Explorando a Universidade de Salamanca: Parte 3

No final do século XVI chegavam à Universidade de Salamanca 6500 alunos novos cada ano, cifra que demonstra o prestígio que a instituição alcançou nesta época. No século XVII o caráter humanista foi abandonado, produzindo-se uma relativa decadência, pois os filhos da nobreza começaram a dominar os Colégios Maiores, menosprezando sua função original de ensino aos jovens, independente de sua condição social. Neste período estudou na Universidade de Salamanca um dos maiores expoentes literários do Século de Ouro Espanhol, o poeta e dramaturgo Luis de Góngora (1561/1627), que chamou a atenção por seu talento poético. A cidade de Salamanca homenageou a Góngora com um monumento…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XVII, 65% dos salários da universidade estavam destinados aos professores de direito e teologia. As disciplinas piores remuneradas eram Matemática, Astrología e Música. No século XVIII, a Universidade de Salamanca transformou-se num dos principais focos da Ilustração Espanhola, momento em que desenvolveram-se as ciências científicas, além das letras clássicas. Muitos dos intelectuais da universidade desempenharam um papel preponderante na elaboração da Constituição de 1812, a primeira em ser promulgada em Espanha e uma das mais liberais da época, além de incentivar o pensamento progressista. Abaixo, vemos o Palácio de Anaya, um dos poucos edifícios neoclássicos da cidade, que se destaca por seu belo pórtico com 4 grandes colunas rematadas por uma estrutura triangular (em espanhol, frontón).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício começou a construir-se em 1760, substituindo o Colégio Maior de San Bartolomé, cuja estrutura foi severamente prejudicada pelo Terremoto de Lisboa de 1755. Atualmente é a sede da Faculdade de Filologia da Universidade de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do século XIX, a universidade adotou um planejamento centrado mais nas disciplinas naturais e sociais, em detrimento do direito canônico e da teologia. Durante a Invasão Francesa, muitos edifícios universitários foram destruídos. Em 1852, perde sua condição de Instituição Pontifícia, suprimindo as disciplinas de direito canônico e teologia pelos governos liberais da época. Em 1940, o Papa Pio XII cria a Universidade Pontifícia, uma universidade católica de caráter privado, com a finalidade de restaurar estas disciplinas na cidade em outro edifício e dar prosseguimento às antigas carreiras eclesiásticas, que tiveram um grande papel nos séculos XVI e XVII. Como sede, foi escolhido o Real Colégio do Espírito Santo, mais conhecido como La Clerecía. Historicamente pertencente aos jesuítas, o edifício foi construído no estilo barroco entre os séculos XVII e XVIII pelo arquiteto Juan Gómez de Mora. Atualmente conta também com cursos nas áreas filosóficas, Ciências Políticas, Psicologia, Enfermagem, Informática etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX, o prestígio da Universidade de Salamanca se recupera. O escritor e filósofo espanhol Miguel de Unamuno (1864/1936) foi reitor da instituição três vezes, a primeira com apenas 36 anos. Considerado um dos maiores expoentes da chamada Geração de 98, em sua obra cultivou uma grande variedade de gêneros literários, entre ensaios, teatro, novela e poesia. Abaixo, vemos um monumento em sua homenagem erguido no Centro Histórico de Salamanca, realizado pelo escultor Pablo Serrano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém é possível visitar a Casa de Unamuno, onde viveu o escritor, um dos edifícios utilizados como museu pela Universidade de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1955 e 1970, a Universidade de Salamanca aumentou seu prestígio internacional, somente equiparado na Espanha pelas Universidades de Madrid e Barcelona. Abaixo, vemos o Colégio Maior Fray Luís de León, criado em 1954 para proporcionar alojamentos e estadias curtas para alunos e professores, além de fomentar atividades formativas e de orientação profissional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Universidade de Salamanca conta com 16 faculdades nas áreas de exatas, humanas e biológicas, além de vários centros de investigação. É considerada a melhor universidade pública espanhola em relação ao corpo docente e grande referência mundial no ensino do idioma espanhol, concentrando 80% da oferta existente na Comunidade de Castilla y León para seu aprendizado. Finalizamos a matéria com uma foto da Faculdade de Tradução e Documentação

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Anúncios

Ayuntamiento de Madrid

Finalizando esta série sobre os Ayuntamientos de España, no post de hoje vocês conhecerão o edifício histórico da Prefeitura de Madrid. Está situado na Plaza de la Villa, um dos locais mais bonitos do centro histórico da capital, junto à Calle Mayor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de la Villa ostenta esta denominaçao desde o século XV, quando Madrid recebeu o título de “Noble y Leal Villa“, outorgado pelo Rei Enrique IV. Antes, o local se chamava Plaza de San Salvador, em virtude da igreja homônima que se localizava em frente à praça. No átrio desta igreja se realizava o Conselho de Madrid desde o século XIV, função que exerceu até o final do século XVI, sendo que no século XIX foi derrubada. Atualmente, o espaço da igreja está ocupada por edifícios de finais do século XIX, e uma placa recorda a existência do templo religioso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMesmo sendo Capital da Espanha desde 1561, Madrid demorou em ter um edifício próprio como sede do Ayuntamiento. A construção da denominada Casa de la Villa iniciou-se em 1645, segundo o projeto do arquiteto Juan Gómez de Mora, um dos principais arquitetos da época, durante o reinado de Felipe IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO processo construtivo durou 48 anos, e o Edifício do Ayuntamiento foi inaugurado em 1693. Depois da morte de Juan Gómez de Mora, outros arquitetos de importância retomaram o curso das obras, como José de Villareal, Sebastián Hurtado, José de Olmo e Teodoro Ardemans, que realizou os últimos detalhes do edifício e sua decoração exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de la Villa foi edificada sobre as residências que pertenceram a D.Juan de Acuña, que recebeu o título de Marqués del Valle. O edifício se caracteriza por seu desenvolvimento horizontal, com duas torres cobertas com uma estrutura de pizarra nas esquinas (pedra de ardósia, em português). Os materiais construtivos se restringem à pedra de granito e o tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi alvo de algumas reformas, como a sucedida em 1798, quando o famoso arquiteto Juan de Villanueva construiu um balcão na fachada que dá para a Calle Mayor, para que os monarcas pudessem assistir as procissões de Corpus Christi.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de sua função principal como Casa Consistorial, na Casa de la Villa funcionou também a Prisão da cidade. No começo do século XX, o arquiteto Luis Bellido construiu uma passagem unindo o Ayuntamiento com o antigo Palácio de Cisneros (construído em 1537 por Benito Jiménez de Cisneros, sobrinho do famoso Cardeal Cisneros), que havia sido adquirido pela prefeitura em 1906 para ampliar suas instalações.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada principal podemos ver no lado esquerdo o Escudo de Madrid, o “Urso e o Madroño“, e o Escudo Real no centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma foto antiga da Plaza de la Villa e o Ayuntamiento de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ uma pena que atualmente a Casa de la Villa não esteja  aberta à visitação pública, pois seu interior está formado por belas dependências e conta com uma rica coleção de obras de arte. No entanto, estas sim podem ser admiradas, pois muitas delas se encontram expostas no Museu de História de Madrid, situado na Calle de Fuencarral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de la Villa foi a sede do Ayuntamiento de Madrid desde o final do século XVIII até 2007, quando foi transferido para outro belo edifício, o Palácio das Comunicações, situado na conhecida Plaza de Cibeles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntiga sede dos Correios e Telégrafos da Espanha, o Palácio das Comunicações foi construído no início do século XX pelos arquitetos Antonio Palacios e Joaquín Otamendi. Atualmente, funciona como um centro cultural, e em sua parte traseira se instalou o Ayuntamiento de Madrid. Abaixo, vemos o edifício iluminado e a parte traseira com sua imponente cúpula de cristal…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, a Casa de la Villa é utilizada apenas como local de eventos oficiais e recepções.

A Catedral de Ávila: Parte 2

Nesta segunda parte sobre a Catedral de Ávila veremos o interior do espaço sagrado, e algumas de suas obras mais importantes. A Capela Maior, por exemplo, acolhe um maravilhoso retábulo realizado no último período construtivo da catedral, no final do século XV e começo do XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior do retábulo foi executada por Pedro Berruguete, que combina a tradiçao hispano-flamenca com o novo estilo renascentista proveniente da Itália. O artista buscou a individualização dos personagens representados e um grande realismo, conseguidos através de um intenso naturalismo. Com sua morte, a execução do retábulo foi realizada, entre outros, por Juan de Borgoña, que retratou as cenas da Anunciação, Nascimento de Cristo, Transfiguração e Apresentação ao Templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Capela Maior, foram colocadas duas esculturas dedicadas a Santa Catalina e San Segundo, ambas realizadas em alabastro por Vasco de la Zarza na primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a Santa Catalina…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que San Segundo foi um dos sete enviados por São Pedro e São Paulo com a missão de evangelizar Espanha. Foi o primeiro Bispo de Ávila, sendo considerado o padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave principal foi colocado o Coro, algo característico das Catedrais Espanholas. Inicialmente ele se encontrava junto a Capela Maior, ao modo das catedrais francesas. Durante o período renascentista, acabou sendo deslocado para o centro da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído na primeira metade do século XVI por Cornelis de Holanda, que contou com a participação de Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, entre outros. Elaborado com madeira de nogal, destaca-se por sua rica iconografía, onde foram representados uma grande quantidade de santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do coro, dois belíssimos órgãos, um barroco e outro de data posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro da catedral foi inicialmente construído no século XIV no estilo gótico e apenas finalizado no XVI, já dentro da estética renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por 3 capelas, e constituiu sempre um local de enterramento, acolhendo os restos de personagens ilustres da História da Espanha, como Adolfo Suárez (1932/2014), o primeiro presidente do período democrático do país, iniciado depois da morte do General Franco. Abaixo, vemos uma lista que comprova a milenar tradiçao episcopal de Ávila, onde podemos ver todos os bispos da cidade, começando por San Segundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA San Segundo foi dedicado também uma das principais capelas das muitas existentes na catedral. O acesso a ela se dá tanto pelo interior, quanto pelo exterior do templo, cuja fachada austera vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída para acolher os restos de San Segundo para sua conservação, que foram trazidos da igreja românica a ele dedicado, prova da grande devoção de seus habitantes ao primeiro bispo de Ávila. Para que pudesse ser construída, tiveram que derrubar um cubo da muralha, prévia permissão concedida pelo rei Felipe II, pois a fachada da capela está adossada à mesma, como vemos acima. Abaixo, vemos o interior da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Capela de San Segundo foi iniciada por Francisco de Mora em 1602, e finalizada por seu sobrinho Juan Gómez de Mora em 1615. O retábulo em forma de baldaquino acolhe uma urna com as relíquias do santo, e foi realizado em 1715 por José Benito de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Bernardo – Alcalá de Henares

Alcalá de Henares possui um verdadeiro tesouro arquitetônico do Barroco Espanhol, o Monastério de San Bernardo. Encontra-se situado entre outras duas construções emblemáticas da cidade, o Palácio Arcebispal e o Museu Arqueológico Regional, que em breve veremos no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConhecido popularmente como “Las Bernardas“, foi fundado pelo cardeal Bernardo de Sandoval y Rojas (1546/1618), arcebispo de Toledo, a cuja diocese pertenceu a cidade e suas terras desde 1129, depois da reconquista de Alcalá de Henares, até a criação da Diocese de Madrid-Alcalá em 1885. Abaixo, vemos um retrato anônimo do cardeal, pintado no começo do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras do monastério iniciaram-se em 1617, e o cardeal quis que o convento fosse habitado por 24 freiras da Ordem Cistercense, sob a titularidade de San Bernardo de Claraval, grande impulsor desta ordem. Uma escultura do santo, atribuída ao escultor português Manuel Pereira, que viveu boa parte de sua vida em Madrid, adorna a fachada do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi projetada pelo arquiteto Juan Gómez de Mora, de grande importância naquele período. A fachada combina o tijolo com o granito, sendo que os adornos foram realizados com pedra calcária. Na parte superior da fachada, vemos o escudo do cardeal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do monastério é uma verdadeira maravilha, pois possui uma inusual planta elíptica, circundado por 6 capelas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASete balcões colocados no nível superior permitem excelentes vistas do conjunto, como vemos acima. Toda a estrutura está coberta por uma enorme cúpula oval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente a entrada principal situa-se a Capela Maior, com um espetacular altar-retábulo que se encontra separado do muro da capela, algo raro nos templos religiosos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta grande estrutura combina de forma harmoniosa pintura com escultura, e foi executada pelo jesuíta Francisco Bautista. De planta octogonal, possui dois corpos, albergando em sua parte inferior as esculturas dos 4 evangelistas e seus atributos. Na parte superior, foram colocadas as esculturas de São Gregório, São Paulo, Santo Ambrósio, São Bernardo, Santo Agostinho, São Pedro e São Jerônimo. Todas as esculturas foram esculpidas por Antonio de Herrera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor sua vez, o conjunto de pinturas retratam cenas da vida de São Bernardo e de outros santos e beatos da Ordem Cistercense, e foram realizadas pelo pintor italiano Angelo Nardi, que esteve ativo em Madrid no século XVII. As pinturas que decoram as capelas laterais também foram realizadas por ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da igreja, o monastério contava com as celas, dois claustros, sala capitular, os coros alto e baixo, duas sacristias, além de outras dependências necessárias para a vida em clausura. Abaixo, vemos a cozinha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA comunidade religiosa se manteve no monastérios durante séculos, desde sua fundação até o ano 2000. Declarado Monumento Histórico-Artístico em 1924, o Monastério de San Bernardo se encontra atualmente num processo de restauração integral.

Universidade de Alcalá de Henares: Os Colégios Menores

Com a fundação da Universidade de Alcalá de Henares, o Cardeal Cisneros criou um completo plano educacional para a juventude da época, que compreendia desde o atual ensino primário até o ensino superior. A fundação do Colégio Maior de San Ildefonso foi acompanhada da criação dos denominados Colégios Menores. O próprio cardeal foi o responsável da fundação de 6 deles, um dos quais o Colégio-Convento dos Franciscanos de San Pedro y San Pablo. Trata-se de um edifício anexo ao Colégio Maior, e junto com este foi o único Colégio de Menores que funcionou desde o início das aulas da universidade, em 1508. Atualmente, o edifício é a sede da Gerência da Universidade de Alcalá.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fundação da universidade transformou completamente a paisagem de Alcalá de Henares, e praticamente surgiu uma nova cidade dentro da outra pré existente. Apareceram novos edifícios que passaram a integrar o conjunto universitário, como os Colégios Menores. Cada um deles tinham sua própria origem e regras e possuíam uma relativa independência, mas todos eles estavam subordinados à universidade, representada pelo Colégio Maior de San Ildefonso. A maioria destes colégios estavam destinados para crianças e jovens pobres. Alguns dos colégios idealizados por Cisneros, mas que ele não pôde fundar em vida, foram finalmente criados após a sua morte, com o intuito de cumprir o desejo pessoal do cardeal. Outros colégios, que não estavam nos planos do Cardeal Cisneros, foram criados por particulares para estudantes pobres, mas que deveriam ter uma procedência concreta estipuladas por seus fundadores. Um exemplo é o denominado Colégio de Málaga, fundado pelo Bispo de Málaga D.Alonso de Moscoso em 1610.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi construído por Juan Gómez de Mora e constitui um dos principais exemplos do barroco com características madrilenhas da cidade de Alcalá de Henares. Neste colégio se davam os cursos de Teologia e Direito Canônico. Atualmente, é a sede da Faculdade de Filosofia e Letras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Real Colégio Menor de San Felipe y Santiago, como o próprio nome indica, foi fundado por um rei, Felipe II, em 1551. No entanto, o edifício que vemos atualmente foi realizado durante o reinado de seu filho, Felipe III, e também projetado por Juan Goméz de Mora, sendo concluído em 1669. Por este motivo, é conhecido como Colégio del Rey. Atualmente, é a sede do Instituto Cervantes, e nele se realizam exposições temporais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da fundação da universidade, quase todas as ordens religiosas existentes na Espanha chegaram à cidade para a criação de colégios-conventos onde seus membros pudessem estudar. Um total de 19 novos edifícios transformaram Alcalá numa das cidades com a maior quantidade de conventos do país. A seguir, vemos o Colégio-Convento dos Carmelitas Calçados

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio Menor de Teólogos ou de la Madre de Dios

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio-Convento de Mínimos de São Francisco de Paula, atualmente Faculdade de Ciências Econômicas e Empresariais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio-Convento dos Trinitários Descalços, fundado em 1601.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio-Convento dos Clérigos Menores de San José ou dos Carracciolos, uma referência ao nome do fundador da Ordem dos Clérigos Menores, San Francisco Caracciolo. O edifício foi construído no começo do século XVII pelo arquiteto Fray Lorenzo de San Nicolás.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio-Convento de San Basilio Magno, atualmente sede do curso de Belas Artes da Universidade de Alcalá de Henares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo momento em que entrei no edifício, alguns membros de uma associação da cidade chamada Comparsas de Gigantes e Cabezudos de Alcalá estavam ensaiando para os dias festivos de agosto, em que se celebram diversas atividades culturais pela cidade em comemoração ao quarto centenário da morte de Miguel de Cervantes. Foram extremamente simpáticos comigo, me permitiram a entrada, me mostraram os gigantes que saem pelas ruas e até me deixaram tirar uma foto do grupo. Um final de dia perfeito para minha visita a Alcalá de Henares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria comentando que a cidade chegou a possuir até 50 colégios menores no total, e atualmente a grande maioria pertence à Universidade de Alcalá e funcionam como sedes de faculdades, locais de exposições culturais e centros administrativos.

 

Palácio de Santa Cruz – Madrid

Como consequência do grande crescimento que  Madrid experimentou logo depois de tornar-se Capital da Espanha em 1561, a cidade transformou-se também na “Capital do Crime e da Delinquência”, com as taxas de delitos mais altas da Europa.Em 1650, por exemplo, durante 6 meses houve 160 mortes violentas, para uma cidade com cerca de 100 mil habitantes. Apesar da existência da Pena de Morte, estes números aterradores nao diminuiram. No séc. XVI, Madrid nao possuía nenhum edifício destinado a cadeia, motivo pelo qual eram requisitados de forma temporária imóveis para alojar os presos. Somente em 1543 foi construída a prisao da vila, derrubada em 1621. Já durante o governo de Felipe IV (1621/1665) foi levantado o edifício sede da Prisao de Madrid, digna para a capital do império, situada na Praça da Província.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de abrigar a prisao da vila, passou a sediar também uma instituiçao de origem medieval, o Tribunal de Alcaldes de Casa y Corte (original em espanhol). A primeira pedra foi colocada em 1629, sendo finalizado em 1636. O novo edifício centralizava todas as funçoes jurídicas e penais da Madrid de los Áustrias, denominaçao da dinastía monárquica na época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANaquele período, a Justiça Civil  predominava, enquanto o Tribunal da Inquisiçao julgava os delitos de heresía. O Tribunal de Alcades era responsável por averiguar 90 % dos delitos cometidos. Com esta cifra, fica fácil perceber a importância deste edifício no séc. XVII. O denominado Alcalde exercía a funçao de juiz, e impunha as sentenças de condenaçao. O presidente da prefeitura chamava-se corregidor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi projetado por Juan Gómez de Mora, arquiteto real, e foi edificado num estilo herreriano (de Juan de Herrera, construtor do Monastério do Escorial), numa época já determinada pelos preceitos do barroco. Combina o tijolo, o granito e a pizarra (ardósia, em português), usada na parte superior das torres, situadas em cada esquina da construçao. Trata-se do edifício mais importante do reinado de Felipe IV, e um dos mais emblemáticos da capital espanhola. Abaixo, vemos uma inscriçao original na fachada que recorda o dito acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos  o escudo de Felipe IV que preside a fachada, bem ocomo um retrato do monarca, realizado entre 1630/1635, por artistas pertencentes ao círculo do pintor Diego Velázquez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs pessoas humildes que recebiam a pena máxima eram enforcados na Plaza de la Cebada, enquanto os nobres eram degolados pela frente na Plaza Mayor, situada a poucos metros da prisao. Já os bandoleiros tinham seus membros cortados e expostos em lugares públicos. Abaixo, vemos uma foto da Plaza Mayor de Madrid.

DSC02000Outro instrumento capital, de invençao espanhola, foi o Garrote Vil. O pobre condenado sentava-se num assento e um aro de ferro era colocado ao redor do pescoço. Um carrasco girava um tornilho situado na parte traseira do assento, e o réu falecia afixiado, de forma quase imediata. Os bancos feitos de bronze da Plaza Mayor contam a história da praça, e neles podemos observar o mecanismo do Garrote Vil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O edifício foi utilizado como prisao até o reinado de Felipe V, já no séc. XVIII. Um terrível incêndio, ocorrido em 1791, destruiu a quase totalidade do nível superior da construçao. O arquiteto Juan de Villanueva foi o encarregado de sua reconstruçao. Um pouco antes, em 1767, passou a abrigar apenas a Sala de Alcaldes, e a prisao foi levada a um edifício próximo. As execuçoes públicas foram abolidas somente em 1900. A partir de entao, foram realizadas nos quartéis. Desde 1938, tornou-se a sede do Ministério de Assuntos Exteriores e Cooperaçao, funçao que exerce até os dias de hoje. No ano seguinte, passa a ser conhecido como Palácio de Santa Cruz, dada a proximidade com a parróquia de mesmo nome. O Ministro de Assuntos Exteriores vive na parte lateral do edifício, no chamado Palácio do Duque de Rivas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome procede de um dos proprietários do palácio, Ángel de Saavedra y Ramírez de Baquedano, II Duque de Rivas. Personagem importante na época (séc. XIX), foi deputado, ministro, Presidente do Conselho de Estado e Prefeito de Madrid. Como humanista, foi poeta, dramaturgo e diretor da Real Academia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1939, quando era propriedade do Marquês de Viana, o Ministério de Assuntos Exteriores adquiriu o palácio, transformando-o em residência ministerial.

Igreja da Clerecía – Salamanca

Bem em frente a Casa das Conchas de Salamanca situa-se a Igreja das Clerecías, um dos templos católicos mais importantes da cidade castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASímbolo do esplendor barroco em Salamanca, foi construída por ordem de Margarita de Áustria, esposa do rei Felipe III, quando este já havia falecido. As obras de construçao se iniciaram em 1611 e foram finalizadas quase 150 anos depois, em 1755. Na época de sua construçao, os jesuítas gozavam de uma grande influência na cidade, e o objetivo principal da rainha era fundar um colégio de formaçao de missioneiros para difundir a fé católica pelo mundo e combater a heresia no continente europeu. Na fachada, vemos uma imagem de San Ignácio de Loyola, funadador da Ordem dos Jesuítas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALevantada numa época de decadência econômica e social do país, impressiona a grandiosidade de seu exterior, fato relacionado à importância adquirida pela Companhia de Jesus. Sua construçao exigiu a destruiçao de um grande número de casas e a própria Casa das Conchas sobreviveu por milagre. A antiga Igreja do Espírito Santo, pertencente a Real Clerecía de San Marcos também foi derrubada. Na Idade Média, os clérigos se agrupavam em grêmios denominados Clerecías, cuja finalidade era a defesa de seus direitos, sob a proteçao direta do rei.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto inicial da construçao se deve ao arquiteto Juan Goméz de Mora, sendo terminado por Andrés Garcia de Quiñones. Na fachada, podemos apreciar a transiçao do estilo austero e sóbrio de Goméz de Mora (parte central e inferior) com a parte superior, plenamente barroca com as duas torres realizada por Garcia de Quiñones.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs jesuítas habitaram o Real Colégio até 1767, quando foram expulsos da Espanha pelo rei Carlos III. A partir de entao, voltaram a pertencer a Real Clerecía de San Marcos. Em 1854, a Ordem Jesuíta voltou a ser a proprietária do edifício. O conjunto está formado pela residência dos jesuítas, pela igreja e o chamado Claustro dos Estudos, uma obra fundamental do barroco castelhano, que vemos abaixo, também construído por Andrés García de Quiñones.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte interior do claustro está decorada com vários quadros que contam a história de San Ignácio de Loyola e da Companhia por ele fundada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro permite o acesso às antigas salas de estudo do Real Colégio, belamente decoradas com pinturas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a impressionante escada aos níveis superiores do conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja está formada por apenas uma nave, uma planta típica representativa da Ordem dos Jesuítas. O Retábulo Maior Barroco foi realizado por José de Churriguera, no séc. XVII. A foto nao está boa, mas de qualquer maneira, podemos ter uma idéia da obra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, a cúpula da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1940, o edifício é a sede da Universidade Pontifícia de Salamanca, cuja visita recomendo, pela rica história e a beleza que possui.