de sua própria dinastia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte foi realizada inicialmente pelo artista Manuel Álvarez e finalizada por Alfonso Giraldo Bergaz, e transformou-se num dos expoentes máximos da Escultura Clássica Espanhola. Na Mitologia Grega, Apolo e sua irma gêmea Ártemis foram gerados por Zeus e Leto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApolo aparece na escultura segurando a lira, pois é considerado o Deus das Artes, da música e da poesia. A seus pés, vemos a serpente Pitón, em forma de dragao, enviada pela ciumenta esposa de Zeus, Hera, para matar a Leto. Logo depois de nascer, Apolo derrota o monstro, e para tal utiliza as flechas, fabricadas pelo Deus Hefesto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte inferior, vemos a representaçao antropomórfica das estaçoes do ano e, no centro, o Escudo de Madrid. A base do conjunto está composta por conchas, por onde cai a água da fonte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos um dos símbolos indiscutíveis de Madrid, a Fonte de Cibeles.

Fontes do Paseo do Prado – Madrid

Na segunda metade do séc. XVIII, durante o reinado de Carlos III, o Paseo do Prado, uma das zonas de ócio mais populares de Madrid, encontrava-se um tanto quanto degradado. Foi submetido, pois, a um intenso processo de revitalizaçao, quando tornou-se um centro para o estudo das ciências, com a criaçao do Gabinete de História Natural (futuro Museu Nacional do Prado) e o Real Jardim Botânico. Além do mais, estátuas e fontes foram construídas, contribuindo para que a zona se transformasse numa das alamedas mais elegantes de todo o continente. Algumas delas,se converteram em verdadeiros símbolos de Madrid, como a Fonte de Netuno ou das Cibeles. No post de hoje, conheceremos outras belas Fontes Históricas que encontramos no Paseo do Prado, eclipsadas pela proximidade com as famosas acima referidas. Situadas entre o Museu do Prado e o Jardim Botânico, as denominadas Quatro Fontes foram projetadas pelo arquiteto Ventura Rodríguez, responsável pela maioria das fontes que hoje contemplamos no Prado, em 1781.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto das Quatro Fontes formam um quadrado na zona onde se erguem majestosas. Os escultores responsáveis pela obra foram Francisco Gutiérrez, Roberto Michel (que colaborariam também na execuçao da Fonte de Cibeles) e Alfonso Giraldo Bergáz. Feita com pedra branca de Colmenar, seu modelo foi inspirado nas fontes do Real Sítio de Aranjuez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs fontes estao compostas pelas divindades marinhas Nereidas e Tritoes, que sustentam golfinhos, por cujas bocas jorram a água.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próxima às Quatro Fontes, vemos uma fonte que homenageia o intelectual catalao Eugenio Dors Rovira (1882/1954). Inaugurada em 1963, foi realizada, entre outros, pelo escultor madrilenho Cristino Mallo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monumento foi construído com diversos materiais, como o granito cinza, tijolo vermelho (em sua parte posterior), pedra branca de Colmenar, bronze e mármore. No centro da fonte vemos esculpidas em bronze duas figuras, uma mulher que representa a sabedoria e um dragao, símbolo da ignorancia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada em frente ao antigo Edifício dos Correios, conhecido também como o Palácio das Comunicaçoes ou de Cibeles, encontramos uma simpática fonte, onde foram representados patos. Normalmente, tanto estes animais, quanto os cisnes ou gansos possuem uma simbologia benéfica, estando relacionados com o destino da existência humana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à importância de sua iconografia, os patos foram intensamente representados no Barroco e Neoclassicismo. Esta pequena fonte é conhecida pelos madrilenhos como Patos do Correios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de nao estar localizada precisamente no Paseo do Prado, a Praça da Platería Martínez e a fonte que a adorna situam-se bem em frente. Por este motivo, decidi colocá-la no post. Dita fonte, que recebe o nome da praça, também se conhece como a Fonte da Primavera, graças ao rosto que a representa. Este relevo como tema ornamental aparece nas artes de todas as épocas, desde o mundo greco-romano, na Idade Média, Renascimento e no Barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO relevo que simboliza a estaçao das flores originalmente representava o Deus Primordial ou da natureza. Em sua aparência masculina, costuma ser algo grotesco. Em sua representaçao feminina possui um rosto mais amável, como vemos na foto. Na parte detrás da fonte, vemos inscritas informaçoes referentes à história da praça, quando antigamente era um local para a aprendizagem industrail, graças a escola de ensino profissional que nela existia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, conheceremos duas das Fontes Históricas mais belas de Madrid e localizadas no Paseo do Prado, as Fontes de Netuno e a de Apolo.

Fontes do Parque do Retiro – Madrid

Inegavelmente, algumas das Fontes Históricas mais belas de Madrid podem ser vistas no Parque do Retiro, um dos parques urbanos mais bonitos que conheço. No post de hoje, conheceremos duas delas, ambas de uma inquestionável qualidade artística e de uma estética primorosa. A Fonte de Alcachofa foi desenhada por Ventura Rodríguez, um dos arquitetos reais de Carlos III, como parte do projeto de remodelaçao do Paseo do Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsculpida entre 1781/1782, esta fonte apresenta uma clara inspiraçao barroca, apesar da formaçao neoclássica de Ventura Rodríguez. A obra foi realizada em granito e pedra branca pelos escultores Antonio Primo e Alfonso Giraldo Bergaz, este considerado como o último grande escultor do Barroco Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua coluna central, vemos o Escudo de Madrid, sustentado por um Tritao (personagem mitológico com corpo humano e cauda de peixe) e uma Nereida (ninfas com corpo de mulher e cauda de peixe).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUsada na escultura como um símbolo de fertilidade, a Alcachofa é uma planta herbácea com folhas grandes e espinhosas, cuja presença na parte superior da fonte deu o nome a mesma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, a Fonte de Alcachofa estava localizada na Glorieta de Atocha, em frente a famosa Estaçao Ferroviária e ao magnífico edifício eclético do Ministério da Agricultura. Levada ao Parque do Retiro em 1880, em seu lugar foi construída uma réplica, que ainda podemos contemplar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra fonte que vamos conhecer foi alvo de uma intensa polêmica desde 1885, quando foi realizada pelo escultor madrilenho Ricardo Bellver. Isso se deve a sua temática incomum, a do Anjo Caído.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, parece que Madrid é uma das poucas cidades do mundo que possui um monumento dedicado exclusivamente a Lúcifer. A escultura, feita de bronze, foi realizada  para a Exposiçao Universal de Paris e se destaca pelo sentimento e intensidade dramática. Inspirada nos versos do “Paraíso Perdido” de John Milton, retrata o momento em que o anjo é expulso do céu e se dirige ao inferno. A serpente que se enrola no seu corpo é a mesma tentadora de Eva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos anos 50 do século passado, o local onde situa-se foi ponto de encontro de grupos adoradores do Diabo, e a Igreja Católica procedeu ao exorcismo da fonte. Curiosamente, recentes mediçoes confirmaram que a fonte está situada a 666 metros acima do nível do mar….de Alicante. Em sua parte inferior, vemos um grupo de seres diabólicos, por onde sai a água.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fontes Históricas de Madrid – Parte 3

No post de hoje, conheceremos 4 Fontes Históricas de Madrid, das quais as três primeiras foram realizadas no séc. XVIII e a última no XIX. A Fonte de Toledo, assim chamada por localizar-se na ponte do mesmo nome, foram esculpidas com a finalidade de matar a sede daqueles que chegavam à cidade, provenientes de Toledo (utilizo a forma verbal no plural porque, na relidade, sao duas fontes, situadas uma em cada lado da ponte).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizadas em 1727, também serviam como fornecedor de água para os denominados aguadores, funcionários autorizados que levavam água para aqueles que solicitavam seus serviços, bem como para as mulheres que utilizavam as margens do Rio Manzanares para lavar suas roupas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Fonte de los Delfines (golfinhos, em portugês) foi originalmente denominada de Los Galápagos (tartaruga, em português), estando situada na Calle Hortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Fonte foi realizada pelo arquiteto Ventura Rodríguez e concluída em 1772. No entanto, seu péssimo estado fez com que fosse substituída pela atual,  que data de 1960.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEscondida no meio de um jardim, ocupado por edifícios residenciais no centro de Madrid, está a Fonte de la Huerta de la Priora (fonte do Pomar da Priora), que adornava um antigo convento. A igreja de dito convento é a atual Igreja Castrense, que vimos no post publicado no dia 4/11/2013.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte está constituída por um belo conjunto escultórico feito em bronze, no estilo rococó. As crianças que vemos no centro sao uma representaçao do Deus Eros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor último, vemos a Fonte do Canal de Lozoya, situada na Calle Bravo Murillo, nos terrenos pertencentes ao Canal de Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente, os rios eram representados nas esculturas com formas antropomórficas. Este é o caso da Fonte de Lozoya, rio que abastece de água a regiao de Madrid, depois que o Canal de Isabel II foi criado. A fonte foi realizada pelo escultor Sabino Medina, e possui também representaçoes alegóricas da indústria e da agricultura, em suas partes laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fontes Históricas de Madrid – Parte 2

Algumas das Fontes Históricas mais antigas que se conservam em Madrid situam-se no Jardim do Campo de Mouro, localizado na parte detrás do Palácio Real. A Fonte dos Tritones (Tritoes, em português), por exemplo, foi realizada em 1656, sendo considerada a mais antiga de todas existentes na cidade. Inicialmente, foi colocada no Palácio Real de Aranjuez e em 1846 foi trazida para sua localizaçao atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInspirada na fonte realizada por Bernini para a Praça Navona de Roma, é toda feita de mármore, exceto o pilao, de granito. O Tritao é uma divindade marinha que aparece por primeira vez mencionado na Teogonia de Hesíodo e, junto com as Nereidas, faziam parte do cortejo das divindades principais dos mares, Poseidon e Anfitrite, seus pais. Representados com cabeça e tronco humanos e cauda de peixe, os Tritoes acalmam as águas do mar para que a carruagem de Poseidon possa deslizar com segurança pelos mares. A fonte está situada numa área inacessível para o público, num local privado do Palácio Real, dificultando o trabalho fotográfico e sua melhor apreciaçao. No meio do parque, encontramos a Fonte das Conchas, esculpida no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATal como sucedeu com a Fonte dos Tritones, originalmente estava situada em outro local, concretamente no Palácio da Vista Alegre, até que em 1848, o arquiteto Narciso Pascual y Colomer trouxe a fonte para o Campo do Mouro, para integrar o projeto de revitalizaçao do parque promovida por ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima fonte foi realizada por Francisco Gutiérrez, que nela trabalhou até sua morte, sendo finalizada pelo artista Manuel Álvarez. O projeto artístico foi realizado por Ventura Rodríguez. No centro da fonte, observamos três Tritoes com as conchas em suas maos, que explicam a denominaçao da fonte. Segundo a Mitologia Grega, estas divindades apaziguavam as águas com seus cantos através das conchas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsculpida em mármore, distinçao explicada por sua origem palaciega é, certamente, uma das fontes mais elegantes de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas fontes sao conhecidas, nao por sua qualidade artística ou monumental, mas pelo poder curativo de suas águas, estando associada a algum personagem relevante da história de Madrid. Este é o caso da Fonte de San Isidro Labrador, padroeiro da cidade. Encontra-se situada junto à Ermita dedicada ao santo, e cuja existência se deve à própria fonte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASegundo a tradiçao, Isidro, um humilde personagem da recém conquistada Madrid do séc. XII, estava trabalhando nas terras de Iván de Vargas, seu senhor, de linhagem nobre. Este solicitou a Isidro para que encontrasse alguma forma de matar a sede de todos aqueles que se encontravam no local. Confiando em Deus, Isidro golpeou uma pedra, e no mesmo instante começou a jorrar água. Como prova deste acontecimento, a fonte permanece, desde entao com fama de milagrosa, sendo frequente as curas documentadas graças a ela. Na própria fonte, vemos os nomes daqueles (as) beneficiados (as) pelo seu poder.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte atual data provavelmente de 1725, quando a Ermita de San Isidro foi reformada. Depois de ter curado os monarcas Carlos I e Felipe II, os madrilenhos começaram a acudir em massa ao local, especialmente durante as festividades em honra ao santo padroeiro, cujas procissoes finalizam na ermita. Goya retrata o ambiente festivo da cidade durante as comemoraçoes ao santo no quadro “A Ermita e a Pradeira de San Isidro em dias de festa”, atualmente no Museu do Prado. Abaixo, vemos uma foto de 1936, tirada durante as festividades, na qual vemos muitas pessoas bebendo a água milagrosa.

DSC07971

Campo do Moro – Madrid

O Campo do Mouro é um dos três jardins que compõem o entorno do Palácio Real (post publicado em 5/10/2012). Os outros dois são os Jardim de Sabatini e os da Praça do Oriente (post publicado em 21/8/2012). Neste belo espaço verde, obtêm-se umas belas vistas da fachada ocidental do Palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pronunciado desnível é o primeiro que se nota quando se visita o parque, provocado por um barranco existente entre o palácio e as ribeiras do Rio Manzanares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Campo de Mouro adquiriu este nome somente no séc. XIX, quando os promotores de sua realização buscaram uma designação relacionada a episódios históricos. No caso, o ataque efetuado pelo caudilho muçulmano Ali Be Yusuf em 1109, com o objetivo de retomar Madrid, então sob domínio cristão. Supostamente, havia ocupado juntamente com suas tropas o local onde atualmente situa-se o jardim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA idéia de construir-se uma zona recreativa no local é anterior à própria edificação do palácio. As primeiras iniciativas se remontam ao reinado de Felipe II (1527/1598), mas os projetos não foram concretizados. Com a construção do Palácio Real em 1738, foram efetuados numerosos planos de organização do espaço, que não puderam ser realizados ante a escassez de água, as dificuldades técnicas que oferecia o terreno e a falta de recursos econômicos. Tal sucedeu tanto durante os reinados de Felipe V (1683/1746), quanto de Carlos III (1716/1788).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO impulso definitivo para a construçao do jardim ocorreu em 1844, quando Augustín Arguelles Álvarez, o preceptor da rainha Isabel II durante o período que não pôde reinar devido a pequena idade, e Martín de Los Heros, intendente do Real Patrimônio, encarregaram o arquiteto real Narciso Pascual y Colomer (1808/1870), um novo desenho. Para tanto, o arquiteto, também projetista da Praça do Oriente, construiu uma grande avenida, salvando o desnível existente, e realçando as vistas do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO jardim está composto por 70 espécies de árvores, e também por fontes, que constavam no projeto do arquiteto. Uma delas é a denominada Fonte das Conchas, que se localiza no eixo principal do parque. Sua existência se deve a um projeto realizado por Ventura Rodríguez no final do séc. XVIII. A obra foi esculpida por Francisco Gutiérrez Arribas e Manuel Álvarez. Feita de mármore branco, representa personagens mitológicos. Seu nome se deve às conchas que portam os três meninos em sua parte inferior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1898, foi construída uma casa de madeira no estilo tirolês, denominada o pequeno chalé da rainha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Já o chalé do Corcho foi construído na segunda metade do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo jardim se pode avistar inúmeras aves que integram a fauna urbana, muitas delas espécies conhecidas pelos brasileiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Campo de Mouro foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1931.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Basílica de San Francisco – Madrid

Este post está dedicado a uma das mais belas e suntuosas igrejas de Madrid, a Real Basílica de San Francisco El Grande. Situada próxima a Catedral de Almudena, no centro histórico da cidade, forma parte do convento franciscano fundado a princípios do séc. XIII, sobre uma desaparecida ermita consagrada a Santa Maria que, segundo a lenda, foi fundada pelo próprio São Francisco de Assis em 1217.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Quando em 1561 Felipe II transformou Madrid na capital do reino, o convento passou a ganhar riquezas e importância, e chegou a receber a custódia dos lugares santos conquistados pelos cruzados. Em 1760, os franciscanos derrubaram a primitiva construção, para levantar um templo maior, cujo projeto foi encarregado ao arquiteto Ventura Rodrigues. Porém, este projeto inicial foi recusado por um novo desenho, realizado pelo frade franciscano Francisco Cabezas, cuja característica principal era sua portentosa cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em 1768, as obras tiveram que ser interrompidas, devido às dificuldades técnicas da construção, obrigando a Cabezas a abandonar o projeto. As obras foram, então, encomendadas a Antonio Pló, que finalizou a cúpula em 1770. Em 1776, a comunidade de frades solicitou ao rei Carlos III a incorporação do arquiteto real Francesco Sabatini, que realizou a fachada em estilo neoclássico e as duas torres que a integram. O templo foi finalmente finalizado em 1784.

A fachada possui uma configuração convexa, necessária para adaptar-se à planta circular do edifício. Em sua parte superior, elevam-se 4 estátuas de santos, esculpidas em Londres em 1883.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo vestíbulo ou átrio, destacam as 7 portas que permitem a entrada ao recinto. Foram talhadas em madeira de nogal a finais do séc. XIX, representando diferentes cenas bíblicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto está formado por mosaicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInstalado na parte superior do vestíbulo, já no interior da igreja, vemos o coro, e um de seus elementos mais significativos é o órgão da direita, construído em Paris em 1884, e restaurado em 2001.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A bôveda está decorada com pinturas murais, cujo tema central é a morte de São Francisco de Assis, realizada em 1882. Debaixo do coro, situam-se duas pias de água benta feitas de mármore, sustentadas por anjos de bronze.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo já comentamos, a Basílica possui uma planta circular, com 6 capelas secundárias circundantes, dispostas simetricamente (três de cada lado), e presididas pela Capela Maior. Cada uma delas está coberta por uma pequena cúpula que imita, a menor escala, a grandiosa cúpula que se alça sobre o templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mais importante de todas, e um dos maiores atrativos de todo o recinto, é a Capela de San Bernardino, graças ao quadro central representando a Predicação de San Bernardino de Siena ante Alfonso V de Aragón, executado por Francisco de Goya em 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO artista aragonês se auto-representa na parte inferior do quadro (personagem com roupa amarela). Sobre o altar, vemos uma moderna imagem da Virgem do Pilar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da renomada capela e seguindo o sentido em direção à capela maior, vemos a Capela de Santiago. No grande quadro central, vemos a Santiago participando da Batalha de Clavijo, ocorrida em 844, na condição de Santiago Matamouros. A obra foi realizada pelo artista Casado del Alisal e, no altar, vemos uma imagem de São Francisco, de finais do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de Santiago é conhecida também pelo nome de Capela Das Ordens Militares, onde se representam os diferentes símbolos de cada uma destas ordens espanholas. Da direita para a esquerda, vemos a cruz da Ordem de Calatrava e de Santiago. As duas do lado esquerdo correspondem às Ordens de Montesa e Alcântara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Capela de Carlos III, também denominada de N.Sra del Olvido, em homenagem à ordem criada pelo próprio rei, em honra à Imaculada Conceição, vemos  no quadro central, o rei recebendo o colar de sua nova ordem, obra do pintor Casto Plasencia. Preside o altar uma escultura da Virgem del Olvido, da escola castelhana do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela Maior está instalada no ábside, estando composta por um conjunto de 5 pinturas murais, retratando distintos episódios da vida de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A meia bôveda que serve de cobertura foi decorada com pinturas de José Marcelo Conteras, sobre um fundo dourado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto a base das pilastras, vemos 4 estátuas dos evangelistas e seus respectivos símbolos ou atributos, talhados em madeira bronzeada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANas imagens acima, vemos representados a Sao Lucas-Touro e a Sao Mateus-Anjo. Rodeando o presbitério, vemos uma silheria renascentista, oriunda do monastério segoviano de Santa María Del Parral, e adaptada ao local em 1885.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeguiremos com nossa visita à Basílica de San Francisco no próximo post…