Casa de las Conchas – Salamanca

Qualquer pessoa que caminhe pelo Centro Histórico de Salamanca se surpreenderá com a grande quantidade de palácios nobres existentes, que integram o patrimônio histórico da cidade declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Um dos que mais chamam a atenção do visitante é, sem dúvida nenhuma, a famosa Casa de las Conchas, assim denominada pela grande quantidade de conchas que aparecem como elemento decorador de sua fachada principal. 

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa segunda metade do século XV, com o final das lutas nobiliárias e a derrota definitiva dos muçulmanos com a conquista de Granada, sucedida durante o reinado dos Reis Católicos em 1492, as cidades tornam-se um espaço mais seguro. A nobreza abandona os castelos rurais e retornam ao mundo urbano, construindo palácios que se convertem no símbolo de seu poder. Neles se observan, no entanto, reminiscências das antigas fortalezas medievais, como as altas torres. Os muros, tanto exteriores, quanto interiores, se ornamentam com os brasões do proprietário, como ocorre com a Casa de las Conchas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm ano depois da descoberta do continente americano e da conquista de Granada, um alto funcionário do reino, Don Rodrigo Arias Maldonado, ordenou a construção deste original edifício, cujas obras finalizaram em 1517. Trata-se de um dos melhores exemplos da Aquitetura Gótica Civil da Espanha. No princípio, os Reis Católicos haviam ordenado a derrubada de vários palacetes nobres erguidos com torres, principalmente daquelas famílias que contestavam seu poder. Aqueles que apoiaram a monarquía foram favorecidos, como no caso de Don Rodrigo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem aproximadamente 300 conchas na fachada do palácio, e muito se especula sobre a presença deste elemento na decoração. Don Rodrigo, embaixador do rei em Paris e Lisboa, foi também catedrático na Universidade de Salamanca e membro da Ordem de Santiago, sendo que as conchas são consideradas um símbolo do Apóstolo Santiago. Sua presença demonstra o orgulho que sentia o proprietário por pertencer à ordem. Seu emblema, formado por 5 flores de lis, se combina com o de sua esposa Dona Juana, pertencente a família dos Pimentel, que também utilizava em sua heráldica as conchas como motivo principal. Sua presença na fachada seria, portanto, uma prova de amor. As conchas se destacam na fachada, junto com as janelas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem várias lendas a respeito de tesouros ocultos que foram colocados debaixo das conchas pelos proprietários do palácio. No entanto, era comum na época colocar moedas de ouro na estrutura do edifício para atrair boa sorte. Outra lenda postula que a família escondeu umas jóias debaixo de uma das conchas, deixando documentada a quantidade escondida, mas não a concha escolhida. Aquele que tentasse desvendar o mistério e a localizaçao exata das jóias deveria aportar antecipadamente a quantidade estipulada como fiança. Se lograsse encontrar as jóias, ficaria com o tesouro descoberto e recuperaria a fiança. Do contrário, perderia a fiança…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio se organiza em torno a um pátio, algo habitual nos edifícios nobres. Nele convivem vários estilos artísticos, cuja coexistência marcou o final do século XV, pois o gótico, em sua última fase, na Espanha denominado Gótico Isabelino, se mistura com o Estilo Mudéjar, tradicional no país, como podemos observar no artesanato que decora o teto do nível superior do pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes dois estilos artísticos se combinam com as novas formas renascentistas, enriquecidas por fantásticos personagens grotescos, abundantes no pátio sob o aspecto de gárgulas. Esta nova corrente importada da Itália foi trazida ao país pela nobreza e o clero, grande parte formada na Universidade de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATodo o pátio foi decorado com o escudo dos proprietários, como vemos a seguir. Ao fundo, aparece o Ernesto, que me foi apresentado pelos meus amigos Marcelo e Cristina, e que tive o prazer de sua companhia em Ávila e Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nível inferior do pátio está formado pelos denominados Arcos Mixtilíneos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nível superior foi feito com mármore branco, possivelmente de Carrara. Abaixo, vemos a bela escada que conduz à parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de las Conchas também exerceu como função ser prisão da Universidade. Está situada em frente a Igreja de la Clerecía, cuja parte da fachada principal vemos desde o pátio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1929, a Casa de las Conchas de Salamanca foi declarada Monumento Nacional e atualmente alberga a Biblioteca Municipal, além de converter-se num espaço para exposições culturais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Anúncios

Explorando a Universidade de Salamanca: Parte 2

Entre os séculos XV e XVI, a Universidade de Salamanca converteu-se numa instituição de referência nacional e até o século XVII foi considerada como a de maior prestígio e influência da Espanha, devido a grande variedade de disciplinas existentes, a melhor infraestrutura física e humana e o corpo de alunos mais internacional. Seu auge se explica sobretudo graças a conquista da América por Cristóvão Colombo, cujo projeto de navegação foi patrocinado por Isabel La Católica. Abaixo, vemos um monumento em homenagem ao navegante genovês situado numa praça de Salamanca , inaugurado em 1893 (com um ano de atraso) para celebrar o quarto centenário do descobrimento, e realizado pelo escultor Eduardo Barrón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, o estado centralizado criado pelos Reis Católicos necessitava de burocratas, juristas e funcionários para a administração do  reino. No claustro da Universidade se discutiu sobre a viabilidade do projeto de Cristóvão Colombo. Uma vez descoberto o continente americano, foram abordado os direitos indígenas, algo revolucionário para a época. Abaixo, vemos o escudo dos Reis Católicos na fachada do Colégio Maior da Univ. Salamanca

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de seu caráter jurídico, desde o final do século XV a Universidade de Salamanca se incorporou ao movimento humanista, ainda que neste terreno fosse superada pela recém criada Universidade de Alcalá de Henares. Neste período conviveram alguns dos membros mais brilhantes de sua história, renovando a Teologia e participando de forma ativa no Concílio de Trento (1545/1563). Outros personagens de renome criaram as bases do direito civil e internacional, além da ciência econômica moderna. Por encargo do Papa Gregório XIII, matemáticos da Universidade estudaram a reforma do calendário, e propuseram soluções que foram implantadas posteriormente. A seguir, vemos uma foto da Faculdade de História e Geografia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XV, o historiador, humanista e pedagogo Antonio de Nebrija (1441/1522) escreveu a primeira gramática do idioma espanhol. Sua célebre obra “Grammatica“, escrita em 1492, é considerada o primeiro estudo de um idioma europeu com exceção do latim, marcando, para muitos, o início do chamado Século de Ouro da Espanha, que se prolongou nos dois séculos seguintes com os grandes nomes das letras e das artes na história do país. Nebrija foi responsável também de um dicionário latim-espanhol, igualmente realizado em 1492 e dois anos depois um outro dicionário espanhol-latim. É considerado o primeiro escritor em reclamar os denominados direitos de autor. A seguir vemos um monumento em sua homenagem, situado em frente de uma das faculdades da Universidade de Salamanca, inaugurado em 1983 e realizado pelo famoso escultor Pablo Serrano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o período governado pelos Reis Católicos, pela Universidade de Salamanca passaram personalidades femininas de grande relevância na história do país, caso de Beatriz Galindo, conhecida como “La Latina“, pelo domínio que tinha do idioma latino. Foi professora dos filhos dos Reis Católicos, e grande impulsora de serviços sociais num bairro de Madrid que a homenageou com o nome de Bairro de La Latina. Outra personagem destacada foi Lucía de Medrano, considerada a primeira mulher catedrática de uma universidade, responsável pelas aulas de latim durante um período de sua vida. Abaixo, vemos o chamado Aulário de San Isidoro, situado na antiga Igreja de San Isidoro, uma construção do século XVI que conserva apenas a fachada. O edifício foi adquirido pela universidade como um espaço para aulas dentro do contexto de ampliação da Faculdade de Direito, situado nas proximidades.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza de San Mateo – Cáceres

Prosseguindo com as matérias sobre a belíssima cidade de Cáceres, o post de hoje está dedicado a outros de seus espaços icônicos, a Plaza de San Mateo. Nela podemos visitar uma das igrejas mais importantes da cidade, um palácio e o Museu de Cáceres. A praça está presidida pela Igreja de San Mateo, cuja construção finalizou-se em 1602 sobre uma antiga mesquita islâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da estrutura ter sido concluída no início do século XVII, sua torre campanário é do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo possui apenas uma nave, e seu retábulo maior constitui uma verdadeira obra prima. Foi realizado com madeira de pino sem policromar pelo artista Vicente Barbadillo no estilo rococó, em 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo ocorre com outras igrejas da cidade, na Igreja de San Mateo também apreciamos túmulos pertencentes às famílias nobres de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um dos belos vitrais da igreja, com a representação do Batismo de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo também acolhe um interessante conjunto de pinturas religiosas, como a que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1982, esta igreja foi declarada Monumento Histórico-Artístico. Ao seu lado situa-se outra das residências nobres de Cáceres, o chamado Palácio de las Cigueñas (cegonha, em português), assim denominado por esta espécie de ave que costuma construir seus ninhos no alto de sua esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste imponente palácio foi construído no final do século XV no estilo gótico pelo capitão Diego de Cáceres Ovando, com a permissão dos Reis Católicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio possui um pátio interior, como normalmente ocorre nas residências nobres antigas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, realizam-se exposições temporárias no interior do palácio. Tive a oportunidade de visitar uma delas, sobre a história militar do país e admirar alguns detalhes decorativos do seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Palácio de las Cigueñas vemos o Convento de San Pablo, fundado em 1492. Sua fachada destaca-se pela austeridade, mas apresenta uma bonita espadaña, como se conhece na arquitetura uma estrutura levantada com a função de campanário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o convento acolhe uma comunidade de freiras de clausura pertencente a Ordem de Santa Clara. No próximo post, veremos o Museu de Cáceres, também situado na Plaza de San Mateo

Palácios de Cáceres

O Centro Histórico de Cáceres concentra uma grande quantidade de Palácios Nobres, um lugar ideal para todos (as ) aqueles (as) interessados pela Heráldica, a ciência e arte de representar os escudos ou brasões de armas das famílias aristocráticas. Na Plaza de Santa María, presidida pela Concatedral de Cáceres, vemos vários deles, como o Palácio Episcopal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste é um dos palácios mais antigos da cidade, pois antigamente somente se permitia a existência dos palácios reais e dos bispos. Originariamente construído no século XIV, foi reformado pelo Bispo Pedro García de Galarza no final do século XVI, e seu escudo decora a fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na fachada vemos uma característica da arquitetura renascentista de influência italiana, pedras salientes que em espanhol se denominam Almohadillados, com uma finalidade ornamental. Dois medalhoes situados a ambos lados representam o velho e o novo mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o pátio interior do palácio, repleto de escudos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÀ direita do Palácio Episcopal, vemos o Palácio de Mayoralgo, cuja fachada do século XV foi destruída durante um bombardeio realizado em 1937 em plena Guerra Civil Espanhola. Felizmente, foi reconstruída seguindo fielmente o modelo original, combinando elementos góticos e renascentistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANuma das esquinas da praça, na chamada Calle Amargura, situa-se o Palácio e a Torre dos Carvajal. Apresenta os elementos característicos de uma antiga casa senhorial, com a torre vigia do século XII e escassas janelas exteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio pertence ao século XV, e também combina elementos góticos e renascentistas. Numa das esquinas do palácio foi colocado um balcão em ângulo com o escudo da família ao lado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste palácio também se conhece como casa queimada, devido a um incêndio que assolou o edifício no século XIX. Possui um belo pátio em forma de claustro e um agradável jardim. Em 1985 foi adquirido pela Prefeitura de Cáceres como sede de promoção ao turismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das famílias mais importantes de Cáceres tiveram no Centro Histórico mais de uma residência, como demonstração de sua riqueza e poder. Este é o caso da linhagem dos Golfín, que construíram um dos palácios mais belos da cidade na Plaza de Santa María. Conhecido como Palácio de los Golfines de Abajo, originalmente foi uma casa fortaleza de estilo gótico que proliferaram na cidade no século XV, do qual se conserva sua imponente torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta família estabeleceu-se em Cáceres logo depois da reconquista. No século XVI, o palácio foi reformado no estilo plateresco. Em agradecimento ao apoio e serviços prestados aos Reis Católicos, estes permitiram  que seu escudo real fosse colocado na fachada, caso único dentre todos os Palácios de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio serviu de residência ao casal real em várias ocasiões,  durante suas estadias na cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da fachada vemos dois medalhões com o escudo da família, composto por um castelo e a flôr de lis (foto acima). Abaixo, outra imagem da fachada e uma foto do pátio interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Palácio de los Golfines de Arriba iniciou sua construção no século XV. Sua fachada caracteriza-se pela austeridade e sua torre, uma das 4 que existiam originalmente. Durante a Guerra Civil Espanhola do século XX, Franco instalou em suas dependências seu primeiro quartel general.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Cáceres – Extremadura

Cáceres foi a cidade que escolhi como base para conhecer a parte norte da Comunidade de Extremadura. Com quase 100 mil habitantes, Cáceres é a cidade mais populosa da parte norte da comunidade e considerada o município mais extenso de toda a Espanha (1.750 km quadrados).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos centros medievais mais importantes de todo o continente europeu, Cáceres foi declarada Patrimônio da Humanidade em 1986. Fundada pelos romanos, a cidade foi, no entanto, ocupada muito antes, como demonstram as pinturas rupestres encontradas em cavernas situadas na parte sul de seu núcleo urbano, como a Cueva de Maltravieso, cujas pinturas remontam a 20 mil anos atrás. Também foi ocupada pelos povos ibéricos, que construíram um castro (povoado ibérico) na região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Cáceres foi fundada pelos romanos no ano de 28 aC com  a denominaçao de “Norba Caesarina“, em homenagem ao general romano Cayo Norbano Flaco, seu fundador, e ao Imperador Júlio César. Este primitivo núcleo transformou-se com o tempo no atual Centro Histórico da cidade. A cidade foi construída num local estratégico, na atualmente denominada Vía de la Plata, um caminho que unia as cidades de Astorga, no norte do país, com Mérida (Extremadura) e Sevilha (Andaluzia). Deste nome antigo, Norba Caesarina, procede o atual nome da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a chegada dos Visigodos no final do século V, o anterior assentamento romano foi arrasado e até os séculos VIII e IX não existem nenhuma referência à cidade. Foram os muçulmanos que aproveitaram sua localização estratégica e o que sobrou da antiga colônia romana como base militar para combater os reinos cristianos do norte. Desta forma, em 1147, Abd al-Mumin refundou a cidade e, a partir do século XII, árabes e cristãos se sucederam alternativamente no governo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1169, o Rei Fernando II conquistou a cidade, entregando-a a um grupo de cavalheiros que constituíram uma ordem religiosa e militar, embrião da futura Ordem de Santiago. Quatro anos depois, Abu Yaqub reconquistou a cidade para os muçulmanos, ordenando degolar a maioria destes cavalheiros. A partir de 1212, data da vitória cristã na famosa Batalha de Navas de Tolosa, os avanços cristianos na Extremadura foram definitivos e em 1218 as Ordens Militares de Alcântara e de Santiago ampliaram seus domínios por quase toda a zona. Finalmente, em 1229, Cáceres foi definitivamente reconquistada pelo Rei Alfonso IX de León. O fato ocorreu precisamente no dia 23 de Abril, dia de São Jorge, que foi declarado padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO falecimento de Alfonso IX de León um ano depois da reconquista fez com que Cáceres passasse a integrar o antigo Reino de Castilla. No século XIV, sucessivas lutas entre a nobreza local fez com que os Reis Católicos, no século seguinte, ordenassem a derrubada das torres defensivas pertencentes a estas famílias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante as décadas seguintes ao Descobrimento da América, em Cáceres nasceram várias personalidades que desempenharam um importante papel no novo continente, ocupando cargos de relêvancia, como Diego García de Cáceres. Em 1790, ocorreu um fato decisivo para sua história, quando o Rei Carlos IV estabeleceu na cidade a sede da Real Audiência de Extremadura, o máximo órgão jurídico da região, fato que a transformou de uma simples vila a constituir uma cidade importante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XIX, com a divisao administrativa de Extremadura em duas províncias, Cáceres foi designada capital de sua parte norte, enquanto Badajoz tornou-se a capital da província da metade sul. No verão de 1936, no início da Guerra Civil Espanhola, o General Franco estabeleceu em Cáceres seu quartel general. Atualmente, sua economia está baseada no setor de serviços, principalmente a construção e o turismo. Por ela passa o trem que liga Madrid a Lisboa, e transformou-se num dos principais destinos turísticos de toda a comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANesta nova série de matérias que hoje inicio, vocês poderão conhecer esta belíssima cidade e seu excepcional centro histórico, cuja visita é mais que recomendável….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Orbaneja del Castillo – Província de Burgos

A Província de Burgos, especialmente sua parte norte, conhecida como Las Merindades, constitui uma sucessão de gratas surpresas pela beleza de sua paisagem natural e também pela quantidade de pueblos encantadores existentes, como vocês já devem ter percebido pelas matérias que publiquei até o momento. Nosso próximo destino me deixou literalmente de boca aberta, tamanha a espetacularidade da paisagem e o povoado que nela se localiza, a vila de Orbaneja del Castillo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOrbaneja del Castillo situa-se no meio do Canyon do Rio Ebro, e suas magníficas vistas impressionam a qualquer visitante. De fato, ultimamente este pueblo converteu-se num destino relevante do norte da Província de Burgos, tanto por seu entorno natural, quanto pelo próprio povoado, que conserva sua estrutura medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua origem é medieval, e chegou, como seu nome indica, a possuir um castelo, que lamentavelmente não se  conservou. Apesar disso, a vila foi declarada Conjunto Histórico-Artístico em 1993.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO título de vila a Orbaneja del Castillo foi concedido pelos Reis Católicos. As casas feitas de madeira com um balcão em sua fachada exterior refletem a influência da Comunidade da Cantábria, por sua proximidade com o pueblo. Abaixo, vemos imagens de sua maravilhosa paisagem, emoldurada pela ação erosiva do Rio Ebro e caracterizada pelo predomínio de rochas calcáreas, propícias para o aparecimento de grutas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOrbaneja del Castillo possui somente 50 habitantes, mas seu número aumenta com a chegada dos turistas, ansiosos por descubrir suas belezas. Abaixo, vemos a Igreja Paroquial da localidade, cuja torre se destaca no meio da paisagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre suas incríveis formações rochosas, uma delas chama a atenção por sua semelhança com o mapa do continente africano…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de seu reduzido tamanho, a vila possui uma variada oferta gastronômica e pousadas para receber o visitante. Nos dias tranquilos, a vida segue plácida e tranquila para seus habitantes…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOrbaneja del Castillo é um local fascinante. Além do mais, o povoado é atravessado por um riacho que durante sua descida pela ladeira da montanha formam belíssimas cachoeiras, que veremos no próximo e último post.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Frías – Província de Burgos

Durante vários anos, tive um sonho que finalmente se realizou, conhecer o povoado de Frías, situado ao norte da Província de Burgos, na região conhecida como Las Merindades. Razões para visitá-la não me faltavam, pois este pueblo sempre aparece nas listas dos mais belos da Espanha, fato que pude comprovar com meus próprios olhos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAParte da incrível beleza de Frías se deve à sua espetacular localização, no alto de um cerro conhecido como “La Muela“. Outro aspecto que destaca no povoado é que conserva seu aspecto medieval, motivo pelo qual foi declarado Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFrías aparece documentada já no ano de 867. No século XI, foi vendida ao Conde Sancho García e depois de sua morte, passou a depender do Reino de Navarra, sendo governada pelo Rei Sancho “El Mayor”. Em 1202, o Rei Alfonso VIII concede foros à vila, favorecendo seu desenvolvimento econômico, momento em que volta a integrar o Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1435, o monarca Juan II outorga o título de cidade a Frías, sendo atualmente considerada como a mais pequena de toda a Espanha, com cerca de 300 habitantes. Este fato contribuiu de maneira decisiva em sua história, pois Frías se converteu num dos principais centros de Las Merindades. Posteriormente, Juan II doou à cidade ao Primeiro Conde de Haro, Pedro Fernández de Velasco, integrando o Senhorio dos Velasco. Em 1492, os Reis Católicos concedem o título de Duque de Frías a Bernardino Fernández de Velasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos extremos de Frías situa-se seu impressionante Castelo, que veremos no próximo post. No outro lado ergue-se a Igreja de San Vicente

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído no século XIII no estilo românico, mas atualmente seu aspecto se deve ao conjunto de reformas realizadas ao longo do tempo, predominando o estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente a Igreja de San Vicente desempenhou uma função defensiva, associada ao castelo. Vários desastres marcaram sua vida, e em 1836 se construiu um pórtico quadrado para proteger sua portada românica. Em 1906, a torre e parte do templo desabaram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInacreditavelmente, a porta românica foi adquirida pelo Museu dos Claustros de Nova York, onde se exibe nos dias de hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior guarda uma excelente amostra de obras religiosas, principalmente do século XVII, além de um retábulo maior dedicado a San Vicente (imagem acima).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das atrações de Frías são as Casas Colgadas (literalmente Casas Penduradas, pois foram construídas ao borde do penhasco).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO traçado medieval de suas casas e ruas nos convidam a um passeio relaxado pelo pueblo, que foi protegido ao longo dos séculos por sua imponente fortificação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANumerosos são os exemplos de arquitetura popular que encontramos no povoado, constituindo outro dos atrativos de Frías. Muitas das casas possuem uma bodega de vinho na parte inferior da estrutura, pois foi um produto comercializado desde séculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com uma foto de meu querido irmão Marcelo, a companhia perfeita para explorar Las Merindades e a Província de Burgos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA