Villarejo de Salvanés – Comunidade de Madrid

No post anterior vimos a importância que a Ordem de Santiago teve na história da região sudeste da Comunidade de Madrid, sendo que algumas fortificações que pertenceram à ordem ainda podemos observar na paisagem da zona, como o Castelo de Fuentidueña de Tajo. Próximo à cidade tive o privilégio de visitar um lugar de beleza insólita, formada por um açude construído no Rio Tajo, ao lado de um antigo monastério do século XVII que também foi uma propriedade que pertenceu à Ordem de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConhecido como Açude de Buena Mesón, esta incrível obra de engenharia realizada durante a época de Carlos I e Felipe II (século XVI) reflete a maestria dos engenheiros alemães e flamencos que a realizaram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído em forma de “V”, seu objetivo inicial foi o aperfeiçoamento dos antigos açudes construídos pelos árabes, represando o Rio Tajo e oferecendo o desenvolvimento de atividades econômicas. Atualmente o açude compõem um magnífico cenário visual situado junto à vegetação de ribeira que podemos encontrar na Comarca de las Vegas, como se conhece esta região da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada a apenas 12 km de Fuentidueña del Tajo, o município de Villarejo de Salvanés possui muitas semelhanças com o povoado vizinho, pois também pertenceu à Ordem de Santiago. Prova disso é seu curioso castelo, melhor conservado que o de Fuentidueña del Tajo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA De seu formato original, se conserva em bom estado a Torre de Homenagem, que integrou uma fortaleza muito maior edificada no século XIV. Nela viveu o Comendador Maior da Ordem de Santiago. Esta torre constitui um caso único na história da arquitetura militar da Espanha, devido às 8 pequenas torres que se encontram adossadas à estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo foi construído a partir de uma antiga atalaia muçulmana, e foi reformado no século XV, quando adquiriu o curioso aspecto que possui atualmente. Fortaleza fundamental no controle militar da Ordem de Santiago, chegou a ser a sede do Tribunal Especial das Ordens Militares. Estava rodeado por um fosso e possuía, ao menos, 3 torres mais. Abaixo, vemos um plano arquitetônico do antigo castelo, realizado segundo as investigaçoes arqueológicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do Castelo de Villarejo de Salvanés, encontra-se a Igreja Paroquial de San Andrés Apóstol, construída no século XIV. Foi totalmente restaurada nos anos 80 do século XX, depois dos graves prejuízos que sofreu devido a Guerra Civil Espanhola e pelos efeitos causados por um terremoto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos os poderosos contrafortes de seu ábside….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento de interesse histórico do povoado, a denominada Casa de la Tercia foi construída pela Ordem de Santiago no século XV. Atualmente sedia o Museu Etnográfico, que enfatiza a tradição agrícola do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Toros de Villarejo de Salvanés é considerada um caso excepcional, pois foi construída pelos próprios moradores da cidade em 1965. Cada habitante aportou algo para a construção, como mão de obra, materiais construtivos, etc. Hoje em dia, os festejos taurinos constituem uma data especial da cidade, quando os touros percorrem as ruas do município até entrarem na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Fuentidueña del Tajo – C.Madrid

A Comunidade de Madrid possui muitos outros tesouros a serem descobertos, além dos inumeráveis existentes na capital. Por exemplo, a cerca de 60 km de Madrid localiza-se o povoado de Fuentidueña del Tajo. Com aproximadamente 2 mil habitantes, encontra-se bastante próximo à Província de Toledo, já na Comunidade de Castilla La-Mancha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABoa parte da zona sudeste da Comunidade de Madrid, onde se situa o pueblo, pertenceu, em épocas passadas, à Ordem de Santiago, uma das 4 ordens militares autóctonas da Espanha (as outra são as ordens de Calatrava, Alcántara e Montesa). Esta ordem religiosa e militar nasceu no século XII no antigo Reino de León com o objetivo inicial de proteger os peregrinos que realizavam o Caminho de Santiago. Dentro do Processo de Reconquista, exerceu um papel fundamental na reocupação das terras dominadas pelos muçulmanos. Uma das maiores atraçoes de Fuentidueña del Tajo é seu castelo, que foi propriedade da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituado num cerro que se eleva sobre a cidade, dele podemos admirar todo o povoado, como vemos na primeira foto da matéria. Também conhecido como Castelo de Santiago, infelizmente encontra-se num estado ruinoso. A Torre de Homenagem é sua parte melhor conservada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua história inicialmente está vinculada a uma fortificação muçulmana, construída para deter o avance dos cristãos. A fortaleza foi conquistada pelo Rei Alfonso VI entre os séculos XI e XII, momento em que foi construído um novo castelo, que foi utilizado como residência de personagens relevantes da época. Nele viveu a Rainha Urraca I, esposa do monarca Alfonso I de Aragón, a quem os habitantes do povoado chamam de sua “Dueña”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, o castelo passou a ser propriedade da Ordem de Santiago e foi utilizado como cárcere. Durante a Guerra da Independência contra os franceses no início do século XIX, a fortaleza foi severamente castigada e seus materiais construtivos foram utilizados para a construção de outros edifícios. Os restos conservados datam do século XIV, quando o castelo foi ampliado dois séculos depois de sua fundação. Sua importância se reflete em seu aparecimento no escudo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Tajo atravessa os limites do povoado, e aos pés do castelo se encontra uma fonte que originalmente foi construída em tempos da Rainha Urraca, cujo apelido “Dueña” completa a origem da denominaçao do povoado, Fuentidueña del Tajo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próxima ao castelo vemos a Igreja de San Andrés Apóstol, construída no século XVII no estilo barroco sobre uma antiga capela erguida no século XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi dedicada ao Apóstolo André, que se tornou o santo padroeiro da vila. Em sua fachada destacam a torre quadrada e suas três colunas toscanas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado é também conhecido pela Torre do Relógio, situada ao lado do Ayuntamiento, o edifício sede da prefeitura do município. Sua máquina de funcionamento é uma das mais antigas de toda a Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando estive na cidade, seus habitantes tinham acabado de celebrar as festividades em honra a sua padroeira, Nossa Senhora de Alharilla, cuja imagem decora a torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATanto a torre quanto o Ayuntamiento situam-se na Plaza de la Constitución, a mais importante do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFuentidueña del Tajo possui uma singela Plaza de Toros, chamada “La Ribereña“, onde se realizam espetáculos taurinos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelo da Alameda – Madrid

Depois de 8 anos vivendo em Madrid, descobri que a cidade possui um castelo pouco conhecido até mesmo pelos próprios madrilenhos, o Castelo da Alameda, assim denominado por estar situado no Bairro de Alameda de Osuna, na zona nordeste da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALamentavelmente, o que sobreviveu da fortaleza constitui apenas uma pequena parte do castelo original construído em torno ao ano 1400 por uma das famílias mais poderosas da época, a dos Mendoza. O castelo foi edificado por Diego Hurtado de Mendoza, pai de Iñigo López de Mendoza, que recebeu o título de Marquês de Santillana. Com a chegada da Dinastia dos Trastâmara ao poder com o monarca Enrique II em 1369, iniciou-se um processo de “senhorização”, no qual os nobres partidários dos reis receberam, graças ao apoio oferecido, direitos jurídicos e econômicos sobre os territórios da coroa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra fortificação pertencente ao Senhorio dos Mendoza na Comunidade de Madrid é o Castelo de Manzanares El Real, um dos mais belos de toda a comunidade (post publicado em 23/3/2012).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo da Alameda tinha suas dependências organizadas em torno a um pátio, com torres nas esquinas e um grande fosso defensivo ao redor do conjunto (com 12 m de largura por 6 m de profundidade). Sua função era evitar que o inimigo pudesse escapar dos projéteis lançados e também para aumentar o tamanho de seus muros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara atravessar o fosso havia uma ponte, formada por uma parte maciça e outra de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA estância principal do castelo estava formada pela Torre da Homenagem, que infelizmente não se conservou. Nela, o senhor recebia a homenagem de seus vassalos, um ato protocolário em que ambos realizavam um pacto de fidelidade: em troca da proteção do senhor, além de terras e direitos, os vassalos se comprometiam a entregar-lhes suas rendas e servir-lhes com suas armas. Podemos imaginar como era a Torre de Homenagem graças à torre da mesma época que se conserva na cidade de Pinto, situada a pouca distância de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1555 e 1580, o castelo sofreu uma profunda reforma, transformando a antiga residência fortificada num Palácio Rural de estilo renascentista, com jardins, fontes e um fosso ainda mais amplo. A velha nobreza guerreira medieval se havia convertido numa classe aristocrática que tinha preferência pela vida urbana, mas que também apreciava cômodas residências no âmbito rural para seu descanso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta reforma foi realizada pela família dos Zapata que, por motivos matrimoniais, adquiririu a propriedade destas terras e também do castelo. Seu membro mais importante foi Francisco Zapata de Cisneros, que alcançou um posto relevante na corte de Felipe II, recebendo o título de Conde de Barajas. O fosso, que originalmente possuía uma função defensiva, acolheu um exuberante jardim com várias espécies vegetais, e também uma horta, onde se cultivavam legumes e hortaliças. Em cada uma das esquinas do fosso se construíram fontes e um sistema de canalização de água.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dependências interiores também foram renovadas, e a construçao passou a ter três andares, em vez dos dois andares do castelo original. Na parte superior se abriram janelas com vistas ao jardim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Zapata, sempre fiéis à monarquia, emprestaram sua residência para que fosse utilizada pela justiça real como prisão de vários personagens, entre os quais Don Fernando Álvarez de Toledo, o III Duque de Alba, famoso e temível governador de Flandres. Em 1599 serviu de aposento para a Rainha Margarita de Austria, antes de realizar sua entrada em Madrid depois de casarse com Felipe III, em Valencia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo do século XVII, a situação social dos Zapata sofreu um grande declínio e em 1697 um incêndio destruiu o castelo, que não voltou a ser ocupado. Em 1785, com autorização municipal, a Duquesa de Osuna ordenou a extração dos materiais construtivos do castelo para edificar um palacete situado no belíssimo Parque do Capricho, a pouca distância da fortaleza (ver matérias publicas nos dias 13/2 e 15/2/2014). O resultado foi a demolição de boa parte da estrutura, com a Torre de Homenagem incluída. A partir dos anos 60 do século XX, com a crescente imigração que Madrid sofreu, antigas aldeias foram incorporadas ao município, transformando-se em bairros residenciais, caso da Alameda. Entre 1986 e 1990 foram realizadas as primeiras investigações arqueológicas no recinto do castelo. Abaixo, vemos uma imagem aérea da época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA recuperação arquitetônica do Castelo da Alameda finalizou em 2010, e atualmente podemos visitá-lo. A seguir, uma imagem realizada após a reabilitação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo interessante curiosidade, ao lado do castelo se conserva uma casamata utilizada durante a Guerra Civil Espanhola (1936/1939).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFeita de concreto armado, a estrutura encontra-se semienterrada, oferecendo uma menor superfície aos impactos da artilharia, protegendo seus atiradores. Por incrível que pareça, as escavações realizadas permitem afirmar que foi utilizada como residência após o término da Guerra Civil. As ruínas do castelo também foram usadas como fortaleza improvisada. Sob o castelo escavou-se um túnel para servir de refúgio e talvez como depósito de armas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Último Passeio por Almagro

Neste último post sobre Almagro veremos outros lugares de interesse histórico existentes na cidade, como o Antigo Convento de Santa Catalina, fundado no início do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1612 até mediados do século XIX, o convento foi a casa da Ordem Franciscana em Almagro. Foi edificado com severos critérios de austeridade, como podemos observar nos muros do edifício. O convento sofreu os efeitos da Desamortização de Mendizábal em 1836, e foi transformado em hospital, cuja função exerceu entre 1850 e 1878.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACuriosamente, o local foi recuperado pelos próprios franciscanos, que decidiram fechá-lo definitivamente em 1942, devido a escassez de frades dispostos a residir num lugar com uma espartana disciplina. Atualmente, o Antigo Convento de Santa Catalina é um hotel pertencente a Rede de Paradores Nacionais da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando viajo pelo país, sempre que possível visito os Paradores Nacionais, por estarem situados em edifícios históricos e por sua decoração de bom gosto e requinte. Abaixo, vemos a cafetería, situada na antiga bodega do convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local que integra o patrimônio histórico-cultural de Almagro é o Convento Universidade de N.Sra do Rosário, construído pela Ordem de Calatrava como local de ensino em plena época renascentista, na primeira metade do século XVI. Com a desamortização do século XIX, o local foi fechado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo toda cidade castelhana tradicional, em Almagro se realizam corridas de touros (touradas, em português) em seu coso taurino, como também são denominadas as Praças de Touros na Espanha. Construída a partir de 1845 com materiais pertencentes à Igreja de San Bartolomé, que foi derrubada justamente neste ano, é considerada uma das praças históricas do país. Sua capacidade é para 8.600 espectadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA popularidade dos espetáculos taurinos na cidade ficou demonstrada quando entrei num bar, decorado com fotos dos toureiros mais famosos que se apresentaram na praça. Vinhos locais para serem apreciados instigaram meu apetite. Como curiosidade, uma faixa com a famosa frase “Por qué no te callas?”, pronunciada pelo Rei Juan Carlos I ao ex presidente venezuelano Hugo Chávez, durante a XVII Conferência Iberoamericana realizada em Santiago do Chile em 2007.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO motivo desta declaração do Rei Espanhol foram as constantes interrupções de Hugo Chávez no momento em que o Presidente de Governo José Luis Zapatero defendia a seu compatriota José María Aznar, acusado pelo presidente venezuelano por seu suposto apoio ao fracassado golpe de estado ocorrido na Venezuela em 2002. A frase deu a volta ao mundo e foi bem explorada comercialmente…

Um Passeio por Almagro

Outro fato histórico que contribuiu de maneira decisiva para  desenvolvimento de Almagro foi a chegada da Família dos Fugger à cidade. Esta poderosa família de origem alemã destacou-se por sua intensa e variada atividade financeira e comercial, com negócios espalhados por todo o continente. Inicialmente dedicaram-se ao comércio de seda e especiarias, com Jacob Fugger I “El Viejo”, mas foi um de seus filhos, Jacob Fugger II “El Rico”, quem expandiu as atividades financeiras da família, baseada no monopólio de minerais como prata e cobre. Em 1507 emprestou 150 mil ducados ao Imperador Maximiliano I, iniciando sua carreira como credor da Dinastia dos Habsburgos e convertendo-se em um dos primeiros banqueiros de todo o sistema capitalista. Jacob Fugger II é considerado também um grande mecenas das artes, acolhendo ao grande pintor renascentista alemão Alberto Durero, que realizou um retrato seu, cuja cópia vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Fugger estabeleceram-se em Almagro a partir de 1525, quando o Imperador Carlos I concedeu umas minas de exploração de mercúrio situadas próximas à cidade, como agradecimento aos favores dispensados pela família. Para poder armazenar o mercúrio, construíram um verdadeiro palácio, cuja fachada vemos a seguir, com uma faixa com o sobrenome da família traduzido ao espanhol (Fúcares).

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção iniciou-se em 1525, destacando-se seu belo claustro renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pátio retangular feito de tijolo está formado por arcos sustentados por colunas de Ordem Toscano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs amplas salas dispostas ao redor do pátio constituíam originalmente as antigas câmaras de armazenamento do mercúrio. O edifício teve outras funções ao longo do tempo, como colégio, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, é a sede da Universidade Popular de Almagro e desde o ano 2000 é utilizado para a realização de  obras teatrais durante o Festival Internacional de Teatro Clássico. Abaixo, vemos uma reconstituição de uma das dependências do antigo palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÀ Família dos Fugger se deve também a construção da Igreja de San Blás, uma forma de agradecer ao Imperador Carlos I o direito de exploração das minas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAberta ao culto normalmente, durante a realização do festival Internacional seu interior  transforma-se num espaço dedicado à obra universal de Miguel de Cervantes, “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“, com um interessante espetáculo de som.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um detalhe arquitetônico do interior da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Fugger trouxeram também a Almagro vários administradores de seu imenso império econômico, que construíram outros palácios pela cidade, alguns dos quais foram publicados numa recente matéria.

Convento de la Asunción de Almagro

Dentro de todo o patrimônio religioso de Almagro, destaca-se o Convento de la Asunción, cuja visita me impressionou bastante, uma verdadeira surpresa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste convento demonstra uma vez mais a importância que a Ordem de Calatrava teve no desenrolar da história de Almagro e no seu rico legado artístico e cultural. Foi fundado por D.Gutierre de Padilla, comendador maior da Ordem de Calatrava, como um hospital de misericórdia, no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderado uma jóia do Renascimento em Espanha, foi habitado por freiras calatravas até 1815, quando sofreu o processo de desamortização no século XIX e seus bens passaram a ser propriedades do estado. O claustro é um de seus elementos mais interessantes e apesar de ser considerado um dos mais belos do Renascimento Espanhol, ainda é desconhecido em boa parte do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto do claustro se deve a Enrique Egas “El Mozo”, realizado em 1534. Possui um formato quadrado com dois níveis de arquerias e com 60 colunas clássicas em seu perímetro, de Ordem Jônico no nível inferior e Toscano no superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Uma bela escada possibilita o acesso ao nível superior do claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo redor do claustro, observamos várias portas ricamente decoradas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo acontece normalmente nos conventos e monastérios da Espanha, suas dependências se organizam ao redor do claustro, como o antigo dormitório utilizado pelas freiras, com um bonito artesanato de estilo mudéjar feito de madeira em sua cobertura (finais do século XVI).

OLYMPUS DIGITAL CAMERASe o Corral de Comédias de Almagro representa o exemplo principal da Arquitetura Popular na cidade, o Convento de la Asunción constitui a obra prima da denominada Arquitetura Culta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de abandonado, foi utilizado como quartel de cavalaria e armazém de trigo e vinho. Em 1851 foi declarado Monumento Histórico-Artístico, fato que provavelmente o salvou da ruína. Abaixo, vemos a igreja do convento, construída na primeira metade do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA foto acima foi tirada do Coro, cujos detalhes vemos na sequência…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo início do século XX, o convento passou a ser propriedade da Ordem Dominicana, que realizou criticadas reformas no convento, para transformá-lo num colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento está aberto à visitação pública, algo que recomendo. Simpáticas e atenciosas funcionárias tornam a visita ainda mais instrutiva. Abaixo, vemos o Escudo da Ordem de Calatrava, talhado na porta da instituição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Patrimônio Religioso de Almagro

Almagro possui um rico e variado patrimônio histórico-religioso, formado por igrejas, conventos e ermitas. Um exemplo é a Igreja de Madre de Dios, construída sobre um antigo hospital. Sua construção iniciou-se a partir de 1546 e foi finalizada em 1602.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi edificada na fase final do estilo gótico, com alguns detalhes renascentistas, segundo o projeto de Enrique Egas “El Mozo”. Sua fachada, que vemos acima, caracteriza-se pela  grande austeridade e a presença de poderosos contrafortes. Uma pequena roseta a preside. Ao lado, a torre inacabada do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outros detalhes de seu aspecto exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo apresenta uma planta conhecida como “Planta de Salão“, devido a que suas naves possuem a mesma altura. Encontram-se cobertas por bôvedas de crucería, segundo o esquema gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi reformada no século XVIII, mas lamentavelmente seu magnífico retábulo barroco se perdeu durante a Guerra Civil Espanhola do século XX. Abaixo, vemos o retábulo atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma foto de uma de suas naves laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs ermitas constituem um importante legado histórico e cultural da cidade. Seu desenvolvimento e difusão se devem ao auge que alcança a devoção popular durante a Idade Média e a Idade Moderna, relacionado principalmente com o culto das imagens religiosas e das relíquias. Antigamente, a vila estava dividida em bairros segundo as classes sociais que ocupava e cada um tinha sua própria ermita, conservada pelos próprios habitantes. Um exemplo é a bela Ermita de San Juan, fundada no século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de conhecê-la em seu interior, cujo amplo espaço impressiona, por tratar-se deste tipo de templos religiosos, normalmente de reduzido tamanho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA