Ampliação do Museu Reina Sofia

O Museu Reina Sofia de Madrid é considerado um dos museus de Arte Contemporânea mais importantes de todo o mundo. Sua exposição permanente exibe obras dos artistas mais influentes dos séculos XIX e XX, como Picasso, Dalí, Miró, etc. Entre todas as pinturas deste museu imprescindível destaca-se o famoso quadro de Picasso “Guernica“, possivelmente o quadro mais importante do século XX (ver post publicado em 17/5/2012). Realizei também, entre 29/6 e 4/7/2016, uma série de publicações sobre as obras primas do museu, que servem de referência a uma visita ao Reina Sofia. O museu encontra-se sediado no edifício do antigo Hospital de San Carlos, entidade fundada no século XVI pelo Rei Felipe II com a finalidade de centralizar todos os serviços de atendimento hospitalar que se encontravam dispersos pela capital da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, o monarca Carlos III decidiu construir um novo edifício para o hospital, já que as instalações do edifício anterior ficaram insuficientes com o crescimento populacional da cidade. O projeto foi encarregado aos arquitetos José de Hermosilla e, principalmente, a Francisco Sabatini. Ainda hoje, a sede principal do museu é conhecida como Edifício Sabatini. O hospital foi clausurado em 1965, e o edifício sobreviveu apesar dos rumores sobre sua demolição, principalmente depois que foi catalogado como Monumento Histórico-Artístico em 1977, garantindo sua continuidade. Em 1980 inicia-se sua restauração e em 1986 se inaugura o Centro de Arte Reina Sofia, utilizando os primeiros andares do edifício como salas de exposições temporárias. No final de 1988 se construíram as torres de aço e vidro para servir de elevadores. A coleção permanente do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, seu nome completo, foi inaugurada em 1992, com a presença do Rei Juan Carlos I e sua esposa, a Rainha Sofia, com os fundos artísticos provenientes do antigo Museu Espanhol de Arte Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 2001 e 2005, o museu foi alvo de uma grande ampliação, a cargo do arquiteto francês Jean Nouvel, cujo resultado contribuiu para transformar o aspecto do museu e da própria paisagem urbana de Madrid.

20190202_125010O custo da obra foi de 92 milhões de euros e possibilitou um aumento de 60% da superfície do museu. Uma praça, decorada com uma escultura de Roy Lichtenstein, conecta o Edifício Sabatini com as estruturas de ampliação realizadas por Jean Nouvel.

20190202_132209Jean Nouvel (França – 1945) é considerado atualmente um dos arquitetos de maior prestígio internacional e recebeu em 2008 o Prêmio Pritzker de arquitetura. Para ele, a arquitetura constitui uma arte visual, uma produção de imagens que provocam emoções e sensações, algo que podemos comprovar numa visita ao museu.

20190202_13222920190202_133023A ampliação do museu possibiltou a construção de uma excelente biblioteca, duas novas salas para exposições temporais, dois auditórios, uma loja e um restaurante, cujas imagens vemos abaixo…

20190202_13014720190202_131525Qualquer pessoa pode conhecer esta parte do museu, sem a necessidade de pagar entrada para ver o acervo permanente, visita que evidentemente recomendo. A seguir vemos o contraste entre os dois edifícios, o histórico de Sabatini e a obra realizada por Jean Nouvel.

20190202_13365220190202_133630Vale a pena subir na parte mais alta do edifício e contemplar as vistas que oferece, principalmente da Estação Ferroviária de Atocha, situada nas proximidades do museu.

20190202_133239Finalizo o post com outras fotos do Museu Reina Sofia

20190202_13342620190202_13345420190202_131815

 

Plaza de San Mateo – Cáceres

Prosseguindo com as matérias sobre a belíssima cidade de Cáceres, o post de hoje está dedicado a outros de seus espaços icônicos, a Plaza de San Mateo. Nela podemos visitar uma das igrejas mais importantes da cidade, um palácio e o Museu de Cáceres. A praça está presidida pela Igreja de San Mateo, cuja construção finalizou-se em 1602 sobre uma antiga mesquita islâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da estrutura ter sido concluída no início do século XVII, sua torre campanário é do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo possui apenas uma nave, e seu retábulo maior constitui uma verdadeira obra prima. Foi realizado com madeira de pino sem policromar pelo artista Vicente Barbadillo no estilo rococó, em 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo ocorre com outras igrejas da cidade, na Igreja de San Mateo também apreciamos túmulos pertencentes às famílias nobres de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um dos belos vitrais da igreja, com a representação do Batismo de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo também acolhe um interessante conjunto de pinturas religiosas, como a que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1982, esta igreja foi declarada Monumento Histórico-Artístico. Ao seu lado situa-se outra das residências nobres de Cáceres, o chamado Palácio de las Cigueñas (cegonha, em português), assim denominado por esta espécie de ave que costuma construir seus ninhos no alto de sua esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste imponente palácio foi construído no final do século XV no estilo gótico pelo capitão Diego de Cáceres Ovando, com a permissão dos Reis Católicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio possui um pátio interior, como normalmente ocorre nas residências nobres antigas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, realizam-se exposições temporárias no interior do palácio. Tive a oportunidade de visitar uma delas, sobre a história militar do país e admirar alguns detalhes decorativos do seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Palácio de las Cigueñas vemos o Convento de San Pablo, fundado em 1492. Sua fachada destaca-se pela austeridade, mas apresenta uma bonita espadaña, como se conhece na arquitetura uma estrutura levantada com a função de campanário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o convento acolhe uma comunidade de freiras de clausura pertencente a Ordem de Santa Clara. No próximo post, veremos o Museu de Cáceres, também situado na Plaza de San Mateo

Concatedral de Cáceres

O principal templo religioso de Cáceres, a Concatedral de Santa María La Mayor, situa-se logo depois de cruzarmos o Arco da Estrela, porta de entrada ao Centro Histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá situada na Plaza de Santa María, uma das mais belas da cidade, junto com vários palácios antigos conservados, que veremos no próximo post. Um dos símbolos de Cáceres, a Concatedral de Santa  María foi erguida provavelmente sobre uma anterior mesquita, algo habitual em muitas cidades da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre os séculos XV e XVI sobre uma anterior edificação do século XIII, combinando o estilo de transição do românico ao gótico com elementos renascentistas, como sua torre. Acima, vemos uma das duas portas góticas do templo. A seguir, vemos outra das características da arquitetura gótica, a presença das gárgulas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica da igreja tirada do alto da Igreja de San Francisco, que em breve será o tema de outra matéria sobre Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte externa foi colocada uma escultura de um dos santos mais venerados de Extremadura, San Pedro de Alcántara, realizada pelo escultor contemporâneo Enrique Pérez Comendador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por três naves cobertas com bôvedas de crucería, algo habitual das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central vemos um magnífico retábulo maior plateresco, talhado por Guillén Ferrant e Roque Balduque. Possui a cor própria da madeira sem que fosse policromada, pino de Flandes e cedro. Suas cenas retratam episódios da vida da Virgem Maria e de Jesus Cristo. No centro do retábulo vemos a Assunção da Virgem

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma grande quantidade de obras de arte, como a imagem gótica de um Cristo Negro, uma das mais veneradas da cidade, que sai em procissao durante a Semana Santa. A capela que o acolhe pertence aos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um curioso púlpito gótico feito em ferro forjado no século XV, procedente de um convento desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo solo da igreja vemos os sepulcros de importantes famílias nobres da cidade….

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas capelas adornam o interior da igreja, como a Capela da Virgem de las Dolores, do século XVI. O retábulo é barroco, de 1743. No centro aparece a Virgen de las Dolores. Nas laterais, São Vicente de Paula e São Pedro Alcântara. Fora do retábulo, as imagens de Santo Antônio de Pádua e Santa Rita de Cássia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Pia Batismal construída em 1552, ao lado de dois sepulcros góticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro objeto impressionante é a Custódia, realizada em 1643 pelo artista nascido na cidade Diego Rodríguez de Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o belo órgão da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1957, a antiga Igreja Paroquial de Santa María La Mayor recebeu o título de Concatedral, passando a dividir a sede episcopal com outro templo, a Catedral de Coria. Abaixo, vemos a bula papal concedida pelo Papa Pio XII ao templo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe interessante é que está permitido subir à torre….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Concatedral de Cáceres recebeu a designação de Monumento Histórico-Artístico por sua importância religiosa e histórica, e conhecê-la é um passeio obrigatório numa visita à cidade.

 

Igreja de San Nicolás – Valência

Em pleno Centro Histórico de Valência situa-se um dos templos mais belos da cidade, a Igreja de San Nicolás e de San Pedro Mártir. Recentemente, quando estive na cidade, tive a oportunidade de conhecê-la por primeira vez e admirá-la tanto sua parte exterior, quanto seu magnífico espaço interno.

20181004_144531O local onde a igreja se situa sempre foi, ao longo dos séculos, um espaço sagrado. Já em época romana, havia um templo, que foi substituído por uma mesquita durante a dominação muçulmana. Com a reconquista efetuada pelo Rei Jaime I no século XIII, a mesquita foi consagrada como uma paróquia cristã e entregue a Ordem Dominicana, que batizou o templo em homenagem a San Nicolás de Bari. Anos depois, a ordem decidiu incorporar a titularidade da igreja a San Pedro Mártir, considerado o primeiro santo mártir dos dominicanos.

20181004_144658No século XV, chamado de Século de Ouro Valenciano, a igreja foi reconstruída e ampliada, adquirindo o aspecto gótico que possui atualmente. Desta época, se conserva a portada exterior, que vemos nas imagens acima. Esta reforma ocorreu durante o governo eclesiástico do Bispo Alfonso de Borja, que se tornaria cardeal e posteriormente Papa com o nome de Calixto II.

20181004_144603Durante o período da Contrarreforma, no final do século XVII (entre 1697 e 1700), a igreja foi reformada no estilo barroco.

20181004_143337Todo o interior do templo foi coberto por um excepcional conjunto de pinturas (quase 2 mil metros quadrados), realizado pelo pintor Dionís Vidal, discípulo do grande Antonio Palomino (1653/1726), considerado um dos maiores teóricos da arte na Espanha, além de ter sido nomeado pintor de câmara do Rei Carlos II.

20181004_143349As pinturas foram realizadas na própria estrutura gótica do templo, e representam episódios das vidas dos santos titulares, San Nicolás e San Pedro Mártir. Conhecida como a Capela Sixtina Valenciana, a Igreja de San Nicolás é considerada um dos melhores exemplos da combinação do estilo gótico com a decoração barroca.

20181004_14383520181004_144022O interior da igreja possui nave única e 6 capelas de cada lado…

20181004_14430620181004_143555San Nicolás viveu no século IV, e foi Bispo de Mira, na atual Turquia. Devido às invasões otomanas, seus restos foram levados à cidade italiana de Bari, onde se encontra seu sepulcro. Protetor da infância e da família, também é invocado em momentos de dificuldades financeiras. Abaixo, vemos seu busto, situado junto ao altar maior da igreja.

20181004_143733San Pedro Mártir viveu no século XIII. Pertencente à Ordem Dominicana, nasceu em Verona, Itália, e faleceu em 1252. Abaixo, vemos o órgão da igreja…

20181004_143720A igreja conserva importantes obras artísticas, como este retábulo que representa o Calvário de Cristo, realizado pelo pintor Rodrigo de Osona em 1476, um exemplo da transição do gótico ao renascimento.

20181004_144211No século XIX, foram realizadas algumas reformas na parte exterior da igreja, no estilo neogótico

20181004_144612Finalmente, em 1981, a Igreja de San Nicolás de Valência recebeu, merecidamente, o título de Monumento Histórico-Artístico.

Arco de Santa Maria – Burgos

Burgos é uma cidade monumental com uma grande quantidade de locais históricos para se conhecer. Um de seus monumentos mais emblemáticos é o denominado Arco de Santa Maria, a porta de entrada mais importante da antiga muralha medieval.

20150725_174931Esta belíssima estrutura comunica a Ponte de Santa Maria, situada sobre o Rio Arlanzón, que atravessa a cidade, com a Plaza del Rey San Fernando, local onde se ergue sua maravilhosa catedral gótica. Foi construído a partir dos séculos XIV, mas entre 1536 e 1553 foi reformada para receber o Imperador Carlos V em sua visita pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA reforma do Arco de Santa Maria foi realizada pelos arquitetos Juan de Vallejo e Francisco de Colonia, que conceberam um grande arco triunfal, distribuído como se fosse um retábulo feito de pedra. Finalizou-se com a incorporação de várias estátuas, realizadas pelo escultor Ochoa de Arteaga, que representam personagens de relevância do antigo Reino de Castilla, da própria cidade de Burgos e da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arco está presidido pela Virgem de Santa Maria, padroeira da cidade. Entre os personagens representados, destacam o herói castelhano El Cid, que viveu na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE o Imperador Carlos V

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a fachada posterior do arco, construída no século XIV…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Arco de Santa Maria foi a sede da Prefeitura da cidade até a construção da atual Casa Consistorial, erguida no século XVIII e situada na Plaza Mayor de Burgos. O mais interessante é que podemos visitar seu interior. Uma escada de origem medieval nos conduz à sala principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a sala principal, formada por dois níveis…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço está coberto com uma grande estrutura de vidro e decorada com o Escudo da cidade de Burgos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento decorativo de interesse é uma pintura mural realizada em 1971 pelo pintor José Vela Zanetti, nascido na cidade, e dedicada ao Conde Fernán González e a Independência do antigo Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1878 e 1955, o Arco de Santa Maria foi a sede do Museu Arqueológico da Província de Burgos. A seguir, vemos a Sala de la Poridad, de formato octogonal, onde eram realizadas as reuniões do Conselho de Burgos até 1780.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeus muros foram decorados com pinturas murais datadas do século XVI, que representam, entre outros, ao Imperador Carlos V e seu filho, Felipe II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala está coberta por um belo artesanato de estilo mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os diversos objetos históricos que conserva, destacam, entre outros, uma cadeira onde se sentavam os juízes de Castilla para impor a justiça…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE um osso de El Cid Campeador….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcolhe também um Museu de Farmácia, com uma interessante coleção de recipientes de cerâmica dos séculos XVII ao XIX, procedente do desaparecido Hospital de San Juan, considerada uma das mais importantes do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1943, o Arco de Santa Maria foi devidamente protegido por sua relevância histórica, ao ser declarado Monumento Histórico-Artístico Nacional. Atualmente, também é utilizado como Centro Cultural, onde se organizam diversas exposições temporárias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Convento de la Asunción de Almagro

Dentro de todo o patrimônio religioso de Almagro, destaca-se o Convento de la Asunción, cuja visita me impressionou bastante, uma verdadeira surpresa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste convento demonstra uma vez mais a importância que a Ordem de Calatrava teve no desenrolar da história de Almagro e no seu rico legado artístico e cultural. Foi fundado por D.Gutierre de Padilla, comendador maior da Ordem de Calatrava, como um hospital de misericórdia, no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderado uma jóia do Renascimento em Espanha, foi habitado por freiras calatravas até 1815, quando sofreu o processo de desamortização no século XIX e seus bens passaram a ser propriedades do estado. O claustro é um de seus elementos mais interessantes e apesar de ser considerado um dos mais belos do Renascimento Espanhol, ainda é desconhecido em boa parte do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto do claustro se deve a Enrique Egas “El Mozo”, realizado em 1534. Possui um formato quadrado com dois níveis de arquerias e com 60 colunas clássicas em seu perímetro, de Ordem Jônico no nível inferior e Toscano no superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Uma bela escada possibilita o acesso ao nível superior do claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo redor do claustro, observamos várias portas ricamente decoradas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo acontece normalmente nos conventos e monastérios da Espanha, suas dependências se organizam ao redor do claustro, como o antigo dormitório utilizado pelas freiras, com um bonito artesanato de estilo mudéjar feito de madeira em sua cobertura (finais do século XVI).

OLYMPUS DIGITAL CAMERASe o Corral de Comédias de Almagro representa o exemplo principal da Arquitetura Popular na cidade, o Convento de la Asunción constitui a obra prima da denominada Arquitetura Culta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de abandonado, foi utilizado como quartel de cavalaria e armazém de trigo e vinho. Em 1851 foi declarado Monumento Histórico-Artístico, fato que provavelmente o salvou da ruína. Abaixo, vemos a igreja do convento, construída na primeira metade do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA foto acima foi tirada do Coro, cujos detalhes vemos na sequência…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo início do século XX, o convento passou a ser propriedade da Ordem Dominicana, que realizou criticadas reformas no convento, para transformá-lo num colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento está aberto à visitação pública, algo que recomendo. Simpáticas e atenciosas funcionárias tornam a visita ainda mais instrutiva. Abaixo, vemos o Escudo da Ordem de Calatrava, talhado na porta da instituição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Corral de Comédias de Almagro

Em plena Plaza Mayor de Almagro situa-se outro grande atrativo da cidade, o Corral de Comédias, famoso em todo o mundo por conservar o espaço teatral típico existente no século XVII, que foi o precursor dos teatros que conhecemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste é um dos poucos exemplares deste tipo de construção que se conservam na Espanha e, sem dúvida nenhuma, o mais famoso. É o único que permanece ativo tal como eram há 4 séculos, ainda que seu aspecto é um pouco distinto à construção original, pois foi destinado a outros usos ao longo de sua dilatada história. Os denominados Corrales de Comédias surgiram no século XVI e se difundiram a partir do século XVII por todo o país, coincidindo com o período conhecido como Século de Ouro da Cultura Espanhola (siglo de oro, em espanhol), momento em que o teatro constitui o grande alicerce cultural da população daquela época. Nomes como Tirso de Molina, Calderón de la Barca e Lope de Vega, entre muitos outros, consagraram o Teatro Espanhol em toda a Europa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Corrales de Comédias surgiram devido ao auge das representações teatrais e da grande quantidade de público que assistiam às obras, obrigando as prefeituras municipais a construírem espaços específicos para sua realização. O Corral de Comédias de Almagro deve sua construção ao presbítero da antiga Igreja de San Bartolomé, infelizmente derrubada, Leonardo de Oviedo. Em 1628, obteve a permissão da prefeitura da cidade para edificar um corral no pátio de um local já existente, uma espécie de restaurante-pousada chamado Mesón del Toro. Para sua construção, investiu uma verdadeira fortuna para a época, mais de 5 mil ducados. No ano seguinte, realizou-se a primeira peça no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA própria Plaza Mayor serviu de modelo construtivo, com uma estrutura de madeira formada por corredores em suas partes inferior e superior. O impulso definitivo para sua proliferação se deve às hermandades religiosas existentes na época, que cuidavam dos hospitais, e que começaram a organizar representações teatrais para arrecadar dinheiro. Um dos requisitos de sua construção foi que todas as representaçoes deveriam ser realizadas neste corral, sendo que os espectadores deveriam pagar uma parte do ingresso para o Hospital de los Hermanos de San Juan, que se encarregou de construir a metade dos bancos que seriam usados pelos espectadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, se pagavam três entradas, uma para ver a peça, outra para a instituição beneficente e a última para sentar. O dinheiro arrecadado pela venda de ingressos era dividido pela prefeitura, as companhias de teatro e o proprietário do local. O Corral de Comédias de Almagro está sustentado nas três partes que rodeiam o cenário por 54 pilastras feitas de madeira. As inferiores foram montadas sobre uma tosca base de pedra, para protegê-las contra a humidade do solo. Os aposentos laterais estavam formados por estrados que eram ocupados por comerciantes, militares e pessoas de uma condição social mais elevada que os demais espectadores. Também eram alugados para as famílias nobres por um período determinado de tempo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Dispunham de um acesso independente para manter o anonimato dos seus ocupantes, pois uma estrutura permitia que pudessem ver as obras sem serem vistos. As denominadas Cazuelas constituíam os locais destinados para as mulheres. Estavam situadas em frente ao cenário, no primeiro nível da construção, também com acesso independente. Nos aposentos privados, no entanto, homens e mulheres  permaneciam juntos, e são considerados os antecedentes dos atuais palcos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte superior do Corral, acima das cazuelas, eram ocupadas pelas autoridades civis e religiosas. Debaixo do cenário, oposto à entrada, encontrava-se o fosso, onde situava-se a companhia  teatral e que possibilitava uma excelente acústica, devido a caixa de ressonância que formava. Às crianças estavam proibida a entrada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA venda de bebidas alcólicas estava igualmente proibida, mas era servida uma bebida chamada Aloja, que misturava água, mel, canela e outras especiarias. Ás vezes, se colocava um pouco de vinho, para o deleite dos espectadores. Também estava proibido fumar, devido ao risco de incêndios. As peças duravam entre 4 e 6 horas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs condições higiênicas deixavam muito a desejar, pois não havia banheiros. As frequentes desordens, o risco de incêndio e a falta de higiene fizeram com que no denominado período da ilustração (século XVIII) se proibisse as obras teatrais nos corrales. O Corral de Comédias de Almagro transformou-se novamente numa pousada, onde se hospedavam os mercadeiros que visitavam a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX, o Corral de Almagro esteve a ponto de ser derrubado. Felizmente, foi declarado Monumento Histórico-Artístico e foi reabilitado, sendo reinaugurado em 1954. Atualmente é um referente mundial do Teatro Clássico, com uma ampla programação cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA