Frías – Província de Burgos

Durante vários anos, tive um sonho que finalmente se realizou, conhecer o povoado de Frías, situado ao norte da Província de Burgos, na região conhecida como Las Merindades. Razões para visitá-la não me faltavam, pois este pueblo sempre aparece nas listas dos mais belos da Espanha, fato que pude comprovar com meus próprios olhos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAParte da incrível beleza de Frías se deve à sua espetacular localização, no alto de um cerro conhecido como “La Muela“. Outro aspecto que destaca no povoado é que conserva seu aspecto medieval, motivo pelo qual foi declarado Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFrías aparece documentada já no ano de 867. No século XI, foi vendida ao Conde Sancho García e depois de sua morte, passou a depender do Reino de Navarra, sendo governada pelo Rei Sancho “El Mayor”. Em 1202, o Rei Alfonso VIII concede foros à vila, favorecendo seu desenvolvimento econômico, momento em que volta a integrar o Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1435, o monarca Juan II outorga o título de cidade a Frías, sendo atualmente considerada como a mais pequena de toda a Espanha, com cerca de 300 habitantes. Este fato contribuiu de maneira decisiva em sua história, pois Frías se converteu num dos principais centros de Las Merindades. Posteriormente, Juan II doou à cidade ao Primeiro Conde de Haro, Pedro Fernández de Velasco, integrando o Senhorio dos Velasco. Em 1492, os Reis Católicos concedem o título de Duque de Frías a Bernardino Fernández de Velasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos extremos de Frías situa-se seu impressionante Castelo, que veremos no próximo post. No outro lado ergue-se a Igreja de San Vicente

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído no século XIII no estilo românico, mas atualmente seu aspecto se deve ao conjunto de reformas realizadas ao longo do tempo, predominando o estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente a Igreja de San Vicente desempenhou uma função defensiva, associada ao castelo. Vários desastres marcaram sua vida, e em 1836 se construiu um pórtico quadrado para proteger sua portada românica. Em 1906, a torre e parte do templo desabaram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInacreditavelmente, a porta românica foi adquirida pelo Museu dos Claustros de Nova York, onde se exibe nos dias de hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior guarda uma excelente amostra de obras religiosas, principalmente do século XVII, além de um retábulo maior dedicado a San Vicente (imagem acima).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das atrações de Frías são as Casas Colgadas (literalmente Casas Penduradas, pois foram construídas ao borde do penhasco).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO traçado medieval de suas casas e ruas nos convidam a um passeio relaxado pelo pueblo, que foi protegido ao longo dos séculos por sua imponente fortificação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANumerosos são os exemplos de arquitetura popular que encontramos no povoado, constituindo outro dos atrativos de Frías. Muitas das casas possuem uma bodega de vinho na parte inferior da estrutura, pois foi um produto comercializado desde séculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com uma foto de meu querido irmão Marcelo, a companhia perfeita para explorar Las Merindades e a Província de Burgos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Hostal dos Reis Católicos – S.Compostela

No post de hoje, comentarei sobre um dos edifícios emblemáticos da Plaza del Obradoiro, a mais famosa de Santiago de Compostela, conhecido como Hostal dos Reis Católicos. Esta formidável construção originou-se quando os Reis Católicos Fernando e Isabel visitaram a cidade em 1486 e constataram a deficiência no atendimento e cuidado de doentes e também dos peregrinos que chegavam à cidade. A instituição recebeu o nome de Hospital dos Reis Católicos, sendo que o projeto da obra foi realizado por Enrique Egas, iniciando-se a construçao em 1501 e finalizando-se dez anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEnrique Egas projetou o edifício na fase final do estilo gótico, num momento de transição para a arquitetura renascentista. Realizou uma fachada como se fosse um retábulo, com uma rica ornamentação que inclui escudos reais, do antigo Reino de Castilla, e personagens religiosos como Cristo, a Virgem Maria, santos e apóstolos. Esta corrente artística, que caracteriza-se por uma profunda decoração, é conhecida como Estilo Plateresco e desenvolveu-se na Espanha a partir do final do século XV, sobretudo na arquitetura. Abaixo, vemos os medalhões dos Reis Católicos, que enaltecem o poder monárquico e contrastam com o poder religioso da catedral e o palácio arcebispal, ambos situados na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO virtuosismo escultórico do projeto de Enrique Egas obrigou a utilização de uma pedra mais blanda, em vez do usual granito, que não suportou o clima instável da cidade, sendo novamente refeito no século XVI. Abaixo, vemos alguns detalhes da bela fachada do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior possui uma planta retangular com 4 pátios construídos a modo de claustros, sendo dois deles realizados no século XVI e os demais no XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs pátios receberam nomes relativos aos 4 apóstolos evangelistas (Marcos, João, Lucas e Mateus). Como elemento comum, a presença de fontes no centro de cada pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm um dos pátios vemos pequenas, mas curiosas esculturas, que representam de forma simbólica os vícios e pecados que os internos deveriam evitar, quando o hospital converteu-se numa hospedaria. Constituíam um verdadeiro código de conduta, cujo cumprimento era vigilado com grande severidade. Algumas delas representam o pecado da luxúria, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm homem atado a um grande tonel simboliza o perigo da embriaguez….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos pátios, é possível visitar a Capela do antigo Hospital, construída no estilo gótico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o portão que separa a capela (reja, em espanhol), uma belíssima obra do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, um detalhe do teto da capela….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1954, o lugar converteu-se num dos estabelecimentos que integram a Rede de Paradores Nacionais da Espanha, uma rede hoteleira que se caracteriza por sua presença em edifícios históricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo lembrança dos séculos de hospitalidade, ainda hoje se mantêm o costume de fornecer café da manhã, comida e jantar aos primeiros peregrinos que chegam ao local diariamente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Betanzos – Galícia

Durante minha estadia em Ferrol, além de visitar La Coruña, aproveitei para passar o dia e retornar a Betanzos, cidade que já havia estado em 2012, mas que nesta oportunidade pude conhecer com mais calma e profundidade. Na primeira vez que estive em Betanzos fiquei impressionado pela beleza e monumentalidade de seu centro histórico, considerado um dos mais importantes de toda a Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom aproximadamente 13 mil habitantes, Betanzos é conhecida por ser a capital do gótico na Galícia, devido às várias e preservadas igrejas que foram edificadas neste estilo artístico, que em breve poderão conhecer. Além do mais, desde 1970 a cidade foi declarada Conjunto Histórico-Artístico em virtude da conservação de seu patrimônio histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade faz parte da Província de La Coruña, estando situada numa colina cercada pelos Rios Mandeo e Mendo, que se unem em seu perímetro para formar a chamada Ría de Betanzos. Abaixo, vemos uma imagem aérea de Betanzos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma lenda afirma que Betanzos foi fundada por um chefe militar de origem celta chamado Breogán. Sua existência já foi documentada numa época em que o território espanhol fazia parte do Império Romano, constituindo uma de suas principais províncias, denominada Hispania.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi somente em 1212 quando recebeu o título de vila, concedido pelo monarca Alfonso IX, Rei de León e Galícia. Em 1465, Enrique IV lhe outorga o título de cidade e dois anos depois permite a realização de uma feira anual. Durante o reinado dos Reis Católicos, no final do seculo XV, Betanzos se converte numa das sete capitais de província do antigo Reino de Galícia, quando alcança seu máximo esplendor. Nada mais chegar à cidade, fui “recebido” por um belo conjunto de Hórreos, este tipo de construção associado ao armazenamento de grãos, onipresentes por toda a comunidade galega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtravessei uma das portas da antiga muralha medieval para conhecer suas principais atrações…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha de Betanzos possuía 5 portas de entrada, das quais se conservam 3. Abaixo, vemos a porta situada em frente a uma das pontes que cruzam o curso fluvial que atravessa a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA chamada Ponte Velha de Betanzos possuía uma torre defensiva no centro, que foi incorporada ao escudo da cidade. Atualmente pode ser visto em vários lugares do espaço urbano, como nas luminárias e também num pequeno parque, junto com os escudos de outras importantes cidades da Galícia. O escudo mais antigo que se conserva na cidade data do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, publicarei várias matérias sobre a cidade, de forma que os leitores (as) do blog possam descobrir esta encantadora localidade do interior da Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Olmedo – Vila Mudéjar

Olmedo é conhecida principalmente por seu valioso patrimônio religioso, constituído por igrejas, conventos e ermitas históricas. Boa parte dos edifícios foram construídos no estilo mudéjar, um estilo artístico exclusivo da Espanha. A cidade contou com uma numerosa população muçulmana, que permaneceu na cidade após a reconquista de Alfonso VI no século XI, quando passaram a serem denominados mudéjares, contribuindo para o desenvolvimento do estilo.  Um bom exemplo é a Igreja de San Andrés, construída no século XIII no estilo românico, mas com características mudéjares, razão pela qual é classificada como românica-mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja, outrora em ruínas, foi alvo de um adequado processo de restauração, sendo utilizada atualmente como um auditório ao ar livre. Como destaque principal, citamos o ábside e a torre, ambos mudéjares, construídos em tijolo, o principal material utilizado nesta corrente arquitetônica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO ábside, cuja imagem vemos acima, está composto por arcos cegos semicirculares (ou de meio ponto) dispostos em três níveis, sendo os superiores de maior tamanho. Ao estar em ruínas consolidadas, é possível observar a estrutura interna do ábside.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de ser restaurada, a igreja passou por um longo período de abandono, sendo utilizada inclusive como armazém de madeiras. O templo possui nave única, como podemos ver na foto acima. Nos séculos XVI e XVIII a igreja foi reformada em sua fachada principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Igreja de San Andrés foi declarada Monumento Histórico-Artístico, título que colaborou para que fosse restaurada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro exemplo do estilo mudéjar é a Igreja de San Juan. Da mesma forma que a Igreja de San Andrés, este templo também se encontra fechado ao culto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente construída no século XII, seu aspecto atual corresponde às reformas realizadas no século XVI, possivelmente devido ao mau estado da construção primitiva. Neste período se construiu o ábside poligonal, sobre cuja estrutura se levantou um corpo para as campanas. Uma pena que o templo estava fechado, e não pude admirar seu interior, que alberga uma capela funerária atribuída a Juan Guas, um importante arquiteto que trabalhou para os Reis Católicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAfastada do centro da cidade, e localizada no cemitério de Olmedo, encontramos a bela Ermita de Santa María de la Vega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída no estilo românico-mudéjar no século XII, desta época se conserva alguns elementos, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA porta principal do templo também se conservou…

OLYMPUS DIGITAL CAMERARealizada em pedra e formada por arquivoltas de meio ponto ou semicirculares, está sustentada por colunas rematadas por capitéis lisos. No século XVI, este pequeno e belo templo foi reformado, adquirindo um aspecto renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO alto da fachada foi o local escolhido pelas cegonhas como sua morada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGrande parte das residências da cidade foram construídas com tijolo, seguindo a tradiconal corrente mudéjar de Olmedo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Córdoba – Parte 2

No post de hoje veremos outros lugares de interesse em Córdoba, alguns deles mais afastados do centro histórico da cidade, como o Palácio de la Merced, cuja belíssima fachada me impressionou deveras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta construção pertenceu ao Convento da Ordem Mercedária, fundado no século XIII. No século XVIII (1757) sofreu uma remodelação que o transformou num dos conjuntos arquitetônicos mais importantes da cidade. Com a desamortizaçao de 1834, o convento foi abolido, e depois transformou-se num hospital para idosos. As pinturas que decoram a fachada imitam o mármore, uma das características do barroco em Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA antiga igreja conventual ainda se conserva, e ocupa o centro da fachada principal….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Palácio de la Merced é a sede da Diputación Provincial de Córdoba. Outro lugar interessante, já em pleno Centro Histórico da cidade, é a Torre de San Juan, o único vestígio conservado de uma mesquita muçulmana. O monarca Fernando III doou a mesquita à Ordem dos Cavaleiros de San Juan de Jerusalém, que transformou a mesquita numa igreja paroquial, função que ocupou até 1880. A partir de então, transformou-se na Igreja Conventual das Escravas do Sagrado Coração de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituada bem próximo ao antigo Fórum Romano, a Plaza de las Tendillas constitui hoje em dia o principal centro comercial da cidade. O centro da praça está presidida pelo monumento em homenagem a Gonzalo Fernández de Córdoba, mais conhecido como “El Gran Capitán“. Este genial militar, considerado um dos mais importantes de toda a história espanhola, prestou seus serviços aos Reis Católicos, participando em batalhas decisivas que proporcionaram a incorporação de novas terras ao Império Espanhol, principalmente na Itália. Sua capacidade como estrategista possibilitou a formação dos futuros “Tercios“, a unidade de elite do exército a serviço dos Reis da Dinastia dos Habsburgos, e se tornaram famosos por sua resistência nos campos de batalha. Combinou à perfeição a artilharia, cavalaria e infantaria, além do apoio naval. O monumento, uma estátua equestre em bronze (com exceção da cabeça, realizada em mármore branco) foi realizado em 1923, e o modelo para a figura do homenageado foi um organista da Igreja de San Nicolás, templo que vimos na matéria sobre as Igrejas Históricas de Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos vários dias em que estive em Córdoba, percorri praticamente toda a extensão da cidade, buscando lugares de interesse histórico, além de locais de uma singela beleza…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitei também para saborear a gastronomia espanhola, como no dia em que provei uma deliciosa salada com pimientos (pimentão, em português) de primeiro prato e um suculento bacalhau de segundo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos pratos mais tradicionais da cozinha cordobesa é o Salmorejo, um tipo de sopa feita à base de tomate, mas com um aspecto mais denso. Este prato se popularizou fora da Andaluzia, e atualmente pode ser encontrado em todo o país. Abaixo, vemos a receita do Salmorejo, que encontrei em minhas andanças pela cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza del Potro – Córdoba

Dentre todas as praças de Córdoba, a chamada Plaza del Potro (original em espanhol) é uma das mais representativas da cidade. A explicação de seu nome se deve ao fato que nela havia um local onde se comercializavam mulas e potros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, outros historiadores admitem que seu nome se refere à Fonte do Potro que preside a praça, de estilo renascentista e esculpida em 1577, com a finalidade de melhorar o abastecimento de água da zona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça possui diversos locais de interesse, como a Posada del Potro. Sua disposição interna é de uma corrala, isto é, uma espécie de bloco residencial característico de algumas cidades espanholas, formado por um corredor feito com uma armação de madeira, cujos balcões estão cercados por um pátio interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente foi utilizada como uma pousada, função que exerceu até o século XIX, e também como prostíbulo. Com a decadência comercial da zona, converteu-se num local residencial. Abaixo, vemos uma foto antiga do lugar….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Posada del Potro foi citada por Miguel de Cervantes em sua famosa novela “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha”, que nela se hospedou. Um azulejo colocado num dos muros da praça celebra este acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO bairro onde se localiza a praça sempre foi considerado um centro comercial e econômico na cidade, concentrando grande parte dos grêmios artesanais e atraindo a comerciantes, feirantes, viajantes, propiciando a existência de um grande número de pousadas, restaurantes, etc. Atualmente, a Posada del Potro é sede de um centro cultural dedicado à história do Flamenco e a um de seus grandes personagens, o cantor cordobês Antonio Fernández, apelidado de “Fosforito“, nascido em 1932.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANum primeiro momento, a Plaza del Potro possuía uma forma quadrada e fechada e não retangular e aberta como nos dias atuais. A primeira reestruturação realizada na praça foi feita devido à construção do extinto Hospital da Caridade, criado pelos Reis Católicos no final do século XV e atendido pela Ordem Franciscana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o antigo hospital alberga dois museus de grande interesse, o Museu de Belas Artes de Córdoba, que vemos abaixo, numa foto tirada no interior do pátio do edifício. Seu acervo está constituído por pintores espanhóis de grande relevância histórica, como Zurbarán, Valdés Leal, Rusiñol, Zuloaga, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado do pátio está situado um dos museus mais visitados de Córdoba, dedicado ao pintor nascido na cidade Julio Romero de Torres (1874/1930).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O pintor viveu nesta casa, com uma belíssima fachada policromada realizada em 1752.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma placa que comprova o local de residência do pintor cordobês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJulio Romero de Torres nasceu numa família de artistas, e sua temática gira em torno aos aspectos regionalistas, do mundo taurino e da cultura flamenca. No entanto, mais da metade de sua obra pictórica está composta por retratos (realizou mais de mil quadros), gênero que soube explorar com grande maestria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANenhum outro pintor soube representar com tamanha beleza a sensualidade da mulher andaluza em inúmeros quadros que podemos contemplar no museu, aberto ao público em 1931 com um acervo doado pelos familiares do pintor e de outros colecionadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma pena que nao se fotografar o interior do museu e suas obras, mas selecionei um vídeo no Youtube onde vocês poderão apreciar a obra deste grande pintor espanhol:

Finalizando a matéria, em 1924 foi colocada no outro extremo da praça um monumento dedicado ao Triunfo de São Rafael, santo padroeiro de Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Judería de Córdoba – Última Parte

No final do século XIV, uma onda de antisemitismo invadiu as juderías de boa parte da Espanha. Em 1391, a Judería de Córdoba foi praticamente destruída e numerosos judeus foram assassinados, acabando com séculos de tolerância entre as comunidades cristãs e judaicas. Em 1482, o Tribunal da Inquisição se instala na cidade, o segundo em ser criado no país, depois do de Sevilha. O primeiro auto de fé realizado ocorreu em 1483, momento em que os acusados de heresía eram julgados pelo tribunal eclesiástico. Em 1492, um  édito promulgado pelos Reis Católicos promoveu a expulsão dos judeus da Espanha. A única possibilidade que tinham para permanecer no país era se converterem ao catolicismo. Aqueles que adotaram esta medida ficaram conhecidos como cristãos novos ou judeus conversos. O Tribunal da Inquisição foi especialmente implacável contra aqueles que, apesar da conversão, seguiam praticando os antigos ritos judaicos na intimidade dos seus lares. A partir do século XVIII, o tribunal começou a proibir livros considerados heréticos, através de uma lista de obras cujos textos eram contrários aos dogmas católicos. Surgiu então o Índex de livros proibidos pela igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Judería de Córdoba situava-se no meio do caminho entre o hotel onde me hospedei e a parte mais monumental da cidade, formada pela Mesquita-Catedral e o Real Alcázar. Por este motivo, por ela passava diariamente, descobrindo seus encantos e lugares pintorescos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa judería encontra-se outros dos banhos de época árabe da cidade. Do século X, ficou conhecido depois da reconquista como Baños de Santa María (original em espanhol), por sua proximidade com a Mesquita-Catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, as antigas salas de banhos se converteram em locais onde se realizam espetáculos de flamenco, um símbolo de qualquer cidade andaluza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante minha estadia na cidade, aproveitei para saborear as delícias da gastronomia local, especialmente no Restaurante El Choto, localizado em plena Judería de Córdoba. Os menus diários custavam 15 euros, incluindo dois pratos a serem escolhidos, bebida, pão e sobremesa. O atendimento foi hiper atencioso e simpático, e de primeiro prato me aconselharam provar um prato típico da tradição sefardíe, berinjelas fritas com mel de cana de açúcar, uma verdadeira delícia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe segundo prato, uma Carrillada de Ternera…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE de sobremesa, laranjas feitas à moda cordobesa, com canela, azeite de oliva e açúcar…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe todas as ruelas que conformam o bairro, a mais fotografada pelos turistas é a Calleja de las Flores, realmente muito bonita com uma bela vista da torre campanário da Mesquita-Catedral, que aparece sobre os telhados de suas casas brancas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada outro dos símbolos da cidade, a rua está repleta de lojas de souvenir, algo que de um certo modo desvirtuou o caráter original desta pequena e bela rua. A cidade conta com inúmeros palácios de tempos antigos, como a chamada Casa do Indiano. Do século XV, sua fachada é um exemplo da arquitetura civil mudéjar existente na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nome do imóvel se deve a um antigo proprietário, que partiu para a América e fez fortuna. Quando regressou ficou conhecido como “O Indiano“. Uma de suas curiosidades é que a porta principal comunica com uma estreita rua, que também homenageia o proprietário, composta por algumas casas modernas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria sobre a Judería de Córdoba com outras imagens deste emblemático lugar da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA