Universidade de Santiago de Compostela

Além de sua indiscutível e fundamental importância religiosa, Santiago de Compostela é um importante centro educacional de nível superior, graças a sua secular Universidade Pública. Considerada uma das melhores do país e uma das mais antigas, realizam-se visitas guiadas pelos edifícios mais destacados do campus universitário, uma atração que recomendo aos visitantes.  A Universidade de Santiago de Compostela foi fundada no ano de 1495, através do esforço pessoal de um notário da cidade chamado Lope Gómez de Marzoa e do apoio do abade do Monastério de San Martín Pinario, que criaram uma instituição para pobres conhecida como Estúdio de Gramática. Abaixo, vemos o escudo do notário…

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO período em que a universidade consegue seu desenvolvimento definitivo corresponde ao governo eclesiástico do Arcebispo Alonso III de Fonseca, que foi nomeado Arcebispo de Santiago de Compostela em 1507. Mecenas das artes e um típico homem culto do Renascimento, em sua época a Universidade gozou de um grande impulso cultural e econômico. Neste período se constrói o chamado Colégio de Fonseca, epicentro da vida universitária até a segunda metade do século XVIII. Então, os estudos concentravam-se em torno a um só edifício, onde os estudantes residiam num regime de internato. Abaixo, vemos o Escudo do Arcebispo Alonso III de Fonseca, formado por 5 estrelas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, a Universidade de Santiago de Compostela contou com as carreiras de Teologia, Gramática e Arte, posteriormente complementada com as disciplinas de direito e medicina. O Colégio de Fonseca, o primeiro edifício pertencente à universidade e fundado pelo próprio arcebispo, foi edificado sobre uma anterior residência que pertenceu a sua família. As obras iniciaram-se em 1532, e seu modelo foram as construções universitárias de Salamanca. A fachada principal é atribuída a Alonso de Covarrubias, que a realizou no estilo renascentista, como se fosse um retábulo. Nela aparece o Escudo do Arcebispo e os Doutores da Igreja

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dependências do Colégio de Fonseca se distribuem em torno a um claustro, também de estilo renascentista e considerado um dos mais belos da cidade do século XVI, realizado pelo arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1995, com motivo da celebração de seu quinto centenário, foi colocada uma estátua  no centro do pátio do claustro, em homenagem ao fundador do colégio, o Arcebispo Alonso III de Fonseca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO colégio abrigou as Faculdades de Medicina, Farmácia, Economia, Filosofia e Educação e também foi a sede do Parlamento de Galícia. Atualmente, sedia a Biblioteca Geral da Galícia, cujo acervo é considerado o maior e mais importante de toda a comunidade galega. Com mais de um milhão de volumes, entre livros, manuscritos, etc, é a quinta maior biblioteca universitária da Espanha. O acervo da biblioteca se incrementou no século XX com doações que aumentaram substancialmente a quantidade de obras. Este é o caso da Biblioteca de América, que integra a visita guiada e que vale a pena ser conhecida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta impressionante biblioteca nasceu graças a um emigrante da cidade chamado Gumersindo Busto, nascido em 1872, que viveu em Montevideo e Buenos Aires, adquirindo uma excepcional coleção de livros de botânica, cartografia, direito e medicina, entre outras áreas. Foi criada em 1926, e seu acervo está estimado em cerca de 37 mil obras. Seu objetivo era difundir na Galícia o conhecimento obtido por Gumersindo no continente americano, cujo retrato vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm total de 16 bustos representativos de personalidades latino-americanos decoram o espaço da biblioteca, tanto do âmbito político, quanto intelectual de finais do século XIX (Bolívar, San Martín, Sucre, etc).

OLYMPUS DIGITAL CAMERABandeiras de vários países sul-americanos fazem parte de sua decoração. A de Cuba foi doada pelo próprio Fidel Castro, e a do Brasil também se encontra presente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs estantes que guardam os preciosos livros procedem do Monastério de San Martín Pinario e pertence ao período barroco. O exemplar mais valioso do acervo é o Livro das Horas de Fernando I de León, datado de 1055 e considerado o livro mais antigo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local visitável do Colégio de Fonseca é o Salão Nobre, onde anualmente se realizam a abertura e encerramento dos cursos universitários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs assentos do salão foram dispostos em distintos níveis, de acordo com a hierarquia acadêmica de seus ocupantes. Na mesa presidencial situam-se o reitor e os vices reitores. O guia nos convidou para que sentássemos no assento principal, e sentir por breves momentos o cargo de Reitor da Universidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO salão está presidido pelo Escudo da Universidade, que vemos acima, e dos fundadores da instituição, publicadas no início da matéria. Abaixo, vemos outra foto do Salão Nobre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita finaliza com o espaço onde originalmente se situava o refeitório. Destaque para seu belíssimo teto decorado com um artesanato de madeira. Atualmente é utilizado como lugar de exposições…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com um detalhe decorativo de sua capela gótica

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, a segunda e última parte da matéria sobre a Universidade de Santiago de Compostela

 

Igreja de San Román – Toledo

Toledo é uma cidade com um patrimônio histórico-artístico riquíssimo, e muitos dos locais mais interessantes ainda permanecem desconhecidos pelos turistas. Um exemplo é a bela Igreja de San Román, situada na parte mais alta da cidade. Este templo é um dos mais curiosos da cidade, por conservar sua estrutura mudéjar do século XIII e por apresentar em seu interior um excepcional conjunto de Pinturas Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da escassez de dados, se pode afirmar que a origem desta igreja se remonta à época visigoda, graças a restos arqueológicos encontrados em seu interior em 1968, ano em que o processo de restauração da igreja finalizou-se. Com a chegada dos árabes no século VIII, o templo foi reutilizado como uma mesquita (foram encontrados no século XVI sepulcros muçulmanos em seu interior).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo paróquia do período cristão aparece documentada por primeira vez em 1125, ainda que sua estrutura atual pertence ao século XIII (1221). A Igreja de San Román apresenta uma clara influência construtiva islâmica, tanto em sua arquitetura exterior, quanto em seu formidável interior.  Na foto acima, vemos uma imagem da torre, um exemplo do Mudéjar Toledano, edificada no final do século XIII e começo do XIV. A visita ao templo permite subir ao alto da mesma…

20160503_113012O interior, belíssimo, está formado por três naves separados por Arcos de Ferradura, típicos da arquitetura islâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs arcos se encontram apoiados por colunas e capitéis de época romana e visigoda, que foram reutilizados quando o templo foi usado como mesquita. Até 1926, as paredes e os arcos estavam pintados de branco, quando foram descobertas as pinturas que decoram todo o interior da igreja. Especialistas foram capazes de remover a antiga pintura e mostrar as pinturas românicas originais do templo, realizadas no século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto de pinturas está formado por 3 estilos distintos. Em primeiro lugar, aparecem as pinturas mudéjares, caracterizadas por motivos geométricos, vegetais e epigráficos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior dos arcos (em arquitetura denominado intradós), aparecem figuras de santos, profetas e bispos com um olhar frontal, que recordam as pinturas italianas de estilo bizantino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente aparecem as pinturas de composição narrativa, feitas com maior naturalismo e movimento. Podemos apreciar vários episódios e personagens bíblicos, como a Ressurreição dos Mortos, os Apóstolos Evangelistas, o Pecado Original e o Paraíso, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI, uma família nobre de Toledo adquiriu o espaço pertencente à capela maior para que se transformasse em sua cripta particular. Para a realização da reforma, foi encarregado um dos melhores arquitetos do Renascimento Espanhol, Alonso de Covarrubias, que foi o responsável pelo intenso plano de revitalização da cidade durante o reinado de Carlos I, quando Toledo passou a ser a capital do Império. Abaixo, vemos uma imagem da capela maior, cujo retábulo foi executado por Diego Velasco, e da cúpula renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja conserva uma Pia Batismal do século XV…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm uma das capelas do templo podem ser vistos vários sepulcros antigos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma lauda sepulcral de 1400, composta por inscriçoes góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1968, a Igreja de San Román passou a acolher o Museu dos Concílios e da Cultura Visigoda. Em 1931, foi declarada de forma merecida Monumento Histórico-Artístico de caráter nacional.

Palácio do Arcebispo – Alcalá de Henares

Como dito em outras matérias, desde que Alcalá de Henares foi reconquistada no século XII, passou a pertencer ao Arcebispado de Toledo, condição que manteve até o século XIX. Transformou.se, portanto, numa cidade eclesiástica, e como símbolo e riqueza do poder dos bispos de Toledo se construiu um enorme palácio como residência do senhor da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO aspecto que vemos atualmente desta construção é fruto de várias intervenções e reformas, consequência das várias destruições e incêndios que assolaram o palácio ao longo dos séculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o Palácio do Arcebispo era uma fortaleza edificada no estilo mudéjar, cuja construção foi ordenada pelo Arcebispo de Toledo Rodrigo Ximénez de Rada, em 1209. Alguns detalhes deste estilo ainda podem ser contemplados na decoração do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XIV, o bispo Pedro Tenorio reconstruiu o palácio, fortificando-o. Construiu um grande pátio de armas retangular e o conjunto foi cercado por uma muralha, que vimos no primeiro post sobre a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASe conservam algumas torres que lhe proporcionam seu caráter histórico de fortaleza. A Torre da Fonte é uma delas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Torre de Tenorio

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada lateral do palácio dá para a Plaza de las Bernardas, presidida pelo Monastério de San Bernardo, que vimos na matéria anterior. Acima, vemos uma parte da praça com a Torre de Tenório. Esta parte do palácio nos mostra sua arquitetura gótico -mudéjar, principalmente nas janelas e elementos decorativos. Abaixo, vemos outras imagens da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVários fatos de grande importância histórica ocorreram no palácio, como o nascimento da filha menor dos reis católicos, Catalina de Aragón (1485/1536), Infanta de Castilla e depois Rainha Consorte de Inglaterra, graças ao seu casamento com Henrique VIII. Na praça podemos ver uma escultura em sua homenagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro acontecimento de grande transcendência histórica sucedido no palácio é que foi o cenário da primeira entrevista de Cristóvão Colombo com a rainha Isabel La Católica, personagem fundamental e patrocinadora das viagens do navegante genovês que resultou na descoberta do continente americano. Em frente a fachada do palácio foi colocada uma estátua de Isabel La Católica (1451/1504) como comemoração do V centenário de sua morte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal foi realizada pelo arquiteto Alonso de Covarrubias em 1524 no estilo renascentista. No centro da fachada vemos o brasão barroco do Cardeal Infante Luis, filho do primeiro rei da Dinastia dos Bourbons na Espanha, Felipe V.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1939, o Palácio do Arcebispo de Alcalá de Henares sofreu um terrível incêndio durante a Guerra Civil Espanhola, destruindo boa parte de sua estrutura. Sua reconstrução finalizou-se somente em 1996. Atualmente é a sede da Diocese de Alcalá e continua sendo a residência do bispo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Palácio Real de Madrid – Parte 2

O Palácio Real de Madrid já foi tema de um post publicado em 5/10/2012. No entanto, este que é um dos principais monumentos da cidade, por ter sido a residência oficial dos Reis da Espanha, necessita de algumas informações complementares, que não foram abordadas na publicação inicial.  Foi dito que o atual Palácio Real foi construído no mesmo local do antigo Alcázar, que foi destruído sem misericórdia por um incêndio em 1734, durante o reinado do primeiro rei da Dinastia Burbônica do país, Felipe V. O Alcázar transformou-se na residência real depois que a cidade foi reconquistada em 1086, ocupando o local da antiga fortaleza árabe. Não se sabe ao  certo o início de sua construção, e o primeiro documento que a ele se faz referência data das reformas realizadas durante o reinado de Pedro I, a mediados do séc. XIV. A partir de Juan II, o Alcázar passou a ser a residência preferida dos reis da Dinastia dos Trastámaras. O edifício passou  a seu um palácio com as reformas e ampliações realizadas pelo rei Carlos I, que encarregou os arquitetos Luis de Vega e Alonso de Covarrubias para as obras. Com a chegada da corte em 1561 durante o reinado de Felipe II, o Alcázar se converteu na primeira residência real permanente do país. Não existem gravados nem planos do Alcázar anterior às reformas realizadas a partir do séc. XVI. Porém, abaixo vemos uma imagem do aspecto que possuía o Alcázar na primeira metade do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFelipe II prosseguiu com as reformas, acrescentando um novo pátio chamado Pátio de la Reina (Pátio da Rainha), já que o antigo Alcázar possuía apenas um. Dessa forma, a construção ficou dividida em duas: a ala oeste para o rei e a leste para a rainha. A seguir, vemos uma maquete do Alcázar, que mostra também o seu aspecto no séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAmpliações e novas remodelações foram realizadas pelos demais reis da Dinastia dos Habsburgos. O incêndio que destruiu o Alcázar durou 3 dias, e lamentavelmente muitas obras de arte que o decoravam foram perdidas. O monarca Felipe V não gostava do antigo Alcázar (apesar de repleto de obras de arte, não possuía o mesmo conforto do Palácio de Versalhes, local onde viveu o rei ante de chegar ao trono espanhol), e este fato levantou suspeitas com respeito ao seu suposto vínculo com o incêndio. Atualmente, esta suposição parece infundada. Felipe V ordenou a construção do novo palácio ao melhor arquiteto da época, o italiano Filippo Juvara, que realizou um projeto de dimensões gigantescas que não contou com a aprovação real, já que Felipe V desejava que o novo palácio fosse construído no mesmo local que o alcázar destruído pelo fogo. Juvara, que chegou em Madrid em 1735, veio a falecer no ano seguinte. Felipe V contrata, então, seu discípulo Juan Bautista Sachetti, que modifica o projeto de seu mestre, adaptando-o ao gosto do monarca e à sua atual localização. Abaixo, vemos a fachada principal (sul), que dá de frente para a Catedral de Almudena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira pedra foi colocada em 1738 , e o Palácio Real finalizou-se em 1764 durante o reinado de Carlos III, que tornou-se o primeiro rei em habitá-lo. Abaixo, vemos a estátua do rei colocada logo na entrada do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um busto do rei que ordenou sua construção, Felipe V.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio Real de Madrid possui uma planta quase quadrada, com 120m de comprimento e 28 de altura. Possui três níveis principais e dois subterrâneos, e se distribui em torno a um grande pátio. A fachada oeste oferece estupendas vistas do Campo del Moro e suas belas fontes…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada norte tem como referência outra das áreas verdes que o circundam, os Jardins de Sabatini.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, a fachada leste dá para a Praça do Oriente e o Teatro Real, de onde foi tirada a foto abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção combina o cinza do granito com o branco da pedra calcárea de Colmenar. Na sequência, vemos uma imagem do Palácio Real de Madrid visto desde as margens do Rio Manzanares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a impressionante escada principal do palácio, que permite o acesso às dependências visitáveis do mesmo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu El Greco de Toledo – Parte 2

A coleçao permanente do Museu El Greco de Toledo acolhe importantes obras do pintor, principalmente de seu último período artístico. Entre outras, destaca um ciclo completo do Apostolado, um dos três existentes no mundo, onde El Greco retratou os apóstolos de meio busto com seus atributos correspondentes. Representados como figuras ascéticas e de siluetas alargadas, recordam os íconos gregos. Esta série foi pintada entre 1608 e 1614, sendo que El Greco realçou as figuras dos apóstolos num primeiro plano e em diferentes posturas sobre um fundo neutro, eliminado referências espaciais ou temporais. A seguir, vemos alguns quadros desta série, como o que representa a Santiago Maior, portando o bastao de peregrino e com um expressivo gesto de sua mao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASao Pedro com as chaves do céu em sua mao esquerda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASao Mateus segurando um livro e uma pluma, atributos referentes a sua condiçao de evangelista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASao Joao Evangelista mostrando o cálice envenenado que nao conseguiu matá-lo, episódio sucedido no Templo de Diana, em Éfeso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA exposiçao conta também com alguns dos retratos mais conhecidos de El Greco, como o de Diego de Covarrubias (1600), Bispo de Toledo e filho de Alonso de Covarrubias, um dos arquitetos mais importantes do Renascimento Espanhol, que deixou inúmeras obras pela cidade de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos quadros realizados pelo pintor, vemos algumas cópias de pintores anônimos, como este retrato de D.Rodrigo Vázquez de Arce (1590), presidente do Conselho Real de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das obras atribuídas a El Greco  foram realizadas por ajudantes que trabalhavam no atelier que o pintor possuía em Toledo, que seguiam os mesmos modelos e materiais dos originais realizados pelo grande artista. El Greco teve apenas um discípulo de importância, chamado Luis Tristán (1585/1624). No museu podemos conhecer alguns de seus quadros, como este “Santo Domingo Penitente”, em que combina os elementos pictóricos de El Greco com o naturalismo presente na obra de Caravaggio (1618).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm Cristo Crucificado, pintado entre1618 e 1622.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALuis Tristán, da mesma forma que seu mestre, também retratou santos católicos, como Sao Jerônimo (1618/1622).

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom estas imagens, concluimos a série dedicada a El Greco, este pintor excepcional de estilo único, que legou à cidade de Toledo e ao mundo quadros de intensa beleza e expressividade, que colocaram de maneira definitiva seu nome na História da Arte.

Hospital Tavera – Toledo

O patrimônio histórico e artístico da cidade de Toledo é tao extenso e variado que existe uma rota cultural denominada Toledo Olvidada (Toledo Esquecida), composta por uma série de lugares de interesse que norrmalmente passam desapercebidos pela maioria das pessoas. O Hospital de Tavera é um deles. Uma das causas do seu desconhecimento é que está situado extramuros da cidade (mas bem próximo à Porta de Bisagra, o principal acesso ao centro histórico).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Hospital de Tavera é considerado o monumento renascentista mais importante de toda a cidade e foi construído entre 1541 e 1603 por iniciativa do Cardeal Tavera, Arçobispo de Toledo.  Dedicado a Sao Joao Batista, serviu também como panteao para o cardeal. Sua construçao se insere no programa de renovaçao urbana que o círculo de humanistas que rodeavam o Imperador Carlos I projetou para adequar a cidade no seu papel de Capital Imperial do reino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO fato de estar situado na parte externa das muralhas fez com que fosse conhecido como “Hospital de Afuera”, pois intramuros já existia o Hospital de Santa Cruz. O enorme edifício foi construído por Alonso de Covarrubias (1488/1570), introdutor da estética renascentista em Toledo, sendo sucedido posteriormente por Nicolás Vergara. O aspecto da construçao é similar a de um palácio renascentista florentino, com exceçao da fachada, edificada na segunda metade do séc. XVIII, e rematada por uma imagem de Sao Joao Batista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto está formado por dois pátios gêmeos com dois níveis cada, que se conectam por uma arcada, e o palácio-museu, que inclui parte do antigo hospital, além da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o nível superior de um dos pátios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja apresenta apenas uma nave. Abaixo, vemos uma foto interior da cúpula, cujo aspecto exterior podemos ver na primeira foto da matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADebaixo da cúpula está situado o sepulcro do Cardeal Tavera, obra realizada em mármore de Carrara por Alonso Berruguete (Paredes de Nava-1490/Toledo-1561). Este escultor castelhano, filho do pintor Pedro Berruguete, é um dos referentes da Escultura Renascentista Espanhola. Em 1561, faleceu num dos quartos do próprio Hospital de Tavera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo contrário do habitual, o sepulcro nao está adossado à parede, podendo ser admirado em toda sua perspectiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cardeal Tavera faleceu em 1545 na cidade de Valladolid e seu corpo foi levado ao hospital que fundou. Uma das condiçoes para a execuçao do sepulcro é que fosse similar ao do Cardeal Cisneros, situado em Alcalá de Henares. O rosto do cardeal possui uma configuraçao extremamente realista, pois foi fielmente copiado de uma máscara mortuária. Este sepulcro é considerado uma das obras primas da Arte Funerária Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o retábulo central da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes obras artísticas do hospital é o retábulo lateral da igreja, projetado por El Greco e realizado por seu filho, Jorge Manuel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Museu do Hospital de Tavera estao expostas numerosas obras de arte de grande valor. Entre outros, podemos admirar quadros do mencionado El Greco, José de Ribera, Tintoretto, Ticiano, Zurbarán, etc. Abaixo, vemos um retrato do Cardeal Tavera, realizado entre 1608/1614.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o edifício é uma propriedade da Casa Ducal de Medinaceli. O Hospital de Tavera foi utilizado como cenário de vários filmes legendários, como Viridiana e Tristana, ambos de Luis Buñuel, e a superproduçao Os Três Mosqueteiros, de Richard Lester.

Conventos de Guadalajara

Um dos elementos mais característicos da paisagem urbana de Guadalajara sao os conventos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo post de hoje, conheceremos dois deles. O Convento de San José data de 1625, e está habitado por monjas de clausura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído pelo Frade Alberto de la Madre de Dios, e sua fachada caracteriza -se pela sobriedade decorativa, própria da Ordem das Carmelitas Descalças, a qual pertence.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando cheguei para visitar o convento, encontrava-se fechado, mas uma simpática e atenciosa freira me possibilitou o acesso à igreja, repleta de elementos barrocos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Retábulo Maior do Convento de San José.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Convento da Piedade está formado pela igreja e pelo Palácio de Antonio de Mendoza a ele adossado, além de um belo jardim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio foi construído aproximadamente em 1510. Anos depois, Brenda de Mendoza estabeleceu uma comunidade de franciscanos, sob a advocaçao de N.Sra da Piedade. A igreja foi levantada a partir de 1525, segundo o projeto do renomado arquiteto Alonso de Covarrubias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada é um exemplo do chamado Estilo Plateresco, cuja característica principal é a abundante decoraçao. Abaixo, vemos o detalhe do tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, a igreja estava fechada e nao pude conhecer seu interior. No entanto, o palácio estava aberto e pude apreciar uma das melhores mostras da arquitetura renascentista do período inicial realizadas em Espanha. A fachada foi concebida como um Arco Triunfal, com motivos ornamentais de caráter militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio está formado por um maravilhoso pátio renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO pátio está composto por dois níveis de galerias, suportadas por imponentes colunas. Abaixo, vemos a magistral escada de acesso ao nível superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua antiguidade, o palácio foi restaurado pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco entre 1902 e 1906, com um grande critério arquitetônico, algo que infelizmente nao sucede sempre…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA