Os Pueblos mais Belos de Espanha: Parte 4

Na matéria de hoje veremos alguns dos Pueblos mais belos da Catalunha, comunidade situada no nordeste do país, cuja capital é Barcelona. A comunidade está formada por 4 províncias (Barcelona, Taragona, Girona e Lérida), estando repleta de povoados encantadores. Um dos destinos turísticos mais importantes da comunidade é a Costa Brava, localizada na Província de Girona. Suas belas praias atraem uma grande quantidade de turistas. Uma cidade base interessante para se conhecer a região é El Port de la Selva (post publicado em 4/10/2016).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo à cidade situa-se o Monastério de San Pere de Rodes (5/10 e 7/10/2016), um dos mais importantes do estilo românico no país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, a Costa Brava possui pueblos medievais de grande beleza, como Peratallada (2/9/2013)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO município conta com menos de 500 habitantes, e passear por suas ruas de pedra é realmente uma delícia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro povoado de visita imprescindível na Costa Brava é Cadaqués (1/9/2013), que foi imortalizado em muitas das obras de Salvador Dalí, que nasceu numa cidade próxima, Figueres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Taragona, um dos pueblos mais bonitos que conheci foi Montblanc (1/4 e 2/4/2013), que recebeu o título de Conjunto Histórico-Artístico, e que conserva boa parte de sua muralha medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Lérida um dos maiores destaques é o Valle de Arán, situado na Cordilheira dos Pirineus. Sua capital, Viella (25/1/2013), é uma excelente cidade para explorar este encantador lugar da comunidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAArtiés (29/1/2013) é um dos pueblos mais bonitos do vale. Antigas tradições ainda se mantêm intactas, e conhecer sua igreja românica, uma das muitas existentes na zona, é um complemento perfeito para o passeio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07450

Anúncios

Românico em Girona – Segunda Parte

Finalizamos os posts sobre Girona com a segunda parte dos monumentos do estilo românico que podemos contemplar numa visita à cidade. De fato, Girona conserva uma das poucas construções de caráter civil do período românico que se conservam em toda a Espanha. São os denominados Banhos Árabes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar do nome, trata-se de uma edificação realizada no período cristão, incorporando elementos do estilo predominante na época, o românico. Construído em 1194, foi inspirada nos banhos romanos e árabes, tão em moda naqueles tempos. Apreciamos, dentro de sua estrutura geral, elementos que integram a arquitetura islâmica, como a porta de acesso aos banhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto dispunha de 3 salas com águas a distintas temperaturas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma delas está formada pelos típicos Arcos de Meio Ponto, característicos do Românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mais impressionante,  situada logo no hall de entrada, é a sala de águas frias (frigidarium). No seu centro, eleva-se uma estrutura octogonal, composta por belas colunas e aberta em sua parte superior à luz exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte exterior, que dá acesso à cúpula, podemos ver o que foi o forno, necessário para esquentar a água que abastecia uma das salas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo podemos observar, o homem medieval também cuidava do seu corpo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Praça de San Feliu (San Félix, em castelhano), uma pequena escultura atrai a uma grande quantidade de turistas, graças à lenda a ela associada. A obra é uma escultura românica do séc. XI, que representa uma leoa. Na realidade, a que vemos na praça é uma cópia, pois a original encontra-se guardada no museu da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que quem beija a bunda da leoa, retorna à Girona. No entanto, o hábito foi proibido pela prefeitura da cidade, por razões higiênicas. Por isso, a escultura foi colocada  num local mais alto, dificultando a “manobra”. No entanto, muitos são os que não resistem, e fazem de tudo para beijar as nádegas da felina, na esperança de um dia voltar a esta mágica e surpreendente cidade.

Românico em Girona

Como vimos nos posts dedicados à Catedral de Girona, a cidade guarda impressionantes mostras de Arte e Arquitetura Românicas. E seu legado não termina com as contribuições do estilo para o templo catedralício da cidade. Situada fora das antigas muralhas, por ex., localiza- se a Capela de San Nicolás. Construída no séc. XII, havia no local um cemitério na Idade Média, e pode ser que se tratasse de uma capela funerária, levantada para acolher tumbas monumentais. O interior está desprovido de ornamentação, sendo atualmente usado como espaço para exposições culturais. A capela foi catalogada como Monumento Histórico-Artístico em 1919, e sofreu um amplo processo de restauração, a partir de 1940.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA capela esteve vinculado ao Monastério de San Pedro de Gallicants,  situado ao lado deste pequeno, mas belo e representativo templo.  Também erguido no séc. XII (1130), o monastério era uma antiga abadia beneditina e de muitos pontos da cidade podemos apreciar sua bela torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário possui um formato octogonal, e foi levantada no séc. XIV, como parte do processo de remodelação das muralhas de Girona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de San Pedro de Gallicants está formado por uma igreja de planta basilical, 4 ábsides e claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto a seguir, vemos a fachada do templo , decorado com belos capitéis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de suas reduzidas dimensões, o claustro é um bom exemplo do Românico Catalão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1857, o monastério abriga a sede, na cidade, do Museu Arqueológico da Catalunha, com peças relativas à época romana e outras de caráter religioso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Girona – Segunda parte

A permanência árabe em Girona foi sufocada pelo Império de Carlos Magno, que fez da cidade parte integrante de seu território. Dessa forma, converteu-se na capital de um condado, submetido aos francos. Nos séculos seguintes, Girona experimentou um grande desenvolvimento. No séc. XIII, foi atacada pelos franceses, sofrendo seu primeiro de seus inúmeros sítios, dos quais o último se deu durante a invasão das tropas de Napoleão. Por isso, Girona é conhecida também pela denominação de “Cidade dos Sítios”. Abaixo, vemos um monumento comemorativo da Guerra de Independência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro histórico da cidade corresponde ao coração do primitivo povoado romano de Gerunda, constituindo um dos mais importantes de toda Catalunha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Rambla de la LLibertad, paralela ao Rio Oñar, por exemplo, foi urbanizada no séc. XIII para acolher o mercado urbano e seus elementos característicos são os arcos que formam suas galerias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte das construções pertencem ao séc. XIX, dotando o conjunto de grande homogeneidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais figuras relativas à arquitetura da cidade foi Rafael Masó i Valentí (1880/1935), um dos arquitetos catalãs mais destacados de princípio do séc. XX. Nascido na cidade, foi o criador de uma corrente alternativa do modernismo, denominada Novecentismo. Sua casa natal pode ser visitada, e acolhe a Fundação a ele dedicada. Abaixo, vemos duas imagens da casa, sendo que os fundos da mesma dá para o rio (casa branca), constituindo um dos cartões postais de Girona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Basílica de San Félix (Sant Feliú, em catalão) era o principal templo religioso da cidade, antes da construção da catedral, função que desempenhou até o séc. X. De muitos lugares é possível ver sua torre campanário de estilo gótico, levantada entre os séc. XIV/XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma história muito antiga, mas a atual construção foi realizada a partir do séc. XII, prolongando-se até o XVII. Conserva boa parte da estrutura original românica. A nave principal e o teto são góticos e sua fachada, barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua principal atração são os sarcófagos romanos e paleocristianos pertencentes aos séc. III/IV dC, encontrados durante sua fase construtiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, apreciamos o sepulcro gótico de San Narciso, padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma imagem geral do interior do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro espaço emblemático de Girona é o delimitado pela igreja do antigo Convento de Sant Martí (séc. XVII), cuja fachada e escada de acesso compõem um belo conjunto barroco, e o Palácio Agullana (séc. XVI/XVII), composto por um grande arco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do próximo post, conhecermos um dos templos religiosos mais relevantes de toda a Catalunha, e um referente do gótico europeu, a Catedral de Santa Maria.

Girona – Catalunha

A cidade de Girona (no idioma oficial catalão. Em castelhano, Gerona), é uma das quatro capitais provinciais da Comunidade da Catalunha. Com cerca de 100 mil habitantes, foi em sua origem povoada por tribos ibéricas, e posteriormente colonizada pelos romanos, que a denominaram Gerunda. No séc. I aC, foram levantadas as muralhas. Desta época, conservam-se algumas partes do recinto, ampliado no período medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs muralhas podem ser percorridas numa rota chamada Passeio Arqueológico, que proporciona excelentes vistas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Torre de Sant Domènec, construída no séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o imponente Portal de Sobreportes foi levantado no séc. III dC, e reformado nos séc. XI, XIII e XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o período romano, Girona teve seu primeiro período de esplendor como sede eclesiástica, unida à sede metropolitana de Taragona. O domínio árabe pouco durou, graças à proximidade geográfica com o Império de Carlos Magno. As muralhas reforçaram e ampliaram os limites da cidade. Durante sua construção medieval, a comunidade judia teve um importante papel, e o bairro onde se concentravam (judería) é um dos mais conservados de todo o continente, constituindo, por si só, uma das atrações da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA antiga sinagoga foi transformada num centro de estudos e Museu de História da comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos principais problemas históricos de Girona foi a união de suas duas partes, separadas pelo Rio Oñar. Em sua margem direita, encontra-se o centro antigo, enquanto na esquerda, situa-se a parte nova da cidade. A construção mais representativa deste esforço é a Ponte de Pedra, inaugurada em 1856, que substituiu a medieval Ponte de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém erguida no séc. XIX (1877), a Ponte de Ferro foi realizada pela Companhia de Gustave Eiffel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais estampas da cidade são as coloridas Casas Colgadas (suspensas) sobre o Rio Oñar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, conhecermos o Centro Histórico de Girona, um dos mais importantes de toda a Catalunha.

Pals – Província de Girona

Situado próximo à Peratallada, a vila de Pals é outro dos pueblos medievais que merece uma visita pela Província de Girona. Seu nome provém do latim, “Palus”, que significa “lugar pantanoso”, uma referência ao aspecto que tinha a natureza próxima ao povoado em tempos remotos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs primeiros documentos que comprovam a existência de Pals datam do séc. IX, época em que se construiu o castelo. A única parte que se conserva deste conjunto fortificado é a denominada Torre das Horas, pertencente ao período românico. De muitos locais da vila, vemos sua imponente presença.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha foi levantada entre os séc. XII/XIV, e dela conservam-se 4 das torres originais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando o castelo foi destruído, suas pedras foram aproveitadas para a construção da Igreja de Sant Pere.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo já existia no ano 994, mas inúmeras foram as reformas realizadas, como a que se efetuou no séc. XVIII, em que se colocaram elementos barrocos na fachada. Abaixo, vemos algumas imagens do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem tumbas medievais espalhadas pelo povoado, situadas nas próprias ruas, que despertam a atenção, pois estão datadas como anteriores ao ano 1000, provavelmente de época visigoda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO pueblo de Pals foi deveras castigado por inúmeras guerras, entre as quais a Guerra Civil Espanhola, que deixou um rastro de destruição no local. O conjunto foi restaurado, respeitando-se a arquitetura original, e está considerado como uma obra prima da restauração civil, recebendo vários prêmios internacionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA base econômica de Pals é o turismo, pois recebe uma grande quantidade de turistas ávidos por conhecer seus encantos. Merecidamente, foi declarado Conjunto Histórico-Artístico, e muitos de seus lugares são dignos de uma pintura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Figueres – Província de Girona

Localizada na Província de Girona, Figueres é a capital da comarca do Alto Ampurdán. Com cerca de 45 mil habitantes, é a cidade mais importante de toda a região norte da Catalunha, um centro econômico e sociocultural. No entanto, Figueres é mundialmente conhecida como a cidade em que nasceu e morreu o pintor Salvador Dalí (1904/1989). Muitos locais da cidade são uma referência à sua memória.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior atração do local é o Teatro-Museu Dalí, que possui uma grande quantidade de obras que descrevem sua trajetória artística, desde os primeiros trabalhos até suas criações surrealistas. Inaugurado em 1974, o espaço foi projetado pelo próprio Dalí.

DSC05662Foi construído sobre as ruínas do antigo Teatro Municipal da cidade (séc. XIX), e destruído durante a Guerra Civil Espanhola. Situado na Praça Gala-Salvador Dalí, é um dos museus mais visitados de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu está decorado com elementos surrealistas, sobressaindo sua cúpula metálica. Debaixo dela, desde 1989 descansa os restos do genial e excêntrico artista, segundo seu desejo expresso em vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIMG_2245Entre as dependências do edifício, destaca a Torre Gorgot, que formava parte da muralha da cidade. No séc. XIX, foi transformada em depósito de água municipal e em 1931, tanto a torre quanto o edifício anexo foram restaurados. Finalmente, em 1983, foi adquirida pela prefeitura, permitindo a ampliação do museu. A torre foi a residência do pintor desde 1984 até o final de sua vida, sendo que quis mudar o nome para Torre Galatea, em homenagem à sua mulher e musa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA história da criação do museu surgiu em 1961, quando o então prefeito da cidade fez uma proposta a Dalí, para que se realizasse um centro cultural dedicado à sua obra. O pintor ficou fascinado com o aspecto espectral das ruínas do antigo teatro, escolhendo o local como futura sede. Em suas próprias palavras: “O Teatro Municipal me parece adequado adequado por três razões: primeira, porque sou um pintor eminentemente teatral;segunda, porque o teatro está situado diante da igreja em que fui batizado e terceira, porque foi precisamente na sala do vestíbulo do teatro onde realizei minha primeira exposição de pintura.”

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja à qual se refere Dalí é a de Sant Pere, construída entre os séc. XIII e XVIII. De estilo gótico inicial, foi reformada posteriormente, sendo que a torre e a cabeçeira foram levantadas já no estilo neogótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de sua criação, todo o espaço que o rodeia foi transformado num museu ao ar livre, realizado por Dalí. Entre várias esculturas, destaca o monumento em homenagem ao filósofo e amigo do pintor Francesc Pujols, que culmina com os característicos ovos dourados, marca registrada do pintor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta forma, o Teatro-Museu Dalí foi descrito como o maior Objeto Surrealista do mundo. Abaixo, vemos outra intrigante escultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADestaca também o conjunto de obras realizadas pelo artista com a finalidade de serem expostas de forma permanente dentro do museu, como é o caso da Sala Mae West, e o Cadillac Chuvoso. Atualmente, o museu é gestionado pela Fundaçao Gala-Salvador Dalí.

IMG_2250IMG_2246