Tarragona Medieval

Com a queda do Império Romano, Tarragona e o território espanhol foram invadidos pelos visigodos. Parece que a conquista foi tranquila, pois não se encontraram sinais de destruição. Os visigodos aproveitaram a estrutura urbana existente. No ano 585, Hermenegildo, irmão do Rei Visigodo Leovigildo, foi assassinado na cidade. Neste período, Tarragona entrou em decadência, com perda paulatina de suas atividades econômicas e população. Entre 713 e 714, foi invadida por um exército muçulmano. A maioria dos estudiosos afirmam que  a cidade foi destruída depois de um assédio de um mês. O Bispo de Tarragona fugiu para a Itália e a cidade careceu de um líder para organizar sua resistência. A antiga Tarraco perde toda sua importância adquirida em época romana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo ano 1129, San Olegario, Bispo de Tarragona, cedeu a cidade ao mercenário Robert Bordet, que foi nomeado Príncipe de Tarragona mediante um ato de vassalagem. O cavalheiro aproveitou a antiga torre romana, conhecida como Torre do Pretório, para no local estabelecer seu castelo. Com a morte de San Olegario, uma série de conflitos jurídicos culminaram na extinção do principado, e Tarragona passou a depender do Condado de Barcelona em 1151. No século XII, a cidade converte-se num núcleo urbano consolidado e centro de um grande território. Seu crescimento realizou-se ocupando a área do antigo Fórum Romano, mantendo a estrutura herdada dos romanos. Em 1171 se inicia a construçao da Catedral de Tarragona, que foi consagrada somente em 1331. O templo foi iniciado dentro do estilo românico, mas finalizada já no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Tarragona foi o tema de dois posts, publicados em 8 e 9/4/2013, motivo pelo qual não me estenderei muito sobre ela. Apenas comentar que se trata de um templo belíssimo, e que sua visita é muito recomendável. Abaixo, vemos uma foto geral de seu interior e outra do claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFora do recinto defensivo desta época, haviam outras zonas diferenciadas. Por exemplo, a área ocupada pelo antigo Circo Romano transformou-se num núcleo situado fora das muralhas denominada El Corral, acolhendo uma população dedicada ao comércio e pequenas atividades industriais. Outra parte importante, a chamada Vila Nova prolongava-se desde El Corral até o porto, estando dedicada aos cultivos. Abaixo, vemos uma interessantíssima maquete que foi colocada no interior da Torre do Pretório, que nos proporciona uma excelente idéia da Tarragona Medieval na primeira metade do século XV. Foi realizada com dois tipos de madeiras. Uma mais escura, que sinaliza os edifícios romanos que se crê foram reutilizados dentro da estrutura urbana medieval, e uma mais clara, que representa os edifícios construídos na Idade Média.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala onde foi situada a maquete constitui uma atração por si só. Foi construída no ano 1368, durante o reinado de Pedro III “El Ceremonioso”, e se considera um dos melhores exemplos da Arquitetura Gótica Civil de toda a Catalunha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na sala vemos um curioso sarcófago romano do século I, que foi reutilizado por um legionário romano numa época posterior e novamente usado como sepulcro por um nobre medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1348, a Peste Bubônica chegou à Tarragona, causando uma alta taxa de mortalidade. Depois, a cidade começou um processo de reforço de suas antigas muralhas, mediante a construção da chamada La Muralleta, na altura do Circo Romano. Dessa forma, a zona conhecida como El Corral foi incorporado ao núcleo urbano. No século XV, a situaçao política agravou-se, ocasionando uma guerra civil que levou à cidade a mais absoluta decadência. As defesas da cidade foram duramente afetadas, principalmente as relacionadas com La Muralleta. A população mais uma vez diminuiu de maneira drástica e o município declarou-se em quebra. Os efeitos desta guerra foram visíveis na cidade durante muito tempo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo período medieval se conservam muitos outros elementos de interesse, como os arcos góticos do século XIV, que faziam parte da estrutura de um mercado municipal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos o Palácio Episcopal, também edificado no estilo gótico (século XIV).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO atual Centro Histórico de Tarragona pertence ao período medieval, e outro de seus atrativos é visitar o antigo bairro judeu ou Judería. Estava formada por ruas pequenas, com uma acesso independente ao resto da cidade. Sua proximidade com o castelo real indica que seus habitantes estiveram sob a jurisdição do próprio monarca. A seguir, vemos uma parte do bairro que se conserva atualmente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa antiga Casa del Degá, um palácio renascentista e barroco, propriedade dos diáconos da Catedral, vemos inscrições romanas e lápides judaicas de época medieval. Atualmente este edifício, totalmente reconstruído, é a sede do Colégio de Engenheiros Industriais de Tarragona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Finalizamos a matéria com os restos arqueológicos de um importante edifício da Judería de Tarragona, dos séculos XIII e XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Lugo Medieval

A etapa romana da cidade de Lugo se finaliza no século V, quando os Suevos, um dos grupos de povos bárbaros que invadiram a Hispania, tomam a cidade. Sob o domínio dos Visigodos, Lugo se torna sede episcopal. Seu protagonismo histórico começa a decair com a fundação da cidade de Oviedo, atual capital do Principado de Asturias e a concorrência com a cidade de Braga, que na época fazia parte da Gallaecia. Por estes motivos, a cidade perdeu boa parte de sua população. No ano de 714 dC é invadida pelos árabes, mas um pouco depois, em 741, é ocupada pelas tropas do rei Alfonso I.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Bispo Odoario, encontrando a cidade num estado lamentável, ordena sua reconstrução, consciente da importância histórica de sua reconquista, pois foi a única sede eclesiástica reconquistada na Hispania cristã durante os séculos VIII e a primeira metade do IX. A partir deste momento, Lugo se transforma num importante núcleo urbano, base de sua etapa medieval. No século VIII, a cidade fazia parte da rota primitiva do Caminho de Santiago, contribuindo para seu crescimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o núcleo da Lugo Medieval está situado nas proximidades da Praça do Campo, uma pequena praça de formato triangular  construída entre os séculos XII e XIII e situada no centro da parte histórica da cidade, cujas imagens vemos acima. Na Idade Média, este local era o centro comercial principal, e conserva seu aspecto medieval, apesar do predomínio das construções barrocas erguidas por ricos comerciantes no século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da praça foi colocada uma fonte, com uma estátua em homenagem ao santo dominicano San Vicente Ferrer (1350/1419), realizada em 1754, justo no momento em que se realizou o abastecimento de água da cidade. Nela se localiza a Oficina de Turismo e o Centro de Interpretação da Muralha Romana de Lugo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XIII, a Ordem Dominicana se estabeleceu em Lugo e um convento foi construído. A igreja conventual foi erguida a partir de 1303 no estilo gótico, que ainda podemos admirar, apesar de algumas reformas realizadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Domingo possui três ábsides poligonais, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma das portas de acesso ao templo, formada por três pares de colunas e quatro arquivoltas, muito bem decoradas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos algumas fotos do interior da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, está ocupada por freiras da Ordem das Agustinas Recoletas. Finalizo a matéria com imagens dos vitrais do interior da igreja, e também da roseta, de formato circular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu Provincial – Ciudad Real

Este último post sobre Ciudad Real está dedicado ao Museu Provincial, o principal da cidade. Criado em 1976, consta de duas sedes. A que acolhe a coleção de arqueologia e paleontologia está situada na Calle del Prado, num edifício projetado por Carlos Luca de Tena, e inaugurado em 1982.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita ao museu facilita a compreensão da história, dos povos e do território onde se localiza Ciudad Real, através de suas peças arqueológicas, e da fauna e flora existente na região, através dos fósseis encontrados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seção de Arqueologia se estende desde o Paleolítico até a Idade Média, época em que foi fundada a cidade, com destaque para os inúmeras culturas que habitaram a zona. Em suas diversas salas, pude aprender diversos aspectos relacionados aos Iberos, como por exemplo, seus rituais funerários. Os Iberos acreditavam no além e praticavam o rito de incineração do cadáver. O fogo tinha, portanto, uma importância fundamental na purificação do indivíduo e no trânsito para a outra vida. Seus restos eram depositados em urnas de cerâmica, sendo acompanhado de objetos pessoais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm linhas gerais, estes objetos correspondiam às armas, se o defunto pertencia à classe de guerreiros, ou relacionados à vida doméstica. Alguns dos objetos encontrados constituem verdadeiros tesouros ibéricos, como o que vemos a seguir, chamado de Tesouro de la Paloma, encontrado na Província de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma cerâmica ibérica

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA religiosidade destes povos se expressavam através de celebrações realizadas em santuários públicos, lugares de cultos sagrados nos quais eram feitas oferendas às divindades. Em alguns destes santuários foram encontrados uma grande quantidade de exvotos de bronze, que eram oferecidos como forma de agradecimento por alguma graça concedida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa época romana do território (Hispania), o destaque fica por conta dos mosaicos, além de outros temas abordados, como a importância da moeda na economia do império.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte dedicada aos visigodos também é de muito interesse. Num princípio os visigodos, no aspecto religioso, professavam o Arrianismo, uma doutrina considerada herética pelo cristianismo ortodoxo, pois negava a dupla natureza de Cristo e a Santíssima Trindade. Por este motivo, nos primeiros anos da presença visigoda na Espanha conviveram duas igrejas, a Católica Romana para os antigos habitantes (hispanoromanos) e a Arriana. Esta separação terminou em 589 dC durante o III Concílio de Toledo, quando o rei visigodo Recaredo se converteu ao catolicismo, impondo a religião a toda a população. Muitos dos objetos encontrados desta época são capitéis que decoravam o interior das igrejas, como este que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs visigodos eram exímios produtores de objetos feitos de metais, fabricados para o adorno pessoal, como colares, pulseiras, broches para cintos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos utensílios de maior fama da cultura árabe, a cerâmica, conta com vários exemplares na coleção permanente do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição mudéjar também está presente, como neste painel de azulejos…OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm uma de suas salas podemos admirar uma Porta Mudéjar, procedente do antigo bairro judeu (Juderia) de Ciudad Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA coleção de Paleontologia exibe diversos fósseis, tantos vegetais, quanto animais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAImpressionante de verdade é o esqueleto completo de um Mastodonte

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra sede do Museu Provincial está dedicada à coleção de Belas Artes, e se encontra no Antigo Convento de la Merced, que vimos na matéria passada. Espero que tenham gostado desta cidade castelhana e que possam algum dia visitá-la. Desde Madrid, se pode chegar até ela em trem de alta velocidade (AVE), e a viagem dura apenas uma hora…

 

Cartagena Medieval e Moderna

No final do séc. II dC e durante todo o séc. III, Cartago Nova sofreu uma profunda crise e boa parte dela foi abandonada. A cidade recupera-se no séc. IV, mas seu perímetro urbano diminui consideravelmente., aproveitando-se os materiais das velhas construções para restituir uma nova imagem urbana, agora convertida em capital do Conventus Carthaginense, título concedido pelo Imperador Diocleciano. Depois da desaparição do Império Romano, Cartagena formou parte dos domínios bizantinos na Península Ibérica, sendo sua capital. No séc. VII, a cidade é completamente destruída pelos Visigodos. Pouco se sabe sobre Cartagena depois deste acontecimento, e volta a ser citada somente no séc. X, quando aparece como um enclave árabe, com o nome de Qartayannat Al – Halfa. Cartagena é reconquistada pelos cristãos em 1245 e no ano seguinte o rei Fernando III lhe outorga o Foro de Córdoba, cuja cópia vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA imposição de um novo modo de vida provocou rebeliões entre a população árabe que permaneceu na cidade (mudéjares), sufocadas em 1264. A partir de então, boa parte de seus habitantes abandonam novamente a cidade. Será somente no séc. XVI quando Cartagena é repovoada e o porto recobra o importante papel que teve ao longo de sua história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta época medieval, a construção mais importante é o Castelo da Concepção, situado na parte mais elevada do cerro de mesmo nome, a colina mais alta das cinco que rodeiam o centro histórico. Neste local, durante a época romana, se erguia um templo dedicado a Esculápio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta fortaleza foi construída com os materiais da época romana, que foram reutilizados, assim como com parte das antigas muralhas islâmicas pré existentes. As primeiras notícias deste castelo datam do reinado de Enrique III (1390/1406). A partir do séc. XVI são frequentes os comentários sobre o ruinoso estado da fortaleza. Apesar disso, continuou sendo a praça forte de Cartagena, um local privilegiado para receber os sinais da rede de atalaias (torres defensivas) costeiras em caso de perigo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da sua progressiva deterioração, em 1915 o castelo passa a ser propriedade da Prefeitura de Cartagena, momento em que é restaurado pelo arquiteto Victor Beltrí, dentro do processo de reurbanização da zona, que se transforma num parque. Atualmente, novamente reformado, o Castelo da Concepção é a sede do Centro de Interpretação da História de Cartagena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara se chegar até ele, a melhor forma é subir pelo elevador panorâmico, de 45m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor sua estratégica posição, Cartagena é designada no séc. XVII, base naval, convertendo-se num dos três Departamentos Marítimos da Espanha em 1726.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO séc. XVIII representa um dos períodos culminantes de sua história, graças ao grande desenvolvimento da base naval existente e uma ampliação de seu arsenal bélico, além de uma série de construções militares de defesa e serviços complementares (muralhas, hospitais, quartéis, etc). A maioria destas obras foram realizadas durante o governo de Carlos III (1759/1788), por iniciativa do Conde de Aranda, capitão geral de Valencia e Murcia. Uma das peças fundamentas deste plano defensivo é a Muralha do Mar, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma vez perdida sua função defensiva, inicia-se o lento processo de sua destruição. O aspecto que atualmente observamos da Muralha do Mar é fruto de uma remodelação realizada no final do séc. XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, se conserva a Porta do Arsenal, a única porta sobrevivente da muralha construída no séc. XVIII. Em 1865, foi colocada a torre do relógio, que vemos na sequência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Astorga – Província de León

A partir de hoje, iniciamos uma série de publicaçoes sobre a histórica cidade de Astorga, localizada na zona central da Província de León (Comunidade de Castilla y León), no noroeste do país. Na chegada à estaçao rodoviária da cidade, uma pintura nos adverte para a riqueza monumental que possui esta bimilenária cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAstorga nasceu como um acampamento militar romano da Legio X Gémina, um destacamento do exército romano, a finais do séc. I aC. Desenvolveu-se como um centro de comunicaçao do noroeste da península, gozando de grande prosperidade nos primeiros séculos de nossa era, graças principalmente à exploraçao do ouro, entao abundante na regiao. Abaixo, vemos a lápide de um soldado romano que integrava dita legiao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. III dC, Astorga se estabelece como sede episcopal, razao pela qual sua diocese é uma das mais antigas de Espanha. A seguir, vemos dois de seus principais monumentos, a Catedral e o Palácio Episcopal, uma das únicas obras realizadas pelo genial arquiteto Gaudi fora de Barcelona (ambos monumentos serao retratados em posts exclusivos).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da queda do Império Romano e a invasao dos povos bárbaros, os denominados Suevos se estabelecem no território e a cidade passa a fazer parte de seu reino. Os constantes enfrentamentos entre os Suevos e os Visigodos provocaram destruiçao e roubos por estes últimos. Tomada pelos Árabes em 714 dC, foi quase que imediatamente reconquistada pela monarquia do Reino de Asturias, sob a figura de Alfonso I. No séc. IX, o rei asturiano Ordoño II repovoa e reconstrói a cidade. No séc. XI, graças ao impulso provocado pelo Caminho de Santiago, do qual Astorga faz parte, a cidade volta a progredir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, milhares de peregrinos anualmente realizam uma parada em Astorga, pela importância e quantidade de seus monumentos, e por oferecer um Albergue para sua hospedagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte de trás do albergue, uma pequena ducha para relaxar os pés é o paraíso para os caminhantes, e a informaçao do total de quilometros que faltam  para a chegada em Santiago de Compostela lhes indicam que um bom trecho já foi percorrido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor toda a cidade encontramos lojas com artigos relacionados ao venerado caminho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade integra também a denominada Vía de la Plata, uma antiga via de comunicaçao romana que atravessa o país de sul a norte, desde Mérida (Extremadura) até Astorga. No séc. XIX, sofreu as consequências da ocupaçao francesa, sendo uma das primeiras cidades espanholas a rebelar-se contra as tropas de Napoleao. Abaixo, vemos um monumento em homenagem aos heróis da cidade, que pereceram no combate contra os franceses.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do séc. XIX e o começo do XX, Astorga experimentou um novo período de esplendor devido ao desenvolvimento industrial ocasionado pela chegada da ferrovia e o auge da indústria do chocolate, um dos produtos de maior fama na cidade. Uma das rotas mais interessantes que se pode fazer na cidade é descobrir os restos da antiga cidade romana, e passear pelo alto de sua muralha é realmente uma maravilha, principalmente depois que suas zonas ajardinadas foram embelezadas por Madroños, a árvore símbolo de Madrid, um presente da prefeitura da capital espanhola a esta belíssima cidade castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Toledo Visigoda

Antes de iniciar o post sobre a época visigoda de Toledo, adiciono uma foto de Leonardo e Márcio, dois cariocas hiper legais, que estiveram em Madrid conhecendo a cidade. Abaixo, vemos a ambos em frente ao Palácio Real.

DSC09436Um dos motivos principais para a queda do Império Romano foi a invasao dos povos bárbaros provenientes do centro e leste europeu. No caso espanhol, estes povos eram conhecidos como Visigodos. Antes, porém, de dominar o território conhecido como Hispania, foram derrotados pelos Francos, fato que lhes obrigou a refugiarem-se no atual território espanhol. A partir de entao, fundaram o Reino Visigodo, e instalaram sua capital em Toledo. O chamado Rei Atanagildo (monarca que reinou entre 554 e 567 dC) foi o primeiro em estabelecer-se em Toledo, mas foi com Leovigildo que a cidade tornou-se a capital do reino, em 573 dC. Abaixo, vemos uma das estátuas que foram realizadas no séc. XVIII para a decoraçao do Palácio Real de Madrid e que atualmente se encontram na Praça do Oriente, representando dito monarca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir deste moento, Toledo converte-se no centro cultural e político do reino, difundindo sua cultura para o resto da península. Apesar desta importância, Toledo manteve quase a mesma superfície que possuía durante a época romana. No princípio, os reis visigodos professavam a doutrina religiosas do Arianismo, considerada herética pela Igreja Católica, já que predicava que Jesus, apesar de ser filho de Deus, nao era o próprio Deus. Ou seja, negavam um dos principais dogmas do catolicismo, a Trindade. Esta situaçao se modifica com a conversao ao catolicismo do Rei Recaredo, em 589 dC. A seguir, vemos duas estátuas localizadas na parte superior do Palácio Real de Madrid, representando aos dois monarcas mencionados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos visigodos, de origem germânica, a sociedade da época (séc. VI e VII, principalmente) estava formada pelos hispanorromanos (católicos e a maioria da populaçao) e os judeus que viviam num bairro próprio, germe da famosa Juderia Toledana. Entre eles, nao havia coesao, pois cada grupo era regido por suas próprias leis, estando proibido os casamentos mixtos. Esta situaçao transforma-se com a conversao católica de Recaredo, possibilitando uma maior uniao entre os cristaos, em detrimento dos judeus, aos quais foram impostas severas restriçoes legais. O rei Égica (687/700), por ex., submeteu os judeus à escravidao, dando-lhe como alternativa forçada a conversao. Por isso, em muitas ocasioes, os judeus aparecem como aliados naturais dos árabes, auxiliando-os na rápida conquista da Península Ibérica a parir de 711 dC. No Museu de Santa Cruz, podemos ver restos arqueológicos da Época Visigoda de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos um relevo com representaçao humana do séc. VI dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde este período de sua história, Toledo ostentava a condiçao de capital religiosa do reino, bem como cidade real. A atual Catedral Primada foi edificada sobre uma mesquita que, por sua vez, havia sido construída sobre a anterior Basílica Visigoda. Nesta última, foram realizados diversos Concílios, alguns fundamentais para a Igreja Espanhola, como o celebrado em 633 dC, quando foi sistematizada a denominada liturgia Mozárabe, que esteve oficializada durante boa parte da Idade Média. A cidade possuía também conventos de grande importância, responsáveis pela formaçao de vários bispos toledanos, como San Eugênio, San Julián e San Ildelfonso. No plano artístico e arquitetônico, uma das principis contribuiçoes dos Visigodos foram os chamados Arcos de Ferradura, difundido por eles e amplamente utilizado em época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, pouquíssimos sao os restos visigodos que podemos encontar atualmente na cidade. Uma pequena parte da muralha data desta época. Na Igreja de El Salvador, vemos uma grande concentraçao de Arcos de Ferradura e uma impressionante coluna visigoda, decorada com cenas referentes aos milagres de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Román é de origem visigoda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela está sediado o Museu dos Concílios de Toledo e da Cultura Visigoda. Atualmente, encontra-se em reformas, e fechado ao público. Posteriormente, pretendo realizar um post sobre o local, que deve ser incrível, baseado na única foto que consegui tirar à distância do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Reino Visigodo chega ao final com a invasao árabe no princípio do séc. VIII. A partir de entao, Toledo permanece como grande centro gerador de cultura e as inúmeras influências do período sao visíveis na arte, arquitetura e urbanismo da capital da Comunidade de Castilla- La Mancha. Histórias para o próximo post….

Toledo Romana – Parte 2

As Termas constituem um dos elementos mais representativos de qualquer cidade de origem romana. Em Toledo, foram encontradas em escavaçoes arqueológicas realizadas em 1986, e sao testemuhos da prosperidade econômica alcançada durante o período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Termas Romanas de Toledo foram construídas entre finais do séc. I e mediados do séc. II dC, e funcionaram como tal até o séc. VI. Além de sua funçao básica higiênica e de ócio, representavam também uma espécie de clube social, onde eram fechados acordos jurídicos e negócios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs restos arqueológicos encontrados referem-se às salas onde os habitantes desfrutavam de água quente, denominadas caldarium, uma espécie de sauna. Construída basicamente com mármore, em 1500 foram parcialmente destruídas, pois os toledanos utilizaram seus materiais para a construçao de suas próprias casas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente supoe-se que estas salas estavam conectadas com outras encontradas no subsolo do Oratório de San Felipe Neri, situado nas proximidades. Os vestígios encontrados em 2008 formam parte das salas frias, denominadas frigidarium.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Oratório de San Felipe Neri é o único elemento arquitetônico conservado da antiga Igreja de San Juan Bautista, construída em 1125 e derrubada a finais do séc. XVIII pelo monarca Carlos III. A capela, adossada ao muro da igreja, escapou da destruiçao, e situava-se no local onde antes se vendia leite de cabra. Por este motivo, ficou conhecida como a Igreja de San Juan de la Leche.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos monumentos mais interessantes de Toledo sao as Cuevas de Hércules, já que por ela passaram todas as culturas que formaram parte da história da cidade, além de várias lendas a ela associadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs ruínas encontradas em seu interior permitiram afirmar que se tratava de um espaço destinado ao armazenamento hidráulico, uma cisterna, construída na segunda metade do séc. I dC. Possuía um formato retangular de 11.5 metros de comprimento, 6 de largura e 4 de altura e para sua construçao foram utilizadas pequenas pedras unidas com uma mistura de cal, areia e pedra, revestidas internamente por um tipo de cimento hidráulico especial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante seu processo histórico, foram revestidas de pedras graníticas, e dividida em duas ao longo de sua superfície com arcos, também feitos de granito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALendas Toledanas relacionam o lugar com o herói Hércules, considerado o fundador mítico da cidade, e tesouros escondidos. Outra diz que as cuevas eram um recinto misterioso cuja entrada estava proibida aos mortais, e sua desobediência acarretava graves consequências. Rodrigo, o último rei visigodo, atreveu-se a entrar nelas, e com isso provocou a queda de seu reino, assolado pela invasao e conquista dos árabes no início do séc. VIII dC. Durante o Reino Visigodo, acredita-se que sobre o depósito de água construiu-se um templo cristao, cujos restos podemos ver na fachada exterior. Depois, foi transformado em mesquita. Sobre ela, foi levantado no séc. XII a Igreja de San Ginés, ampliando o espaço interior. No séc. XVIII, a igreja foi fechada e, em 1841, demolida. Abaixo, vemos os restos da antiga igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA crise e a dissoluçao do Imperio Romano supôs a entrada dos povos bárbaros na península, e os visigodos tornaram-se os senhores da antiga Toletum. A partir do séc. V dC, formam o denominado Reino Visigodo e transformam Toledo em sua capital. Mas esta é uma história para o próximo post…