A Catedral Compostelana – Parte 2

A Catedral de Santiago de Compostela constitui um formidável exemplo do que se conhece como Igrejas de Peregrinação, que se desenvolveram ao longo do Caminho de Santiago no século XI, dentro do Estilo Românico. Uma outra igreja, que também faz parte da rota jacobea (como também se conhece o Caminho de Santiago) é a Basílica de Saint Sernin, situada na cidade francesa de Toulouse, construída na mesma época que a catedral compostelana (séculos XI e XII).

IMG_2321Estas grandes e monumentais construções possuem características comuns, que nos ajudam a compreender a arquitetura românica da Catedral de Santiago de Compostela. O interior possui uma planta de cruz latina, estando composta de 3 a 5 naves, sendo a central mais larga e alta que as laterais. A Catedral Compostelana possui 3 naves que alcançam os 100 m de comprimento e outra parte transversal, também com 3 naves, de 70 m de comprimento. Abaixo, vemos a planta da catedral, junto com o claustro de formato quadrado que complementa o conjunto, situado no lado direito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas igrejas estão abovedadas, isto é, possuem uma estrutura arqueada que cobrem o espaço entre dois apoios, formando o teto do templo. A nave central está coberta por uma Bôveda de Cañón, frequentemente utilizada na Arquitetura Românica, que está formada por arcos de meio ponto ou semicirculares, como podemos ver abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPor outro lado, as naves laterais estão formadas por Bôvedas de Arista, que se originam pelo cruzamento entre duas Bôvedas de Cañón, formando uma cruz que divide em 4 compartimentos a própria bôveda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra característica das Igrejas de Peregrinação é a profusão decorativa através de um conjunto de esculturas de caráter religioso e simbólico, como vimos, por exemplo, na Fachada das Platerías, na matéria anterior. Os grossos muros da igreja possuem dois níveis. O formado pelas arquerias em sua parte inferior e a tribuna, em sua parte superior. Esta última estrutura permitia alojar uma grande quantidade de peregrinos, além de suportar as forças arquitetônicas transmitidas desde a bôveda da nave central, gerando uma maior estabilidade. Na Catedral de Santiago de Compostela, a tribuna rodeia todo o edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo redor da capela maior, encontramos um espaço denominado Girola, também conhecido como Deambulatório. No plano arquitetônico que inicia a matéria, podemos observar a girola como um alargamento das naves laterais. Esta solução construtiva possibilitou no período românico, o trânsito dos peregrinos pela igreja, sem prejudicar os cultos religiosos e para que pudessem contemplar as relíquias colocadas em suas várias capelas. Devido ao considerável peso das bôvedas, os muros são grossos, com poucas janelas para a iluminaçao interior, que se realiza principalmente através da cúpula da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro atual foi edificado em época posterior. De enorme tamanho, foi construído a partir de 1521 por Juan de Álava e Juan Gil de Hontañón. Como foi dito, possui uma forma quadrada, com 34 m de cada lado. Nele foi colocado os sinos que originalmente se situavam na Torre do Relógio, também vista no post anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro da Catedral de Santiago podemos observar uma de suas principais funções, como local de enterramento, tanto através de sarcófagos talhados com esmero, quanto em tumbas colocadas no próprio solo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVárias capelas foram situadas junto ao claustro. Abaixo, vemos uma delas com seu belo retábulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das portas do claustro conduz ao Arquivo da Catedral, um local de visita proibida, pois nele se guarda um dos principais tesouros da cidade, o famoso Códice Calixtino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste manuscrito iluminado de mediados do século XII constitui o exemplar mais antigo e completo que se conhece da obra “Liber Sancti Iacobi” ou “Livro do Apóstolo Santiago“, do qual existe 200 cópias. Reúne hinos, textos litúrgicos, relatos de milagres e episódios relacionados com o santo. Consta de 5 livros e 2 apêndices, num total de 225 folhas feitas de pergaminho. O quinto livro constitui uma guia para os peregrinos (a mais antiga que se conhece), com descrições da rota do caminho, conselhos, etc. Sua autoria, um sacerdote francês chamado Aymeric Picaud, está atualmente posta em dúvida. O códice começa com um comentário do Papa Calixto II, no qual relata, através de uma carta dirigida à Ordem de Cluny e ao Arcebispo de Compostela Diego Gelmírez, os testemunhos dos milagres realizados pelo Apóstolo Santiago. Em 2011, o códice foi roubado por um eletricista que havia trabalhado na catedral, mas felizmente foi recuperado um ano depois. Finalizamos a matéria com um facsímil do Códice Calixtino, uma reprodução exata do livro original…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Belas Igrejas de Ávila

O patrimônio religioso de Ávila é riquíssimo, como vocês têm tido a oportunidade de ver nesta série sobre a cidade. O estilo românico é o predominante dos templos e paróquias que integram o centro histórico. Outro exemplo de um templo de origem românico é a Igreja de Santo Tomé, edificada no século XII. Ao longo de sua dilatada história, sofreu várias remodelações para adaptá-la às funções que exerceu, além de de sua finalidade religiosa primordial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI passou a ser utilizada como local de armazenamento de cereais, motivo pelo qual as naves da igreja foram separadas. No princípio do século XX, seu espaço interior foi usado como garagem. Abaixo, vemos a porta de entrada da igreja, que conserva sua fábrica românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Igreja de Santo Tomé forma parte do Museu Provincial de Ávila, que vimos recentemente no blog, como um armazém de peças arqueológicas de grandes dimensões encontradas na cidade e na província.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local é aberto à visitação, e vale a pena conhecê-lo por sua notável coleçao de Verracos, esculturas zoomórficas de época celtíbera, que também foi tema de uma matéria publicada, entre outros objetos arqueológicos. Lápides funerárias nos mostram as variadas culturas que deixaram seu legado pela história de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu conserva uma grande mosaico romano datado do século III dC, procedente da vila romana de Magazos, situada na Província de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do período românico, o Renascimento é outra das correntes artísticas que podemos apreciar em suas construções, principalmente nos inúmeros palácios nobres espalhados pela cidade. No plano religioso, a denominada Capela de Mosén Rubí é uma mostra excepcional do estilo, sendo considerada uma obra capital do Renascimento em Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, trata-se da capela funerária de Mosén Rubí (Mosén é um antigo nome de tratamento reservado à igreja), cujo nome verdadeiro era Robin de Braquemont. Existem várias lendas associadas a este templo. Alguns dizem que tornou-se a primeira loja maçônica da Espanha, outros que foi construído sobre uma antiga sinagoga medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra construção religiosa de grande importância na cidade é o Real Monastério de Santa Ana, um antigo convento feminino da Ordem Cistercense, fundado na primeira metade do século XIV pelo Bispo Sancho Dávila. O exterior é de grande austeridade, característica desta ordem religiosa, com destaque para sua Espadaña. No lado direito da foto abaixo, vemos a bandeira da Comunidade de Castilla y León, à qual pertence Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste monastério possui uma grande importância histórica, pois nele passou várias temporadas  a rainha Isabel La Católica. Seu interior se articula por um enorme claustro composto por 3 níveis e concluído em 1596, caso único nos claustros da época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de Santa Ana esteve habitado pelas freiras até 1978, e em 1982 foi declarado Monumento Nacional. Atualmente suas dependências foram ocupadas por uma oficina governamental, sendo que o antigo claustro pode ser visitado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa cidade encontramos também singelas ermitas, como a Ermita do Cristo da Luz, localizada próxima ao Monastério de Santa Ana,  construida no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro das muralhas encontramos a Capela de N.Sra de las Nieves, levantada no século XVI sobre uma das sinagogas medievais que haviam na cidade. Sua construção foi patrocinada por María Dávila, que possuía o cargo de Virreina de Sicília. Sua fachada é sóbria, quebrada apenas por um relevo escultórico da Anunciação e o escudo da promotora da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral de Ávila: Parte 2

Nesta segunda parte sobre a Catedral de Ávila veremos o interior do espaço sagrado, e algumas de suas obras mais importantes. A Capela Maior, por exemplo, acolhe um maravilhoso retábulo realizado no último período construtivo da catedral, no final do século XV e começo do XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior do retábulo foi executada por Pedro Berruguete, que combina a tradiçao hispano-flamenca com o novo estilo renascentista proveniente da Itália. O artista buscou a individualização dos personagens representados e um grande realismo, conseguidos através de um intenso naturalismo. Com sua morte, a execução do retábulo foi realizada, entre outros, por Juan de Borgoña, que retratou as cenas da Anunciação, Nascimento de Cristo, Transfiguração e Apresentação ao Templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Capela Maior, foram colocadas duas esculturas dedicadas a Santa Catalina e San Segundo, ambas realizadas em alabastro por Vasco de la Zarza na primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a Santa Catalina…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que San Segundo foi um dos sete enviados por São Pedro e São Paulo com a missão de evangelizar Espanha. Foi o primeiro Bispo de Ávila, sendo considerado o padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave principal foi colocado o Coro, algo característico das Catedrais Espanholas. Inicialmente ele se encontrava junto a Capela Maior, ao modo das catedrais francesas. Durante o período renascentista, acabou sendo deslocado para o centro da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído na primeira metade do século XVI por Cornelis de Holanda, que contou com a participação de Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, entre outros. Elaborado com madeira de nogal, destaca-se por sua rica iconografía, onde foram representados uma grande quantidade de santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do coro, dois belíssimos órgãos, um barroco e outro de data posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro da catedral foi inicialmente construído no século XIV no estilo gótico e apenas finalizado no XVI, já dentro da estética renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por 3 capelas, e constituiu sempre um local de enterramento, acolhendo os restos de personagens ilustres da História da Espanha, como Adolfo Suárez (1932/2014), o primeiro presidente do período democrático do país, iniciado depois da morte do General Franco. Abaixo, vemos uma lista que comprova a milenar tradiçao episcopal de Ávila, onde podemos ver todos os bispos da cidade, começando por San Segundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA San Segundo foi dedicado também uma das principais capelas das muitas existentes na catedral. O acesso a ela se dá tanto pelo interior, quanto pelo exterior do templo, cuja fachada austera vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída para acolher os restos de San Segundo para sua conservação, que foram trazidos da igreja românica a ele dedicado, prova da grande devoção de seus habitantes ao primeiro bispo de Ávila. Para que pudesse ser construída, tiveram que derrubar um cubo da muralha, prévia permissão concedida pelo rei Felipe II, pois a fachada da capela está adossada à mesma, como vemos acima. Abaixo, vemos o interior da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Capela de San Segundo foi iniciada por Francisco de Mora em 1602, e finalizada por seu sobrinho Juan Gómez de Mora em 1615. O retábulo em forma de baldaquino acolhe uma urna com as relíquias do santo, e foi realizado em 1715 por José Benito de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Concatedral de Alicante

A outra igreja de importância de Alicante é a Concatedral de San Nicolás de Bari, situada, da mesma forma que a Basílica de Santa Maria, no centro antigo da cidade. Também foi erguida sobre uma mesquita da época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocaliza-se na Praça do Abade Penalva, dedicada a Francisco Penalva Urios (1812/1879), um frade dominicano que foi abade da igreja durante 25 anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concatedral de Alicante foi construída entre 1616 e 1662. Sua fachada se caracteriza pela austeridade decorativa, própria da denominada arquitetura herreriana (uma referência a Juan de Herrera, arquiteto do Monastério de El Escorial, que criou um estilo próprio dentro do Renascimento Espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar disso, encontramos alguns elementos de um barroco incipiente, principalmente na decoração das portas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada foi projetada por um discípulo de Juan de Herrera chamado Agustín Bernardino, sendo que a igreja foi dedicada a San Nicolás, padroeiro da cidade. Abaixo, vemos a Concatedral de Alicante desde o Castelo de Santa Bárbara, ressaltando a cúpula que se eleva a 45m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo é grandioso, como vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo altar maior, o destaque é o tabernáculo em forma de baldaquino, formado por 8 colunas e realizado na Itália em 1688, em mármore e jaspe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos o aspecto interior da cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO belo órgão da igreja….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo de San Nicolás realizou-se no século XVII por José Villanueva, mas sua imagem é gótica, do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro é considerado um dos mais belos do barroco valenciano

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de ter sido construído no século XVII, existem algumas partes que se remontam ao século XV, demonstrando a existência de um templo anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concatedral de Alicante é uma das sedes eclesiásticas da Diocese de Orihuela-Alicante, dividindo esta condição com a Catedral del Salvador, na cidade de Orihuela. Em 19159, a sede de Alicante foi elevada ao nível de Concatedral, pois até então era considerada uma Colegiata.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1974, a Concatedral de San Nicolás foi declarada Monumento Nacional.

Monastério de Piedra – Parte 2

Durante os quase 650 anos que o Monastério de Piedra foi habitado, os monges tiveram que abandoná-lo em três ocasiões. A primeira delas ocorreu em 1809, durante o contexto da Guerra da Independência. Um decreto do irmão de Napoleao, José I, supôs a supressão da comunidade religiosa. Os monges foram expulsos e o monastério foi saqueado pelo exército do imperador francês, transformando-se num hospital. Terminada a guerra em 184, o rei espanhol Fernando VII autorizou os monges sobreviventes a recompor a comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1820, durante o processo político conhecido como Triênio Liberal, a comunidade voltou a ser suprimida e os bens religiosos foram nacionalizados, sendo que alguns deles acabaram leiloados. Três anos depois, os monges novamente retornaram ao monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, em 1835, a rainha regente Maria Cristina de Borbón decretou a promulgação da lei de dissolução das ordens religiosas masculinas e a desamortização dos bens eclesiásticos, provocando o fim definitivo do Monastério de Piedra. Durante a visita que se realiza por suas dependências, observamos a grande quantidade de imagens que foram mutiladas durante o século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do século XII, edificada na fase final do estilo românico, foi destruída durante o início do século XIX. Acima e abaixo, podemos observar algumas imagens do templo que atualmente se conserva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro, um dos pilares da vida monacal, é robusto e austero, seguindo os ditames prescritos pela Ordem Cistercense. Recentemente foi restaurado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo seu redor, se organizam as várias dependências do monastério. A Sala Capitular, por exemplo, constituía um local de reuniões em que se tomavam as principais decisões a respeito da vida na abadia, como seu planejamento econômico, a admissão de novos integrantes e a confissão pública de faltas cometidas. Nela eram lidos os capítulos da Regra de San Benito. Este emblemático espaço do século XII se conserva, felizmente, em boas condições.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm lugar impressionante dentro do monastério é o denominado “Passadizo de los Conversos“, uma espécie de túnel utilizado pela comunidade de conversos, formada por indivíduos que auxiliavam os monges nas tarefas diárias. Trata-se do único existente no país construído dentro do estilo românico que ainda se conserva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério possuía um local que servia como depósito de provisões e onde se guardava o vinho elaborado pelos monges.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente o local acolhe uma exposição de aparatos agrícolas e o Museu do Vinho da Denominação de Origem Calatayud.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm outra de suas dependências podemos admirar uma exposição de carruagens antigas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos fatos mais curiosos do monastério sucedeu  na cozinha, pois foi nela que se produziu por primeira vez o chocolate na Europa, quando um monge que pertencia ao monastério trouxe, em 1531, o cacau do continente americano e a receita do delicioso produto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1840, cinco anos depois do processo de desamortização, o monastério passou a ser uma propriedade privada, cujo dono se chamava D. Pablo Muntadas Campeny. Seu filho, Juan Federico Muntadas, transformou a horta do monastério num excepcional parque natural, que veremos no próximo post. Além do mais, converteu parte das instalações conventuais num hotel com funções hidroterápicas. Hoje em dia, podemos visitar o parque e o monastério e passar alguns dias na própria hospedaria do monastério, com conforto, excelente gastronomia, num ambiente perfeito que reúne  beleza natural e história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20160912_180846Em 1983, o Monastério de Piedra foi declarado Monumento Nacional.

Catedral de Badajoz

Na matéria publicada sobre a Alcazaba de Badajoz, vimos como logo após a reconquista da cidade por Alfonso IX em 1230, a mesquita árabe foi convertida na primeira catedral da cidade, com a denominação de Santa María del Castillo. Badajoz tornou-se sede episcopal e o primeiro bispo, Fray Pedro Pérez, decidiu logo depois construir uma nova catedral, que acabou sendo edificada fora dos limites do recinto militar, na atual Plaza de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO corpo principal da Catedral de Badajoz foi construído entre a segunda metade do séc. XIII e finais do XIV. Como podemos observar na foto acima, caracteriza-se pela sobriedade e austeridade decorativas. Seu aspecto de fortaleza se deve ao caráter bélico da cidade. Dedicada a São João Batista, sua construção foi iniciada pela cabeçeira, estando orientada de leste a oeste, como de costume nos templos catedralícios. Na segunda metade do séc. XV iniciou-se a construção da torre de planta quadrada, dividida em 3 partes, mais o corpo para acolher os sinos. Foi finalizada apenas no século seguinte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior da torre mostra a transição da arquitetura gótica ao período inicial do renascimento. O segundo corpo é plateresco, como podemos ver nos detalhes decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terceiro corpo acolhe o relógio e o último, a parte onde foram colocados os sinos, é de um renascimento mais puro, com arcos de meio ponto e rematada com pináculos e almenas. Abaixo, vemos a porta principal da igreja, construída em 1619 com uma escultura de São João Batista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a fachada lateral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo lado direito da foto acima, podemos observar a Porta de San Blás, também renascentista e construída em 1546. O interior da Catedral de Badajoz é de cruz latina, formada por 3 naves, sendo a central de maior altura e largura que as naves laterais. Abaixo, vemos o Retábulo Maior, projetado por Ginés López e dourado por Manuel de los Reyes entre 1715 e 1717, inserindo-se, portanto, dentro da estética barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha visita ao interior do templo, conheci a Jesus, o guia da catedral. Seus amplos conhecimentos de história e arte tornaram minha visita muito mais interessante e proveitosa. Entre outras coisas, comentou que é a única catedral da Espanha que possui 3 órgãos barrocos, um central e dois laterais situados sobre o coro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJesus me explicou que graças a participação de artistas do país vizinho, a Catedral de Badajoz é a mais “portuguesa” das catedrais espanholas. Este importante detalhe pode ser visto na reja que separa o coro da nave central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA participação de artistas lusos pode ser admirada também no claustro, construído nas primeiras décadas do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o claustro está sendo reformado, não estando aberto à visitação pública. Amavelmente, Jesus me levou para conhecê-lo, permitindo que tirasse fotos de uma de suas partes, assim como da curiosa composição dos seus arcos góticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Badajoz foi decorada com tapetes flamencos do séc. XVI. Na sequência vemos um deles, junto com Jesus. Aproveito para agradecer sua atenção, simpatia, e a verdadeira aula de história e arte que me proporcionou.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com a foto de uma enorme lamparina colocada na nave central. Possui 102 braços e pesa 3750 kg !!!!.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Catedral de Jerez de la Frontera – Parte 2

A construção da Catedral de Jerez de la Frontera foi possível graças ao imposto sobre o Vinho Jerez, aprovado pela coroa espanhola. Seu imponente interior está constituído por 5 naves, sustentadas por grossas pilastras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApresenta uma estrutura gótica com a denominada Planta de Salão. As naves possuem alturas distintas, a central mais alta que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA 40m de atura se ergue sua belíssima cúpula, de formato octogonal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA catedral possui arbotantes, uma estrutura plenamente gótica, ainda que seu emprego não fosse habitual na época em que se construiu o templo (séc. XVII e XVIII). Isso se deve ao derrubamento da cúpula. Para aguentar o peso da nova, foram utilizados os arbotantes como meio de sustentação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANeste fatídico desastre, uma imagem de Cristo salvou-se graças a uma viga que, a partir de então, passou a ser conhecida como Cristo da Viga. O interior da catedral está repleto de obras de arte de grande interesse histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um altar gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os quadros, chama a atenção o que vemos abaixo (séc. XVII), com a representação da última comunhão do rei Fernando III, denominado El Santo, que teve grande importância no processo de reconquista, quando conquistou várias cidades espanholas sob domínio muçulmano, como por exemplo, Sevilha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo escultor José de Arce (Flandes-1600/Sevilha-1660), de origem flamenca, a catedral possui interessantes obras. De grande capacidade e merecida fama, José de Arce casou-se por segunda vez em Jerez de la Frontera e sua obra representa o triunfo da estética barroca. Na sequência vemos imagens de São Bruno e São João Batista realizadas pelo artista, ambas do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com uma foto do claustro

OLYMPUS DIGITAL CAMERA