Os Pueblos mais Belos de Espanha: Parte 5

Espanha possui mais de 8 mil pueblos, sendo que muitos deles poderiam constar de minha lista pessoal dos mais bonitos do país. Na matéria de hoje, visitaremos várias comunidades, em busca de alguns de seus povoados mais encantadores. A Comunidade Valenciana situa-se na região leste do país, e na Província de Castellón tive a oportunidade de conhecer dois belíssimos pueblos. Peníscola (matéria publicada em 6/9/2012) integra muitas das listas dos povoados mais belos de Espanha

DSC00707DSC00733Situado na costa do mediterrâneo, numa península rochosa, Peníscola é um povoado com muita história, e serviu de residência ao Papa Luna. Já Morella é outro pueblo de grande beleza, situado no interior da Província de Castellón

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMorella conserva sua muralha e castelo medievais, e foi declarada Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo outro lado do país, fronteira com Portugal, localiza-se a Comunidade de Extremadura. Na Província de Cáceres situa-se um pueblo maravilhoso, Guadalupe (8, 9 e 11/6/2014), famoso pelo Monastério de Santa María (12 a 15/6/2014), santuário de devoção à popular Virgem de Guadalupe, que foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

DSC08795OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro do país, a Comunidade de Madrid destaca-se por acolher a capital da Espanha, e também pela existência de vários pueblos belos e interessantes. Buitrago del Lozoya, por exemplo, está situado ao norte, em plena Serra de Guadarrama, e conserva boa parte de seu aspecto medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo à capital, Colmenar de Oreja (14 e 15/3/2015) possui uma belíssima Praça Mayor

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos povoados mais bonitos de toda a comunidade, Chinchón (9/4/2012 e 18/8/2014) foi cenário de vários filmes, pela beleza e conservação de seu centro histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa igreja principal do povoado podemos contemplar pinturas de Goya

OLYMPUS DIGITAL CAMERAChinchón também possui uma pitoresca Praça Mayor, de formato circular e palco de corrida de touros. Cercada por vários restaurantes famosos, o povoado recebe muitos turistas nos finais de semana, vindos de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pelas Praças de Badajoz – Parte 2

Continuando o passeio que fiz pelo centro de Badajoz e percorrendo seus variados espaços públicos, hoje veremos a bela Plaza de San Francisco. Esta praça está situada numa zona onde antigamente se encontrava o Convento de San Francisco, do século XIII. No século XVIII, o lugar foi recuperado como um espaço para ócio, mas a praça somente foi construída em 1836.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1894 foi colocado o correto (em espanhol, se diz quiosco), que ainda podemos ver na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo estive na primavera, a praça estava repleta de flores. Um dos aspectos que mais me impressionaram foram os bancos, que em 1927 receberam uma decoração feita à base de azulejos com cenas históricas, principalmente relacionadas à conquista do continente americano. Abaixo, vemos a Francisco de Orellana no Rio Amazonas (explorador de Extremadura que foi o primeiro em percorrer o grande rio).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA entrada de Hernán Cortés no México (explorador também nascido na Comunidade de Extremadura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs conquistadores rezam em ação de graças à Virgem de Guadalupe, cujo culto iniciou-se no Monastério de Guadalupe, situado na comunidade, e se estendeu por boa parte do continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodos os dias no final da tarde passava por esta praça, pois nela se organizou uma feira de livros, e aproveitava para conhecer gente  e bater um papo com o pessoal da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre uma praça e outra, descansava nos vários parques da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parque de Castelar é um dos mais frequentados, e foi construído em 1903. Também esta zona pertenceu a uma instituição religiosa, o Convento de Santo Domingo, fundado no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste parque possui mais de 100 espécies de árvores. Outra área verde de grande beleza é o Jardim da Galera, situado ao lado da Alcazaba de Badajoz. Apesar disso, é um dos parques mais desconhecidos da cidade. O nome do jardim é uma referência aos condenados que antigamente partiam para Sevilha no local onde atualmente se encontra o jardim, para cumprir pena numa galera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

A Virgem de Guadalupe

Hoje conheceremos a história da Virgem de Guadalupe, cuja imagem foi a responsável pela existência do Real Monastério de Santa Maria e consequentemente do povoado que cresceu ao seu redor. Sua origem, segundo a tradiçao, remonta ao século I e que seu autor foi Sao Lucas, o evangelista. Antes de falecer, pediu que a imagem fosse enterrada junto a ele. No séc. IV, tanto a imagem quanto seus restos foram levadas a Constantinopla. Em 582 dC, o Cardeal Gregório, futuro papa Gregório Magno, levou a imagem à Roma. Depois foi enviada a Sevilha, como um presente papal ao arcebispo Sao Leandro, onde a imagem seria venerada até a invasao árabe de 711 dC. Finalmente, em 714 dC uns clérigos fogem com a imagem e a ocultam na Serra de Extremadura, às margens do Rio Guadalupe. Aí permanece até o séc. XIII, quando a virgem aparece ao pastor Gil de Cordero, ordenando-lhe para que cavasse um buraco onde encontraria uma imagem sua, e depois que construisse uma pequena ermita para sua veneraçao. Este pequeno templo tornou-se a semente do grande e famoso Monastério de Guadalupe,  centro espiritual da Comunidade de Extremadura.

DSC08771Na parte baixa do povoado, podemos conhecer a casa onde viveu o pastor Gil de Cordero.

DSC08774A apariçao da Virgem no séc. XIII ocorreu numa época de intensa devoçao mariana. A imagem que atualmente contemplamos é uma talha românica, feita de madeira de cedro, plocromada e de autor desconhecido. Encontra-se no centro do Retábulo Maior da igreja do monastério, medindo cerca de 60 cm e pesando 4 kg.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta imagem foi inspirada na Theotókoi bizantina (mae de Deus), uma representaçao bastante conhecida na iconografia crista da Idade Média. Inspirada nos chamados códices iluminados do séc. XI, alcançou grande difusao a partir do século seguinte. Segundo esta mesma iconografia, apresenta nariz reto, grandes olhos e sua imagem caracteriza-se pela frontalidade e a postura hierática típicas das esculturas românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Virgem de Guadalupe pertence ao grupo de virgens negras da Europa Ocidental do séc. XII. Dela se lê no Cantar dos Cantares: “Tenho a face morena, mas formosa…é que o sol  me bronzeou”. Em 1928, o rei Alfonso XIII concede à sagrada imagem o título de “Rainha das Espanhas” ou da Hispanidade (conjunto de povos hispanos, unidos pelos vínculos de raça, idioma, cultura e religiao). De fato, nenhuma representaçao da Virgem está tao intimamente relacionada ao conceito de Hispanidade quanto a Virgem de Guadalupe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns fatos históricos demonstram esta estreita relaçao, como os muitos santuários construídos em honra à Virgem nos países sul-americanos e em Filipinas. Inclusive, muitas localidades do continente americano adotaram o nome de Guadalupe. Além disso, a Virgem teve um papel fundamental no contexto de evangelizaçao dos povos indígenas americanos. A maioria dos conquistadores espanhóis eram originários de Extremadura e, portanto, veneravam a Virgem de Guadalupe (Francisco Pizarro, Hernán Cortez, etc). O próprio Cristóvao Colombo esteve no monastério, antes e depois de sua viagem à América.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPadroeira de Extremadura, Rainha da Hispanidade…com este post, finalizamos a série dedicada ao povoado, ao monatério e à Virgem de Guadalupe. Espero que tenha conseguido transmitir, ao menos um pouco, a beleza do pueblo, a riqueza arquitetônica e histórica do monastério e a grande veneraçao popular à Virgem.

Real Monastério de Santa Maria de Guadalupe

A história de Guadalupe está estreitamente relacionada ao Real Monastério de Santa Maria, pois o povoado cresceu ao redor do santuário para satisfazer as necessidades do mesmo, e também para acolher a grande quantidade de peregrinos que se dirigiam para venerar a famosa imagem da Virgem de Guadalupe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta relaçao do pueblo com o monastério iniciou-se quando um pastor chamado Gil de Cordero encontrou uma imagem da Virgem às margens do Rio Guadalupe. No local foi construída uma pequena ermita para sua veneraçao, origem primitiva do monastério. As primeiras notícias documentadas do monastério datam de 1340, quando o rei Alfonso XI concede terrenos  para aquele que se instalaram ao redor da ermita. Logo depois, aparece um documento referindo-se à Guadalupe como um local de realengo, isto é, cuja jurisdiçao estava subordinada ao monarca.

DSC08808Em 1389, o monastério foi entregue a Ordem dos Jerônimos pelo rei Juan I, que o custodiaram até 1835, quando foi alvo da Desamortizaçao. O convento foi abandonado e progressivamente alcançou um estado deplorável, até que em 1908 foi novamente habitado, agora por monges pertencentes a Ordem Franciscana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs monges franciscanos continuam vivendo no monastério, e foram os responsáveis pela excelente reabilitaçao do edifício e suas dependências. Atualmente , o Real Monastério de Santa Maria constitui um dos grandes centros de devoçao mariana do mundo cristao, e no dia 8 de setembro sao celebradas as festividades em honra à Virgem de Guadalupe.

DSC08828Devido às várias ampliaçoes e reformas a que foi submetido durante sua história, o monastério apresenta um traçado irregular. Graças às torres e muralhas que o cercam, o conjunto apresenta um aspecto de fortaleza. De fato, até mediados do séc. XIV, o monastério cumpriu uma funçao defensiva. Originalmente, estava cercado por uma extensa muralha, que possuía 9 metros de altura, com dois metros de grossura. A muralha rodeava o espaço destinado como horta, um espaço exterior e ao livre, que muitas vezes representava a única forma dos monges sairem de sua clausura. Os monastérios de monges que seguiam a Regra Beneditina contavam sempre com uma área reservada para o trabalho agrícola, pois seu estilo de vida baseava-se na máxima “Ora et Labora”, ou seja, reza e trabalha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste magnífico conjunto religioso foi construído com pedra e tijolo, dentro do estilo denominado Gótico-Mudéjar. Os elementos mudéjares podem ser percebidos em suas decoradas janelas.

DSC08823DSC08826O monastério está constituído por duas torres, sendo que a chamada Torre do Relógio possui 36 metros de altura, e junto com a Torre da Portería, estava adossada à antiga muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC08769Abaixo, vemos a espetacular fachada principal do monastério, que dá para a Praça de Santa Maria, situada bem no centro de Guadalupe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos as portas de acesso à igreja e um de seus característicos detalhes decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEntramos ao interior do monastério por uma porta gótica construída no séc. XV. Junto a ela, vemos uma escultura de Sao Francisco de Assis, em atitude de bendiçao aos inúmeros peregrinos que visitam o santuário diariamente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor sua importância histórica, as obras de arte que possui e seu excelente estado de conservaçao, o Real Monastério de Santa Maria de Guadalupe foi declarado Monumento Histórico Artístico e Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1993. No próximo post, conheceremos algumas dependências deste maravilhoso lugar de devoçao.

Guadalupe – Extremadura

Localizada numa regiao serrana a oeste da Comunidade de Extremadura, precisamente na Comarca de las Villuercas, Guadalupe é um dos pueblos mais belos de toda a comunidade e um dos centros de maior devoçao mariana do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde sua origem, o pueblo está estreitamente vinculado ao Real Monastério de Santa Maria de Guadalupe, e aparece documentado por primeira vez no séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado cresceu ao redor do monastério, e desde 1348 até 1811, Guadalupe esteve submetida ao senhorio civil e juridicional do Prior do Real Monastério. A cidade passa a ter prefeitura própria somente em 1812, cuja imagem vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro do povoado está ocupado pela Praça de Santa Maria, situada em frente ao monastério, dividindo a localidade nas partes alta e baixa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConserva-se plenamente o traçado medieval de seu urbanismo, e belíssimos exemplos de arquitetura popular.

DSC08783Sao abundantes as casas porticadas de 2 andares, construídas com balcoes e sustentadas por vigas de madeira no sentido horizontal, e por colunas de madeira de castanho no sentido vertical.

DSC08787Muitas destas casas eram propriedade do monastério, e destinavam-se a estabelecimentos comerciais onde se prestavam serviços aos inúmeros peregrinos que visitavam o santuário, onde até hoje se venera a famosa Virgem de Guadalupe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA devoçao à Virgem se reflete na decoraçao das casas, e a maior parte delas exibe uma representaçao sua. Chama a atençao em Guadalupe o esmero e cuidado no embelezamento da parte externa das residências, principalmente através de arranjos florais.

DSC08814Os peregrinos proscedentes do sul e do leste chegavam à Guadalupe pelo Arco de las Eras, que vemos abaixo.

DSC08780A cidade conserva outras entradas pertencentes ao recinto de muralhas existente desde a Idade Média, como o Arco de Sevilha, construído no séc. XVI.

DSC08789Outro detalhe que impressiona sao as muitas fontes espalhadas pelo pueblo, como a denominada dos Três Chorros, uma das mais importantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta série dedicada à Guadalupe, conheceremos também o maravilhoso Real Monastério, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, e a história da Virgem que lhe deu fama. No próximo post, continuaremos visitando o pueblo, declarado Conjunto Histórico-Artístico pelo incrível legado medieval que  conserva.