Esculturas do Museu do Prado

Apesar de ser reconhecido internacionalmente como uma Pinacoteca, ou Museu de Pinturas, o Museu do Prado possui cerca de 900 esculturas em seu acervo artístico. Como no caso das pinturas, as esculturas formavam parte das coleções dos Reis da Espanha. Algumas das obras mais importantes estão situadas no claustro do desaparecido Monastério de San Jerónimo, que foi restaurado e colocado dentro do novo edifício projetado por Rafael Moneo durante as obras de ampliação do museu, finalizadas em 2007.

DSC09089O núcleo central da coleção de escultura formou-se na primeira metade do século XVI, durante o reinado de Carlos I. A ele se deve um excepcional conjunto  de obras, os retratos familiares de corpo inteiro que o monarca encarregou aos escultores italianos Leone Leoni (1509/1590) em 1549, e que foram finalizados por seu filho Pompeo Leoni (1530/1608). Consideradas obras primas da Escultura Renascentista, foram realizadas em bronze e Mármore de Carrara, materias perfeitos para exprimir os valores de nobreza e eternidade. Representam o próprio imperador e os membros mais próximos de sua família. Abaixo, vemos o monarca Carlos I (1500/1558), uma escultura realizada em mármore em 1553, na qual o rei aparece vestido com uma armadura e um medalhão que representa a Marte, Deus da Guerra. Carlos I foi o único Rei Espanhol proclamado Imperador, por ter sido Rei da Espanha e também do Sacro Império Germânico.

DSC09085Carlos I casou-se com sua prima Isabel de Portugal (1503/1539) em 1526. Foi a primeira e única esposa do rei, que sentiu por ela um profundo amor. Faleceu em Toledo no ano de 1539, com apenas 36 anos. Para recriar sua imagem, Leone Leoni recorreu a um retrato da imperatriz pintado por Ticiano, que se conserva no Museu do Prado.

DSC09075A seguir vemos um relevo do casal real, encarregado a Leone Leoni em 1549, e terminado em Milão 6 anos depois. Feitos de mármore e decorados com motivos da Mitologia Clássica.

DSC09077 Maria de Hungria (1505/1558), irma de Carlos I, casou-se em 1521 com Luis II, Rei da Hungria, que veio a falecer 5 anos depois. Entre 1531 e 1556 foi a regente dos Países Baixos. Na escultura, aparece vestida como viúva. Encarregada a Leone Leoni em 1548, foi realizada em bronze.

DSC09080Um dos filhos que Carlos I teve com Isabel de Portugal, Felipe II (1527/1598) foi o responsável por trazer de forma permanente a capital do Império Espanhol para Madrid, em 1561. Entre 1554 e 1558 foi também Rei da Inglaterra, graças ao seu casamento com Maria Tudor. Abaixo vemos sua escultura, realizada em bronze e fundida em 1551.

DSC09073Felipe II também aparece num busto feito de alabastro e atribuído a Pompeo leoni (1560).

DSC09083Os dois escultores, pai e filho, foram também os responsáveis de outras obras primas do Renascimento Espanhol, os mausoléus do Imperador Carlos I e Felipe II, que podemos ver no Monastério de El Escorial. Finalizo a matéria comentando que o claustro é o único local do Museu do Prado onde as fotos estão permitidas…

 

A Catedral de Ávila: Parte 3

Nesta última matéria sobre a Catedral de Ávila veremos os demais lugares de interesse que podemos encontrar numa visita ao templo. A Girola, sua parte mais antiga, foi construída na época de Girald Frunchel, o arquiteto francês responsável pelo projeto inicial da Catedral de Ávila. Um de seus elementos mais característicos foi a utilização da pedra de arenito como material construtivo. Composta de óxido de ferro, proporciona uma tonalidade avermelhada que diferencia este espaço dos demais, nos quais foi empregado o granito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Girola constitui a parte de uma catedral que rodeia o altar maior, junto ao ábside. Na Catedral de Ávila, foi belamente decorada com 5 painéis de relevos realizados por Lucas Giraldo e Vasco de la Zarza no estilo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuatros dos painéis foram  representados pelos apóstolos evangelistas, com seu respectivo animal simbólico, como o Apóstolo Marcos e o Leão, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO painel central é a jóia do conjunto, obra prima de Vasco de la Zarza, responsável pelo sepulcro do Bispo de Ávila, Alonso del Madrigal. Realizado em alabastro como se fosse um retábulo, é considerado uma das grandes obras da Escultura Renascentista Espanhola. Alonso del Madrigal ocupou a cátedra entre 1449 e 1455, destacando-se por sua santidade e por seu trabalho como teólogo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Girola foram abertas 9 capelas. A denominada Capela da Virgem da Piedade ou das Dores foi fundada no século XV no estilo renascentista por D.Rodrigo Dávila. A capela está presidida por uma cópia da magnífica Piedade de Miquelângelo, obra realizada por Juan Bautista Vázquez “El Viejo” em 1560.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta obra podemos apreciar uma das características do Renascimento Espanhol, menos apegado aos ideais de beleza clássicos do Renascimento Italiano. Esta capela também tornou-se famosa pela imagem da Virgem da Caridade, uma escultura do século XV especialmente venerada por Santa Teresa de Jesus. Abaixo vemos uma imagem geral da capela e da referida imagem, além de outra que representa a própria santa de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita à Catedral de Ávila finaliza com o Museu Catedralício, imprescindível pelo conjunto de pinturas e esculturas de sua coleçao. Uma de suas salas corresponde à Sacristia, conhecida como Capela de San Bernabé, decorada com esculturas referentes à Paixao de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço também exerceu a função de Sala Capitular. Nela podemos admirar um magnífico retábulo feito de alabastro, realizado por Isidro de Villoldo e Juan Frías, com cenas relativas à Flagelaçao de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acesso à Sacristia é realizado por uma bela sala onde se situa outro impressionante retábulo, este do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala principal do Museu situa-se na denominada Capela del Cardenal, cuja construção foi ordenada pelo Arcebispo Quiroga em 1490, no  estilo gótico. Trata-se de uma capela funerária, onde foram enterrados personagens ilustres da história eclesiástica de Ávila, como o Cardeal Francisco Dávila Mújica. Em cima do túmulo, vemos um retrato anônimo do cardeal, do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do sepulcro do cardeal situa-se o túmulo de D.Garcibáñez de Mújica, presidido por um retrato pintado por El Greco entre 1604 e 1614.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da sala contemplamos  uma excepcional obra de arte, uma custódia realizada por Juan de Arfe em 1571. Com 1.70m e 70 kg de peso, foi feita totalmente em prata, e sai às ruas de Ávila durante as procissões da Semana Santa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma Sagrada Família pintada no atelier do famoso pintor italiano Rafael

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu exibe uma belíssima coleção de esculturas românicas, como este Cristo feito em marfim, no século XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre a Catedral de Ávila com uma foto da Sala de los Cantorales, onde se expõem livros de cânticos do século XV, fabricados em pergaminho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral de Ávila: Parte 2

Nesta segunda parte sobre a Catedral de Ávila veremos o interior do espaço sagrado, e algumas de suas obras mais importantes. A Capela Maior, por exemplo, acolhe um maravilhoso retábulo realizado no último período construtivo da catedral, no final do século XV e começo do XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior do retábulo foi executada por Pedro Berruguete, que combina a tradiçao hispano-flamenca com o novo estilo renascentista proveniente da Itália. O artista buscou a individualização dos personagens representados e um grande realismo, conseguidos através de um intenso naturalismo. Com sua morte, a execução do retábulo foi realizada, entre outros, por Juan de Borgoña, que retratou as cenas da Anunciação, Nascimento de Cristo, Transfiguração e Apresentação ao Templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Capela Maior, foram colocadas duas esculturas dedicadas a Santa Catalina e San Segundo, ambas realizadas em alabastro por Vasco de la Zarza na primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a Santa Catalina…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que San Segundo foi um dos sete enviados por São Pedro e São Paulo com a missão de evangelizar Espanha. Foi o primeiro Bispo de Ávila, sendo considerado o padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave principal foi colocado o Coro, algo característico das Catedrais Espanholas. Inicialmente ele se encontrava junto a Capela Maior, ao modo das catedrais francesas. Durante o período renascentista, acabou sendo deslocado para o centro da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído na primeira metade do século XVI por Cornelis de Holanda, que contou com a participação de Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, entre outros. Elaborado com madeira de nogal, destaca-se por sua rica iconografía, onde foram representados uma grande quantidade de santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do coro, dois belíssimos órgãos, um barroco e outro de data posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro da catedral foi inicialmente construído no século XIV no estilo gótico e apenas finalizado no XVI, já dentro da estética renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por 3 capelas, e constituiu sempre um local de enterramento, acolhendo os restos de personagens ilustres da História da Espanha, como Adolfo Suárez (1932/2014), o primeiro presidente do período democrático do país, iniciado depois da morte do General Franco. Abaixo, vemos uma lista que comprova a milenar tradiçao episcopal de Ávila, onde podemos ver todos os bispos da cidade, começando por San Segundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA San Segundo foi dedicado também uma das principais capelas das muitas existentes na catedral. O acesso a ela se dá tanto pelo interior, quanto pelo exterior do templo, cuja fachada austera vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída para acolher os restos de San Segundo para sua conservação, que foram trazidos da igreja românica a ele dedicado, prova da grande devoção de seus habitantes ao primeiro bispo de Ávila. Para que pudesse ser construída, tiveram que derrubar um cubo da muralha, prévia permissão concedida pelo rei Felipe II, pois a fachada da capela está adossada à mesma, como vemos acima. Abaixo, vemos o interior da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Capela de San Segundo foi iniciada por Francisco de Mora em 1602, e finalizada por seu sobrinho Juan Gómez de Mora em 1615. O retábulo em forma de baldaquino acolhe uma urna com as relíquias do santo, e foi realizado em 1715 por José Benito de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral de Ávila

A Catedral de San Salvador de Ávila é considerada um dos primeiros templos góticos da Espanha. Seu aspecto de fortaleza impressiona, quando a contemplamos por primeira vez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua história se remonta às origens da sede episcopal de Ávila, durante o período romano, e com a chegada do primeiro Bispo da cidade, San Segundo, no ano 63 dC. Durante a época visigoda, Ávila permaneceu como sede episcopal, mas com a conquista muçulmana foi abandonada. Com a reconquista de Alfonso VI e o repovoamento promovido por seu genro Raimundo de Borgonha, a cidade foi fortificada, construindo-se um primeiro templo dedicado a San Salvador. Este templo de estilo românico não chegou a ser finalizado, pois foi substituído pela atual igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA teoria exposta acima é a mais aceita no que diz respeito à construção do templo. Foi projetada por Girald Frunchel, reconhecido arquiteto francês já em sua época, que trouxe as primitivas formas do gótico da França. A primeira parte edificada corresponde, na realidade, ao estilo de transição do românico ao gótico, a partir do ano 1170. Desta época inicial corresponde o ábside da catedral, que integra as Muralhas de Ávila, um fato curioso e único entre as Catedrais da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras da catedral duraram cerca de 300 anos. Com a morte de Frunchel, o projeto original foi modificado, realizando-se um templo com 3 naves no estilo gótico pleno, a partir do século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém das naves, no século XIII se realizou o primeiro corpo das torres, das quais se construiu apenas uma. No século XIV se construiu o claustro, e as últimas intervenções na Catedral de Ávila foram efetuadas no século XV até mediados do XVI, quando finalizaram-se as obras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a porta de entrada ao templo, composta por um arco circular decorado com medalhões e motivos florais. Nas laterais, vemos a presença de dois selvagens, que protegem a entrada do recinto sagrado, conhecidos como Gog e Magog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da igreja encontramos a Porta dos Apóstolos, que inicialmente esteve situada entre as torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da porta vemos os apóstolos. A cena principal representa o Juízo Final, com Cristo como rei dentro de uma mandorla, rodeado por anjos. Realizada aproximadamente em 1300, no ano 1470 foi removida pelo arquiteto Juan Guas à sua localização atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da catedral destacam inúmeras obras de arte, como o Trascoro, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADecorado de forma magistral por Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, seus relevos foram realizados com um grande naturalismo. Representam episódios da infância de Cristo, entre os quais a Epifania, onde o Rei Baltazar aparece de negro. Este conjunto escultórico renascentista pertence à última fase construtiva da catedral, sendo iniciado a partir de 1527.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Catedral de Ávila se conservam belíssimos vitrais dos séculos XV e XVI, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns deles foram destruídos durante o Terremoto de Lisboa de 1755. No século XX, foram restaurados, com tonalidades claras e formas geométricas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a segunda parte dedicada à Catedral de San Salvador de Ávila

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Casa de Pilatos – Última Parte

O pátio principal da Casa de Pilatos, além de sua exuberância decorativa, serve como eixo ao redor do qual se organizam as várias dependências do palácio. Composto por dois níveis, a escada de acesso ao Palácio de Inverno, situado em sua parte superior, é um dos seus espaços mais monumentais. Construído por Fadrique Enríquez no séc. XVI, ao seu lado foi colocado um quadro da Virgem Maria do séc. XVIII, uma cópia de um original realizado pelo pintor Bartolomé Esteban Murillo em 1606.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das estâncias mais importantes do palácio, o Salão Dourado recebe este nome graças a cor do artesanato mudéjar que decora o teto da sala.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de Pilatos possui, além do pátio e suas diversas salas, dois belíssimos jardins, uma exclusividade da elite no séc. XVI, pois neles existiam depósitos de água que chegavam desde o aqueduto romano. Este privilégio estava reservado ao Real Alcázar de Sevilha, aos monastérios e conventos da cidade e algumas residências senhoriais, como a Casa de Pilatos. Do Salão Dourado existem 3 acessos ao denominado Jardim Chico. Abaixo vemos um detalhe do jardim, visto do citado salão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos a escultura de uma Ninfa dormindo, obra renascentista do séc. XVI. Abaixo, vemos uma imagem geral do Jardim Chico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra área verde do palácio é o maravilhoso Jardim Grande. Foi construído por ordem de Per Afán de Ribera, para que pudesse exibir sua excepcional coleção de esculturas clássicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1568, Per Afán de Ribera contratou o arquiteto napolitano Benvenuto Tortello para que realizasse as obras de construção do jardim. No entanto, não pôde desfrutar de seu projeto, pois faleceu em 1571, um pouco antes da finalização das obras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto, para conseguir o caráter desejado por Per Afán de Ribera, seguiu os ditames arquitetônicos das vilas italianas do Renascimento, criando uma ambiente íntimo, e ao mesmo tempo, monumental.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo podemos observar acima, as galerias de arcos do Jardim Grande reproduzem a estrutura do pátio principal. Abaixo, vemos um detalhe decorativo com as esculturas que adornam o espaço.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs esculturas foram expostas nas chamadas logias, formadas por duas galerias superpostas com 3 arcos semicirculares cada, sustentados por colunas de mármore. A seguir, vemos a logia inferior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE a logia superior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Jardim Grande ocupa o local da antiga horta do palácio de Fadrique Enríquez. Na época de sua construção, foi chamado de Jardim Arqueológico, exercendo uma grande influência na arte sevilhana. Num dos ângulos do jardim, o arquiteto Tortello desenhou uma pequena gruta e em seu interior foi colocada uma escultura de mármore de Vênus, pertencente ao séc. XVI. Com a imagem da deusa, finalizamos a matéria sobre a Casa de Pilatos, este belíssimo palácio considerado uma das grandes atrações de Sevilha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Casa de Pilatos – Parte 2

Depois do falecimento do casal fundador da Casa de Pilatos, D.Pedro Enríquez e sua esposa Dona Catalina de Ribera, seus descendentes continuaram o trabalho de ampliação do palácio, incorporando uma maravilhosa decoração renascentista, realizadas por seu filho Don Fadrique Enríquez de Ribera e seu neto Per Afán de Ribera. O primeiro, acostumado com o ambiente medieval de Sevilha, surpreendeu-se com o humanismo em suas viagens pela Itália, abraçando o Renascimento, o estilo que rompia com os preceitos da Idade Média, transformando-se num dos primeiros nobres de Espanha que pode ser classificado como um modelo de aristocrata culto. Graças a ele, foram importadas as primeiras obras renascentistas que chegaram a Sevilha, que podemos contemplar no pátio principal da Casa de Pilatos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1526 e 1539, D.Fadrique Enríquez decora o pátio com elementos renascentistas, como a fonte situada no centro, bustos de imperadores romanos e esculturas clássicas. Um conjunto de 24 colunas de mármore talhadas em Gênova compõem o espaço do pátio. A partir de então, o estilo mudéjar original da construção passa a conviver com o modelo italiano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFeita  de mármore branco de Carrara, a fonte colocada na parte central do pátio está ornamentada com uma temática mitológica. Um busto do Deus Jano (divindade romana das transformações, representada por duas caras direcionadas em sentidos opostos) do séc. I coroa a fonte. No entanto, não fazia parte da fonte original, pois foi colocada no séc. XVIII, no lugar de um sátiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsculturas clássicas situadas nos ângulos do pátio acentuam seu caráter renascentista. Foram incorporadas ao espaço por Per Afán de Ribera, um apaixonado pela Arte Clássica e um grande colecionador de obras artísticas. Abaixo, vemos a escultura de Palas Atenas, esculpida entre os anos 125 e 150 dC, uma cópia romana de uma original grega do ano 435 aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra belíssima escultura representa uma dançarina, réplica romana do séc. II dC, de um original grego do séc. IV aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos admirar uma outra representação de Atenas, a denominada Palas Pacífera, vestida com uma túnica que a cobre até os pés, como normalmente ocorre nas esculturas desta deusa grega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa galeria de arcos do pátio principal se conserva uma coleção de 24 bustos que representam imperadores romanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o busto do Imperador Marco Antônio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma tradição diz que as cinzas do Imperador Trajano, trazidas de Itália, foram espalhadas pelos jardins do palácio. A seguir, seu busto…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA combinação da decoração renascentista, detalhes mudéjares e os azulejos colocados por todo comprimento das galerias do pátio o transformam num local em que a arte se manifesta de maneira sublime…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Hospital Tavera – Toledo

O patrimônio histórico e artístico da cidade de Toledo é tao extenso e variado que existe uma rota cultural denominada Toledo Olvidada (Toledo Esquecida), composta por uma série de lugares de interesse que norrmalmente passam desapercebidos pela maioria das pessoas. O Hospital de Tavera é um deles. Uma das causas do seu desconhecimento é que está situado extramuros da cidade (mas bem próximo à Porta de Bisagra, o principal acesso ao centro histórico).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Hospital de Tavera é considerado o monumento renascentista mais importante de toda a cidade e foi construído entre 1541 e 1603 por iniciativa do Cardeal Tavera, Arçobispo de Toledo.  Dedicado a Sao Joao Batista, serviu também como panteao para o cardeal. Sua construçao se insere no programa de renovaçao urbana que o círculo de humanistas que rodeavam o Imperador Carlos I projetou para adequar a cidade no seu papel de Capital Imperial do reino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO fato de estar situado na parte externa das muralhas fez com que fosse conhecido como “Hospital de Afuera”, pois intramuros já existia o Hospital de Santa Cruz. O enorme edifício foi construído por Alonso de Covarrubias (1488/1570), introdutor da estética renascentista em Toledo, sendo sucedido posteriormente por Nicolás Vergara. O aspecto da construçao é similar a de um palácio renascentista florentino, com exceçao da fachada, edificada na segunda metade do séc. XVIII, e rematada por uma imagem de Sao Joao Batista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto está formado por dois pátios gêmeos com dois níveis cada, que se conectam por uma arcada, e o palácio-museu, que inclui parte do antigo hospital, além da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o nível superior de um dos pátios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja apresenta apenas uma nave. Abaixo, vemos uma foto interior da cúpula, cujo aspecto exterior podemos ver na primeira foto da matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADebaixo da cúpula está situado o sepulcro do Cardeal Tavera, obra realizada em mármore de Carrara por Alonso Berruguete (Paredes de Nava-1490/Toledo-1561). Este escultor castelhano, filho do pintor Pedro Berruguete, é um dos referentes da Escultura Renascentista Espanhola. Em 1561, faleceu num dos quartos do próprio Hospital de Tavera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo contrário do habitual, o sepulcro nao está adossado à parede, podendo ser admirado em toda sua perspectiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cardeal Tavera faleceu em 1545 na cidade de Valladolid e seu corpo foi levado ao hospital que fundou. Uma das condiçoes para a execuçao do sepulcro é que fosse similar ao do Cardeal Cisneros, situado em Alcalá de Henares. O rosto do cardeal possui uma configuraçao extremamente realista, pois foi fielmente copiado de uma máscara mortuária. Este sepulcro é considerado uma das obras primas da Arte Funerária Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o retábulo central da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes obras artísticas do hospital é o retábulo lateral da igreja, projetado por El Greco e realizado por seu filho, Jorge Manuel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Museu do Hospital de Tavera estao expostas numerosas obras de arte de grande valor. Entre outros, podemos admirar quadros do mencionado El Greco, José de Ribera, Tintoretto, Ticiano, Zurbarán, etc. Abaixo, vemos um retrato do Cardeal Tavera, realizado entre 1608/1614.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o edifício é uma propriedade da Casa Ducal de Medinaceli. O Hospital de Tavera foi utilizado como cenário de vários filmes legendários, como Viridiana e Tristana, ambos de Luis Buñuel, e a superproduçao Os Três Mosqueteiros, de Richard Lester.